A verdadeira história

A formação mágica brilhou e preencheu a sala com uma luz misteriosa.

Um homem jovem estava de pé na frente de Hajime e, se eles olhassem com atenção, o homem estava vestindo a mesma túnica do corpo na cadeira.

(???): “Você chegou aqui depois de superar as provações. Meu nome é Oscar Orcus. A pessoa que criou este |Calabouço|. Se eu falar que sou um dos Traidores, você iria entender?”

Parecia que a pessoa que estava falando era Oscar Orcus. O criador do |Calabouço Orcus|. Hajime estava surpreso, mas continuou escutando.

(Orcus): “Ah. Por favor, não faça nenhuma pergunta. Isto é apenas uma gravação. Infelizmente, isso não é capaz de responder suas perguntas. Para a pessoa que chegou neste lugar, eu vou transmitir a verdade do mundo e pelo que nós lutamos… esta é uma mensagem de despedida. Eu assumi esta forma. Por favor, eu quero que você escute… nós somos traidores, mas também não somos”

Assim, Orcus começou a história dele. Esta história era muito diferente da famosa história que a Igreja ensinava e do que Yue explicou a ele. Isso chocou Hajime.

Um conto de uma batalha entre um Deus Louco e seus descendentes.

Durante os primeiros anos após a Era dos Deuses, o mundo estava cheio de conflitos. Humanos, Demônios e Demi-Humanos estavam constantemente em guerra uns contra os outros. O motivo para essas guerras variava. Expansão territorial, valores étnicos, ganância, e muitas outras. A maior de todas as razões era o “Inimigo de Deus”. Durante este período, as raças e países foram finalmente divididos. Cada raça e país iria idolatrar suas próprias divindades. Pelos oráculos de seus Deuses, eles continuaram suas guerras.

Depois de centenas de anos de incontáveis batalhas, havia pessoas que queriam pôr fim aos conflitos. O grupo era chamado de Libertadores durante esses dias.

Todos eles tinham uma conexão em comum. Todos eles eram descendentes diretos dos Deuses que eram seguidos na Era dos Deuses. O líder dos Libertadores, por acaso, descobriu as reais intenções dos Deuses. Os Deuses incentivaram as guerras com a intenção de ter pessoas como peças em seus jogos. Quando ele descobriu isto, o líder partiu em uma missão. Ele reuniu pessoas atentas que não aceitariam a manipulação dos Deuses para criarem guerras em nome de seu entretenimento pessoal.

Eles localizaram o lugar onde os Deuses residiam, o |Mundo de Deus|. Entre os Libertadores, Havia sete deles que tinham a força dos tempos ancestrais e com esse poder imenso, eles desafiaram os Deuses.

No entanto, o plano falhou antes da luta começar. Os Deuses eram os mestres e as pessoas suas marionetes. Eles fizeram todos reconhecerem os Libertadores como inimigos de Deus que queriam trazer destruição para o mundo. Eles eram os inimigos de todos. Houve complicações no processo, afinal, eles não poderiam lidar com o poder das pessoas que eles estavam tentando proteger. Quando os Libertadores foram taxados como Traidores, eles foram acusados de esquecer a graça de Deus e que queriam destruir o mundo.

No fim, o grupo deles foi reduzido aos sete mais fortes. Eles eram agora os inimigos do mundo e eles julgaram que não seriam fortes o bastante para derrotar os Deuses. Cada um deles se espalhou pelo continente e eles criaram os sete |Grandes Calabouços| para se esconderem. Os |Calabouços| eram um desafio para encontrar pessoas dignas para receberem os poderes deles e com isso, completarem o que eles não conseguiram.

Orcus sorriu gentilmente depois de terminar essa longa história.

(Orcus): “Eu não sei quem você é ou qual o motivo para você vir até aqui. Eu não vou te forçar a matar um Deus. Contudo, eu queria que você soubesse. Pelo que nós lutamos…

… para você, eu concedo os meus poderes. Você está livre para usa-los como quiser…

Por favor não use este poder para satisfazer o mal dentro de seu coração…

Nossa conversa chegou ao fim. Obrigado por me escutar. Agora sua vontade não estará sob minha supervisão”

Depois que ele terminou o que ele tinha a dizer, a imagem gravada de Orcus desapareceu. Algo invadiu a mente de Hajime ao mesmo tempo. A mente dele doeu com a vibração, mas ele aguentou em silêncio porque ela estava gravando o conhecimento de uma certa magia.

Logo, tanto a dor quando a formação mágica, desapareceram. Hajime lentamente exalou.

(Yue): “Hajime… você está bem?”

(Hajime): “Ah. Estou bem… eu acho. Eu acabei de escutar algo extraordinário”

(Yue): “… okay… o que você quer fazer?”

Yue perguntou o que ele queria fazer depois de escutar a história de Orcus.

(Hajime): “Yeah? Nada em particular. Ser invocado sem permissão e te pedirem para lutar uma guerra foi um incômodo. Eu nem sei o que está acontecendo neste mundo. Procurar por um caminho até a superfície e ir para casa. Esses são meus únicos objetivos… você está incomodada com isso Yue?”

O antigo Hajime provavelmente faria algo. Contudo, os valores dele tinham mudado e o permitiram ignorar o pedido de Orcus. Este mundo deveria contar com seu próprio povo para resolver seus problemas, mas Yue era uma residente deste mundo. Como ele não poderia deixar ela sozinha, Hajime precisava considerar o que ela queria. Ele não poderia ignorar Yue como fez com Orcus porque o relacionamento deles era muito mais íntimo. Hajime perguntou a ela o que ela pensava, mas depois de uma breve hesitação, ela balançou a cabeça.

(Yue): “Meu lugar é aqui… outros, eu não me importo”

Ela se aninhou em Hajime e pegou a mão dele. Yue tentou transmitir seus verdadeiros sentimentos enquanto ela apertava a mão dele. No passado, ela devotou todo o seu ser por seu país. Traída por aqueles em que ela confiava, ninguém veio salva-la. Para Yue, depois do longo aprisionamento, este mundo era apenas uma prisão para ela.

Hajime foi aquele que salvou ela dessa prisão. Era por isso que estar ao lado de Hajime era tudo o que ela queria.

(Hajime): “… então é isso…”

Hajime estava um pouco envergonhado. Ele limpou sua garganta para disfarçar isso e contou a ela a verdade chocante sem hesitar.

(Hajime): “Ah. Eu também aprendi uma nova magia… magia da Era de Deus ao que parece”

(Yue): “… sério?”

Yue estava com uma expressão que dizia que ela não acreditava nele, mas isso era esperado. A magia usada na Era de Deus foi perdida no mundo moderno. Foi uma magia de transição o que trouxe ele e os outros para esse mundo. E essa era uma magia da Era dos Deuses.

(Hajime): “Esta formação mágica no chão pode mexer no seu cérebro e te ensinar como usar ela. Eu acho que é isso”

(Yue): “… você está bem?”

(Hajime): “Yeah. Sem problemas. Esta magia… parece que é a magia para mim”

(Yue): “… que tipo de magia?”

(Hajime): “Bem, eu acho que ela se chama ‖Magia da Criação‖. Você pode colocar magia em minérios e essa magia pode dar propriedades especiais para eles”

Yue ficou boquiaberta com a explicação de Hajime.

(Yue): “… você pode fazer Artefatos”

(Hajime): “Ah. Eu posso fazer isso”

‖Magia da Criação‖ era usada para criar Artefatos durante a Era de Deus. Esse tipo de magia era usado por Mestres da Transmutação. A verdade era que a classe de Orcus era Mestre da Transmutação.

(Hajime): “Por que você não aprende isso Yue? Entre neste círculo mágico e ele vai explorar suas memórias. Orcus disse algo sobre um desafio e você vai aprender a magia se ele julgar que você passou o desafio”

(Yue): “… eu não uso ‖Transmutação‖…”

(Hajime): “Mah. Isso é verdade, mas… é magia dos tempos antigos, certo? Não vai machucar aprender ela, vai?”

(Yue): “… okay… se Hajime diz isso…”

Yue andou até o centro da formação mágica exatamente como Hajime aconselhou. A formação mágica brilhou enquanto ela explorava as memórias de Yue. Agora era o momento da verdade; o veredito era…

(Orcus): “Você chegou aqui depois de superar as provações. Meu nome é Oscar…”

Orcus apareceu de novo. Houve uma sensação de decepção. Hajime e Yue ignoraram a história de Orcus e continuaram conversando.

(Hajime): “Você aprendeu ela?”

(Yue): “Yeah. Mas… Artefatos são difíceis”

(Hajime): “Yeah. Parece que a ‖Magia Ancestral‖ tem suas afinidades e aptidões”

Enquanto os dois estavam conversando, perto deles, Orcus falava e sorria para o vazio. Era muito surreal. Hajime pensou que o corpo parecia estar triste, mas ele achou que isso fosse apenas sua imaginação.

(Hajime): “Ah. Por enquanto, este lugar é nosso. Você quer se livrar do corpo?”

Hajime não tinha nenhuma compaixão.

(Yue): “Un… fertilizar o campo…”

Yue também não tinha a menor compaixão.

Mesmo que não houvesse nenhum vento, o corpo de Orcus curvou sua cabeça.

O corpo de Orcus foi enterrado no fim do campo e uma lápide foi colocada lá. Como esperado, trata-lo como fertilizante era deplorável demais.

Quando eles terminaram o enterro, Hajime e Yue foram até as salas seladas. Eles receberam um anel que Orcus estava usando. Não os chame de ladrões de túmulos. No anel, havia um padrão gravado e esse padrão era o mesmo dos selos da biblioteca e da oficina.

Primeiramente, eles foram até a biblioteca.

O primeiro objetivo deles era buscar por um caminho para a superfície. Hajime e Yue desfizeram o selo da estante de livros e verificaram se havia algo notável. Eles descobriram os desenhos de toda a moradia. Apesar de não chegar ao ponto de uma planta, o que eles tinham era um memorando onde certas construções estavam.

(Hajime): “Bingo! Está aqui Yue!”

(Yue): “Un”

Uma voz de alegria escapou de Hajime. Yue também estava feliz. De acordo com a nota, a formação mágica no terceiro andar estava conectada de alguma forma com a formação da superfície. A magia não seria ativada sem o anel de Orcus. Roub… aceitar esse anel foi uma boa ideia.

Quando eles examinaram o local com mais atenção, havia um Golem[1] independente na oficina que cuidava da morada periodicamente. A luz dos globos no teto tinha a mesma propriedade da luz solar natural. Isto significa que as plantações e outras coisas que precisavam de luz do Sol poderiam crescer. Parecia que a razão para este lugar estar tão limpo, mesmo sem ninguém estar aqui, era devido ao Golem.

A oficina atuava como um armazém para todos os Artefatos e materiais que Orcus fez durante sua vida. Esses itens foram roubados… quer dizer, transferidos para eles. Havia muitos instrumentos lá.

(Yue): “Hajime… isto”

(Hajime): “Yeah?”

Yue estava investigando os outros documentos enquanto Hajime checava as plantas. Ela levou um dos livros até ele. Era um livro de memórias de Orcus. Dentro de suas memórias, estava escrito a rotina de seus antigos companheiros, especialmente sobre os sete integrantes principais dos Libertadores.

Dentro das passagens, uma delas estava relacionada com os |Calabouços| que os outros sete fizeram.

(Hajime): “… em outras palavras, é isso? Se conquistarmos os outros |Calabouços|, vamos obter as ‖Magias Ancestrais‖ dos criadores?”

(Yue): “… talvez”

De acordo com o livro de memórias, exatamente como Orcus, os outros sete Libertadores estavam preparados para ensinar suas ‖Magias Ancestrais‖ para aqueles que conquistassem seus |Calabouços| e alcançassem o último andar. Infelizmente, os tipos das magias não estavam anotados…

(Yue): “… talvez nós encontremos um caminho para casa”

Como Yue disse, havia uma possibilidade. A magia de transição que invocou as pessoas de outro mundo era uma ‖Magia Ancestral‖.

(Hajime): “Parece que temos um plano para seguir agora. Conquistar os sete |Grandes Calabouços| quando voltarmos para a superfície”

(Yue): “Yeah”

Hajime sorriu assim que ele conseguiu seu novo objetivo. Ele instintivamente afagou a cabeça de Yue e os olhos dela piscaram alegremente.

Eles estavam buscando mais informações, mas eles não foram capazes de encontrar mais nenhuma informação que mostrava a localização exata dos |Calabouços|. Atualmente, os |Calabouços| confirmados eram a |Montanha das Grandes Chamas| ao redor do |Grande Deserto Guruyuu-en|, e o |Mar de Árvores Hartzena|. Os |Calabouços| não confirmados estavam no |Grande Cânion Raisen| e o |Campo de Neve Schnee[2]|. Eles não tinham escolha além de investigar todos eles.

Satisfeitos com os resultados de seus estudos, os dois seguiram até a oficina.

Havia muitas salas pequenas e eles podiam abrir todas com o anel de Orcus. Dentro delas havia minérios e ferramentas de trabalho nunca antes vistas. Livros teóricos enchiam a área e ela poderia ser confundida com um paraíso para Mestres da Transmutação.

Hajime cruzou seus braços e ponderou enquanto ele olhava para a oficina. Quando Yue viu ele nesse estado, ela ficou confusa e o questionou.

(Yue): “… o que houve?”

Depois de ficar perdido em pensamentos por um tempo, Hajime fez uma proposta para Yue.

(Hajime): “Umm. É isso Yue! Nós podemos ficar aqui por um tempo? Eu quero voltar logo para a superfície, mas… há muitas coisas que eu quero aprender e esta é a melhor base. Quando eu penso em conquistar os outros |Calabouços|, eu quero estar o mais preparado possível. Que tal?”

Yue esteve selada no subterrâneo por 300 anos e ela não queria perder nenhum segundo para voltar até a superfície. Contudo, depois de ficar sem fala com a proposta de Hajime, ela imediatamente aceitou. Estranhamente, foi Hajime quem pensou nisso…

(Yue): “… qualquer lugar está bom se Hajime estiver lá”

E foi assim que eles resolveram a situação. Hajime tentou esconder seu constrangimento pela declaração surpresa de Yue.

Ambos decidiram treinar e se equipar o quanto pudessem no local.


Omake

Na noite desse dia, o “Sol” no teto mudou para uma “Lua” e exibia uma luz pálida. Hajime permitiu que todo o seu corpo descansasse enquanto ele mergulhava no banho. Depois de cair no abismo, esta era a primeira vez que ele relaxava. É dito que um banho também pode purificar a mente.

(Hajime): “Phew. Isto é incrível”

Uma voz que era impensável para o estado atual de Hajime escapou de seus lábios. Quando ele relaxou seu corpo, ele subitamente ouviu sons de passos. O completamente desatento Hajime estremeceu. Ele tinha dito que iria entrar sozinho!

É claro que aquela que estava fazendo esses sons e entrou no banho era…

(Yue): “… ah… é tão bom…”

Yue imediatamente sentou perto de Hajime, completamente nua.

(Hajime): “… Yue-san, eu não disse que iria entrar sozinho?”

(Yue): “… me recuso”

(Hajime): “Espere um minuto! Eu sei o que você está planejando!”

(Yue): “…”

(Hajime): “… ao menos se cubra. Há muitas toalhas”

(Yue): “Prefiro que você olhe”

(Hajime): “…”

(Yue): “… eh”

(Hajime): “… ah. Eu fui atingido”

(Yue): “… não, não foi”

(Hajime): “Por que você está fazendo isso? Tudo bem, estou indo!”

(Yue): “Eu não vou deixar!”

(Hajime): “Es-espere! Ah, ahhhhh!!!”

Eu vou deixar o resto para a sua imaginação.


Omake II: O lado de Kaori

(Shizuku): “O que é isto? Subitamente há uma intenção assassina…

Kaori!? Há uma Hannya[3] atrás de você!”


[1] Golem é um ser artificial mítico associado à tradição mística do judaísmo, particularmente à cabala, que pode ser trazido à vida através de um processo divino. O golem é uma possível inspiração para outros seres criados artificialmente, tal como o homúnculo na alquimia e do romance moderno Frankenstein, obra de Mary Shelley.

[2] Schnee significa “neve” em alemão.

[3] Hannya é uma máscara dotada de dentes ameaçadores, boca grande e chifres. Existe um conceito de um inferno, no budismo japonês, em que Hannyas são a representação dos confusos sentimentos humanos como a paixão, ciúme, e ódio, todos capazes de transformar homens e mulheres nesse terrível monstro. O que justifica o porquê de atores do tradicional teatro japonês se utilizarem de tal máscara em suas performances nas representações das histórias (desde o século 19) para transmitir uma identidade, uma personalidade nebulosa aos seus personagens. Certamente, a Hannya é a máscara Nō mais divulgada no Ocidente.