Uma conversa sob o luar

|Grande Calabouço Orcus|.

Este era um enorme labirinto que consistia de centenas de andares. Como um dos Sete Grandes Calabouços, quanto mais você desce, mais fortes as Feras Mágicas se tornam. Mesmo assim, este |Calabouço| era um lugar muito popular para mercenários e aventureiros. Ele também era um ótimo campo de treinamento para novos recrutas. É porque era fácil julgar a força das Feras Mágicas de acordo com o andar do |Calabouço|. Além disso, as Feras Mágicas possuíam [Pedras Mágicas] de maior qualidade em seus corpos em relação as Feras Mágicas selvagens.

A [Pedra Mágica] é o núcleo que fornece poder para a Fera Mágica. Quanto mais forte é a Fera Mágica, maior a qualidade de seu núcleo. Essas [Pedras Mágicas] eram usadas como materiais para fazer os círculos mágicos. O círculo mágico poderia ser ativado contanto que ele estivesse completo, mas o efeito só teria um terço do poder quando comparado com um círculo mágico desenhado com o [Pó da Pedra Mágica].

Em resumo, usar [Pedras Mágicas] poderia aumentar efetivamente a eficiência da magia. Além disso, as ferramentas mágicas usadas diariamente também eram feitas com [Pedras Mágicas]. Havia uma enorme demanda por [Pedras Mágicas]. Elas eram essenciais tanto para o exército quando para o dia-a-dia do povo.

A propósito, Feras Mágicas poderosas com [Pedras Mágicas] de maior qualidade podem usar magia ‖Magia Inerente‖. ‖Magia Inerente‖ não precisa de encantamento e círculos mágicos. É o único tipo de feitiço que as Feras Mágicas podem usar. A mesma espécie de Fera Mágica não seria capaz de usar todos os feitiços mesmo se eles possuíssem |Poder Mágico. Mas desta forma, as Feras Mágicas não precisam de encantamentos e nem de círculos mágicos para usar magia. Esta era a maior razão para as pessoas não serem negligentes ao enfrentarem elas.

O Comandante Meld liderou um grupo de Cavaleiros e levou os estudantes para a residência temporária deles na pequena cidade de |Holward|. Os aventureiros que desejavam desafiar o |Grande Calabouço Orcus| costumavam ficar nesse local. Pela noite, eles iriam ficar em uma estalagem gerenciada pelo |Reino|, que era um local exclusivo para novos recrutas.

Hajime, que não via um quarto comum há muito tempo, deitou em sua cama e suspirou. “Wheeeew”. Todos os quartos eram projetados para duas pessoas, mas somente Hajime conseguiu ficar sozinho em seu quarto. “Bem, ao menos eu posso relaxar deste jeito”. Hajime não deixou isso incomoda-lo e murmurou enquanto pensava. Ele não estava sozinho, não de verdade…

Amanhã seria o dia que eles desafiariam o |Calabouço|. Parece que eles só iriam passar pelos primeiros vinte andares. Deste jeito, até mesmo alguém fraco como Hajime poderia ser útil. Isto era o que o comandante disse com sua própria boca.

Quanto a Hajime, além de se sentir culpado por ser um estorvo, ele realmente não tinha nada a dizer. Além disso, era definitivamente a melhor escolha deixa-lo na capital… o tímido Hajime também não disse nada depois de ler a atmosfera ao redor dele.

Hajime aproveitou o momento para ler o manual ilustrado das Feras Mágicas que ele emprestou da biblioteca. Contudo, para deixar seu corpo cansado descansar um pouco, ele decidiu dormir cedo. A habilidade para dormir que ele dominou em sua vida escolar mostrou todo o seu potencial em outro mundo.

No entanto, quando Hajime estava a ponto de adormecer, ele ouviu alguém batendo em sua porta. Para Hajime que frequentemente passava as noites em claro no Japão, ainda era muito cedo, mas para as pessoas de |Tortus|, já era muito tarde. A pessoa suspeita que iria fazer uma visita neste horário da noite poderia ser Hiyama!? Hajime estava um pouco preocupado quando ele pensou nisso.

Contudo, ele se acalmou quando escutou a voz.

(???): “Nagumo-kun, você ainda está acordado? Sou eu, Shirasaki. Eu posso incomoda-lo um pouco?”

Sério? Hajime congelou por um momento e rapidamente seguiu para a porta. Depois de alcançar a chave e abrir a porta, Kaori estava de pé com um négligé[1] branco como a neve. Ela estava vestindo uma camisola desabotoada sobre o négligé.

(Hajime): “… por que isto está acontecendo?”

(Kaori): “Eh?”

Quando presenteado com tal cena, Hajime inesperadamente falou no dialeto de Kansai[2] e fez um Tsukkomi[3]. Kaori estava confusa já que não conseguiu entender. Hajime rapidamente recuperou a compostura. Ele tentou não encarar Kaori demais e apenas escutar o que ela tinha a dizer. Apesar de ele não ter muito interesse no mundo 3D, ele ainda era um adolescente. A aparência atual de Kaori era levemente estimulante demais.

(Hajime): “Ahhhh. Não, não é nada. En. Qual o problema? Você tem algo para me dizer?”

(Kaori): “Não. Eu só… queria conversar com Hajime-kun. Eu estou te incomodando, não é?”

(Hajime): “… entre”

Ele antecipou a mais provável pergunta, mas ele rapidamente foi atingido pela natureza provocadora de Kaori. Além disso, os olhos arrebitados de Kaori eram tão explosivos. Era super efetivo! Quando ele percebeu, ele já tinha aberto a porta e convidado ela para seu quarto.

(Kaori): “En!”

Kaori entrou no quarto com alegria sem nenhuma precaução.

Ela se sentou na cadeira perto da janela. Hajime inconscientemente preparou o chá enquanto ainda estava confuso. Apesar de ele estar apenas colocando um pacote de chá em um copo, algo similar com chá preto era preparado usando este tipo de item. Ele preparou o bastante para os dois e entregou uma xícara para Kaori. Depois disso, Hajime sentou na cadeira diretamente na frente da dela.

(Kaori): “Obrigado”

Kaori alegremente aceitou a imitação de chá preto e deu um gole. A luz da Lua que entrava pela janela a iluminou. Parecia que um halo[4] estava ao redor de seu brilhante cabelo preto. Ela parecia um anjo. Sem qualquer desejo de luxúria, Hajime estava fascinado pela pureza de Kaori. Ele se recuperou quando ele escutou Kaori colocando sua xícara na mesa. Hajime bebeu a imitação de chá preto em um gole. Ele engasgou um pouco porque bebeu rápido demais. Que vergonhoso…

Vendo Hajime assim, Kaori riu. Hajime rapidamente começou uma conversa para esconder seu constrangimento.

(Hajime): “Então, você está aqui para discutir o plano de amanhã?”

Para a pergunta de Hajime, Kaori concordou com a cabeça. Seu sorriso de antes era como uma mentira assim que ela mudou sua expressão para uma mais grave.

(Kaori): “Sobre a viagem para o |Calabouço| de amanhã… eu quero que Nagumo-kun fique aqui na cidade. Eu vou persuadir os instrutores e nossos colegas. Então, por favor…”

Ela se inclinou assim que ela suplicou para Hajime. Hajime estava perplexo. Mesmo que ele fosse um estorvo, isso não era um pouco demais?

(Hajime): “En… você tem razão. Eu sei que eu sou um fardo… eu devo mesmo ficar aqui. Mesmo se você não tivesse dito isso, eu…”

(Kaori): “Você está enganado! Não é porque você é um fardo!”

Kaori tentou desfazer o mal-entendido. Talvez ela estivesse sendo dura demais. Ela colocou sua mão em seu peito e respirou profundamente. Depois que ela se acalmou, “Isto foi muito repentino, me desculpe”, ela se desculpou dizendo isso.

(Kaori): “Eu só tive uma sensação muito ruim. Quando eu dormi mais cedo… eu tive um sonho… era sobre Nagumo-kun… quando eu te chamei, você nem percebeu… até quando eu corri, eu não conseguia te alcançar… no fim…”

Ela parecia ter medo de falar o resto. Querendo ouvir o restante, Hajime incentivou ela a continuar.

(Hajime): “O que aconteceu no fim?”

Kaori mordeu seus lábios. Ela tinha lágrimas nos olhos.

(Kaori): “… desapareceu…”

(Hajime): “… entendo”

Eles permaneceram em silêncio por um tempo. Hajime olhou para Kaori, que ainda estava segurando sua cabeça. Era mesmo um sonho ameaçador, mas era apenas um sonho. Apenas com isso, eles não iriam permitir que ele ficasse para trás. Se tal situação fosse permitida, as críticas que ele receberia de seus colegas se intensificariam com certeza. Se isso acontecesse, ele realmente não seria mais bem-vindo. Ele não tinha escolha além de ir para o |Calabouço|.

Para tranquilizar Kaori, Hajime começou a falar o mais gentilmente que podia.

(Hajime): “Um sonho é apenas um sonho, Shirasaki-san. Desta vez, nós temos o Comandante Meld e seus Cavaleiros veteranos nos acompanhando. Há também várias pessoas fortes como Kouki do nosso lado. Além disso, toda a nossa sala é incrível. Na verdade, eu me sinto mal por nossos inimigos. Eu sou muito fraco, em mais de um sentido, não foi por isso que você teve esse sonho?”

Enquanto escutava Hajime, Kaori olhou para ele com uma expressão ansiosa.

(Hajime): “Se-se você ainda está preocupada, então…”

(Kaori): “… então?”

Hajime estava um pouco envergonhado, mas ele ainda olhou diretamente nos olhos de Kaori.

(Hajime): “Você vai me proteger?”

(Kaori): “Eh?”

Como um homem, dizer algo tão constrangedor como isso ainda afetava o orgulho dele. Seu rosto já estava completamente vermelho pela vergonha. O quarto estava iluminado pelo luar. Ele podia ver a aparência de Kaori facilmente.

(Hajime): “Shirasaki-san é uma Curandeira, não é? Curandeiros são de uma classe que tem um talento natural para magia de cura. Não importa o que aconteça… enquanto Shirasaki estiver por perto, você poderá me curar mesmo se eu estiver gravemente ferido. Você vai me proteger com este poder? Se sim, eu acredito que eu vou ficar bem”

Ele fixou seu olhar em Kaori e disse isso. A atual situação não permitiria que ele quebrasse o contato visual. Hajime desesperadamente resistiu a vergonha e impediu seu corpo de tremer.

A maior causa de insegurança de uma pessoa é o desconhecido. Hajime escutou esse tipo de frase antes. Kaori provavelmente estava preocupada com a possibilidade de Hajime ser atacado. Nesse caso, talvez ele pudesse tranquilizar a mente dela ao convence-la de que eles poderiam lidar com qualquer perigo desconhecido que aparecesse.

(Kaori): “Você nunca muda Nagumo-kun”

(Hajime): “???”

Hajime ficou com uma expressão confusa quando Kaori disse isso. Kaori riu depois de ver essa expressão.

(Kaori): “Nagumo-kun, você provavelmente pensou que nosso primeiro encontro foi no ensino médio, não é? Mas eu conhecia você desde o fim do meu ensino fundamental”

Esta revelação fez os olhos de Hajime se esbugalharem pelo choque. Ele rapidamente buscou em suas memórias, mas ele não conseguia se lembrar desse encontro. Hajime gemeu enquanto pensava nisto, o que fez Kaori rir de novo.

(Kaori): “Foi um encontro unilateral. A primeira vez que eu te vi, você estava se prostrando. Eu não consegui acreditar no que estava vendo”

(Hajime): “Me prostrando?”

Para ser visto em um estado tão vergonhoso! O corpo dele tremeu de novo, mas por um motivo diferente desta vez. Onde e quando ela viu ele em tal posição? Onde? Ele desesperadamente procurou em suas memórias. Olhando para Hajime que estava fazendo todo o tipo de expressão, Kaori continuou a falar.

(Kaori): “En. Você estava cercado por pessoas suspeitas. Mesmo quando eles cuspiram, jogaram suas bebidas ou pisaram em você… você não parou de se ajoelhar. Em pouco tempo, eles foram embora perplexos”

(Hajime): “Is-isso é… eu te mostrei uma cena tão desagradável…”

Hajime sentiu que morreu um pouco. Ela viu uma cena que era tão ruim como seu passado sombrio como Chuunibyou[5]. Só um sorriso sem graça apareceu. Era o mesmo sorriso sem graça que apareceu quando ele descobriu que sua mãe encontrou seu esconderijo de Ero Doujinshi[6] e os colocou de forma organizada na estante de livros dele.

Contudo, Kaori apenas o olhou com olhos gentis. Olhos que estavam livres de desprezo e escárnio.

(Kaori): “Não, não foi desagradável. Na verdade, quando eu vi você daquele jeito, eu pensei que você era um tipo de pessoa muito forte e gentil”

(Hajime): “… ha?”

Hajime não podia acreditar no que ele ouviu.

[Hajime]: (“Esse não é o tipo de impressão que alguém deveria ter. Poderia ser que Shirasaki tem um tipo de fetiche especial por isso?”)

Hajime pensou em algo muito rude.

(Kaori): “Quer dizer, Nagumo-kun, você fez isso pelo bem de uma vovó e seu neto”

Quando ela disse isso, Hajime finalmente se lembrou de algo. De fato, houve tal incidente durante seus dias do ensino fundamental.

Tudo começou quando um garotinho acidentalmente trombou com alguns delinquentes e sujou a roupa deles com seu Takoyaki[7]. O garotinho começou a chorar enquanto os delinquentes gritaram nervosos com a vovó. A senhora se cobriu de medo. Eles estavam em uma situação muito ruim.

Originalmente, Hajime, que estava apenas passando por coincidência, queria ignorar isso. Ele viu a avó pegando algumas notas… talvez fosse o preço para resolver a confusão. Depois de receber isso, os delinquentes exigiram ainda mais em um tom ameaçador. No fim, o corpo de Hajime se moveu por conta própria depois que eles pegaram a bolsa dela a força.

Ele nunca tinha lutado em sua vida. As técnicas assassinas do Chuunibyou só podiam ser usadas em casa. Não tinha outra forma, sua única escolha era usar a técnica chamativa de se prostrar. Se prostrar em público era muito constrangedor para as duas partes envolvidas. Seria melhor dizer que esse tipo de situação era insuportável. Foi conforme ele planejou. Os delinquentes apenas foram embora.

(Kaori): “Pessoas fortes iriam resolver isso facilmente com violência. Se Kouki estivesse envolvido, ele certamente nocautearia seus oponentes… mas eu não acho que muitas pessoas iriam ajudar os outros mesmo quando eles não são fortes. Especialmente alguém que iria se prostrar pelo bem de outros… na verdade, eu estava mesmo assustada naquela hora… eu só usei a desculpa de não ser tão forte como Shizuku. Eu não fiz nada e esperei que alguém enfrentasse eles”

(Hajime): “Shirasaki-san…”

(Kaori): “Além disso, Hajime-kun é a pessoas mais forte em meu coração. Depois de entrar no ensino médio, eu estava mesmo muito feliz por ver você… eu queria ser como você e descobrir muitas coisas sobre você. Mas Hajime-kun estava sempre dormindo…”

(Hajime): “Ahaha. Desculpe por isso”

Ele finalmente entendeu o motivo para Kaori se importar tanto com ele. Hajime estava um pouco envergonhado por ser tão bem avaliado por Kaori. Ele apenas forçou um sorriso estranho em seu rosto.

(Kaori): “Além disso, para aliviar minhas preocupações, eu vou me certificar que Hajime-kun não faça nenhuma maluquice no |Calabouço| como quando você enfrentou os delinquentes… mas, en…”

Kaori olhou para Hajime com determinação.

(Kaori): “Eu vou proteger você Nagumo-kun”

Hajime aceitou a determinação dela. Ele olhou diretamente para ela e concordou com a cabeça.

(Hajime): “Obrigado”

Imediatamente depois disso, Hajime sorriu ironicamente. O papel do homem e da mulher foram totalmente invertidos. Sem sombra de dúvidas, Kaori estava assumindo o papel do herói enquanto Hajime estava assumindo o papel da donzela em perigo. Como um homem, ele achou difícil aceitar isso, mas ele só podia se forçar a sorrir.

Eles conversaram um pouco, então Kaori voltou para seu quarto. Enquanto Hajime estava deitado na cama, ele pensou em muitas coisas. Não importava como, ele precisava encontrar uma forma de se livrar de sua péssima reputação. Não seria bom para ele ser protegido pela protagonista. Hajime adormeceu com uma determinação renovada.


Muito tarde da noite, quando Kaori deixou o quarto de Hajime e voltou para seu próprio quarto, ninguém notou que havia alguém silenciosamente encarando as costas de Kaori. Essa pessoa tinha mesmo uma expressão deturpada, mas ninguém sabia sobre isso também.


[1] Négligé é um robe feminino de tecido fino e transparente, geralmente adornado de rendas.

[2] Kansai-ben é um grupo de dialetos japoneses da região de Kansai que abrange Osaka, Kyoto, Nara, Shiga e outras províncias. Essa região tem o segundo dialeto mais popular do Japão, perdendo apenas para Kanto. Atualmente é comum ver e associar o dialeto de Kansai (especialmente o de Osaka) com algo engraçado em muitos animes, jogos e etc.

[3] Tsukkomi é um termo relacionado ao Manzai, uma arte de contar piada em dupla, em pé no meio de um palco. Uma pessoa fala uma coisa absurda que não vai fazer sentido, o que se chama de Boke em japonês. Outra pessoa corrige este Boke com senso comum, o que se chama de Tsukkomi.

[4] Halo é uma auréola luminosa, difusa, branca ou colorida, que rodeia uma fonte luminosa qualquer.

[5] Síndrome do oitavo ano, ou chuunibyou, é um termo pejorativo para se referir a uma pessoa com comportamento delirante, especialmente pensando que tem poderes especiais. Originalmente esse termo era usado para referir-se a crianças que gostam de agir como adultos e menosprezar os demais. O termo evoluiu e é usado para descrever o comportamento delirante em geral.

[6] Doujinshi é um termo japonês para publicações independentes, geralmente revistas, mangás ou romances. O termo é comumente traduzido como fanzine, que também identifica revistas independentes. Ero é um termo usado para se referir a um conteúdo adulto com cenas de sexo.

[7] Takoyaki, literalmente polvo frito ou grelhado,  é um popular bolinho redondo japonês que mais se parece com uma panqueca temperada feita com uma massa muito mole, quase líquida, e frita em uma chapa especial para Takoyaki. Normalmente ele é recheado com pedaços cortados ou um polvo pequeno inteiro, raspas de tempura (tenkasu), gengibre picado e cebolinha