Reunião na Cidade do Lago

No meio da vasta planície havia uma estrada que se estendia longe para o Norte. Apesar de ela ser chamada de estrada, ela era na verdade apenas terra sem nenhuma grama já que ela era percorrida tantas vezes, assim, ela naturalmente se tornou uma estrada. Como não havia algo como suspensão nas carruagens deste mundo, os tripulantes das carruagens certamente ficariam com os traseiros doloridos assim que eles chegassem a seu destino.

Subitamente, uma sombra corria através da estrada irregular em uma velocidade irregular. Em seu corpo negro havia duas rodas avançando nessa estrada irregular e carregando as silhuetas de três pessoas.

Eram Hajime, Yue e Shia. Eles se moviam na estrada a uma velocidade incomparável a vez em que eles estavam no fundo do |Grande Cânion Raisen|. Poderia ser mais do que 80km/h. Como não havia nada para obstruir a magia dele, as especificações originais do [Veículo Mágico de Duas Rodas] poderiam ser exibidas. A ordem dos assentos era a mesma de sempre: Yue entre os braços de Hajime e Shia nas costas dele. As orelhas de coelho de Shia estavam tremulando ao vento.

Luz do Sol quente se derramava com o bom tempo e com Yue usando sua magia para ajustar a pressão do vento, poderia se dizer que era um clima agradável para passear. De fato, Yue e Shia estavam sentindo a calorosa luz solar e o vento confortável em seus corpos inteiros, fechando seus olhos devido a sensação agradável.

(Shia): “Hauuuu, isso é ótiimoooo Yue-saaaaan. Nós devemos trocar de lugares quando voltarmoooos”

(Yue): “… nem pensar. Este é o meu lugar”

(Shia): “Ehhhh, não diga isso, vamos trocar de lugaaaar, é bom aqui atráááás”

Shia pediu a Yue que elas trocassem de lugar com um tom relaxado e alongado. Com uma cara descontente, Hajime olhou para o rosto relaxado de Shia sobre seu ombro e respondeu no lugar de Yue.

(Hajime): “Você sabe que você não pode sentar na frente, certo? Aliás, você só iria me atrapalhar. Especialmente essas orelhas de coelho. Elas vão bater nos meus olhos quando o vento soprar”

(Shia): “Ahhhh, tem razããão”

(Yue): “… isso não é bom, ela está quase dormindo”

Aparentemente, Shia estava meio adormecida devido a quão confortável ela estava. Ela descansou sua cabeça no ombro de Hajime com todo o seu peso. Ela também estava meio adormecida quando ela estava falando com Yue antes.

(Hajime): “Bem, neste ritmo, nós só vamos precisar de um dia. Eu vou ir sem parar, então vamos descansar quando for hora de descansar”

Assim como Hajime disse, o trio estava indo para uma cidade que estava há apenas um dia de distância; a cidade mais próxima da cordilheira do Norte, onde o grupo de Will realizou o pedido de investigação. Eles avançaram assim sem parar para uma pausa, então eles provavelmente iriam chegar ao entardecer e começariam a investigar depois de passarem a noite na cidade. A razão para eles estarem com pressa era, logicamente, o fato de que quanto mais tempo se passasse, as chances de sobrevivência do grupo de Will diminuiriam. Mas como Hajime estava sendo proativo pelo bem de outra pessoa, Yue estava o encarando com dúvida em seu rosto.

Hajime mostrou um sorriso sem graça quando ele viu Yue adoravelmente inclinando seu pescoço entre os braços dele.

(Yue): “… proativo?”

(Hajime): “Aa, vai ser melhor se ele estiver vivo. Se for assim, ele vai ficar realmente agradecido. Afinal, problemas entre o |Reino| e a Igreja estão nos aguardando mais à frente. Então, não seria melhor ter mais apoio? Eu não quero ter que cuidar deles um por um afinal”

(Yue): “… entendo”

Na verdade, ele não sabia o que poderia ser feito com a ajuda de Ilwa. No entanto, a possibilidade de ele ser um tipo de suporte inútil era maior. Mas se isso pudesse ser adquirido com pouco esforço, então o trabalho poderia não ser inútil.

(Hajime): “Eu também ouvi que nosso destino, a Cidade do Lago, tem vários rios. É por isso que os arredores da cidade são a área número um do continente quanto a produção de arroz”

(Yue): “… fazenda de arroz?”

(Hajime): “Ou, em outras palavras, arroz. Arroz. É o alimento básico da minha terra natal, Japão. Eu não comi isso nenhuma vez desde que eu vim para cá. Então, embora eu não saiba se é a mesma coisa ou não, eu quero me apressar para comer isso”

(Yue): “… nn, eu também quero comer… o nome da cidade?”

Hajime olhou ao longe enquanto se lembrava de pratos de arroz. Olhando para Hajime com uma expressão contente estampada em seu rosto, Yue ainda não tinha escutado o nome da cidade e o perguntou sobre isso. “Hah”, Hajime se sobressaltou, ele até ficou um pouco envergonhado quando notou o olhar de Yue. Ele então respondeu com uma voz um pouco alta para esconder seu embaraço.

(Hajime): “É a Cidade do Lago chamada |Ur|


(Aiko): “Haa, não há pistas hoje, de novo… Shimizu-kun, onde é que você foi parar…”

Com seus ombros encolhendo desanimadamente, a pessoa que estava caminhando pela rua principal de |Ur| era uma das que foi Invocada: a professora Hatayama Aiko. Sua habitual alegria se foi. No momento, ela estava sendo torturada pela ansiedade e preocupação, enquanto uma atmosfera sombria flutuava ao redor dela. De alguma forma, a cor da rua principal e até mesmo as luzes estavam mais fracas do que o normal.

(David): “Aiko, não fique tão desapontada. Nós ainda não sabemos de nada. É o suficiente apenas pensar que ele está seguro. O que você pode fazer se você nem mesmo acreditar nisso”

(Yuka): “Isso mesmo Ai-chan-sensei. O quarto de Shimizu-kun não parece ter sido atacado. Portanto, a probabilidade de ele ter saído por conta própria não é maior? Por favor, pare de pensar apenas em coisas ruins”

Como Aiko estava desanimada, o Comandante dos guarda-costas exclusivos de Aiko, David, e sua aluna, Yuka, falaram com ela. Ao seu redor estavam ⌈Cavaleiros e estudantes familiares. Eles também estavam muito preocupados com Aiko e tentavam falar com ela.

Um dos alunos, Shimizu Yukitoshi, desapareceu há pouco mais de duas semanas. Aiko e os outros tentaram procurar por ele, fazendo tudo o que era possível. Contudo, o paradeiro dele ainda era desconhecido. Não houve novidades nesta cidade, então eles mandaram mensageiros para outras cidades e vilas na vizinhança, mas no fim, seus esforços ainda foram em vão.

Entretanto, no início eles pensaram que ele estava envolvido em um incidente, mas o quarto de Shimizu estava limpo. O próprio Shimizu era um ⌈Mago Negro, uma classe que possuía grande aptidão para ‖Magia Negra. Ele também tinha muita aptidão para outros sistemas de magia, era por isso que ele não poderia ter sido capturado por bandidos da região. Muitos deles pensavam que ele tinha partido voluntariamente.

Além disso, Shimizu era do tipo obediente e caseiro que tinha baixa sociabilidade. Mesmo entre os colegas de classe, ele não tinha nenhum amigo especialmente próximo. Foi algo surpreendente que ele quisesse ser um guarda-costas de Ai-chan. Por isso, tirando Aiko, os estudantes estavam certos sobre a segurança dele. Eles estavam mais preocupados com Aiko, que ficou mais deprimida com o passar dos dias. Não era preciso dizer quão preocupados estavam os ⌈Cavaleiros guarda-costas.

A propósito, eles relataram isso para o |Reino| e a Igreja e parecia que um grupo de busca que eles organizaram estava chegando. Shimizu era um Invocado com talento em magia, diferente do episódio com Hajime em que a alta gerência nem mesmo mostrou uma visão otimista. O grupo de busca iria chegar depois de dois ou três dias.

Como palavras de preocupação apareceram uma seguida da outra, Aiko mentalmente se bateu. Se ele foi envolvido em um incidente ou desapareceu voluntariamente, isso não importava, isso não mudava o fato de que a situação a preocupava. Entretanto, ela precisava deixar isso de lado agora. Agora a tarefa dela era animar os outros estudantes a seu lado. Era porque: “Eu sou a professora dessas crianças!”. Aiko respirou profundamente e então bateu em suas bochechas com as mãos para recuperar seu espírito.

(Aiko): “Todos, eu sinto muito por preocupa-los. É exatamente como vocês disseram. Nada vai ser resolvido se ficarmos remoendo isso. Shimizu é um excelente usuário de magia. Ele com certeza estará bem. Agora, vamos acreditar que ele está seguro. Assim, para o jantar de hoje! Vamos comer o quanto quisermos e nos prepararmos para amanhã!”

Apesar de eles saberem que ela estava exagerando, os alunos obedientemente responderam ela com um grito, “Siiiim”, para a animarem. Os ⌈Cavaleiros também estavam contentes com a aparência dela.

] KARANh, KARANh [

Quando esse som surgiu, a porta da estalagem em que Aiko e os outros estavam se abriu. Essa era a pousada número um em |Ur|. Seu nome era ⟦Pousada da Fada da Água. Há muito tempo, um casal de ⌊Fadas viveu no |Lago Uldeia| e essa era a origem para seu nome. O |Lago Uldeia| era o lago considerado o maior de todos no continente e se localizava nas imediações da cidade de |Ur|. Seu tamanho era quase quatro vezes maior do que o Lago Biwa[1] no Japão.

O primeiro andar da ⟦Pousada da Fada da Água era um restaurante. Ele servia pratos que também eram as especialidades de |Ur|. O interior era calmo, havia mesas e um balcão que transmitiam uma atmosfera decorosa. Os enfeites eram feitos com detalhes em mente, mas eles não se destacavam. Além disso, havia um modesto lustre no teto e flores arranjadas para acrescentar um ar de tranquilidade. Isso faria alguém se lembrar das palavras “bem estabelecido”, uma estalagem onde você poderia sentir sua história.

No início, Aiko e seus estudantes não eram capazes de se acalmar porque a pousada era de um nível muito alto. Era impossível para Aiko e seus alunos ficarem em uma estalagem comum devido a reputação deles, já que as pessoas começaram a chamá-los de ⟦Apóstolos de Deus e ⟦Deusa da Boa Colheita. Depois de um pouco de persuasão dos ⌈Cavaleiros, eles concordaram em ficar neste lugar enquanto eles estivessem em |Ur|.

Na verdade, eles passaram um tempo em quartos luxuosos do Palácio Real, então Aiko e os estudantes tinham gradualmente se acostumado com isso. Agora a pousada se tornou um lugar onde eles podiam realmente relaxar. Para Aiko e os outros, que voltaram exaustos das melhorias das terras agrícolas e da busca por Shimizu, os pratos desta pousada eram seus únicos prazeres diários.

Todos eles estavam sentados em assentos VIPs na seção mais interna da estalagem, enquanto eles aproveitavam o jantar do dia.

(Aluno A): “Aa, é sempre deliciosoooo. Eu nunca pensei que eu seria capaz de comer curry[2] neste outro mundo”

(Aluno B): “Bem, ele na verdade parece guisado… não, isso é curry branco?”

(Aluno C): “Não, também tem um prato de arroz coberto de tempura[3], se lembra? Até o molho é magnífico, não é? O Japão não iria perder?”

(Aluno D): “Não é porque Tamai-kun só come os molhos prontos? Não é bom comparar esse com o da Hokaben”

(Aluno E): “Bom, eu vou escolher as coisas feitas de arroz frito. Então vamos parar com isto”

A tensão dos alunos aumentava todas as noites por culpa dos pratos que se assemelhavam muito com os da Terra. Embora existissem pequenas diferenças na aparência e no sabor, o conceito em si era muito semelhante a suas contrapartes da Terra. A abundância de ingredientes era um dos motivos que aumentava a qualidade dos pratos da |Cidade de Ur|. Além do arroz, havia peixes do |Lago Uldeia|, além de ervas e temperos da região da cordilheira.

Enquanto Aiko e os outros comiam os deliciosos pratos com alegria, um homem com bigode esplêndido por volta de 60 anos de idade se aproximou deles com um sorriso.

(???): “Todos vocês, o que acharam da refeição de hoje? Há algo que vocês queiram dizer, por favor, nos digam tudo sem cerimônias”

(Aiko): “Ah, Proprietário-san.”

A pessoa que falou com Aiko e os outros era o proprietário da ⟦Pousada da Fada da Água, Foss Selo. Ele endireitou suas costas, seus olhos estavam gentilmente apertados, e cabelos grisalhos estavam misturados em seu penteado para trás. Ele era o homem que preparava a atmosfera calma da pousada.

(Aiko): “Não, hoje também estava delicioso. Isso nos cura todos os dias”

Quando Aiko respondeu com um sorriso, Foss alegremente disse, “Obrigado pelo elogio”, e sorriu. Mas no momento seguinte, a expressão dele se nublou como se ele quisesse se desculpar. Era uma expressão imprópria para Foss, que sempre sorria gentilmente. Se perguntando sobre o que tinha acontecido, todos pararam de comer e focaram em Foss.

(Foss): “Na verdade, apesar de ser lamentável… eu só posso servir este tanto para os pratos que usam temperos por hoje”

(Yuka): “Eh!? Você quer dizer que não podemos comer Nilshisseer (a versão do curry neste outro mundo)?”

Sonobe Yuka, que adorava o curry, estava chocada e tentou perguntar sobre isso.

(Foss): “Sim, eu sinto muito. De qualquer forma, não importa quantos ingredientes foram usados… isso seria o suficiente se fosse como sempre… contudo, há uma agitação na Cordilheira este mês, então o número de pessoas indo coletar os ingredientes diminuiu drasticamente. Há poucos dias, um grupo de Aventureiros que veio investigar a situação desapareceu. Assim, ainda mais pessoas não querem ir até lá. Isso se tornou uma situação onde este estabelecimento não sabe quando as mercadorias irão chegar”

(Aiko): “Umm… o que você quer dizer com agitação?”

(Foss): “Algo como o avistamento de grupos de Feras Mágicas… esse é um lugar consideravelmente seguro contanto que você não vá para as montanhas na área da Cordilheira do Norte. Apesar de parecer haver Feras Mágicas poderosas dentro da montanha, elas nunca se aproximaram de propósito. No entanto, houve avistamentos de grupos de Feras Mágicas na montanha onde não deveria existir nenhuma”

(Aiko): “Isso é realmente preocupante…”

Aiko franziu o cenho. Os outros estavam um pouco deprimidos e mutualmente olharam uns para os outros. Foss disse com um olhar culpado, “Esse não é o assunto certo para termos durante a refeição, huh?”, então ele continuou a falar com um tom animado para recuperar o clima.

(Foss): “Entretanto, esse desastre deve ser resolvido logo”

(Aiko): “O que você quer dizer?”

(Foss): “Na verdade, hoje apareceram novos clientes que chegaram antes do entardecer. Parece que eles vão para a cordilheira do Norte com o objetivo de procurarem pelos Aventureiros que desapareceram. Eles foram nomeados pelo Diretor da Filial da ⟦Guilda de |Fhuren|, então parece que eles são figurões bem importantes. Eles devem ser capazes de determinar a causa deste desastre”

Embora Aiko e seus estudantes ainda estivessem sentados, os ⌈Cavaleiros guarda-costas comandados por David (e ele próprio) estavam comendo e soltaram um “Hou”, com um tom metade admirado e metade interessado. Mesmo entre os funcionários da ⟦Guilda, o Diretor da Filial de |Fhuren| era considerado de primeira classe. Alguém ser escolhido para aceitar um pedido do Diretor da Filial significava que ele era capaz de esclarecer algo que apenas pessoas poderosas poderiam realizar. A curiosidade deles foi despertada porque eles queriam lutar a mesma batalha que tais pessoas. Dentro das cabeças dos ⌈Cavaleiros, eles estavam listando os famosos Aventureiros Rank ⟦Ouro[4].

Aiko e seus estudantes estavam olhando para a conversa incomum de David e os ⌈Cavaleiros, então eles começaram a escutar vozes das escadas que conectavam o segundo andar. Eram as vozes de um garoto e duas garotas. Parecia que uma das garotas estava se queixando com o garoto. Foi Foss quem reagiu a essas vozes.

(Foss): “Oya, falando do diabo. São eles, Srs. ⌈Cavaleiros. Se vocês quiserem conversar com eles, por favor, façam isso agora porque eles vão partir amanhã de manhã”

(David): “Entendo, então é isso. Mas essas vozes são bastante jovens. Há algum Rank ⟦Ouro que é tão jovem?”

David e os ⌈Cavaleiros já tinham memorizado os famosos Rank ⟦Ouro em suas mentes, mas como não havia nenhum deles tão jovem, alguns deles olharam para os outros com expressões perplexas.

Enquanto eles estavam em um estado de confusão, o trio estava se aproximando enquanto conversava.

Os assentos onde Aiko e os outros sentavam estavam nos lugares mais íntimos e eram delimitados por paredes em três lados. Era um lugar onde eles poderiam olhar para qualquer lugar dentro do restaurante. No momento, ela foi transformada em uma sala privada com o uso de uma cortina. Não é preciso dizer que dentro do grupo notável de Aiko, havia a própria Aiko; aquela aclamada como a ⟦Deusa da Boa Colheita, o que tornava eles ainda mais notórios. Era por isso que eles frequentemente usavam a cortina sempre que eles comiam suas refeições. Mesmo hoje, eles fecharam a cortina, então eles não seriam vistos.

Do outro lado da cortina, eles podiam escutar a conversa de um garoto e duas garotas.

(??? A): “Mou, quantas vezes eu devo dizer isso até vocês entenderem. Por favor, parem de me deixar sozinha para criarem um mundo com apenas vocês dois. Isso faz eu me sentir realmente, realmente solitária. Vocês me escutaram? Hajime-san

(??? B): “Eu ouvi, eu ouvi você. Só fique em outro quarto se você não quiser ver isso”

(??? A): “Nmah! Você ouviu o que ele acabou de dizer Yue-san? Hajime-san só disse algo cruel”

(??? C): “… Hajime… mau!”

(??? B): “Sim, sim”

Com a conversa deles, o nome que as garotas disseram instantaneamente abalou o coração de Aiko. “O que as garotas acabaram de dizer?”, “Qual é o nome do garoto?”, “A voz deste garoto… não é similar com a ‘daquele garoto’?”, eram as perguntas que imediatamente flutuaram na mente de Aiko. Ela endureceu como se algo puxasse ela para baixo, então ela só podia encarar a cortina.

A mesma coisa aconteceu a Sonobe Yuka e os outros estudantes ao lado dela. Na mente deles, pensamentos sobre um certo garoto, que desapareceu dentro do abismo quatro meses atrás, ressurgiram. Ele era um garoto que os colegas da classe acreditavam com firmeza que tinha “morrido neste outro mundo”. Um garoto que eles queriam esquecer, um garoto que se destacava, para melhor ou para pior.

Devido a expressão anormal nos rostos de Aiko e seus estudantes, Foss e os ⌈Cavaleiros tentaram chamar eles com olhares confusos, mas ninguém reagiu. Os ⌈Cavaleiros estavam se perguntando o que diabos tinha acontecido enquanto eles olhavam para os rostos deles. Então, Aiko deixou escapar um nome.

(Aiko): “… Nagumo-kun?”

Por causa do nome que ela inconscientemente soltou, seu corpo, que parecia rígido devido a situação inacreditável, recuperou sua liberdade. Aiko imediatamente se levantou e sua cadeira caiu no chão. Ela então puxou a cortina com tanta força que ela poderia rasgar.

] SHAAAA!! [

Devido ao inesperado som alto que surgiu quando a cortina foi puxada, o trio formado pelo garoto e as duas garotas só podiam olhar com expressões estupefatas.

Aiko gritou sem confirmar quem a outra pessoa era. Era o nome de seu importante estudante.

(Aiko): “Nagumo-kun!”

(Hajime): “Ah? Sensei?”

Na frente dela, com seus olhos esbugalhados pela surpresa, estava um garoto com um tapa-olho e cabelos brancos. Ele parecia completamente diferente do Nagumo Hajime de sua memória. Não apenas a aparência dele, sua atmosfera também era completamente diferente. O Nagumo Hajime que Aiko conhecia era um garoto que sempre estava sonhando acordado, era gentil e calado. Na verdade, Aiko admitia que um sorriso irônico combinava com ele, mas esse era o segredo dela. Contudo, o garoto na frente de seus olhos tinha um olhar intenso, envolvido em uma atmosfera inacessível. Ele era diferente demais da memória dela. Se ela passasse por ele dentro da cidade, ela tinha certeza que não iria reconhecer o garoto diante dela como Nagumo Hajime.

Mas se ela olhasse com atenção, a voz e o rosto dele eram os mesmos que estavam em sua memória. Acima de tudo… foi a forma como o garoto na frente dela a chamou. Isso mesmo, foi “Sensei”. Aiko estava convencida. Apesar de sua aparência e atmosfera terem mudado imensamente, o garoto diante dela era certamente seu próprio estudante, Nagumo Hajime!

(Aiko): “Nagumo-kun… você é Nagumo-kun, não é? Você está vivo… você está mesmo vivo…”

(Hajime): “Não, você pegou a pessoa errada. Tchau”

(Aiko): “He?”

Encontrar o estudante que ela pensava estar morto era um milagre. Ficando profundamente comovida, as glândulas lacrimais dela se afrouxaram e os olhos de Aiko ficaram marejados. “Onde você esteve até agora? O que diabos aconteceu? Eu estou realmente grata por você estar seguro”. Eram apenas algumas das muitas coisas que ela queria dizer, mas não pôde. Mesmo assim, a resposta a suas palavras desesperadas foi completamente inesperada.

Ela inconscientemente soltou uma voz estúpida e as lágrimas de Aiko também se retiraram. Ela só podia encarar sem entender Hajime, que começou a se mover para a saída. “HAH”, ela recuperou seus sentidos e, em pânico, correu atrás dele enquanto segurava seu pulso.

(Aiko): “Por favor, espere um segundo? Você não é Nagumo-kun? Você não acabou de chamar a Sensei de ‘Sensei’? Como é que você poderia ser a pessoa errada?”

(Hajime): “Não, você escutou errado. É que… é isso, esse foi um dialeto que significa ‘pequena’. Un”

(Aiko): “Ainda assim, isso foi extremamente rude! Ou melhor, não tem jeito de um dialeto desses existir. Por que você está tentando me enganar? Essa aparência também… alguma coisa aconteceu? O que você está fazendo neste lugar? Por que, por que você não voltou imediatamente para todos? Nagumo-kun! Por favor, responda! A Sensei não vai deixar você enganar ela!”

A voz irritada de Aiko ressoou dentro do restaurante. Várias pessoas e convidados olharam para a ⟦Deusa da Boa Colheita dos rumores enquanto ela capturava e gritava com um homem. “Suwah, ele é o homem da Deusa!?”, foi o mal-entendido deles enquanto seus olhos brilhavam com a curiosidade. Os alunos e os ⌈Cavaleiros guarda-costas também saíram do interior.

Os estudantes que viram a aparência de Hajime ficaram com expressões de choque enquanto eles não podiam acreditar em quem estava diante deles. Metade disso era porque ele estava vivo, enquanto a outra metade era por causa da mudança drástica de sua aparência e ar. No entanto, eles não sabiam o que eles deviam fazer, então eles só podiam olhar sem entender para Aiko e Hajime.

Do outro lado, apesar de Hajime parecer calmo, a mente dele foi atacada por um pequeno pânico. Na cidade em que ele chegou, depois de aceitar o pedido do Diretor da Filial da ⟦Guilda que ele conheceu por acaso, ele nunca imaginou que havia uma chance de que ele encontraria Aiko e seus colegas de novo.

Como este era um evento súbito, ele involuntariamente murmurou “Sensei”, ele até pensou, “Não pode seeeer”, enquanto ele tentava enganar a si mesmo. Suas alternativas depois da furiosa barragem de perguntas de Aiko-chan eram “Fugir”, “Continuar com o ato da pessoa errada”, “Se tornar um estrangeiro suspeito” e “Vamos apenas sequestrar Ai-chan”, eram todas as cartas que apareceram na mente dele. Ele realmente não sabia como a última apareceu.

Então, Hajime foi salvo por sua confiável parceira. É claro que não foi a personagem vergonhosa com orelhas de coelho, mas sim a Princesa ⌊Vampira. Yue, se colocou entre Hajime e Aiko, então ela afastou com força a mão de Aiko que estava agarrando o braço de Hajime. Do lado delas, os ⌈Cavaleiros guarda-costas estavam liberando um pouco de sede de sangue.

(Yue): “… solte, Hajime está incomodado”

(Aiko): “O qu-que é você? No momento, Sensei está tendo uma conversa importante com Nagumo-kun…”

(Yue): “… então, se acalme um pouco”

Como a linda garota encarou ela com olhos frios, Aiko vacilou um pouco. Não havia muita diferença de altura entre as duas. Normalmente, isso seria considerado uma briga entre crianças. Entretanto, Aiko era na verdade mais jovem em idade e Yue tinha uma atmosfera fascinante apesar de sua aparência. Não importava quem olhasse para isso, elas pareciam como uma adulta (Yue) e uma criança nervosa (Aiko). Aiko estava atenta com Yue, então ela silenciosamente se afastou de Hajime com as bochechas corando devido a suas próprias palavras e a forma como ela ficou furiosa com ele. Assim que ela endireitou suas costas para mostrar sua dignidade como uma adulta, apesar de ser tarde demais, Aiko era… exatamente como uma criança fazendo um alongamento.

(Aiko): “Eu sinto muito, eu estava distraída. Vamos voltar para o início, você é Nagumo-kun, não é?”

Desta vez, Aiko disso isso com calma, mas a voz dela estava cheia de convicção enquanto ela tentava questionar Hajime e ajustava seu olhar com o dele. Vendo Aiko assim, Hajime estava convencido de que não importava como ele tentasse engana-la, ela não mudaria sua convicção e ela iria persegui-lo não importava onde ele fosse. Assim, coçando sua cabeça e respondendo com um suspiro profundo…

(Hajime): “Ah. Há quanto tempo Sensei”

(Aiko): “Como imaginei, você é Nagumo-kun afinal… você está vivo…”

Os olhos de Aiko ficaram marejados de novo, mas Hajime não pensava em nada disso enquanto ele encolhia seus ombros.

(Hajime): “Algo desse tipo. Depois que muita coisa aconteceu, eu meio que continuei vivo”

(Aiko): “Eu estou feliz. Eu realmente estou feliz”

Depois que ele deu uma olhada em Aiko, que era incapaz de dizer mais do que essas palavras, Hajime seguiu para a mesa mais próxima e se sentou. Vendo ele, Yue e Shia também se sentaram. Shia estava um pouco perplexa. Aiko e os outros estavam surpresos com a súbita ação de Hajime. Hajime recuperou sua compostura e ignorou os arredores, apenas para acenar para Foss, que estava observando como a situação progrediria enquanto ele ficava atrás dos estudantes.

(Shia): “Umm, Hajime-san. Isso está bom? Vocês não são conhecidos? Embora isso seja só meu palpite… os do outro mundo…”

(Hajime): “Isso não importa nada. Eu só estava surpreso quando eles repentinamente apareceram, bom, isso é tudo. Nós originalmente viemos jantar, então vamos fazer nosso pedido. Eu estive mesmo esperando por isto. Vocês não sabem? Este curry… ah, vocês não conhecem isso. O prato picante chamado Nilshisseer. Eu já estou feliz apenas ao imaginar o sabor…”

(Yue): “… então eu vou pedir isso também. Eu quero saber que sabores Hajime gosta”

(Shia): “Ah, para casualmente apelar… como esperado de Yue-san. Então eu também. Funcionário-saaaaan, nós queremos fazer nosso pedidoooo”

No início, Shia estava timidamente olhando disfarçadamente para Aiko e os outros, mas mudou de ideia depois que Hajime disse aquelas palavras. Assim, Foss foi anotar o pedido deles com um sorriso apreensivo.

Entretanto, naturalmente, não havia tempo para eles esperarem. Aiko, que estava mais uma vez boquiaberta pela forma como Hajime se sentou em uma mesa próxima e começou a fazer seu pedido, voltou a seus sensos e se aproximou da mesa de Hajime. Ela disse, “A Sensei está nervosa!”, com uma expressão realmente furiosa enquanto ela batia na mesa.

(Aiko): “Nagumo-kun, nossa conversa não acabou. Como é que você pode começar a fazer seu pedido como se fosse a coisa mais natural do mundo? Em primeiro lugar, quem são essas garotas?”

O que Aiko disse representava os sentimentos de todos ao redor deles. Os ⌈Cavaleiros, que adivinharam que Hajime era um aluno de Aiko, que eles escutaram ter morrido há quatro meses, os estudantes, que esperavam atrás de Aiko, e todos os outros estavam, “Un, un”, concordando enquanto eles esperavam pela resposta de Hajime.

Hajime franziu o cenho porque isso seria um incômodo. Como ele pensou que ele não poderia ter uma refeição calma graças a Aiko, que iria ficar esperando até que ele respondesse as perguntas dela, mesmo com eles comendo, ele relutantemente devolveu o olhar de Aiko.

(Hajime): “Eu vim aqui em apenas um único dia sem parar por causa de um pedido. É por isso que eu estou com fome, então só me deixe comer minha refeição. Aliás, essas são…”

Hajime virou seus olhos para Yue e Shia. E essas duas, antes que Hajime pudesse dizer, começaram uma introdução impactante para Aiko e os outros.

(Yue): “…Yue”

(Shia): “Eu sou Shia”

(Yue e Shia): “Eu sou a mulher de Hajime(-san)”

(Aiko): “Mu-mulher?”

Aiko gaguejou um pouco, “Eh? Eh?”, enquanto ela olhava alternadamente entre Hajime e as duas lindas garotas. Parecia que ela não podia processar a informação. Os estudantes atrás dela também estavam perplexos. Bem, as expressões dos alunos diziam, “Não pode ser!”, enquanto eles incansavelmente olhavam de Yue para Shia. Gradualmente, os rostos deles ficaram vermelhos por eles estarem encantados pela beleza delas.

(Hajime): “Oi, deixando Yue de lado. Shia, você não é diferente?”

(Shia): “Quê! Hajime-san é tão cruel. Mesmo que você tenha roubado meu primeiro beijo!”

(Hajime): “Não, por mais quanto tempo você vai trazer isso à tona? Aquilo foi uma…”

(Aiko): “Nagumo-kun?”

(Hajime): “… o que foi Sensei?”

Devido a declaração de que ele “roubou o primeiro beijo de Shia”, parecia que o processo de pensamento dela finalmente tinha se iniciado. Então, a voz de Aiko diminuiu uma oitava. Dentro da cabeça de Aiko, parecia que ela imaginava uma cena onde Hajime estava rindo alto enquanto era atendido pelas duas beldades em cada um de seus braços. A expressão dela dizia tudo.

Corando, Aiko interrompeu as palavras de Hajime. O rosto dela estava cheio de determinação para impedir essa má conduta de seu aluno e colocá-lo no caminho correto. Seguido disso, um enorme trovão chamado “Fúria da Sensei” caiu na estalagem número um e de primeira classe da |Cidade de Ur|.

(Aiko): “Roubar o primeiro beijo de uma mulher, e até mesmo tr-traição! Então, você não voltou imediatamente porque você queria brincar por aí! Se é assim… isso é imperdoável! Ee, a Sensei absolutamente não irá perdoar isso! É hora da bronca! Só espere aí Nagumo-kun!”

Hajime olhou para Aiko, que gritava, com um olhar cético enquanto ele suspirava profundamente, pensando que isso seria complicado.


[1] O Lago Biwa, com 670 km², é o maior lago de água doce do Japão e um dos mais antigos do mundo (originado numa falha tectônica). A origem do nome Biwa está relacionada ao formato do lago: uma biwa é um alaúde de quatro cordas, instrumento musical trazido da China para o Japão. O lago Biwa servia como via de comunicação com o Mar do Japão e com o continente (cidades de Quioto, Osaka e Nara). Atualmente, suas águas servem para irrigação, consumo humano, turismo, lazer (esportes aquáticos e pesca), geração de energia e outros fins industriais. O lago fornece os recursos hídricos necessários para abastecer todo o cinturão industrial de Keihanshin, que compreende as cidades de Quioto, Osaka e Kobe.

[2] O curry é uma mistura de especiarias muito utilizada na culinária de países como Índia, Tailândia e alguns outros países asiáticos.

[3] Tempura é um prato clássico da culinária portuguesa e exportada para o Japão que o popularizou. Consiste de pedaços fritos de vegetais ou mariscos envoltos num polme (um tipo de massa mole) fino.

[4] Lembrete: Rank Ouro é o mais alto entre os nove Ranks dos Aventureiros.