O lado dos colegas de classe 3 (Parte 02): O |Império| e os Heróis

Continuando de onde paramos…

Três dias depois, os enviados do |Império| finalmente chegaram.

Atualmente, Kouki, os integrantes da equipe de conquista do |Calabouço|, os líderes do |Reino| e uma delegação de Sacerdotes liderados por Ishtar seguiram com força total para receber os cinco enviados que estavam no meio de um carpete vermelho no lado oposto do Rei Eric.

(Rei): “Que bom que vocês vieram senhores enviados. Portanto, tenham certeza de observar o valor supremo de nossos heróis”

(Enviado A): “Sua majestade, você tem nossos agradecimentos por aceitar este pedido repentino por uma audiência. Dito isso… podemos saber a identidade do Herói?”

(Rei): “Mm. Vamos apresenta-lo primeiro. Sir[1] Kouki, você daria um passo à frente?”

(Kouki): “Sim”

A apresentação de Kouki e dos outros seguiu imediatamente após as saudações formais entre o Rei e os mensageiros imperiais, com o Rei chamando Kouki a aparecer diante deles. Apesar do fato de nem mesmo dois meses terem se passado, o olhar dele absolutamente destemido, bem diferente de quando ele foi invocado.

Elas não estavam aqui, mas se as camareiras do palácio, as damas nobres e as fãs de Kouki no grupo dos alunos que ficaram para trás vissem ele agora, elas certamente começariam a ficar vermelhas e soltariam suspiros de fascinação. Aquelas que fizeram investidas em Kouki já ultrapassavam dois dígitos… mas graças a extrema ingenuidade dele, essas investidas eram consideradas apenas a aproximação de “pessoas calorosas e amigáveis”. Um herói naturalmente ingênuo estava caminhando pela terra.

Depois disso, os heróis foram apresentados, começando por Kouki.

(Enviado A): “Oh. Então vocês são os heróis. Bem jovens, devo dizer. Perdoem minha falta de educação, mas vocês realmente ultrapassaram o 65º andar? Se minha memória não me falha, um monstro conhecido como Behemoth aparece neste andar…”

Enquanto avaliava Kouki, o enviado também notou o ar relaxado de Ishtar e deu um olhar de suspeita para sua figura. Um dos guarda-costas dos mensageiros também olhou para o Herói de cima a baixo de forma inquisitiva.

Ficando desconfortável com os olhares deles, Kouki respondeu.

(Kouki): “Bom, posso falar? Sobre se o derrotamos ou não… ah. Vocês gostariam de olhar o mapa do 66º andar?”

Kouki propôs várias provas, mas o enviado balançou a cabeça e formou um sorriso em seu rosto.

(Enviado A): “Não, obrigado. Há um método mais rápido do que esse. Você aceitaria um duelo com um dos meus guardas? Dessa forma, eu serei capaz de ver a sua força imediatamente, Sir ⌈Herói

(Kouki): “Bem, eu não me importo, mas…”

Kouki, ligeiramente confuso, olhou para trás para o Rei. Recebendo esse olhar, o Rei se virou para Ishtar para a aprovação dele. O Papa concordou com a cabeça. Com a autoridade de Eht atrás dele, seria fácil convencer o |Império| a aceitar Kouki como o líder da humanidade, mas uma batalha real era a forma mais rápida para fazer o meritocrático |Império| realmente reconhecer ele como tal.

(Rei): “Muito bem. Sir Kouki, mostre a eles a sua força como eles desejam”

(Enviado A): “Está decidido então. Bom, vamos pedi-los que preparem um local para o duelo”

Então, foi dessa maneira abrupta que o duelo entre o ⌈Herói e o guarda-costas dos enviados foi decidido.

O oponente de Kouki não poderia ser uma pessoa comum. Ele não era particularmente nem alto nem baixo, desprovido de qualquer característica notável, e ele tinha um rosto que poderia facilmente se perder no meio de uma multidão. À primeira vista, não havia nada de “forte” nele.

Ele segurava sua espada enorme apontada para baixo de forma casual… uma postura que na verdade nem poderia ser considerada uma postura de combate.

Kouki estava um pouco irritado com isso. Ele daria a esta pessoa um gosto de seu espírito com seu primeiro ataque e o faria ficar sério também.

(Kouki): “Aqui vou eu!”

Kouki partiu como o vento. Seu incrível ‖Movimento de Alta Velocidade‖ encurtou o espaço entre eles em um instante enquanto ele atacava com sua espada de madeira com um poderoso som de açoite. Se fosse um guerreiro comum, ele teria tido problemas até mesmo para perceber esse ataque. É claro que Kouki planejava parar o golpe antes de atingi-lo. Mas não havia sentido em se preocupar com isso. Pelo contrário, era Kouki quem iria experimentar um gosto da “prova” resultante de seu golpe.

] ESTALO! [

(Kouki): “Guh!”

A pessoa que foi lançada para longe foi Kouki. O guarda-costas preparou sua espada depois do golpe, encarando seu adversário. No instante que Kouki deteve seu golpe simulado e relaxou, seu oponente casualmente jogou a espada dele para o alto, fazendo Kouki ser empurrado para trás.

(Guarda-costas): “Haaa… hey, hey, ⌈Herói, isso é tudo o que você tem? Tudo mesmo? O que aconteceu com sua motivação?”

Palavras rudes que não combinavam com seu rosto comum vieram do guarda-costas. Enquanto sua expressão que antes mostrava espanto, agora mostrava apenas desapontamento.

De fato, Kouki usou um golpe casual de frente porque ele julgou o guarda-costas baseado na aparência dele e ele claramente foi rechaçado em seu estado atual. Tendo chegado a uma conclusão sobre si mesmo devido a esta experiência com este oponente, ele mais uma vez estava furioso… mas desta vez, a raiva era direcionada a ele mesmo.

(Kouki): “Eu sinto muito. Por favor, tome conta de mim mais uma vez”

Desta vez, os olhos de Kouki estavam sérios, mesmo quando ele se desculpou por sua falta de consideração. Vendo ele assim, o guarda-costas mostrou um rosto descontente e disse…

(Guarda-costas): “Não há ‘próxima vez’ no campo de batalha”

Apesar isso, ele voltou para sua postura inicial, indicando que iria continuar.

Soltando um grito de batalha, Kouki disparou.

Fortalecido pelo seu ‖Movimento de Alta Velocidade‖, a lâmina de madeira seguiu de baixo para cima de forma diagonal e depois seguiu em linha reta em um golpe perfurante. A velocidade era tanta que imagens residuais eram deixadas por seus movimentos.

Mas mesmo contra tal tempestade de golpes de espadas, o guarda parecia desviar usando penas o mínimo de movimentos necessários, procurando por uma oportunidade para contra-atacar. Mesmo quando ele perdia de vista os movimentos de Kouki e era atacado de um ponto cego, ele ainda poderia afastar o ⌈Herói.

Os movimentos do guarda-costas fizeram Kouki se lembrar de alguém: o Comandante dos Cavaleiros, Meld. Já havia consideráveis diferenças em suas capacidades, mas até agora, Kouki foi incapaz de superar o Comandante em um duelo. O motivo era sua esmagadora diferença em experiência de combate.

Era como se o guarda-costas fosse igual e tivesse passado por muitas batalhas antes desta e a experiência de combate dele poderia compensar as diferenças nos Status deles. Resumindo, esta pessoa estava no mesmo Level ou até em um Level mais alto do que Meld.

(Guarda-costas): “Hmm. Eu acho que com este nível de habilidade física, um homem comum não seria páreo para você. Ainda assim, tem algo faltando. Você não tem afinidade nenhuma com lutas, não é?”

(Kouki): “Huh? Um, sim, isso é verdade. Inicialmente, eu era apenas um estudante”

(Guarda-costas): “E agora você é o Apóstolo de Deus, huh”

Ishtar e seus associados da Igreja bufaram de descontentamento com as palavras do guarda-costas.

(Guarda-costas): “Hey, ⌈Herói. Se prepare, eu vou partir para o ataque a partir de agora. Não pegue leve comigo, você pode acabar morrendo”

Declarando isso, ele disparou. A corrida dele não tinha um movimento tão rápido como o de Kouki. Ao invés disso, ela parecia quase lenta… mesmo assim…

(Kouki): “Tch!?”

Assim que o guarda-costas se aproximou, a espada dele pareceu pular para o alto, fazendo Kouki se afastar assustado. Mas como se fosse um imã, a espada manteve a mesma distância entre eles, se movendo como um chicote preso em seu alvo.

A trajetória da espada era irregular e os movimentos eram difíceis de se perceber e apesar do uso da ‖Previsão‖ ter permitido a Kouki momentaneamente colocar alguma distância entre eles, ele foi incapaz de fugir completamente. Mesmo quando ele tentou usar o ‖Movimento de Alta Velocidade‖ para aumentar a distância entre eles, seu oponente antecipou isso e lançou um ataque preventivo para que ele não pudesse ativar essa habilidade. Gradualmente, impaciência começou a aparecer no rosto de Kouki.

(Guarda-costas): “{Perfure, ‖Golpe de Vento‖}”

Com o encantamento murmurado, um agrupamento de vento se formou e atingiu Kouki diretamente na perna.

(Kouki): “Uwah!?”

Pego no meio de um passo, a perna de Kouki balançou e o equilíbrio dele foi destruído. Nesse instante, uma incrível sede de sangue perfurou ele. O olhar frio do guarda-costas encontrou o de Kouki e ele lançou sua espada para baixo com uma pressão inacreditável.

“Ele vai me matar”, Kouki subitamente percebeu.

Na verdade, o guarda-costas não poderia fazer nada além de pensar desta forma. Se Kouki não pudesse resistir aos ataques dele, a intenção dele era mata-lo. Isso seria melhor do que permitir que um garoto que não sabia nada sobre matar um inimigo se tornasse o líder da humanidade. Isto certamente causaria críticas por parte da Igreja, mas colocar aliados incompetentes no campo de batalha era demais na opinião dele. Assim, esta seria a melhor escolha, ou foi o que ele pensou.

Mas o golpe nunca chegou a acontecer.

] BOOOOM [

(Guarda-costas): “Guh!?”

O mesmo cenário de antes aconteceu de novo, mas desta vez, foi o guarda-costas que foi atirado para longe. Quicando várias vezes no chão com ambas as mãos para deter o impulso, o guarda-costas olhou para Kouki. O corpo inteiro dele estava emitindo uma aura puramente branca e ele atacou com sua espada o rosto de seu oponente enquanto ele assumia sua postura de combate.

No momento em que o guarda baixou sua espada para seu ataque final, os instintos de sobrevivência de Kouki despertaram e ele ativou o ‖Superar Limite‖. Esta técnica fazia todos os parâmetros dele se multiplicarem em três vezes… uma “técnica milagrosa” única de um protagonista.

Contudo, o rosto de Kouki não estava nenhum pouco sereno. Desespero reprimindo o medo de chegar tão perto da morte podia ser visto em sua expressão enquanto ele segurava sua espada.

Vendo isto, a risada ousada do guarda-costas ressurgiu.

(Guarda-costas): “Hey. Essa é uma cara um pouco melhor. Quer dizer, comparada com a expressão covarde de antes”

(Kouki): “Expressão covarde? Eu estou aterrorizado. Você tentou me matar agora? Isto não era apenas um duelo?”

(Guarda-costas): “E daí? Você acha que em uma batalha real nós só precisamos dizer ‘Okay, já acabamos’? Você vai acabar morto deste jeito. Você deveria se levantar diante de todos os humanos e nos liderar… você pelos menos está consciente disso?”

(Kouki): “Eu sei… é claro que eu vou salvar a todos!”

(Guarda-costas): “O que uma criança que tem medo de se machucar pode fazer? Alguém que não tem nem sede de sangue com sua espada não deveria falar essas bobagens. Muito bem, você está pronto? Eu disse isso no início… você vai morrer se você não me levar a sério!”

Mais uma vez, o guarda-costas avançou. Um sentimento anormal da sede de sangue o atingiu, colocando pressão em Kouki, que reuniu força em suas pernas. O rosto dele se contorceu pela dor ao fazer isso.

Mas o guarda-costas não atacou. Uma barreira de luz apareceu entre ele e Kouki.

(Ishtar): “Isto é o bastante. Neste ritmo, isto vai deixar de ser um duelo e vai virar uma luta de vida ou morte. Você se superou com esta piada, Lorde Gahard”

(Guarda-costas): “Tch. Me descobriram. Astuto como sempre velhote”

Ishtar, criando essa barreira cintilante, prosseguiu para jogar um balde de água fria em Lorde Gahard, o guarda-costas, que praguejou em voz baixa, embainhando sua espada em sua bainha posicionada em seu ombro e tirou seu brinco direito.

O ar ao redor do guarda-costas se transformou em uma névoa branca. Quando ela finalmente desapareceu, uma pessoa totalmente diferente apareceu.

Era um homem que parecia estar em seus 40 anos. O cabelo prateado dele era curto e seus olhos azuis lembravam os de um lobo selvagem. A figura dele era magra, mas ele era musculoso. Suas roupas pareciam a ponto de explodir.

Ao ver ele, uma comoção teve início.

(??? A): “Lorde Gahard!”

(??? B): “Sua Alteza Imperial!”

De fato, este homem era Gahard D. Hoelscher, atual Imperador do |Império Hoelscher|, disfarçado. Vendo isto, o Rei Eric franziu seu cenho e perguntou…

(Eric): “O que você estava planejando, Imperador Gahard?”

(Gahard): “Calma, calma, Rei Eric. Eu me desculpo por não me apresentar. Contudo, uma pequena luta de brincadeira era a forma mais rápida para eu ter certeza. Isto é de grande importância para nossas batalhas futuras. Por favor, perdoe minha falta de educação”

Apesar de Gahard pedir desculpas desse jeito, a expressão dele com certeza não parecia a de alguém arrependido. “Bom, que seja”, Eric parecia dizer com um suspiro.

Kouki estava completamente atordoado. De alguma forma, este Imperador era do tipo descuidado e a “surpresa” dele parecia ser tratada como algo normal também.

Com isso, o duelo terminou e no jantar que foi preparado, o |Império| falou suas palavras oficiais de reconhecimento aos heróis. Por enquanto, parecia que os objetivos da visita deles tinham sido concluídos.

Mas nessa noite, quando um subordinado o perguntou sobre suas reais intenções em um quarto, o Imperador deu uma resposta incomodada.

(Gahard): “Meh. Ele não vai servir. É só uma criança. Uma boca que acredita inabalavelmente em bobagens como ideais e justiça… sua forte irritação e carisma são uma péssima combinação e ele é o tipo de pessoa que morreria por seus ideais. Mas não podemos ignorar ele já que ele é o Apóstolo de Deus. Apesar de tudo, ele não é bom o bastante”

(Subordinado): “Então, você planejou matar ele durante o duelo?”

(Gahard): “Quê!? Não. Eu só pensei em consertar a atitude covarde dele com uma surra. Eu não teria matado ele mesmo se o Papa não tivesse interferido”

Parecia que o Imperador não considerava Kouki e o resto dos heróis dignos de sua atenção. Isto não era infundado. Até alguns meses atrás, eles eram meros estudantes; em um Japão pacífico. Eles não tinham a disposição para um campo de batalha que um guerreiro veterano poderia reconhecer.

(Gahard): “Bom, a guerra com os Demônios deve aumentar de ritmo logo. Vamos ficar de olho nisso. Por enquanto, vamos priorizar em nos mantermos diplomaticamente afastados deste garoto… e ficar de olho no Papa”

(Subordinado): “Ao seu comando”

Ele não tinha intenção de revelar sua real estimativa, no entanto, no dia seguinte, Kouki e os outros o veriam indo embora, retornando para seu país. Com seus negócios finalizados, não havia motivos para permanecer. De fato, ele era mesmo um Imperador bem imprudente.

A propósito, houve um incidente em que o Imperador cruzou com Shizuku durante o treinamento matinal dela e ficando encantado com ela, ele pediu com sinceridade que ela se tornasse amante dele. Após a recusa educada dela, ele apenas deu sua característica risada e deixou um “Bom, eu não estou com pressa” como resposta, indicando que este era um assunto que não era de grande importância para ele. Nesse momento, ele passou ao lado de Kouki e gargalhou. De sua parte, Kouki teve a sensação de que nunca se daria bem com essa pessoa e estava momentaneamente descontente com isto.

Também é preciso dizer que os suspiros de Shizuku só aumentaram.


[1] Sir (“Senhor”, em inglês) é um título honorífico britânico. É o último título nobiliárquico que pode haver em repúblicas, e também é o maior que pode haver nas mesmas, desde que não dê domínios ao seu detentor. Nos tempos medievais, este era o título associado a cavaleiros servindo a nobreza.