Shia e a grande batalha de sua vida

] ZUGANn! DOGHA! BAKI BAKI BAKI! DOGUSHA! [

Sons tremendos de destruição podiam ser ouvidos dentro do |Mar de Árvores|. Algumas árvores podiam ser vistas divididas em duas. Havia crateras espalhadas pelo local que pareciam ter sido causadas pela queda de meteoros. Além disso, algumas árvores estavam queimando enquanto outras estavam congeladas.

A causa de tal devastação contra a natureza eram duas garotas. Mesmo agora, a destruição ainda continuava.

(??? A): “Deeyaaaa!! Tome isto!!”

Uma árvore com um metro de diâmetro destruída com o grito ensurdecedor. Ela se quebrou ao meio e voou até o alvo com grande velocidade. Com uma massa enorme e alta velocidade, um poder de destruição brutal foi dado a essa árvore comum, carregando devastação por onde ela passava.

(??? B): “…‖Lança Escarlate‖

Essa magia formou uma lança de fogo que queimou seu alvo e tudo em sua frente até restarem apenas cinzas. Mesmo objetos com muita massa seriam queimados se tocados pela lança. Ela contra-atacou o tronco que se movia como uma bola de canhão e o transformou em cinzas que flutuaram no ar.

(??? A): “Ainda não!”

A onda de Choque criada pela colisão da ‖Lança Escarlate‖ e do tronco dispersou o nevoeiro. Do outro lado do nevoeiro, uma silhueta correndo podia ser vista. Em seguida, um tronco caiu do céu como um meteoro e perfurou o solo com um som de trovão. Pulando para trás, seu alvo escapou do alcance do ataque e mais uma vez uma lança de fogo foi invocada.

Contudo, a silhueta disparou em direção ao nevoeiro em alta velocidade e então uma forte voadora acertou o tronco que estava preso no solo. Não era possível saber de onde o poder saiu, mas o tronco que recebeu o chute foi explodido em pedaços e para essas lascas que seguiam para o alvo…

(??? B): “Kh! ‖Castelo de Fogo‖

Subitamente, uma parede de chamas, que podia ser chamada de muralha, apareceu para bloquear as balas improvisadas que estavam voando. Nem mesmo uma única lasca foi capaz de chegar a seu alvo.

No entanto…

(??? A): “Te pegueeeei!”

(??? B): “Kh!”

Ao mesmo tempo, a silhueta já estava atrás dela. Depois de atirar as balas improvisadas que agiram como uma distração esplêndida, ela mais uma vez entrou no nevoeiro. A mão dela agarrou o Marreta que poderia ser chamado de ultra pesado e, em seguida, um poderoso vento surgiu.

(??? B):‖Parede de Vento‖

Um poderoso impacto da Marreta atingiu o chão e o esmagou. Do impacto, pedras foram atiradas e se espalharam em todas as direções. No entanto, o alvo dela foi capaz de bloquear esse ataque incrível e o dispersou usando o vento vindo da barreira de vento que foi usado imediatamente após ela recuar para uma zona segura. Além disso, depois de usar esta magia, o alvo usou outra magia sem misericórdia na outra pessoa, que era um caso perdido devido a rigidez causada pela outra técnica.

(??? B):‖Caixão de Gelo‖

(??? A): “Fue! Q-quuuu!”

Quando ela notou a magia usada pelo seu alvo, ela desesperadamente gritou para detê-la, mas não havia motivos para escutar essa súplica, porque a lei do silêncio estava imposta. A atacante tentou se afastar de sua localização, mas a magia de gelo instantaneamente começou a congelar seus pés… e o resultado foi o corpo inteiro dela transformado em um pedaço de gelo, exceto sua cabeça.

(??? A): “Fr-frioooo, por favor, me solteeee depressa, Yue-saaaan”

(??? B): “… minha vitória”

Isso mesmo, as duas que estavam lutando sem nenhuma conversa eram Yue e Shia. Esse era o início do décimo dia de treinamento delas. Um combate simulado como teste final. A regra era que Shia seria a vitoriosa se ela fosse capaz de machucar Yue, mesmo que fosse só um pouco. O resultado…

(Shia): “Uuuuu, ali estáááá, eh, ali! A bochecha de Yue-san! Há um arranhão! Um arranhão! Meu ataque te atingiu! Ahahaaaa, eu consegui! A vitória é minha!”

Certamente, havia um pequeno arranhão na bochecha de Yue. Provavelmente, isso foi causado por um dos pedaços de pedra que atravessaram as defesas de Yue. Mesmo que realmente fosse um pequeno arranhão, uma ferida é uma ferida. Era a vitória de Shia. Depois de apontar isso, o rosto de Shia parecia cheio de alegria com isso. Ela revelou um enorme sorriso apesar de seu corpo estar gelado e seu nariz estar escorrendo. Suas orelhas de coelho se contraíam alegres. Não era de se estranhar porque havia uma importante promessa que ela fez com Yue nesta batalha de graduação.

A propósito, para Yue, essa promessa era algo engraçado. No entanto…

(Yue): “… não há ferimento”

A ferida desapareceu imediatamente devido a ‖Auto Regeneração‖. Ela virou sua cabeça zangada com um “Hmpf”.

(Shia): “Q-quuuu!? Isso é injusto! Com certeza o arranhão… não, mesmo que não tenha nada agora, com certeza tinha antes! Trapacear é cruel! Agora que eu já disse isso, por favor, desfaça a magia agoraaaa. Está ficando cada vez mais frio… huh, por algum motivo estou ficando com sono…”

Com o frio e nariz escorrendo, Shia começou a adormecer. Você vai morrer se dormir! Essa era a situação atual dela. Yue, que estava olhando para essa aparência dela, suspirou profundamente enquanto pensava que isso realmente não podia mais continuar e removeu sua magia.

(Shia):Pikchi! Pikchi! Auu, está tão friiiio. Eu quase virei uma coelha que não poderia voltar (a vida)”

Depois de um adorável espirro, ela cobriu seu nariz com uma folha. Shia então olhou para Yue com seriedade em seus olhos. Yue ficou com uma expressão desconfortável por causa do olhar dela. Sua falta de expressões ruiu devido a essa expressão desagradável.

(Shia): “Yue-san. Eu venci”

(Yue): “… nn”

(Shia): “É uma promessa, não é?”

(Yue): “… nn”

(Shia): “Se eu pudesse vencer ao menos uma vez nesses dez dias… eu seria levada na viagem de Hajime-san e Yue-san, certo?”

(Yue): “… nn”

(Shia): “No mínimo, você vai me ajudar a convencer Hajime-san, não vai?”

(Yue): “… o café da manhã de hoje, o que será?”

(Shia): “Espeeeere! Qual é a dessa mudança repentina de tópico! Além disso, isso não faz sentido! Yue-san, você não está bem apenas com o sangue de Hajime-san? Se eu tiver Yue-san como aliada, já terei 90% de chances de sucesso”

Shia fez sons de ] gya-gya [ e Yue olhou para essa expressão que veio do fundo do coração dela.

Como Shia disse, Yue tinha feito uma promessa. Yue disse a Shia que se ela fosse capaz de causar algum dano nela durante o combate simulado, mesmo que fosse um ferimento pequeno, dentro de dez dias, se Shia fizesse isso, Yue reconheceria e permitiria que Shia viajasse com ela e Hajime. Aliás, Yue iria ajudar Shia a persuadir Hajime quando ela fosse pedir isso.

Shia realmente queria acompanhar Hajime e Yue. Metade do motivo era porque ela não queria ser um estorvo para sua família, enquanto a outra metade era simplesmente sua vontade de estar junto de Hajime e Yue e se dar bem com os dois.

Entretanto, o desejo dela foi friamente recusado. Mesmo agora ela podia ver isso pela atitude de Hajime e Yue. Ao mesmo tempo, Shia estava pensando na promessa de antes.

Aos olhos de Shia, Hajime paparicava Yue ao corresponder às expectativas dela. Acima de tudo, Shia era uma mulher. Ela entendia os sentimentos de Yue por Hajime. Naturalmente, era porque ela também tinha os mesmos sentimentos. Assim, o contrário também era verdade. Yue também entendia os sentimentos de Shia. Era por isso que ela precisava fazer Yue reconhecer a existência de Shia Haulia.

Não era como se Shia quisesse tirar Hajime de Yue. Ela não pensava nisso. O que ela queria de Hajime era que ele reconhecesse a existência dela exatamente como ele fez com Yue, mesmo que fosse só um pouco. Provavelmente era devido a influência do mundo que fez deles o “mesmo”. Em outras palavras, ela só queria que eles se tornassem “amigos”. Assim, haveria alguém que ela amava e uma amiga que também amava a pessoa ao lado dela. Era com esse tipo de futuro que Shia sonhava.

Por outro lado, sobre o porquê Yue fazer essa promessa com Shia, mesmo que não houvessem méritos para ela, 20% foi porque ela sentiu simpatia por Shia. Quando ela escutou a história de Shia dentro do |Grande Cânion Raisen|, apesar de ela ter desenvolvido sentimentos complexos pelas circunstâncias melhores do que as dela, em algum lugar de seu coração, ela não podia negar o sentimento de que elas eram o “mesmo” que surgia. Como ela pensava nela como uma companheira mesmo que fosse só um pouco, ela “mimou” Shia.

Os outros 80% eram… tenacidade feminina. Yue foi capaz de entender a promessa de Yue. Foi por isso que…

(Shia): “Por favor, veja por você mesma se eu serei apenas um estorvo. Mesmo que seja impossível, por favor, veja se eu serei capaz de estar ao lado de Hajime”

Era um duelo para lutar pelo homem que ela amava. Ela não pensou que tal mulher poderia existir perto dela. No entanto, quando ela pensou que Shia, que era o “mesmo” que ela, seria sua oponente, junto do entusiasmo de Shia e sua péssima concentração, no fundo do coração dela, ela pensou que seria impossível manter o silêncio.

Como resultado, a partida da promessa foi vencida por Shia.

(Yue): “… haa. Eu entendo. Eu vou defender a promessa…”

(Shia): “Sério!? Como imaginei, não preciiiiso me preocupaaaar! Por favor me defenda corretamente!”

(Yue): “… … … … … … … nn”

(Shia): “Por algum motivo, eu acho que houve uma pausa estranha… você vai mesmo tomar conta disso?”

(Yue): “… persistente”

Relutantemente, reaaaalmente relutantemente, Yue admitiu a vitória de Shia. Shia estava se sentindo um pouco desconfortável com a resposta de Yue, mas deixou isso para trás e continuou com suas expressões de alívio e alegria, porque ela sabia que Yue era como Hajime em relação a não abandonar suas promessas.

Lentamente, o treinamento da tribo Haulia conduzido por Hajime chegou ao fim. A sombria Yue e a animada Shia voltaram para Hajime e os outros.


Quando Yue e Shia chegaram no local em que Hajime estava, Hajime estava com os olhos fechados e os braços cruzados enquanto se apoiava em uma árvore.

Talvez porque ele tenha notado a presença das duas, Hajime lentamente abriu seus olhos e se virou para elas. Enquanto olhava com suspeita para as duas que tinham humores completamente distintos, ele levantou uma das mãos e chamou as duas.

(Hajime): “Yo, vocês duas. A partida já terminou?”

Hajime escutou que havia uma aposta entre as duas envolvendo a partida. Hajime foi quem preparou a Marreta ultra pesada de Shia. Shia, que queria derrotar Yue e estava com uma expressão ansiosa, pediu a ele por uma arma nova e essa era uma memória recente para ele, e a própria Yue não se opôs a isso. Apesar do conteúdo da aposta ser desconhecido, e elas não contarem a ele de qualquer forma, como não seria uma desvantagem para Yue, ele fez a arma.

Na verdade, Hajime pensou que se Yue e Shia lutassem, oito ou nove de dez lutas terminariam com a vitória de Yue. Ele já conhecia a habilidade de Yue pelo abismo. Não importava se Shia fosse capaz de usar magia diretamente, ela, que estava imersa em paz até agora, era diferente deles.

Contudo, pelas expressões delas, Hajime estava surpreso por suas expectativas terem sido superadas. Shia alegremente falou com Hajime.

(Shia): “Hajime-san! Hajime-san! Por favor, me escute! Eu finalmente fui capaz de vencer Yue! Foi uma grande vitória! Beeeem, eu queria mostrar para Hajime-saaaan, minha luta magnífica! O momento em que Yue-san admitiu a der… hebu!?”

Shia tentou explicar como a luta delas terminou com gestos. Mas como ela se empolgou demais, o tapa de Yue veio voando e com um ] dosha [ a mandou para longe e ela caiu no chão depois de girar no ar. Foi tão forte que ela só podia se contorcer sem dar sinais de que iria se levantar.

Yue se virou com um “Hmpf” de mau humor, então, Hajime perguntou a ela com um sorriso sem graça.

(Hajime): “Bom? O que aconteceu?”

Ao invés de perguntar sobre o resultado da luta, Hajime estava perguntando sobre o seu conteúdo. Honestamente, o fato de Yue ter sido derrotada era algo difícil de acreditar. Não importava quem olhasse para Yue e Shia, sem saber o que tinha acontecido, você só poderia pensar que isso era mentira.

Yue, que exalava a aura de quem não queria falar sobre isso, não escondeu esse fato. Relutantemente, ela respondeu à pergunta de Hajime.

(Yue): “… a aptidão mágica dela é estável como a de Hajime”

(Hajime): “Isso é bom, senão seria um desperdício… então? Isso não é tudo, não é? Para ser importunada por uma Marreta desse nível…”

(Yue): “… nn, ela é especialista em fortalecimento corporal. Honestamente, está no nível de um monstro”

(Hajime): “… hee. É comparável com a nossa?”

Hajime apertou seus olhos com a análise de Yue. Honestamente, a alta avaliação era mais do que ele imaginava. Estranhamente, sua falta de expressão foi destruída e se transformou em ressentimento enquanto ela falava sobre isso. Ele notou essa mudança. Yue parecia estar pensando em como responder à pergunta de Hajime e então ela respondeu enquanto olhava nos olhos dele.

(Yue): “… comparado com Hajime normal… por volta de 60%”

(Hajime): “Sério… esse é o máximo?”

(Yue): “Nn… mas há espaço para melhorias… provavelmente”

(Hajime): “Ooo. Isso com certeza está no nível de um monstro”

Hajime estava tentando esconder sua surpresa ao ouvir Yue falando sobre o poder monstruoso de Shia, então ele olhou para Shia sem dizer nada. Se foi dito que ela teria 60% da força de Hajime sem nenhum fortalecimento, o Status fortalecido de Shia deveria ter por volta de 6.000 pontos de |Força. Era praticamente duas vezes mais do que um verdadeiro Herói usando técnicas de fortalecimento. Era realmente um poder digno de ser considerado “monstruoso”. Podia-se dizer que ela era capaz de alcançar Yue. Era mesmo algo inimaginável pela sua aparência lamentável e por seus soluços.

Shia notou o olhar meio espantado e meio impressionado de Hajime. Shia se levantou alegremente e então caminhou até Hajime com uma expressão séria enquanto desesperadamente tentava controlar sua mente agitada. Ajeitando sua postura, seus cabelos prateados com tons azuis balançavam e suas orelhas de coelho estavam levantadas.

A partir desse momento, ela iria expressar o pedido de sua vida. Bem… isso também poderia ser chamado de confissão. O corpo dela estava tremendo pelo nervosismo, apesar de seu rosto ter congelado, havia uma vontade inabalável em seus olhos. Passo a passo, ela avançou. Finalmente, ela decididamente olhou para Hajime. Assim, ela falou seu desejo.

(Shia): “Hajime-san. Por favor, me leve com você em suas viagens. Por favor!”

(Hajime): “Me recuso”

(Shia): “Uma resposta imediata!?”

Shia, que não pensou que seria recusada devido ao clima anterior, abriu bem seus olhos com um olhar de surpresa. “O que ela está dizendo tão de repente?” era o que ela podia ver nos olhos de Hajime enquanto ele observava Shia como se estivesse vendo uma pessoa descarada.

Shia estava indignada. “Está tudo bem tentar mais um pouco!”, era o que ela estava pensando.

(Shia): “Qu-que cruel Hajime-san. Mesmo eu pedindo com tanta seriedade, ser tão facilmente…”

(Hajime): “Bom, apesar de não querer saber mesmo se você tivesse dito… primeiramente, e quanto a Kam e os outros? Não me diga, você está querendo levar eles juntos, certo?”

(Shia): “Es-está errado! Essa é a minha própria história agora! Eu já falei antes com o pai e os outros. Mesmo que eles não me enxergam como um empecilho… é que…”

(Hajime): “É quê? O que foi?”

Por algum motivo, Shia começou a ficar com vergonha enquanto olhava de lado para Hajime e brincava com as pontas de seus dedos. Um gesto astuto e ardiloso. Hajime estava olhando com suspeita para Shia.

Ao lado deles, Yue parecia irritada ao encarar Shia.

(Shia): “É que… eu-eu só queria seguir o plano que eu criei…”

(Hajime): “Haa? O que você está tentando seguir? Se for agora, você não será um fardo para a sua tribo, não é? Se você possui esse poder, então não deve ter ninguém que possa te derrotar por aqui”

(Shia): “…”

Shia tentou responder com timidez, o que fez Hajime chegar ao limite de sua paciência. Ele então pegou [Donner]. Não podemos saber se ela notou isso, mas Shia gritou “Coragem de mulher!” em sua mente e então colocou em palavras o seu desejo.

(Shia): “Eu quero ficar ao lado de Hajime-san! Eu te amo!”

(Hajime): “… ha?”

“Eu disse isso! Agora eu só preciso aguentar firme!”, foi o que Shia pensou enquanto entrava em pânico. Na frente dela, Hajime parecia perplexo como se fosse um pombo que comeu uma bala de brinquedo. Exatamente a aparência de alguém que não entendia o que estava acontecendo. Contudo, depois de um tempo, como se finalmente o sentido dessas palavras fosse transmitido para o seu cérebro, ele instintivamente respondeu.

(Hajime): “Não, não, não, isso não é esquisito? Onde diabos eu iniciei esse evento[1]? Apesar de não ser capaz de dizer por mim mesmo, eu pensei que tivesse te tratado severamente… não me diga que isso te deixou feliz?”

Shia nunca pensou que ele imaginaria esse tipo de coisa dela e começou a se afastar se lamentando pelo que Hajime disse. Então, Shia protestou agressivamente.

(Shia): “Quem é a pervertida!? Eu não tenho esse tipo de hobby! Ou melhor, se você percebeu que estava me tratando mal, por que você não foi um pouco mais gentil?”

(Hajime): “Bem, não há motivos para eu ser gentil com você… primeiramente, você realmente está apaixonada por mim? Você só não está atraída pelas circunstâncias?”

O motivo para Hajime não acreditar na boa vontade de Shia era porque ele pensou que isso era apenas um “efeito da ponte suspensa”[2]. Não era algo surpreendente porque todos podiam ver que as atitudes de Hajime com Shia eram cruéis em todos os aspectos. No entanto, Shia, que teve seus sentimentos questionados, estava de muito mau humor.

(Shia): “Não tem nada a ver com a situação. Não importa quantas vezes você me salvou do perigo, meus sentimentos não vão mudar… apesar de estar feliz naquela vez que você protegeu sua promessa na frente dos Anciões… isso pode ter me afetado, mas este sentimento já tinha nascido, então como eu poderia fazer algo a esse respeito?

Até mesmo eu penso sobre isso às vezes. Algo do tipo: ‘Por que é esta pessoa’? Hajime-san que nunca me chamou pelo meu nome; que subitamente me bate e me machuca, exatamente como um demônio; respondendo apenas quando precisa; sempre se atirando no meio de uma multidão de Feras Mágicas; não tem piedade, exatamente como um demônio; nunca é legal comigo; apenas favorecendo Yue-san, exatamente como um demônio… huh? É verdade, por que eu me apaixonei por você? Huhhhh?”

Enquanto falava, Shia começou a duvidar de seus próprios sentimentos. Shia inclinou seu pescoço e as veias de Hajime começaram a saltar em sua cabeça. Mal conseguindo resistir à tentação de puxar [Donner], ele escutou a resposta dela.

(Hajime): “De-de qualquer forma, eu não posso deixar você vir conosco, não importa o que você sente”

(Shia): “Isso é… isso é uma piada? Eu realmente amo você, então por favor, me leve junto!”

(Hajime): “Você sabe, seus sentimentos são… bem, mesmo que eles sejam reais, você não entende que eu já tenho Yue? Ou melhor, ser capaz de se confessar na frente dela… eu estava pensando que sua arma número um era o seu fortalecimento corporal, mas não é isso, não é? Eu acho que é o seu coração que é feito completamente de [Azantium]

(Shia): “Quem é que tem o coração feito do minério com a maior dureza de todas!? Uuuuu, as coisas chegaram nesse ponto como imaginei… ee, eu entendi. Tudo sobre Hajime-san. Era tão complicado como eu pensei”

Subitamente, Shia riu suspeitamente enquanto se virava para Hajime.

(Shia): “Como eu pensei que isso pudesse acontecer, eu ganhei uma aliada enquanto arriscava minha vida! Agora, Yue-sensei! Por favor, me ajude!”

(Hajime): “Ha? Yue?”

Hajime piscou seus olhos depois de escutar o nome inesperado. “Te peguei!”, era o que a expressão presunçosa de Shia dizia. Assim, ela encarou Yue a seu lado.

A expressão de Yue era tão amarga que parecia que ela tinha comido cem insetos de uma vez. Então, completamente de má vontade, ela disse a Hajime…

(Yue): “… … … … … … … … … … … … … … Hajime, vamos leva-la”

(Hajime): “Não, não, não, qual é a desse intervalo? Você obviamente odeia a ideia… não me diga que a aposta era…”

(Yue): “… lamentavelmente”

Hajime praticamente entendeu a situação de Yue, que encolheu seus ombros. Ele não poderia mais sentir raiva, só espanto. Certamente, Shia estava pensando que para Hajime escutar o desejo dela, só o seu poder não seria o bastante. Mais uma vez, ela se lembrou de como Hajime levava as palavras de Yue como prioridade para tomar uma decisão.

Além disso, ela precisava de um método para tornar Yue sua aliada. Não era exagero chamar esse método de “um risco a vida”, porque ela entendeu que de outra forma, seria impossível considerando o que ela sabia sobre os sentimentos de Yue. Nesses dez dias, pode-se dizer que ela literalmente estava se matando para entender os hábitos de Yue (nos treinamentos). Em outras palavras, isso mostrava o quão séria Shia estava sobre isso.

Hajime estava coçando sua cabeça. Mesmo que ele visse como Yue estava relutantemente admitindo Shia, não havia motivos para ele deixar ela acompanha-los. No fim, tudo dependia dos sentimentos de Hajime.

Yue estava balançando seus ombros como se dissesse que não havia nada a fazer. Isso se devia ao fato de, nesses dez dias, ela, mais do que qualquer um, observou como Shia trabalhou duro e como ela venceu o desafio imposto a ela, então Yue permitiu que ela se tornasse uma companheira de viagens. Desde o início, ela nunca sentiu ódio por Shia ou seus sentimentos por Hajime.

Por outro lado, Shia, que pediu a Yue que a ajudasse, com uma expressão de triunfo, começou a se sentir desconfortável enquanto reunia suas forças. Shia já tinha tentado tudo o que podia, então ela só poderia esperar que o destino a ajudasse.

Hajime inalou e exalou profundamente. Então, ele olhou diretamente nos olhos de Shia e falou as palavras de confirmação uma a uma. Shia calmamente recuperou seu poder quando escutou as palavras dele.

(Hajime): “Para ir conosco, você já não sabe a resposta?”

(Shia): “Você não sabia? O futuro não é algo absoluto”

Shia disse isso porque ela foi capaz de ter um vislumbre do futuro. Ela acreditava que o futuro poderia ser mudado por ações e determinação.

(Hajime): “É uma jornada cheia de perigos”

(Shia): “Eu estou feliz por ser um monstro. Graças a isso, eu posso ir com vocês”

Esse era o termo pejorativo que os Anciões usaram. Contudo, ela se orgulhava disso agora. Afinal, ela aprendeu que havia coisas que não seria capaz de fazer a menos que ela fosse um monstro.

(Hajime): “Meu desejo é voltar para a minha terra natal (meu mundo original). Você provavelmente nunca encontrará sua família de novo, sabia?”

(Shia): “Eu já falei sobre isso. Mesmo assim, o pai e os outros entenderam”

Eles eram a família que sempre protegeu ela. Não havia palavras que pudessem expressar a gratidão dela. Uma família que sempre ficaria junta não importava onde eles estivesse, quanto ela compartilhou seus sentimentos, eles certamente sorriram sem precisar dizer nenhuma palavra.

(Hajime): “Minha terra natal não é um lugar em que você pode viver facilmente”

(Shia): “Eu vou dizer isso de novo. Não importa”

Shia mostrou seus sentimentos. Ela não seria detida apenas com palavras. Isso não podia ser impedido. Era esse o tipo de sentimento que ela passava.

(Hajime): “…”

(Shia): “Fufu, esse é o fim? Então, a vitória é minha, não é?”

(Hajime): “Que vitória?”

(Shia): “Eu estou sentindo que venci… Hajime-san”

(Hajime): “… o quê?”

Mais uma vez, com clareza, o desejo de Shia Haulia era…

(Shia): “… por favor, me leve com você”

Hajime e Shia se olharam. Hajime olhou para os olhos azuis dela para confirmar suas intenções.

Então…

(Hajime): “… haaaaa, faça o que você quiser. Bicho curioso”

Talvez por ter visto algo nos olhos dela, pouco tempo depois, Hajime suspirou e então disse a Shia que tinha desistido.

Dentro do |Mar de Árvores|, um grito de alegria e um som de descontentamento ecoaram. Vendo isso, Hajime só poderia mostrar um sorriso sem graça pensando nas várias implicações que haveriam e na quantidade de problemas que teria a partir de agora.


[1] O termo que Hajime usa é flag (literalmente “bandeira” em português), termo muito usado em jogos para definir o início de uma missão ou evento.

[2] Ao entrevistar um grupo de homens em uma ponte estável e outro em uma ponte suspensa, uma pesquisa dos anos 1970 comprovou o quanto podemos confundir as nossas emoções. Os dois grupos foram entrevistados pela mesma pesquisadora e poderiam entrar em contato com ela caso quisessem tirar alguma dúvida sobre a pesquisa. Metade dos que estavam na ponte mais perigosa entraram em contato, em comparação a 12% dos que estavam mais seguros. Essa pesquisa popularizou o termo “efeito da ponte suspensa” que define a confusão que pode acontecer quando uma pessoa que está em uma situação de perigo confunde seus sentimentos de tensão com paixão.