Hajime se torna papai (Parte 3)

Depois de receber a ‖Telepatia de Shia, Hajime e Yue correram em direção do local informado. Sendo enviada para o leilão, não havia necessidade de se preocuparem com a segurança de Myuu, mas ela devia estar com uma carga mental muito grande. De qualquer forma, eles tinham que resgatá-la depressa.

Quando eles chegaram em seu destino, dois enormes homens vestidos de preto estavam de pé na entrada. Pensando que Myuu seria transportada para outro lugar se ele fizesse uma comoção, Hajime se moveu para um beco e usou ‖Transmutação para se infiltrar no porão.

Acompanhado de Yue, eles se moveram rapidamente enquanto usavam o ‖Ocultar Presença. Era realmente uma pena que eles não tivessem nenhuma caixa de papelão. Se eles tivessem uma, não haveria necessidade para usar a habilidade ‖Ocultar Presença

Pouco depois, inúmeras jaulas podiam ser vistas no fundo do porão. A única pessoa que guardava a entrada estava dormindo. Eles passaram pelo guarda e encontraram cerca de dez crianças humanas dentro e que estavam tremendo no chão frio de pedra. Nove dessas dez crianças seriam leiloadas hoje.

Na verdade, como a maioria dos humanos era fiel da ⟦Igreja dos Santos, era proibido vender ou transformar humanos em Escravos. Mesmo assim, criminosos da raça humana podiam se tornar mercadorias. Estava tudo bem vender ou escravizar aqueles que traíram Deus. Contudo, as crianças tremendo diante dos olhos deles não poderiam ter chegado nesse tipo de circunstância onde elas se tornaram criminosas. Para começar, humanos que se tornavam Escravos com procedimentos regulares não seriam enviados para um leilão. Assim sendo, elas foram capturadas e seriam vendidas ilegalmente.

Hajime foi até a jaula e encontrou os olhares das crianças que estavam amedrontadas pela silhueta que apareceu tão de repente. Ele então os perguntou com uma voz tranquila.

(Hajime): “Há uma criança da tribo dos ⌊Habitantes do Mar aqui?”

As crianças amedrontadas deviam ter pensado que era vez de eles serem vendidos, então eles olharam um para o outro, intrigados com a pergunta inesperada. A figura de Myuu não estava dentro da jaula, por esse motivo Hajime perguntou às crianças. Ele se perguntou se havia outra prisão ou se ela já tinha sido levada.

As crianças permaneceram em silêncio por um tempo, mas então Yue se agachou ao lado de Hajime, olhou para eles com olhos gentis e murmurou, “… está tudo bem”.

Eles pareciam um pouco mais calmos, e um dos garotos com idade entre sete e oito anos de idade timidamente fez uma pergunta a Hajime.

(Garoto): “É que, a garota da tribo dos ⌊Habitantes do Mar foi levada um pouco antes… Onii-san, Onee-san, quem são vocês?”

Era como ele imaginava, ela já tinha sido levada. Hajime estalou sua língua mentalmente e respondeu ao garoto inquieto.

(Hajime): “Nós viemos resgatar vocês”

(Garoto): “Eh!? Vocês vão nos resgatar!?”

As palavras de Hajime fizeram o garoto involuntariamente gritar, e ficar com um olhar espantado e alegre. A voz dele ressoou dentro da prisão subterrânea sombria. Embora o garoto em pânico cobrisse sua boca, o guarda o escutou e gritou, “O que é essa confusão!?”, enquanto acordava e corria para a prisão subterrânea.

Assim, ele encontrou Hajime e Yue e congelou por um momento antes de gritar, “Quem são vocês malditos!?”, puxar uma adaga e atacá-los. As crianças gritaram enquanto imaginavam cenas em que Hajime e Yue caíam depois de serem esfaqueados.

Contudo, isso era algo impossível de acontecer. Hajime tranquilamente segurou a adaga com sua mão esquerda, colocou sua força no aperto e esmagou a lâmina. Hajime abriu a palma de sua mão e deixou os fragmentos da lâmina caírem. O guarda não pôde registrar o que aconteceu, ele ficou aturdido por um momento e voltou seu olhar para baixo para a adaga em sua mão, mas ele só poderia ver o punho. Finalmente, entendendo o que tinha acontecido, o homem ficou pálido e recuou enquanto dizia, “Qu-qu…”.

Hajime imediatamente agarrou a cabeça do homem e o jogou contra o chão.

] SQUIIIISH! [

O homem morreu na hora, acompanhado de um som brutal.

(Hajime): “Um guarda deve primeiro acionar o alarme”

Dizendo tal coisa com uma expressão impressionada, Hajime, que matou instantaneamente o guarda, deixou as crianças com olhos arregalados pela surpresa. Sem se incomodar com os olhares deles, Hajime usou ‖Transmutação para desmontar as barras de ferro. Nos olhos das crianças, eles viram as barras de ferro desaparecerem em um instante, o que os deixou congelados, e suas bocas estavam abertas com a surpresa.

(Hajime): “Desculpe, Yue, mas eu posso confiá-los a você? Parece que eu não posso fazer nada além de destruir tudo agora”

(Yue): “Nn… deixe eles comigo”

(Hajime): “Os oficiais da segurança devem chegar logo, então está tudo bem deixar as crianças com eles. O Diretor da Filial, Ilwa, também vai nos ajudar… vamos deixar os detalhes com ele”

Yue estava olhando para longe com um olhar um pouco compadecido. Esse olhar estava dirigido para o Diretor da Filial da ⟦Guilda. Na realidade, antes de eles chegarem nesse local, eles encontraram um Aventureiro adequado para entregar o [Minério da Telepatia] para Ilwa, já que eles pensaram em explicar a situação para ele. [Placas de Status] com Rank ⟦Ouro eram úteis nesses momentos. Porque depois de ver a cor da [Placa] de Hajime, o Aventureiro congelou por um momento e sua atitude se transformou em uma mais formal… era similar à forma como japoneses cumprimentavam uma estrela de Hollywood que aparecia na cidade. Ele até os saudou assim que concordou em escutar o pedido dele.

A propósito, como o [Minério da Telepatia] não podia ser ativado do lado de Ilwa, ele foi obrigado a escutar o relatório unilateralmente; sobre como eles entraram em uma briga contra uma enorme organização criminosa e que Hajime deixou o pós-tratamento para ele, o que fez seu rosto ficar branco em seu escritório.

Hajime mais uma vez transmutou uma passagem da masmorra para a superfície, confiou as crianças a Yue e rapidamente seguiu em direção ao salão do leilão. Ao mesmo tempo, o garoto de antes chamou Hajime.

(Garoto): “Nii-chan! Obrigado por nos ajudar! Você pode definitivamente salvar aquela garota também! Ela estava mesmo apavorada. Nem eu consegui fazer nada…”

Aparentemente, este garoto não se importava que Myuu fosse uma ⌊Demi-Humana e parecia ter tentado encorajá-la. Ele era um garoto muito animado, embora ele mesmo tenha sido capturado. Hajime acariciou a cabeça do garoto que se sentia amargurado por sua incapacidade.

(Garoto): “Wah, o qu-que é isto?”

(Hajime): “Bom, se você acha que isso é assustador, então você só tem que ficar mais forte. Ou melhor, não há outra opção além dessa. Agora, é minha vez, mas na próxima, vai ser sua vez de agir se algo acontecer”

Depois de dizer isso, Hajime rapidamente girou em seus calcanhares e saiu da prisão subterrânea. O garoto segurou sua cabeça acariciada em pura surpresa, ficou com olhos brilhantes no momento seguinte e apertou seus punhos com um rosto ligeiramente másculo. Yue encarou o garoto com um olhar satisfeito e levou as crianças para a superfície.


O salão do leilão estava envolto em sua própria atmosfera bizarra.

Os convidados no salão eram cerca de cem pessoas. Todos eles usavam máscaras estranhas e ninguém fazia nenhum som. Eles apenas silenciosamente erguiam letreiros com números quando a mercadoria que eles desejavam estava em leilão. Eles hesitavam em falar porque eles não queriam ser identificados.

Mesmo esses convidados que estavam cuidadosamente tentando não fazer nenhum som, involuntariamente ergueram suas vozes quando “aquela” mercadoria apareceu.

O que apareceu era uma garotinha da tribo dos ⌊Habitantes do Mar dentro de um tanque de água quadrado com uma distância de dois metros em todas as direções. Ela estava sem suas roupas, nua, e ela afundou seu corpo enquanto segurava seus joelhos no canto do tanque de água. A tribo dos ⌊Habitantes do Mar podia respirar dentro da água. Essa era a razão para ela ser colocada dentro do tanque de água, para provar que ela era uma genuína ⌊Habitante do Mar. E talvez porque ela escapou uma vez, grilhões metálicos estavam presos em seus braços e pernas. Era uma visão cruel para braços e pernas tão pequenos.

Os inúmeros olhares que aterrorizavam Myuu se apertaram e começaram a competir. O preço subiu em um ritmo feroz. Era uma oportunidade única, então eles provavelmente pensaram que seriam capazes de comprar e esconder a ⌊Habitante do Mar. Isso era possível porque eles ainda não sabiam da comoção que aconteceu durante o dia.

O salão barulhento fez Myuu se encolher mais e mais, enquanto sua mão apertada segurava um pano preto. Era o tapa-olho de Hajime. Quando eles tentaram se separar de Myuu, eles estavam ocupados demais tentando acalma-la e isso foi esquecido. Hajime se lembrou disso mais tarde e ele estava usando um tapa-olho extra.

O tapa-olho de Hajime se tornou o pequeno apoio de Myuu. Sendo separada de sua mãe, forçada a enfrentar uma viagem dura, ser posta dentro de uma jaula escura, mergulhar no esgoto e desesperadamente fugir. Quando ela pensou que esse seria o fim, ela foi embalada por algo quente. Ela acordou graças a um cheiro agradável, e diante dela havia um garoto com cabelo branco que vestia um pano preto em um de seus olhos. Ela calmamente o observou com surpresa, e quando ela tentou olhar para longe, ele se virou para olhá-la. Myuu também ficou obstinada e devolveu o olhar dele, quando um cheiro delicioso que ela não tinha notado chegou a seu nariz.

Depois disso, ela respondeu quando ele perguntou pelo nome dela, e quando ela viu as lindas luzes vermelhas começarem a aparecer, ela foi colocada dentro de um banho quente. Então, uma irmãzona com orelhas de coelho com uma cor de cabelo parecida com a do garoto (apesar de que havia tons de azul) lavou o corpo dela. Sem o conhecimento dela, Myuu chamou a irmãzona que se apresentou como Shia de “Onee-chan”, devido a sensação agradável do banho quente e da limpeza gentil.

Sendo segurada, sentando no colo dela, enquanto ela podia comer carnes deliciosas, Myuu certamente não esqueceria isto por toda a sua vida. Ela estava distraída sendo alimentada e, sem ela que percebesse, o garoto chamado Hajime voltou. Embora ela tenha ficado um pouco cautelosa, sua atenção se desfez por completo quando ele pegou uma roupa adorável, educadamente a vestiu e soprou o cabelo dela com um vento quente e confortável.

Era por isso que ela ficou muito triste quando ela ouviu que eles teriam que se separar porque era necessário confiá-la ao posto de vigilantes. Depois de ser separada de sua mãe enquanto enfrentava a solidão e medo por um longo período, Myuu não queria se separar dos gentis Onii-chan e Onee-chan que ela conheceu neste lugar distante. Ela não seria capaz de aguentar ficar sozinha de novo.

Dessa forma, Myuu protestou com todas as suas forças. Ela puxou o cabelo de Hajime, arranhou as bochechas dele muitas vezes e tirou o pano preto preso em seu olho. Ela repetidamente disse, “Myuu quer ficar junto!”. No entanto, o Onii-chan e a Onee-chan não podiam ficar com Myuu e, como resultado, Myuu foi deixada para trás.

Myuu pensou enquanto seu corpo encolhia mais e ela pensava. “Como imaginei, eu fui deixada para trás porque eu iria atrapalhar?”. “Eles estão bravos porque eu tirei este pano preto?”. “Eu sou odiada pelo Onii-chan e pela Onee-chan?”. Ela estava muito triste e lágrimas caíam de seus olhos. “Se eu puder me encontrar com eles mais uma vez, eu quero me desculpar por ser um estorvo”. “Eu vou devolver este pano preto e, desta vez… eu quero que nós fiquemos juntos”.

(Myuu): “Onii-chan… Onee-chan…”

Myuu murmurou quando, subitamente, o tanque de água soltou um som alto devido a um impacto.

“Eeek!”, Myuu ficou assustada, olhou ao redor e franziu o cenho. Havia um homem mascarado usando smoking por perto e ela notou ele gritando algo enquanto repetidas vezes chutava o tanque de água. Aparentemente, ele queria que os convidados vissem ela nadando para aumentar ainda mais seu preço, e ele chutou o tanque de água porque ele pensou que a imóvel Myuu estava dormindo.

Entretanto, Myuu ficou ainda mais apavorada, encolhendo ainda mais seu corpo e não se moveu. Encolhendo seu corpo enquanto apertava com força o tapa-olho de Hajime e resistia ao som de impacto e a vibração do tanque de água.

O homem que era o anfitrião do leilão clandestino e os membros da Flithof temiam que a imóvel Myuu estivesse doente, o que faria o preço dela cair, então ele disse a um homem que trouxesse um bastão. Isso seria usado para empurra-la diretamente e forçá-la a se mover. Ele involuntariamente praguejou e ficou impaciente devido ao barulho feito pelos convidados.

“Santo Deus, que pirralha irritante. Não incomode um humano como eu. Sua idiota tapada!”. O anfitrião subiu a escada portátil e tentou atingir Myuu com o bastão. Myuu fechou seus olhos com força e se preparou para o impacto.

Contudo, ao invés do impacto… o que chegou aos ouvidos dela foi a voz da pessoa que ela mais queria ouvir.

(Hajime): “Eu vou fazer você engolir essas palavras, okay? Seu desgraçado de merda”

No momento seguinte, uma sombra caiu, tremulando do teto e atingindo a cabeça do anfitrião que foi esmagado juntamente com a escada portátil quando ele caiu devido ao impacto. ] Splash! [. Sangue se espalhou do anfitrião como se ele tivesse explodido. Ele literalmente morreu esmagado.

A sombra, Hajime, que apareceu com tal choque, nem mesmo olhou para o homem caído, e atingiu o tanque de água com seu braço artificial. ] Smash! [. O tanque de água foi destruído, acompanhado do som de algo sendo esmagado.

(Myuu): “Eeep!”

Myuu foi jogada para fora junto com a água corrente e ela gritou involuntariamente.

Myuu foi imediatamente pega por algo quente e ela timidamente abriu seus olhos. Lá estava a pessoa que ela queria encontrar, aquele que ela desamparadamente esperava aparecer quando ela escutou a voz dele… ele certamente estava ali. Ela estava sendo segurada por ele. Myuu piscou e silenciosamente observou Hajime, exatamente como na primeira vez que eles se encontraram.

(Hajime): “Hey, Myuu. Você, por que você sempre está ensopada quando nos encontramos?”

Hajime disse brincando e calmamente olhou para Myuu. Ela então o perguntou em um sussurro.

(Myuu): “… Onii-chan?”

(Hajime): “Eu não sei quem este Onii-chan é, mas Hajime-san, cujo cabelo você puxou, cujas bochechas você arranhou e o cujo tapa-olho você roubou, certamente sou eu”

Hajime respondeu com um sorriso irônico e as pupilas redondas de Myuu ficaram marejadas. Depois disso…

(Myuu): “Onii-chan!!!”

Ela se agarrou no pescoço de Hajime com força e começou a soluçar. Hajime tinha uma expressão preocupada e acariciou as costas de Myuu. Em seguida, ele agilmente a envolveu em um cobertor.

E os dois, Hajime e Myuu, que se reuniram mais uma vez perto da água, foram cercados por homens em roupas pretas que corriam na direção deles. Nos assentos dos convidados, havia uma confusão e eles se perguntavam o porquê Hajime não fugir imediatamente. Contudo, mesmo agora, ele não parecia querer fugir.

(Bandido A): “Pirralho, parece que você não é muito inteligente por erguer as mãos contra Flithof. Deixe essa mercadoria e eu vou te dar uma morte indolor, sacou?”

Sendo cercado por 20 homens que pareciam fortes, Myuu ergueu seu rosto no pescoço de Hajime e olhou para ele com preocupação. Hajime aproximou seu rosto do ouvido de Myuu e sussurrou, “Isso vai ser perturbador, então tampe seus ouvidos e feche seus olhos”, e ele colocou a pequena mão de Myuu perto de seu ouvido. Apesar de Myuu se perguntar o motivo, ela concordou e se sentiu tranquila porque Hajime tinha uma atitude calma sem nenhuma impaciência ou ansiedade. Ela obedientemente usou suas mãos para cobrir seus ouvidos, fechou seus olhos e enterrou seu rosto no peito de Hajime.

Veias pulsaram na testa do homem de preto quando ele foi completamente ignorado e berrou, “Não danifiquem a mercadoria! E matem o pirralho!”. Ao mesmo tempo…

] BOooOOoM!!! [

Com um som explosivo seco, a cabeça do líder dos homens de preto explodiu. Todos soltaram um, “Eh?”, e ficaram de olhos arregalados sem serem capazes de entender nada. Eles só podiam ver o homem de preto caído com pedaços do cérebro espalhados atrás de sua cabeça. Usando essa oportunidade, Hajime atirou ainda mais em sucessão. Enquanto todos estavam paralisados por não saberem o que aconteceu, o som de disparos rápidos surgiu, e quando eles recuperaram seus sentidos, o número de corpos que tiveram suas cabeças explodidas totalizava doze.

Nesse momento, eles finalmente notaram que o garoto diante deles não era nada comum, e os homens de preto recuaram enquanto os convidados começaram a fugir pelas saídas, gritando.

(Bandido B): “Vo-você, o que é você!? O que, como… isto… !?!?!?”

Confusos e tentando lutar contra o medo, um dos homens de preto desesperadamente agiu com coragem ao erguer sua voz. Mais dez pessoas apareceram do interior e vacilaram quando viram a cena desastrosa no salão.

Vendo eles, Hajime bufou.

(Hajime): “Por que você pergunta? Você não entendeu só por olhar para mim? Eu vim aqui para recuperar o que vocês roubaram de mim. Em seguida… é só um aviso meu. Isto vai acontecer com aqueles que tirarem algo de mim. Portanto, devo tornar o final mais chamativo?”

Hajime disse isso e usou a ‖Aerodinâmica para ir para o teto do salão e, sem o conhecimento dos outros, ele pulou para fora pelo buraco e chegou ao telhado.

[Hajime]: (“Yue. Myuu está em segurança. Como estão as coisas do seu lado?”)

[Yue]: (“… nn, eles chegaram no abrigo. O final vai ser depois que todos os convidados saírem”)

[Hajime]: (“Entendo, então vamos fazer um final espetacular”)

[Yue]: (“Nn!”)

Hajime usou ‖Aerodinâmica, pulando ainda mais para o céu. Então, ele falou com Myuu, que fielmente tampou seus ouvidos e enterrou seu rosto no peito de Hajime. Ela piscou e olhou ao redor quando Hajime disse, “Está tudo bem agora Myuu”, e, “Fuwah!?”, ela disse com uma voz surpresa.

Não havia como evitar porque quando ela abriu seus olhos, ela estava no céu onde podia ver todas as partes da cidade. Do outro lado, o pôr do Sol que parecia estar em chamas, pintava o céu noturno de vermelho. Acima do chão estavam as luzes brilhantes feitas pelo homem, criando uma linda iluminação. Os olhos de Myuu brilhavam vendo o espetáculo magnífico pela primeira vez e ela segurou o peito de Hajime enquanto dizia, “Kyaa”.

(Myuu): “Onii-chan é incrível! Onii-chan pode voar no céu!”

(Hajime): “Não voar, eu apenas pulei… bom, tanto faz. Mais importante, eu vou deixar Myuu ver algum fogos de artifício extravagantes, tudo bem?”

(Myuu): “Fogos de artifício?”

(Hajime): “Fogos de artifício são… algo como uma explosão”

(Myuu): “Explosão?”

Embora ele não pudesse dar uma boa explicação, Hajime não se incomodou já que o que ele precisava fazer era apenas esperar. Enquanto ele segurava Myuu com seu braço direito, ele usou ‖Aerodinâmica para permanecer no céu, e pegou um anel da [Caixa do Tesouro]. Era um detonador feito com o [Minério de Indução]. Na verdade, ele espalhou bombas em locais adequados enquanto procurava por Myuu.

(Hajime): “Muito bem, hora de começar. Taaaamaaaayaaaa[1]

(Myuu): “Taaaamaaaayaaaa?”

No momento que as vozes de Hajime e Myuu ressoaram no céu noturno, enormes rugidos soaram por toda |Fhuren| e um impacto terrível percorreu os edifícios relacionados a Flithof. “Até o museu usado como salão do leilão clandestino era, um edifício histórico? Objetos de arte? Eles são de comer?”, foi dito enquanto eles eram esmagados em pedaços. Chamas subiram no céu junto de tremendas explosões. Os prédios vizinhos e o céu foram pintados de vermelho por algo que não era o Sol se pondo.

(Myuu): “Eeeeh!?”

(Hajime): “O que você acha Myuu? Você ficou surpresa?”

(Myuu): “Fogos de artifício, assustador”

Myuu tremeu por causa das grandes explosões, e desesperadamente se agarrou em Hajime. Quando chegou a hora do golpe final, nuvens negras subitamente começaram a envolver o céu um pouco longe deles. Em seguida, quatro ‖Dragões do Trovão apareceram acompanhados de uivos estrondosos. O número aumentou embora seus tamanhos fossem metade de quando eles eram apenas um.

Os quatro ‖Dragões do Trovão que Yue criou se espalharam em diferentes direções do céu noturno flamejante. Quase todas as pessoas em |Fhuren| testemunharam suas formas majestosas. Os quatro Dragões soltaram rugidos ensurdecedores e “caíram” ao mesmo tempo em quatro importantes bases de Flithof que foram deixadas para trás.

Seus relâmpagos iluminaram o céu ao redor e o som ribombante de prédios desmoronando ressoou dentro de |Fhuren|. Com chamas irrompendo e a poeira se espalhando, o pôr do Sol em |Fhuren|, além de ser pintado de vermelho pelas chamas, era exatamente como uma cidade no período de guerra depois de um ataque aéreo.

A propósito, as pessoas comuns não relacionadas a este evento estavam ilesas. Ele confirmou que não havia ninguém não relacionado a Flithof ao usar as [Aeronaves de Reconhecimento Não Tripuladas] nos prédios relacionados e nos perímetros dos edifícios. As pessoas que foram explodidas e transformadas em cinzas estavam todas relacionadas com Flithof. Suas identidades, contudo, não poderiam ser confirmadas.

[Shia]: (“Hajime-san! Myuu-chan está bem!?”)

[Hajime]: (“Es-espere Shia. Eh, isso é rápido demais!”)

Enquanto ele e Myuu estavam olhando para as chamas e a fumaça subindo, uma chamada telepática veio de Shia. Como Hajime não explicou os detalhes para Shia sobre o que ele ia fazer, ela estava surpresa com as explosões e os ‖Dragões do Trovão, então ela perguntou enquanto entrava em pânico.

[Hajime]: (“Está tudo bem. Ela está segura. Parece que… todas as bases desses desgraçados foram destruídas. Talvez nós devamos nos encontrar com o Diretor da Filial, na casa de Ilwa, embora ele deva estar gritando neste momento”)

[Shia]: (“Haaaa, graças a Deuuuus. A casa do Diretor da Filial, é isso? Entendido. Eu irei imediatamente para lá, então por favor, venha depressa com Myuu-chan, okay?”)

[Hajime]: (“Ah, okay. Então, te vejo lá”)

[Shia]: (“Sim”)

Como Hajime estava subitamente olhando para longe em silêncio, Myuu olhou para ele com surpresa. Quando Hajime disse, “Nós vamos nos encontrar com a Onee-chan logo, okay”, Myuu sorriu contente enquanto dizia, “Onee-chan!”.

Hajime, que desceu à superfície, se encontrou com Yue, que confiou a segurança das crianças aos guardas. Ela silenciosamente observou Myuu, que estava no colo de Hajime. Myuu incansavelmente olhou ao redor e então ela olhou para Hajime. Seus olhos estavam dizendo, “Quem é esta pessoa?”.

(Hajime): “Myuu, esta é Yue. Minha amada?”

(Myuu): “Eh? Amada? Então, Shia-oneechan?”

(Hajime): “Minha companheira”

(Myuu): “Não uma amada?”

(Hajime): “É claro que não”

(Myuu): “… não importa o que aconteça?”

(Hajime): “Eu vou dizer isso de novo e de novo… minha amada é Yue”

(Myuu): “Hmmmmm”

Depois de ser apresentada a Yue, Myuu estava olhando para Yue com uma expressão um pouco insatisfeita. Yue ainda estava observando Myuu em silêncio. Como se estivesse confirmando algo, Myuu devolveu o olhar de Yue. As duas ficaram se encarando por um tempo, mas o equilíbrio foi inesperadamente quebrado. Yue estava se aproximando deles.

“Uhh”, Myuu estava cautelosa. Entretanto, Yue não se incomodou com a atenção de Myuu e tirou ela de Hajime. Yue soltou um, “Kyaaaaa”, enquanto ela abraçava Myuu com força.

(Myuu): “Ughhhh”

Embora Myuu gemesse e tentasse resistir, Yue não a soltou. Depois disse, Yue disse…

(Yue): “… tão fofa”

Aparentemente, ela veio a gostar muito de Myuu. “Hah”. Myuu, que finalmente recuperou seu fôlego, ergueu seu rosto, e ela e Yue estavam se olhando de perto.

(Yue): “… Myuu. Eu sou Yue. Você deu o seu melhor sozinha. Realmente admirável”

Os olhos de Yue gentilmente suavizaram e ela acariciou a cabeça de Myuu enquanto ainda abraçava ela e dizia, “Boa menina, boa menina”. Com sua mão gentil e atmosfera acolhedora, Myuu relaxou e lágrimas começaram a escorrer. Então, ela começou a chorar alto, “Waaaaa”. Quando ela se encontrou com Hajime de novo, ela ainda sentia a tensão, foi por isso que ela não pôde chorar. Contudo, neste momento, ela relaxou e conseguiu liberar todos seus sentimentos completamente.

Com um sorriso sem graça, Hajime disse, “Como esperado de Yue”, e eles esperaram até que Myuu terminasse de chorar antes de seguirem para a Sede da Filial da Guilda de Aventureiros.


(Ilwa): “Prédios destruídos, total: 22. Parcialmente destruídos, total: 44. Prédios completamente apagados do mapa, total: 5. 95 mortes confirmadas de membros da Flithof. Incapacitados, total: 44. Lesões graves, total: 28, e 119 pessoas estão desaparecidas… bom? Você tem algo a dizer?”

(Hajime): “Foi tudo de acordo com o plano. Não há nem arrependimento nem nada para se refletir”

(Ilwa): “Haaaaaaaaaaa”

Dentro da recepção da Guilda de Aventureiros, Ilwa estava encarando Hajime com um relatório escrito em mãos. No entanto, ao escutar palavras que não possuíam o menor indício de remorso e ver a imagem da garotinha da tribo dos ⌊Habitantes do Mar, que estava comendo bolo e tomando chá enquanto sentava no colo dele, fez com que Ilwa se sentisse completamente exausto.

(Ilwa): “Apesar de achar que isso não poderia ser verdade… eu escutei que Leeman escapou de Meerstat ao destruir o tanque de água e as paredes, então voou para o céu… isso não foi obra sua, foi?”

Hajime): “… Myuu, isto é delicioso também, sabia? Tente comer esse”

(Ilwa): “Ahhhhn”

Embora Hajime calmamente alimentasse Myuu com o bolo, Ilwa não deixou de notar Shia, que estava sentada ao lado dele, tremendo por apenas um momento. Assim, ele mais uma vez suspirou profundamente, muito profundamente. Ele esfregou seu estômago com uma mão, e o Chefe da Secretaria, Datt, casualmente o entregou uma medicação para tratar o estômago.

(Ilwa): “Bem, eu não vou negar que eu sinto que você exagerou, contudo, nós também sofremos com essa organização criminosa… então eu posso honestamente dizer que vocês nos ajudaram com este problema. Eles sempre se livravam de qualquer evidência, com sua aparência externa de ser uma empresa legítima, e eles podiam apenas se livrar das pessoas que prendíamos como uma lagartixa se livrando do próprio rabo… francamente, o extermínio deles era um sonho para nós… mas com o equilíbrio do mundo do crime desabando… haa, vai ser necessário uma séria cooperação entre a Secretaria de Segurança e os Aventureiros”

(Hajime): “Bom, isso originalmente deveria ter sido feito pelos Administradores de |Fhuren|. Este assunto só nos envolveu por acaso, alguém queria colocar suas mãos em nós, assim nós contra-atacamos…”

(Ilwa): “Para um contra-ataque, como isso se tornou a aniquilação de uma das três maiores organizações criminosas com sede em |Fhuren| em apenas metade de um dia? Sério, eu não posso nem rir disso”

Ilwa sorriu amargamente e parecia que ele tinha envelhecido ao menos mais dez anos. Como Hajime sentiu pena dele, ele fez uma proposta a Ilwa.

(Hajime): “Nós demos a esses grupos criminosos um grande aviso, fazendo-os pensar duas vezes antes de tentarem se meter conosco de novo. Aliás, está tudo bem para o Diretor da Filial usar nossos nomes, entendeu? Afinal, se for de conhecimento público que o Diretor da Filial foi a pessoa que contratou os Rank ⟦Ouro… isso será um grande meio de intimidação, não será?”

(Ilwa): “Oya, está mesmo tudo bem? Isso certamente será de grande ajuda… mas vocês não são do tipo que odeiam ser usados?”

A expressão de Ilwa dizia que ele não estava esperando essas palavras de Hajime. Entretanto, seus olhos claramente diziam, “Eh? Sério? É claro que eu irei!”. Hajime encolheu seus ombros e sorriu ironicamente.

(Hajime): “Bem, é dar e receber. Nós incomodamos você, é por isso que eu não me importo se você fizer isso. Eu também sei que você, o Diretor da Filial, vai usar isso com cautela. Além disso, |Fhuren| vai ser envolvida em uma guerra entre organizações criminosas por nossa culpa, e eu me sinto mal por envolver pessoas comuns”

(Ilwa): “… hmm. Hajime-kun, você não está mudando um pouco? Quando eu te conheci, eu tinha a sensação de que você não tinha consideração por ninguém além de seus companheiros… alguma coisa boa aconteceu em |Ur|?”

(Hajime): “… bem, pelo menos não foram apenas coisas ruins que aconteceram lá”

Como esperado do Diretor da Filial da ⟦Guilda de uma grande cidade, ele podia claramente julgar as pessoas. Ele foi capaz de notar a pequena mudança em Hajime. Como esta mudança também era conveniente para Ilwa, ele gratamente aceitou a proposta de Hajime.

Mais tarde, apesar das duas organizações planejarem aumentar suas influências ao tomar vantagem da aniquilação de Flithof, isso não se tornou algo muito sério quando, graças ao efetivo uso dos nomes do grupo de Hajime por parte de Ilwa, de forma parecida com que adultos iriam assustar crianças ao dizer, “Namahage[2] está vindoooo”. Mas graças a isto, Hajime ganhou vários apelidos como: ⟦Braço Direito do Diretor da Filial de Fhuren, ⟦Usuário de Chamas Ardentes de Cabelo Branco e Tapa-olho e ⟦Galã de Garotinhas[3]… contudo, Hajime não sabia disso, e não seria um problema sério se ele não tivesse conhecimento sobre isso.

A respeito de lidar com o grupo de Hajime que causou uma destruição tão grande, graças aos esforços e conexões de Ilwa e a inesperada ajuda da Secretaria de Segurança, que defendia a paz pública, isso se tornou um caso de legítima defesa. Assim, não havia nenhum problema. Aparentemente, até para a Secretaria de Segurança, o caso onde uma criança que foi confiada a eles foi sequestrada, junto do bombardeio em um de seus escritórios, se tornou um grande problema.

Além disso, eles não podiam tolerar a organização criminosa que continuava fazendo atos ilegais enquanto zombava deles. O diretor da Secretaria foi cumprimentar o grupo de Hajime com um sorriso verdadeiramente viril para concluir as coisas, e quando ele partiu, seus passos estavam leves como se ele estivesse murmurando, “La dida dida”.

(Ilwa): “A seguir, sobre Myuu-kun…”

Ilwa voltou seu olhar para Myuu que estava mastigando um biscoito que ela segurava com ambas as mãos como um esquilo. Myuu se contraiu por causa do olhar dele, apreensivamente olhando para Hajime, Yue e Shia, porque não queria se separar deles de novo. A razão para ela não olhar para Tio… era dever dos mais velhos impedir uma criança de ver algo nocivo.

(Ilwa): “Ela pode ser confiada a nós e ser enviada para |Elisen| de acordo com os procedimentos legais, ou ela poderia ser confiada a você para ser enviada com uma comissão… essas são as únicas opções disponíveis. Qual você vai escolher?”

Hajime inclinou sua cabeça e ponderou se estava tudo bem não deixar a criança sequestrada da tribo dos ⌊Habitantes do Mar com os oficiais. De acordo com a explicação de Ilwa, estaria tudo bem deixar ela com eles porque desde o início, a fúria dos ⟦Ouros foi para proteger ela, Myuu.

(Shia): “Hajime-san… eu, vou, proteger esta garota completamente. Dessa forma, deixa ela ir conosco… por favor”

Shia curvou sua cabeça para Hajime. Certamente, ela queria ficar com Myuu até ela estar em segurança em sua casa. Yue e Tio estavam observando Hajime em silêncio, deixando a decisão para Hajime.

(Myuu): “Onii-chan… ficar juntos… por favor?”

Foi golpe baixo dizer, “Por favor?”, enquanto olhava para cima no colo dele. Mais importante, quando ele recuperou Myuu, ele já tinha considerado levá-la junto com eles se ela quisesse, então a decisão dele já está tomada.

(Hajime): “Bem, teria sido de grande ajuda fazer isso no início… mas agora, eu sinto afeição por ela, então eu não posso apenas me despedir assim”

(Shia): “Hajime-san!”

(Myuu): “Onii-chan!”

Shia e Myuu estavam eufóricas e ficaram com enormes sorrisos. Embora fosse necessário conquistar o |Grande Calabouço| no |Grande Vulcão| antes de viajarem para a |Cidade Costeira de Elisen|, Hajime decidiu permitir que Myuu os acompanhasse e, determinado em sua mente, “Bem, vamos dar um jeito nisso”.

(Hajime): “Contudo, Myuu. Você pode parar de me chamar de Onii-chan? Está tudo bem me chamar apenas de Hajime. Como posso dizer, a forma como você me chama faz eu me sentir estranho”

Como Myuu estava o abraçando em alegria, Hajime fez sua demanda enquanto se sentia meio envergonhado. Para um otaku, ser chamado de “Onii-chan”… várias coisas poderiam acontecer.

O pedido de Hajime deixou Myuu confusa por um momento, mas pouco depois, ela acenou com a cabeça como se tivesse entendido… e ela o respondeu com algo completamente diferente do que todos esperavam.

(Myuu): “… papai”

(Hajime): “… qu-quê? Desculpe Myuu. Parece que eu não te ouvi direito. Por favor, diga isso novamente”

(Myuu): “Papai”

(Hajime): “… de-deve ser isso, não é? Uma palavra que significa ‘Onii-chan’ ou ‘Hajime’ na língua da tribo dos ⌊Habitantes do Mar, certo?”

(Myuu): “Ah-uh. Papai é papai”

(Hajime): “Um, espere um pouco”

Hajime usou sua mão para massagear sua testa e Shia timidamente perguntou a Myuu porque ela usou a palavra “Papai” para chamar Hajime. Assim…

(Myuu): “É que, Myuu não tem um Papai… ele foi para onde vive Deus antes de Myuu nascer… Ki-chan, Lu-chan e Mi-chan têm os delas, mas só Myuu não tem… é por isso que Onii-chan é Papai”

(Hajime): “Eu meio que consigo entender, mas eu queria questionar o seu ‘motivo’ Myuu. Por favor, qualquer coisa menos Papai. Eu ainda tenho apenas 17 anos de idade, sabia?”

(Myuu): “Não, é Papai!”

(Hajime): “Okay. Então Onii-chan está bom! Eu não quero um título tão extravagante, então pare com o Papai!”

(Myuu): “Nããão!! Papai é o Papai de Myuuuuu!”

Depois disso, ele tentou várias formas de fazer Myuu parar de chamá-lo de “Papai”, mas Myuu mostrou uma teimosia inesperada, ainda maior do que quando ela o chamou de Onii-chan e, como resultado, isso não foi revogado. Assim, ele não podia fazer nada além de fazer a mãe dela a persuadir quando eles chegassem em |Elisen|. A expressão de Hajime indicava que ele estava sofrendo seu maior dano desde a vez em que ele caiu no Abismo.

A discussão com Ilwa tinha acabado, eles voltaram para a estalagem e uma disputa começou a respeito de quem seria chamada de “Mamãe” por Myuu, e, por enquanto, Tio, que seria uma péssima influência para Myuu estava rolando pelo chão porque Hajime a amarrou. Naturalmente, ela estava excitada com isso…

No fim, ela não queria chamar ninguém de “Mamãe”, exceto sua Mamãe real, então Yue, Shia, e até mesmo Tio, ficaram com o título de “Onee-chan“.

Assim, à noite, todos dormiram juntos no estilo kawanoji[4] porque Myuu pediu por isso. Mais uma vez, um problema aconteceu quando elas estavam decidindo quem iria dormir ao lado de Myuu e do outro lado de Hajime. Entretanto, o exausto Hajime fez Myuu dormir entre ele e Yue. Shia estava insatisfeita com isto e fez birra, mas, de alguma forma, ela foi capaz de dormir depois de terminar de compartilhar todas as suas queixas.

Nesse dia, Hajime de 17 anos de idade virou um Papai… e agora a jornada junto de uma criança começava!


Extra

(Yue): “… Hajime”

(Hajime): “Nn? O que foi Yue?”

(Yue): “… eu quero um filho.”

(Hajime): “… (Suor escorrendo)”

(Yue): “… jiiiiii (Silenciosamente suplicando com os olhos)”

(Hajime): “… algum dia”

(Yue): “Nn!”

(Shia): “Entããão, Hajime-san… eu também (Gesticula, gesticula)”

(Hajime): “… jamais”

(Tio): “Mestre, esta… ”

(Hajime): “Somente aquelas que existem podem brincar com isso”

(Tio): “… haa, haa. Apenas esta teve uma resposta imediata… além disso, uma impiedosa… haa, haa… esta não pode mais se segurar!”


[1] Os japoneses têm o hábito de dizer duas palavras quando veem fogos de artifício. “Tamaya” e “Kagiya” se referem a casas que fabricavam fogos de artifício durante o período Edo (1603 até 1868). Os espectadores vão gritar o nome de cada casa enquanto os fogos de artifício são disparados no céu. Contudo, a casa Tamaya causou um incêndio; encerrando sua existência depois de uma única geração. Mesmo assim, as renomadas técnicas da casa Tamaya e seu status foram tão influentes que pessoas ainda gritam seu nome nos dias atuais.

[2] Namahage é um ritual tradicional do folclore japonês que acontece no período do Shogatsu, ano novo lunar, na região da Península de Oga, prefeitura de Akita, no Norte de Honshu. O ritual é conduzido por homens com máscaras assustadoras, armados com facas falsas, construídas em madeira ou papel machê, vestidos com roupas feitas de palha, tocando o teoke, balde feito de madeira. Andam em grupos de duas ou três pessoas, batendo de porta em porta das casas dos moradores da região, aonde assustam as crianças por serem preguiçosas ou por mau comportamento no último ano.

[3] Aqui há um trocadilho com o termo ladykiller, que é um termo para se referir a um homem atraente e que faz sucesso com mulheres, fazendo uma adaptação para little girl-killer.

[4] Kawanoji significa basicamente “dormir juntos em família”. De forma geral, as casas japonesas tendem a ser menores do que as ocidentais. Há menos quartos e cada quarto é menor quando comparado com suas contrapartes ocidentais. Isto tem o efeito de usar o espaço disponível de forma mais prática, criando uma situação onde todos devem dividir um único quarto. O termo kawa-no-ji possuí o kanji que significa “rio” (kawa), representado por três linhas verticais próximas umas das outras (). Esse kanji possui uma semelhança com pais dormindo com seu filho no meio deles.