Mais um trapaceiro do que um herói

(Hajime): “Eu sinto muito. Eu cometi um engano”

Assim que ele disse isso, Hajime tentou calmamente fechar a porta. A garota loura com olhos vermelhos tentou detê-lo abalada. Contudo, parecia que ela ficou sem falar durante todos esses anos. Sua voz era equivalente a um murmúrio, mesmo assim ela desesperadamente tentou passar sua mensagem.

(Garota): “Es-espere! Por favor! Me ajude…”

(Hajime): “Sem chances”

Hajime disse isso e continuou a fechar a porta. Tão diabólico…

(Garota): “Po-por quê? Eu não farei nada… então por favor…”

A garota estava desesperada. Ela ainda não podia mover o seu corpo, mas apesar disso, ela levantou seu rosto para suplicar a Hajime. Contudo, Hajime só respondeu de forma indiferente.

(Hajime): “Hey. Este é o fundo do abismo. Como eu poderia libertar alguém que obviamente foi selado aqui? Seria desastroso. Parece que não há nada além do selo aqui… nada que pareça útil para escapar. Portanto…”

Seu argumento era sólido. Entretanto, falando de forma geral, uma pessoa capaz de ignorar a súplica de uma garota aprisionada sem a menor hesitação não poderia existir. Aquele Hajime gentil estava há muito tempo morto.

Sendo recusada de forma tão fria, a garota desesperada ergueu sua voz como se ela estivesse a ponto de chorar.

(Garota): “Não! ] Tosse [… eu não sou ruim! Espere! Eu…”

Hajime ignorou a súplica e continuou a fechar a porta. Pouco antes da porta ser completamente fechada, Hajime rangeu os dentes. Se ele só tivesse fechado a porta um pouco antes, ele poderia ter ignorado essa situação…

(Garota): “Eu fui traída!”

Só mais um pouco e a porta seria fechada por toda a eternidade. Contudo, graças ao grito desesperado da garota, a porta parou. Dez segundos… vinte segundos… o tempo passou lentamente. Pouco depois, a porta começou a se abrir. A pessoa que estava de pé com uma cara extremamente amarga era Hajime. Ele parecia ter engolido um inseto.

Na verdade, ele não tinha nenhuma intenção de ajuda-la, não importava o que ela dissesse. Ela devia ter sido selada por algum motivo importante. A razão podia muito bem ser pelo fato de ela ser extremamente perigosa e não havia evidências para provar que o que ela disse era verdade. Provavelmente, ela devia ser um ser maligno e a probabilidade de ela enganar Hajime era muito alta. Abandona-la seria a decisão mais apropriada.

[Hajime]: (“Ah… o que é que eu estou fazendo?”)

Hajime suspirou. Ele foi abalado quando escutou a palavra “traída”. Ele já deveria ter deixado seu passado para trás. Neste lugar, apenas tentar cumprir seu desejo de “viver” era extremamente difícil. “Rancor” era uma distração desnecessária. Se as palavras dela puderam afeta-lo tanto, era provável que partes de sua antiga personalidade ainda existissem. Partes da antiga consciência de Hajime que podiam simpatizar com a garota que sofreu o mesmo que ele.

Hajime coçou sua cabeça enquanto caminhava até a garota. É claro que ele não baixou sua guarda.

(Hajime): “Você disse que foi traída? Você está dizendo que este é o motivo para você estar selada aqui? Se o que você disse é verdade, por que o traidor te selou aqui?”

A garota estava atordoada pele retorno de Hajime. Por dentro de seus abundantes cabelos louros imundos, seus olhos vermelhos estavam fixos em Hajime. Por causa da falta de uma resposta, Hajime se irritou e disse algo como “Hey. Você está escutando? Se você não vai falar eu estou indo embora” enquanto ele se virava. Em desespero, a garota rapidamente se recompôs e começou a explicar o motivo para ser selada.

(Garota): “Eu sou uma Vampira atávica[1]… eu recebi grandes poderes… por isso eu trabalhei duro por meu país. Mas… um dia… todos os meus compatriotas… me disseram que eu não era mais necessária. Tio… virou rei… eu… estava bem com isso… no entanto, eu tinha muito poder… perigosa… não podia ser morta… então eles me selaram… aqui”

A garota recontou a história intermitentemente com sua garganta seca. Hajime suspirou profundamente assim que ouviu a história. Estas eram mesmo circunstâncias dramáticas. Entretanto, havia algumas coisas que incomodavam Hajime. Ele a questionou enquanto suprimia suas emoções.

(Hajime): “Você… você faz parte da realeza de algum país?”

(Garota): “… (Acena! Acena!)”

(Hajime): “O que você quer dizer com ‘não pode ser morta’?”

(Garota): “… auto regeneração. Ferimentos se curam imediatamente. Até se for decapitada”

(Hajime): “… is-isso é de fato muito impressionante… esse é o grande poder que você estava falando?”

(Garota): “Não apenas isso… magia, manipulação direta… não preciso de formação”

Hajime estava “Então é issoooo” enquanto ele começava a compreender a situação.

Hajime também podia usar a ‖Manipulação de Magia‖ depois de comer as Feras Mágicas. Ele não precisava de nenhum encantamento ou formações mágicas para fortalecer seu corpo. Era o mesmo para as outras habilidades. Ele não precisava entoar os encantamentos para usar habilidades como a ‖Transmutação‖.

Contudo, no caso de Hajime, como ele tinha zero de aptidão com magia, ele ainda precisaria de formações mágicas enormes para usar algum feitiço. De outra forma, ele não seria capaz de usar magia. Esse era um fato que nunca iria mudar.

No entanto, se ele possuísse aptidão com magia como esta garota, não existiriam regras para ele. Enquanto outras pessoas estariam fazendo o encantamento ou preparando as formações mágicas como idiotas, o feitiço do outro lado já teria o atingido. Honestamente, não era uma competição. Além disso, imortalidade. Apesar de não ser absoluta, ainda era uma trapaça muito maior do que a dos heróis.

(Garota): “… me ajude…”

Enquanto Hajime refletia, a garota implorou a ele.

(Hajime): “…”

Hajime estava olhando para a garota. A garota estava olhando para Hajime. O tempo passou lentamente deste jeito…

No fim, Hajime coçou sua cabeça em frenesi e suspirou profundamente. Ele colocou sua mão no cubo que selava a garota.

(Garota): “Ah!”

Assim que a garota percebeu o significado disto, ela abriu bem seus olhos. Hajime a ignorou e começou a transmutar.

Vermelho-escuro, não… uma descarga mágica com cor parecida com o carmesim foi liberada por Hajime como faíscas elétricas. Seu |Poder Mágico mudou depois que ele comeu as Feras Mágicas. Contudo, o cubo que deveria ser deformado resistiu a ‖Transmutação‖ de Hajime e repeliu sua mão. Parecia com a rocha acima e abaixo de cada andar do |Calabouço|. No entanto, não foi completamente ineficaz. Pouco a pouco, a magia de Hajime começou a corroer áreas ao redor do cubo.

(Hajime): “Ku. A resistência é grande! Mas o meu eu atual pode fazer isso!”

Hajime começou a usar ainda mais |Poder Mágico. O equivalente a um encantamento de seis frases. Finalmente, a magia gradualmente começou a penetrar a defesa do cubo. Não apenas os arredores, mas a sala inteira foi banhada pela luz carmesim da magia de Hajime.

Hajime continuou a aumentar a quantidade de |Poder Mágico. Sete frases… oito frases… as pedras ao redor do selo começaram a tremer.

(Hajime): “Não é o bastante! Ainda não é o bastante!”

Ele se obrigou a continuar enquanto colocava o equivalente a um encantamento de nove frases em |Poder Mágico. Se fosse uma magia com um atributo, já seria um feitiço do mais alto nível. Não, já era impossível estimar o |Poder Mágico dele. Enquanto as luzes carmesins continuavam a ficar mais intensas, a garota esbugalhou seus olhos e continuou a encarar Hajime. Era como se ela não quisesse perder nem um único segundo deste evento.

Esta era a primeira vez que Hajime usava uma magia com uma escala tão grande. Ele não estava apenas suando muito, se seu controle escapasse por apenas um momento, todo esse poder ficaria fora de controle. No entanto, o cubo continuava sem sofrer grandes alterações mesmo com todo este poder. Hajime estava desesperado e usou todo o seu |Poder Mágico.

Hajime não entendia o porquê de ele se esforçar tanto por uma garota que ele acabou de conhecer. Mas ele simplesmente não conseguia ignorar a súplica dela. Destruir qualquer obstáculo, sobreviver era seu único objetivo. Ele já tinha se decidido há muito tempo, porém… Hajime perguntou a si mesmo de novo “O que é que eu estou fazendo?”… mesmo chocado por suas próprias ações, ele pensou e pensou…

[Hajime]: (“Deve sempre existir uma exceção para tudo. Eu vou fazer o que eu quiser fazer! E eu devo fazer isso com todo o meu coração!”)

O corpo dele começou a emitir uma luz vermelha. Desta vez, ele realmente estava usando todo o seu |Poder Mágico. Ele teimosamente colocou todo o |Poder Mágico que tinha em sua ‖Transmutação‖ e ele finalmente teve sucesso!

O cubo ao redor da garota começou a derreter e pouco a pouco ela foi sendo solta de seus grilhões. Logo, mais e mais partes de seu corpo foram libertadas. Seus pequenos peitos apareceram, então sua cintura, braços, coxas… sob o cubo, ela não estava vestindo nada. Mesmo seu corpo definhando por todo esse tempo de prisão, ela ainda tinha uma beleza mística. Ela caiu no chão e se sentou em uma “postura feminina”[2] assim que seu corpo se libertou. O corpo dela parecia não ter forças para ela se levantar.

Hajime também se sentou. Seus ombros se moviam para cima e para baixo enquanto ele respirava com dificuldade. Como ele gastou todo o seu |Poder Mágico, ele foi atacado por uma imensa fadiga. Enquanto lutava para respirar, ele alcançou a [Água sagrada] com sua mão direita trêmula, mas essa mão foi agarrada pela garota. Suas mãos pequenas estavam sem força e tremiam incontrolavelmente. Hajime encarou ela e ela estava encarando Hajime. Apesar do rosto dela não demonstrar nenhuma expressão, seus olhos vermelhos contavam a verdadeira história.

E então, a garota começou a falar. A voz trêmula era muito baixa, mas ela disse isso com clareza.

(Garota): “… obrigada”

Que sentimento ele teve ao receber a gratidão dela? Hajime não sabia dizer. Contudo, ele notou, apesar de muito fraco, ainda havia um pouco de luz que não desapareceu bem no fundo do coração negro dele.

As mãos dos dois estavam entrelaçadas com força. Quanto tempo se passou desde que ela foi selada aqui? Pelo conhecimento de Hajime, os Vampiros foram extintos há centenas de anos. Ele se lembrava de ler algo sobre isso quando estava estudando a história deste mundo.

Dito isso, a expressão dela continuou a mesma do início ao fim. Em outras palavras, ela se esqueceu há muito tempo como falar e se expressar. Ela passou tanto tempo nesta escuridão totalmente sozinha. Pelo que ela disse, ela foi traída pelas pessoas em que ela confiava. Era estranho pensar que ela não teve seu espírito quebrado sob essas condições. Deve ter sido graças ao poder de auto regeneração que ela mencionou antes. Se era esse o caso, deve ter sido uma grande tortura. Ela não tinha nem a possibilidade de enlouquecer.

Parecia que ele teria que esperar um pouco para beber a [Água Sagrada]. Hajime forçou um sorriso e apertou as mãos da garota. Ela se sobressaltou por um momento e respondeu apertando a mão dele.

(Garota): “… nome, qual é?”

A garota moveu seus lábios para fazer essa pergunta a Hajime. Pensando bem, eles nem sabiam o nome um do outro. O sorriso de Hajime ficou ainda mais amargo do que antes. Ele respondeu à pergunta da garota e perguntou o nome dela.

(Hajime): “Hajime. Nagumo Hajime. E o seu?”

A garota murmurou “Hajime, Hajime” repetidamente. Era como se ela estivesse gravando em sua mente algo muito importante. E quando ela foi perguntada sobre seu nome, ela implorou para que Hajime a desse um novo.

(Garota): “… nome, conceda-me um”

(Hajime): “Huh? Te conceder um nome? Quê? Não me diga que você esqueceu seu nome?”

Hajime pensou que seria completamente possível que ela esquecesse seu nome depois de um período tão grande de reclusão, por isso ele a perguntou isso. Mas a garota balançou a cabeça.

(Garota): “Já não preciso do meu nome antigo… o nome que Hajime me der será bom o bastante”

(Hajime): “… mesmo que você diga isso…”

Era como se ela estivesse lidando com a mesma situação de quando Hajime se transformou. Jogar fora sua antiga identidade; viver uma nova vida com novos valores. Hajime mudou em resposta a dor, a fome e o ódio. Contudo, ela queria mudar por vontade própria e o primeiro passo seria com um novo nome.

Os olhos dela estavam brilhando pela expectativa. Pensando que ele não poderia fazer nada para fugir disso, Hajime coçou sua cabeça e disse a ela seu novo nome.

(Hajime): “Que tal ‘Yue’ ou algo parecido? Eu realmente não tenho muita habilidade para pensar em nomes. Se você não gostar deste eu vou pensar em outro…”

(Garota): “Yue? Yue… Yue…”

(Hajime): “Ah. Esta palavra significa ‘Lua’ na minha terra natal. Quando eu entrei nesta sala, seu cabelo louro e seus olhos vermelhos me lembraram da lua flutuando no céu noturno… que tal?”

Como se ela estivesse surpresa pela resposta que ele a deu, ela apenas piscou seus olhos. O rosto dela permanecia sem expressões, mas seus olhos pareciam brilhar com alegria.

(Yue): “En. A partir de agora, Yue. Obrigada”

(Hajime): “Oh. Por enquanto…”

(Yue): “???”

Depois que a garota que acabou de mudar seu nome para Yue expressou sua gratidão, Hajime soltou suas mãos e tirou seu sobretudo. Yue estava olhando para Hajime com uma expressão insondável.

(Hajime): “Vista isto. Você não pode ficar pelada para sempre”

(Yue): “…”

Hajime entregou o sobretudo enquanto dizia isso. Yue o aceitou por reflexo enquanto olhava para o seu estado atual. Ela realmente estava completamente nua. Todas as partes importantes de seu corpo estavam completamente expostas. As bochechas de Yue ficaram vermelhas em um instante. Ela rapidamente se cobriu com o sobretudo de Hajime e murmurou com um olhar incomodado.

(Yue): “Hajime, pervertido”

(Hajime): “…”

Ele só estaria cavando a própria cova, não importava o que ele dissesse. Hajime, que estava totalmente consciente disto, escolheu ficar em silêncio. O sobretudo foi colocado por Yue. Ela tinha apenas um metro e quarenta de altura, então o sobretudo ficou enorme nela. O jeito que ela estava dobrando a bainha do sobretudo com toda a sua força era muito atraente.

Hajime aproveitou essa chance para beber a [Água Sagrada] e se recuperar. A vitalidade dele foi restaurada e seu cérebro ficou ativo de novo. Depois de usar a ‖Detecção de Presença‖… Hajime congelou. Ele podia sentir a presença de uma Fera Mágica terrível na área.

A localização era… acima deles!

Ela caiu do teto quase ao mesmo tempo em que Hajime percebeu sua presença. Com toda a sua força, ele pegou Yue com sua única mão e usou o ‖Teletransporte‖. Depois de executar seu movimento, ele olhou para onde estavam. Um baque veio da área onde eles estavam e a figura de uma Fera Mágica apareceu.

O corpo do monstro tinha cinco metros de comprimento. Ele tinha quatro longos braços com enormes pinças nas pontas e suas oito pernas estavam raspando o chão. Uma afiada agulha estava presente na ponta de suas duas caudas. Seria mais fácil definir ele como um escorpião. Quanto a suas duas caudas, seria inteligente assumir que elas eram venenosas. Era óbvio que ele não estava no mesmo nível de qualquer Fera Mágica que Hajime enfrentou até este dia. Ele podia sentir a aura de um poderoso guerreiro.

Suor escorreu de sua testa. Quando ele entrou na sala anteriormente, sua ‖Detecção de Presença‖ não capturou nada, mas agora ela estava fora de controle. Isto só podia significar que este monstro em forma de escorpião só apareceu depois que o selo de Yue foi desfeito. Em outras palavras, este era o último recurso para prevenir que ela escapasse. Se ele tivesse ignorado Yue, havia uma pequena chance para Hajime escapar.

Ele colocou seus olhos na garota em seu braço. Ela não estava prestando atenção no Escorpião e observava Hajime com seriedade. Os olhos dela estavam serenos como a superfície da água. Esses olhos expressivos transmitiram o poder de vontade dela. Yue confiou totalmente seu destino a Hajime.

No momento que seus olhos se encontraram, os cantos da boca dele levantaram e seu habitual sorriso destemido apareceu. Hajime, que não se importava com os outros, sentiu simpatia por Yue. Havia agora um pouco de luz alojada em seu coração que deveria estar partido por ele ter perdido tantas coisas. E agora, esta garota que foi traída irracionalmente, estava confiando seu destino a outra pessoa de novo. Se ele não pudesse responder a súplica dela, ele não seria um homem.

(Hajime): “Pode vir! Tente me matar se você puder!”

Hajime colocou Yue em seu ombro, então ele rapidamente pegou a [Água Sagrada] de seu bolso. Depois disso, ele a abraçou e colocou a [Água Sagrada] diretamente na boca de Yue.

(Yue): “Umu!?”

A [Água Sagrada] fluiu pelo corpo dela a partir do frasco em forma de tubo de ensaio. Os olhos de Yue se encheram de lágrimas por ela ser forçada a beber uma substância desconhecida, mas ela esbugalhou seus olhos pela surpresa de ver sua vitalidade sendo recuperada.

Hajime moveu Yue para suas costas com seu único braço. Apesar de ela ainda estar fraca e não poder contribuir muito, ele não poderia simplesmente deixar ela de lado e lutar sozinho. Como era esperado, a dificuldade de proteger ela e lutar com o Escorpião ao mesmo tempo era alta demais.

(Hajime): “Se segure firme! Yue!”

O corpo dela estava longe de estar recuperado, mas ela usou o pouco poder que tinha para se segurar em Hajime

O Escorpião começou a fazer barulhos enquanto avançava em direção a eles. Sentindo Yue se apertando em suas costas, ele declarou com um sorriso ousado.

(Hajime): “Se você vai ficar no meu caminho… eu vou matar e devorar você!”


[1] Atavismo é um termo que se refere a reaparição de um descendente de alguma espécie que apresenta características que permaneceram latentes por várias gerações.

[2] Os japoneses chamam de “postura feminina” a forma como as mulheres se sentam sobre as suas pernas e colocam as duas mãos entre suas coxas com os braços cobrindo seus peitos.