A conversa da Sensei

O [Veículo Mágico de Quatro Rodas] disparou em uma velocidade mais rápida do que a de quando eles estavam vindo, mas a função de nivelamento de terreno não conseguia acompanhar o ritmo, assim, Tio, que estava crucificada no teto, recebia o impacto. Os estudantes na carga recebiam uma sensação parecida com a de um liquidificador.

Então, nesse momento, ele descobriu os ⌈Cavaleiros guarda-costas totalmente armados que ferozmente dirigiam seus cavalos na área ente a |Cidade de Ur| e a cordilheira do Norte. A ‖Visão de Longo Alcance de Hajime podia ver David na liderança com uma expressão parecida com a de um Oni[1], enquanto Chase, que estava ao lado dele, não podia esconder sua frustração enquanto eles rapidamente se aproximavam.

Correndo por um tempo, eles descobriram um objeto negro que criava um clamor quando se movia. Era natural para eles pensarem que eles estavam vendo uma 〈Fera Mágica. Com suas armas preparadas, eles mudaram a formação. A velocidade de resposta foi rápida, e, de fato, ficou claro o porquê eles serem elogiados como guarda-costas de VIPs.

Em particular, mesmo que ele não fosse ser atacado, Hajime não teria nenhum problema em apenas passar por cima deles, mas Aiko sem saber se era porque ela pensou que seria algo sério para Tio, que soltou um grito fascinante e cativante, e para os alunos pálidos que estariam expostos a tais ataques, mostrou seu rosto pelo teto solar e desesperadamente acenou suas mãos enquanto gritava para David notá-la.

Assim que eles se aproximaram, David tentou invocar sua magia. Ele apertou seus olhos porque ele podia ver uma figura parecida com um humano subitamente surgindo acima do objeto negro que vinha em alta velocidade. Normalmente, ele faria um ataque preventivo por não haver nada para discutir, mas algo dentro dele o fez parar. Poderia se dizer que era seu sexto sentido exclusivo para Aiko, o assim chamado sensor de alta sensibilidade de Aiko.

Com sua mão estendida, ele enviou a seus subordinados o sinal de parar seus ataques. Apesar dos subordinados estarem desconfiados disso, eles ficaram espantados assim que escutaram a voz familiar da coisa parecida com um humano que crescia no topo do objeto negro que se aproximava deles. David já mostrava uma expressão que dizia que ele não podia acreditar nisso e murmurou, “Aiko?”.

Por um momento, “Não me diga que a metade inferior de Aiko foi comida por essa 〈Fera Mágica !?”, David e os outros ficaram pálidos, mas Aiko acenou energeticamente e disse, “David-saaaan, sou eu! Por favor, não nos ataqueeee!”, com uma voz cheia de vida.

Eles entenderam que tinham mal interpretado a situação e eles mostraram expressões de alegria com esta reunião porque aquela no objeto negro era, sem dúvidas, a pessoa importante para eles. Como se ele estivesse bêbado com a situação, David abriu os braços magnificamente com uma expressão que dizia, “Venha! Pule nos meus braços!”. Chase e os outros a seus lados também abriram seus braços como se dissessem, “Pule para mim!”.

Vendo as aparências dos ⌈Cavaleiros com seus braços abertos, Hajime parecia indignado. Embora Aiko e os estudantes pensassem que Hajime obviamente fosse parar diante de David e os ⌈Cavaleiros… Hajime repentinamente colocou mais |Poder Mágico e eles aceleraram.

Como eles estavam em uma distância onde a desaceleração era totalmente necessária, os ⌈Cavaleiros ficaram estupefatos quando o objeto negro acelerou ainda mais e se afastaram em pânico.

O [Veículo Mágico de Quatro Rodas] de Hajime apenas passou por David e os ⌈Cavaleiros que estavam com os braços abertos com sorrisos. Aiko só podia gritar, “Por quê?”, esse grito ficou menor por causa do efeito Doppler[2], enquanto David e os ⌈Cavaleiros apenas enrijeciam e sorriam. Depois disso, no momento seguinte eles gritaram, “Aikooooo!”, exatamente como aqueles separados de seus amores, e começaram a correr intensamente atrás do [Veículo de Quatro Rodas].

(Aiko): “Nagumo-kun! Por que, por que você fez algo tão perigoso!?”

Aiko ficou nervosa, voltando para dentro do veículo e protestou ferozmente com Hajime.

(Hajime): “Não há motivos para parar Sensei. Se nós pararmos, eles provavelmente vão perguntar sobre a situação. Nós temos tanto tempo? Nós vamos explicar a situação na cidade no fim das contas, então não há necessidade de fazer isso duas vezes, não é?”

(Aiko): “Uh, is-isso é verdade…”

Ela estava um pouco convencida, o assunto sobre eles escapando sem permissão e o [Veículo de Quatro Rodas]. de Hajime iria certamente tomar muito tempo, então Aiko fechou sua boca. Yue, que tinha voltado para seu assento, aproximou seu rosto da orelha de Hajime e o perguntou.

(Yue): “… intenção verdadeira?”

(Hajime): “Esses ⌈Cavaleiros sorridentes me deixaram incomodado”

(Yue): “… nn, o mesmo aqui”

A propósito, logo atrás de Aiko esticando seu rosto para fora do teto solar, estava Tio amarrada no veículo. Uma expressão de êxtase flutuava por seu rosto devido a ser corpo ferido sendo continuamente estimulado pela vibração da estrutura do veículo, mas parecia que os ⌈Cavaleiros e Aiko não a viram.

Junto a isto, quando eles chegaram na cidade, Yue, que sabia do comportamento vergonhoso de Tio, disse, “… é isto, a raça dos ⌊Ryujin?”, enquanto ela mostrava uma expressão levemente chocada. Desde a primeira vez que Tio foi liberada de sua ‖Forma de Dragão na cordilheira do Norte, ela estava em um estado mental sutil e parecia “sentir” a dor, foi por isso que Yue finalmente se livrou de seu respeito ilusório e anseio pela raça dos ⌊Ryujin.


Chegando na |Cidade de Ur|, Hajime e seu grupo calmamente caminharam, enquanto Aiko e os outros estavam correndo para a casa do chefe da cidade. Hajime pensou em se separar de Aiko e os estudantes aqui e rapidamente levar Will de volta para |Fhuren|, mas ele relutantemente os acompanhou porque Will começou a correr atrás de Aiko e os estudantes.

A cidade estava cheia de vitalidade. Os pratos vinham em grandes variedades e eram abundantes e a cidade era próxima de um lago. Era o local onde pessoas e natureza se reuniam. Ninguém jamais iria sonhar que esta cidade seria esmagada por um exército de Feras Mágicas em um dia. Hajime e seu grupo estavam olhando para tal cidade, se lembrando de que eles não tinham comido qualquer refeição desde o dia anterior, então eles avançavam para a prefeitura enquanto apreciavam espetos de uma barraca.

Hajime e sua equipe finalmente chegaram na prefeitura, e o lugar já estava uma confusão. O Diretor da Filial da Guilda da |Cidade de Ur|, os executivos da cidade, e os ⌈Sacerdotes da Igreja estavam reunidos em um estado de desordem. Todas as expressões deles mostravam que eles não podiam e não queriam acreditar na informação trazida por Aiko, os estudantes e Will, enquanto eles os interrogavam de perto.

Normalmente, eles apenas considerariam isso como um absurdo de um louco se eles escutassem que no dia seguinte a cidade seria aniquilada, mas essas eram palavras que vieram de Aiko, a ⟦Apóstola de Deus⟧, também conhecida como ⟦Deusa da Boa Colheita. Isso foi acompanhado da descoberta recente de que a raça dos ⌊Demônios era capaz de manipular Feras Mágicas, então eles não poderiam apenas ignorar esta informação.

A propósito, pela discussão dentro do veículo, Aiko e os estudantes concordaram em esconder a verdadeira identidade de Tio e havia uma possibilidade de que Shimizu Yukitoshi fosse o responsável pela ameaça. Era indesejável que a existência da raça dos ⌊Ryujin fosse exposta, então Tio pediu a eles que mantivessem silêncio sobre isso, e a identidade do autor era apenas uma possibilidade, então Aiko não queria descuidadamente comunicar isso.

Aiko, de certa forma, concordou em esconder a informação sobre a existência da raça dos ⌊Ryujin porque essa raça era algo como um tabu para a ⟦Igreja dos Santos, e isso só causaria caos acompanhado da formação de uma unidade de subjugação.

Dentro de tal comoção, Hajime foi até Will. Ele só pensava no caos ao redor como um vento a soprar.

(Hajime): “Oi, Will. Não saia correndo tão de repente. Lembre-se que você está sob minha proteção. Se você terminou o relatório, vamos voltar logo para |Fhuren|

Com as palavras de Hajime, Will, Aiko e os outros ficaram surpresos enquanto olhavam para ele. Os outros, os líderes da cidade, pareciam indignados enquanto olhavam para Hajime interrompendo a discussão de emergência como se dissessem, “Quem diabos é este?”.

(Will): “O qu-que você está dizendo? Hajime-dono. É um momento de emergência, não é? Não me diga que você vai abandonar a cidade…”

Will começou a argumentar com Hajime com uma expressão que dizia que ele não podia acreditar no que ele acabou de dizer, e Hajime respondeu com uma expressão como se esperasse este aborrecimento.

(Hajime): “Abandonar ou o que quer que seja, no fim, você também não vai abandonar a cidade, se abrigar e esperar pelo resgate? Eu já estou ciente das defesas desta cidade com os passeios turísticos… se você quer se abrigar, está tudo bem ir para |Fhuren|. Há algum tempo, você só esteve falando sobre evacuar as pessoas rapidamente”

(Will): “Is-isso é verdade… certo… mas eu não posso simplesmente fugir por conta própria em uma situação séria como essa! Até eu devo ter algo em que possa ajudar. Até Hajime-dono…”

“Hajime-dono, por favor, coopere também”, era a continuação das palavras de Will, mas suas palavras foram interrompidas assim que ele foi congelado pelos olhos frios de Hajime.

(Hajime): “… preciso dizer mais claramente para fazer você entender? Meu trabalho é te levar de volta para |Fhuren|. Eu não tenho nada a ver com esta cidade. Escute, eu não vou ouvir sua opinião. Se você ainda não quiser ir… eu só vou quebrar suas pernas e te arrastar de volta”

(Will): “Qu… is-isso é…”

Pela atmosfera de Hajime, Will imaginou que essas palavras eram sérias enquanto ele ficava pálido. A expressão dele dizia que ele não podia acreditar. Hajime, que podia dominar o 〈Dragão que facilmente aniquilou Aventureiros veteranos como o grupo de Gale, parecia um pouco com um herói para Will. Era por isso que mesmo que ele fosse impiedoso, Will incondicionalmente acreditava que Hajime iria ajudar de alguma forma os habitantes da cidade em tal emergência. Era por isso que Will se sentia traído pelas palavras frias atiradas por Hajime.

Como ele estava sem palavras, Will inconscientemente se distanciou de Hajime, mas Hajime decidiu se aproximar dele. Com essa atmosfera estranha, as pessoas ao redor só poderiam alternar os olhares entre Hajime e Will sem se moverem. Então, alguém subitamente se moveu e bloqueou Hajime.

Era Aiko. Ela imediatamente olhou diretamente para Hajime com uma expressão decidida.

(Aiko): “Nagumo-kun. Se for você… você não pode fazer algo sobre o exército de Feras Mágicas? Não… você pode fazer isso, não pode?”

A voz de Aiko carregava convicção, algo poderia ser feito se fosse Hajime. Em outras palavras, ela declarou que ele seria capaz de salvar a cidade. Com essas palavras, os líderes da cidade no local começaram a fazer barulho.

Se eles fossem acreditar na ameaça relatada por Aiko e os outros, os inimigos eram dezenas de milhares de Feras Mágicas. Além disso, elas se reuniram de diversas áreas da cordilheira. Isso significava que a situação estava na escala de uma guerra. Consequentemente, um indivíduo não seria capaz de influenciar a guerra. Isso era senso comum. Para superar tal senso comum, havia uma existência especial até entre aqueles que foram invocados do outro mundo, esse era o ⌈Herói. Mas isso realmente não significava que ele poderia vencer sozinho contra um exército. O valor dele era liderar a raça humana e, junto de seus companheiros, simplesmente usar a quantidade. Dessa forma, eles não podiam acreditar que o garoto diante deles, que não era nem mesmo um ⌈Herói, poderia fazer algo, mesmo que essas palavras viessem de Aiko. Mesmo que essas fosse palavras da ⟦Deusa da Boa Colheita.

Contra o poderoso olhar de Aiko, Hajime acenou com suas mãos sombriamente enquanto ele tentava enganar ela ao negar isso.

(Hajime): “Não, não Sensei. Isso não seria impossível? Eles não são mais do que 40.000? Isso seria muito, muito…”

(Aiko): “Mas, naquela hora na montanha, você não disse que era ‘impossível’ quando Will-san perguntou se Nagumo-kun poderia fazer algo a respeito. Aliás, você não disse ‘O obstáculo seria grande demais e isso se tornaria uma luta até o último homem apenas comigo’? Para colocar isso de forma simples, há uma possibilidade de isso se tornar uma luta até o último homem, correto? Eu escutei isso errado?”

(Hajime): “… que boa memória”

Graças à boa memória de Aiko, a cara de Hajime se distorceu enquanto ele desajeitadamente dizia isso. Ele não se arrependia do que tinha dito. Aiko pediu com uma expressão mais séria a Hajime, que desviou o rosto.

(Aiko): “Nagumo-kun. Você não pode nos emprestar o seu poder? Se isto continuar, não apenas esta linda cidade será destruída, muitas vidas certamente serão perdidas”

(Hajime): “… que inesperado. Eu pensei que você considerava seus estudantes como sua prioridade máxima. Mesmo que todas as coisas que você fez foram inevitavelmente para concretizar a possibilidade de te trazermos um pouco mais cedo, não é? Entretanto, pelo bem de pessoas desconhecidas, você está tentando enviar um estudante para sua morte? Você não tem a intenção, mas é como se você fosse como aqueles caras da Igreja que tentaram nos estimular para entrar na guerra, sabia?”

As palavras de Hajime estavam cheias de escárnio, mas Aiko continuava a mesma. A expressão dela não era a de preocupação de um minuto atrás, era uma expressão decidida adequada a uma professora. Havia ⌈Sacerdotes da Igreja por perto que escutaram a conversa de Hajime e Aiko. Eles franziram o cenho e o observaram com olhos semicerrados porque as palavras de Hajime estavam cheias de desprezo pela Igreja. Foi por isso que Aiko não se moveu de onde estava enquanto ela corrigia seu olhar e postura.

(Aiko): “… se há um método para nos devolver para nosso mundo original, eu rapidamente devolveria os estudantes, e meus sentimentos não mudaram mesmo agora. Mas se isso for impossível… então nós estaremos vivendo neste mundo, as palavras que trocamos e as pessoas que sorriram para nós, no mínimo, eu não quero abandonar as pessoas ao meu alcance. Pensar deste jeito é natural para um humano. É claro que porque a Sensei é uma professora, minha prioridade não mudou mesmo em tal emergência…”

Aiko apresentou suas palavras de confirmação uma por uma.

(Aiko): “Nagumo-kun, você está calmo mesmo agora, é por isso que eu acho que você experimentou algo além da nossa imaginação, para ficar deste jeito. É por isso que eu sinto que você tem a compostura para pensar sobre outras pessoas. As palavras de uma professora que não pôde estar ao seu lado quando você mais se feriu… podem ser leves demais para você. Mas, por favor, me escute”

Hajime ficou quieto, e ele devolveu o olhar de Aiko, a incitando a continuar.

(Aiko): “Nagumo-kun. Na última noite, você não disse que iria com certeza voltar para o Japão? Então, Nagumo-kun. Você vai voltar para o Japão com todos que são importantes para você, exceto aqueles que te obstruírem? Você vai abandonar todos que se tornarem um empecilho para você? Você vai ser capaz de viver assim no Japão? Quando você voltar para o Japão, você vai mudar sua forma de viver? A razão para a Sensei não querer os estudantes ativamente lutando é porque eu estou preocupada se eles serão capazes de voltarem a suas antigas vidas quando voltarem para o Japão. Matar é… eu não quero que você se acostume com isso”

(Hajime): “…”

(Aiko): “Nagumo-kun, você tem seu próprio senso de valores, sua escolha para o futuro é sua. Além disso, você não tem a obrigação de escutar as palavras da boca da Sensei. Mas a Sensei acredita que não importa que tipo de futuro você escolha, a forma de viver em que você descarta os outros, além daqueles que são importantes para você… é realmente ‘solitária’. Com certeza, essa forma de viver não irá fazer você e aqueles importantes a você felizes. Se você deseja felicidade, ao menos para aqueles a seu alcance… por favor, não se esqueça de como simpatizar com eles. Desde o início, essa era a coisa importante e inestimável que você tinha… então não jogue isso fora”

Uma a uma, Aiko pronunciou palavras repletas com seus sentimentos e ela tentou transmitir todos eles diante de Hajime. Os líderes da cidade e até os estudantes escutaram as palavras de Aiko em silêncio. Especialmente os estudantes. Eles olharam para baixo como se estivessem sendo repreendidos, como se sentissem mal por se empolgarem com seus poderes. Ao mesmo tempo, Aiko estava séria sobre levá-los de vota mesmo agora e até pensava sobre como eles iriam viver posteriormente. Com sentimentos recém-descobertos, eles poderiam ser vistos sorrindo como se algo lhes fizesse cócegas.

Quanto a Hajime, mesmo que ele atravessasse os mundos, não importava que situação surgisse e nem que os estudantes mudassem completamente. Aiko, que não se desviou de ser uma “professora”, o fez sorrir ironicamente por dentro. Não foi por desrespeito, mas admiração. Aiko era tratada como especial devido a seu raro valor. Ela não passou pelas provações de Hajime, então ele facilmente a refutaria com, “Mesmo que você não saiba de nada!”, ou, “Não diga essas coisas como se você soubesse delas!”. De certa forma, era como Aiko disse, as palavras dela eram “leves”.

Mas Hajime não poderia fazer isso. Até mesmo agora, a “professora” estava olhando diretamente olhando para ele, então refutá-las como palavras “leves” seria desagradável demais. Além disso, Aiko nem uma vez o pressionou sobre o “certo” a se fazer. Todas as palavras dela eram apenas por uma questão de desejar pelo futuro e felicidade de Hajime.

Hajime imediatamente virou seus olhos para Yue, ao lado de Aiko. Yue, de certa forma, olhava para Aiko enquanto se sentia nostálgica. Contudo, quando ela notou o olhar de Hajime, ela imediatamente o encarou com um olhar sereno. Seus olhos diziam que ela concordaria com qualquer resposta que Hajime desse.

Dentro do Abismo, ela era a pessoa preciosa dele, que manteve a humanidade dele logo antes de ele “cair”, era por isso que Hajime certamente desejava felicidade a ela. Ele pensou se estaria tudo bem se ele fizesse isso por conta própria, mas se ele fosse acreditar nas palavras de Aiko, a forma de viver de Hajime não seria capaz de fazer Yue feliz.

Quando ele mudou seu olhar para ainda mais longe, ele encontrou a garota com orelhas de coelho que o observava com preocupação. Para o mundo dele que continha apenas Yue e ele, ela era a garota que trouxe animação. Não importava quantas vezes Hajime a tratasse de modo grosseiro, ela desesperadamente o perseguia curiosamente, e agora ela era exatamente como Yue, alguém que ele amava como uma amiga e companheira. Para Hajime aceitar Shia, isso não trouxe felicidade a Yue?

Para Hajime, este mundo era como uma prisão. Uma jaula que o impedia de voltar para sua terra natal. Portanto, era extremamente difícil para ele aceitar as pessoas e tudo neste mundo. Dentro do Abismo, ele descartou tudo pelo objetivo de escapar, não seria algo fácil mudar o senso de valores gravado em sua mente que não perdoaria quem o obstruísse. Mas mesmo se fosse difícil “simpatizar com outras pessoas”, ele poderia fazer isso. Como resultado, suas coisas preciosas… se isso trouxesse felicidade a Yue e Shia, ele não seria tão mesquinho para contribuir e ajudar.

Hajime não concordou com todas as palavras de Aiko. Ainda assim, era uma séria “reprimenda” de “sua professora”. Ignorar isso como absurdo seria infantil demais. Com a agitação deste momento, a possibilidade da existência de Hajime ser divulgada subitamente se tornaria maior, mas estaria tudo bem trabalhar duro apenas como o estudante de “Aiko-sensei”. Independentemente do que ele escolhesse, ele já sabia que ele seria marcado mais cedo ou mais tarde. Ele se preparou para atacar todas as coisas problemáticas, ele decidiu não respeitar este mundo. Era por isso que não seria ruim mostrar seu poder brilhantemente.

Com isso, ele pensou por um tempo buscando uma desculpa, então Hajime olhou para Aiko de novo.

(Hajime): “… Sensei, não importa o que aconteça depois disto, você ainda vai ser minha professora?”

O que Hajime perguntou era se ela seria a aliada dele.

(Aiko): “É claro”

Para isso, Aiko respondeu sem hesitação.

(Hajime): “… seja qual for a minha decisão? Quer dizer, mesmo se o resultado não seja o que a Sensei espera?”

(Aiko): “Isso não precisa ser dito. O papel da Sensei não é decidir o futuro dos estudantes. Eu só vou ajudar a tomar uma decisão melhor. Nagumo-kun escutou a conversa da Sensei, então eu não vou recusar a sua decisão”

Hajime observou Aiko por um tempo para confirmar se havia alguma mentira em suas palavras. Para ele intencionalmente fazer tal compromisso, significava que o próprio Hajime não queria se tornar hostil contra Aiko. Depois que ele confirmou que não havia nem mentira nem falsidade nos olhos de Aiko, Hajime se virou para a entrada. Yue e Shia imediatamente o seguiram.

(Aiko): “Na-Nagumo-kun?”

Vendo Hajime assim, Aiko o chamou apavorada. Hajime olhou para trás, ele encolheu seus ombros e respondeu, tendo sido derrotado pelo “estilo professora” de Aiko.

(Hajime): “Como imaginado, para lidar com uma multidão enorme de dezenas de milhares de oponentes, eu vou precisar de algum tempo para me preparar. Continue sua discussão sem mim”

(Aiko): “Nagumo-kun!”

O rosto de Aiko brilhou com a resposta de Hajime. Hajime só podia sorrir ironicamente para tal Aiko.

(Hajime): “É um conselho da melhor ‘professora’ que eu já conheci. Aliás, se está relacionado com a felicidade dessas garotas… eu só preciso considerar isso um pouco. De qualquer forma, eu só vou chutar esses caras por ora”

Assim que ele disse isso, ele deu um tapinha no ombro de Yue e Shia, então, mais uma vez, ele se virou e seguiu para o quarto. Yue e Shia mostraram uma atmosfera verdadeiramente feliz e começaram a correr atrás de Hajime com pequenos passos.

] Patan [, com o som da porta sendo fechada, os líderes da cidade, que fecharam suas bocas depois de serem submersos pela atmosfera entre Aiko e Hajime, imediatamente perguntaram sobre a situação para Aiko.

Aiko, cujos ombros estavam tremendo, encarou a porta em que Hajime passou. O rosto dela não transmitia nenhuma alegria por Hajime. O que ela disse para Hajime eram os verdadeiros sentimentos de Aiko, que o jeito de viver dele era triste.

Mas, no fim, não havia como negar que ela fez um importante estudante confrontar um exército de Feras Mágicas. Embora ela tenha dito que não queria que eles se acostumassem a usar seus poderes, ela estava consciente da contradição que ela fez ao mandá-lo para lutar. Ela pensou que queria fazer Hajime repensar seu modo de vida, mas ela também queria ajudar os habitantes da |Cidade de Ur|. Como resultado, ambos os objetivos pareciam estar satisfeitos… mas ela queria procurar por formas melhores. Aiko secretamente encolheu seus ombros devido a sua incapacidade como uma professora.

Ela rezou, por todos os seus estudantes para não perderem seus corações, e para voltarem para suas casas… porém, o desejo de Aiko não poderia ser realizado. Depois de escutar a história de Hajime na última noite, a própria Aiko sentia que seus desejos já eram apenas uma ilusão. Entretanto, ela não poderia parar de desejar isso.

Cercada pelos líderes que criaram um tumulto e os estudantes que olhavam para ela com respeito e afeição, Aiko não percebeu que suspirou.

A propósito, Tio, que foi até a prefeitura com Hajime e seu grupo, murmurou, “Apesar de esta ser uma importante testemunha… is-isso é jogo de negligência[3]… como esperado do Mes…”, com uma expressão ruborizada, e ela foi, naturalmente, ignorada.


[1] Oni são criaturas da mitologia japonesa. O termo Oni é equivalente ao termo “demônio” ou “ogro”, porque tais podem descrever uma variedade grande das entidades. Onis são criaturas populares da literatura, arte e teatro japonês. Um Oni é um humanoide; eles geralmente são grandes, mas às vezes pequenos, e têm rostos de homens, macacos ou bestas e ocasionalmente até de pássaros. Frequentemente possuem chifres, que variam desde pequenas protuberâncias a chifres longos, pontudos e espiralados que formam arcos como em um antílope, ou lisos como os chifres de um dragão.

[2] Efeito Doppler é um fenômeno físico observado nas ondas quando emitidas ou refletidas por um objeto que está em movimento com relação ao observador. Foi-lhe atribuído este nome em homenagem a Johann Christian Doppler, que o descreveu teoricamente pela primeira vez em 1842.Este efeito é percebido, por exemplo, ao se escutar o som (que é uma onda mecânica) emitido por uma ambulância que passa em alta velocidade. O observador percebe que o tom, em relação ao emitido, fica mais agudo enquanto ela se aproxima, idêntico no momento da passagem e mais grave quando a ambulância começa a se afastar. Graças também ao conhecimento deste efeito é possível determinar a velocidade de estrelas e galáxias, uma vez que a luz é uma onda eletromagnética.

[3] Neglect play é uma prática de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) onde o masoquista (pessoa que busca sentir prazer em receber o sofrimento físico e moral de outra pessoa) é deixado sozinho por longos períodos de tempo, normalmente amarrado ou restringido de alguma forma. O sadista (pessoa que busca sentir prazer em impor o sofrimento físico e moral a outra pessoa) pode deixá-lo completamente sozinho. Por outro lado, o sadista pode ficar no mesmo local que o masoquista, ignorando completamente sua existência.