O garoto, o duelo e a ruiva

Enfrentando um aluno da classe de Aleist, ambos os lados lutaram principalmente usando a esgrima. Incapaz de bloquear seus movimentos suaves e precisos, o aluno foi facilmente superado por Izumi antes que ela colocasse sua espada de madeira em seu pescoço… aplausos vieram dos bancos da plateia.

Izumi venceu. O árbitro levantou a bandeira dela e respondendo a isso, Izumi guardou sua espada de madeira. A cena foi vista de cima por Cavaleiros na área dos visitantes nobres. Alguns Alto Cavaleiros e dois Dragoons… no meio deles, uma única jovem garota apoiou seu pé embaixo da mesa. Seu cabelo vermelho se estendia até os ombros e ela o enrolava para passar o tempo. Sua pele pálida e olhos vermelhos eram excepcionalmente lindos.

Mas sua atitude era um problema. Sua postura era ruim e, além disso, seu pé estava apoiado na mesa… os Cavaleiros ao redor dirigiram a ela… dirigiram a Cattleya Nianis seus olhares. Aquele que se desculpou em seu lugar foi o Vice Capitão dos Dragoons sentado ao lado dela.

Ela não se tornou uma Dragoon por sua própria vontade. Foi devido ao talento com o qual ela nasceu e, diferente dos Dragões Cinzentos de |Courtois|, ela era um gênio que foi capaz de fazer um contrato com um genuíno Dragão Vermelho.

As escamas verdes do Dragão do Vento. As escamas douradas do Dragão Gaia[1], e as escamas azuis claras do Dragão da Água… eram todas cores que não apareciam em Dragões domesticados. Todos os Dragões nascidos em cativeiro tinham as escamas cinzentas.

E junto com os Dragões Cinzentos, sua qualidade também caiu em relação a seus parentes selvagens.

Cattleya zombava do fato do Vice Capitão ter um contrato com um Dragão Cinzento. Então, mesmo que ele a pedisse, ela não melhoraria seu comportamento. E Cattleya tinha a confiança da linhagem real. Isso só a fazia ser mais convencida.

(Cattleya): “Nada além de partidas chatas. Posso ir para casa?”

O Vice Capitão já estava no limite de sua paciência, mas ele mostrou seu autocontrole.

(Vice Capitão): “Tenho certeza que você sabe Cattleya, mas identificar futuros candidatos para nossa unidade é um de nossos trabalhos”

(Cattleya): “Nenhum desses pirralhos tem nada demais. Como aquela dama de cabelo preto de antes, ela será, no máximo, uma Alta Cavaleira

Com essas palavras, os Alto Cavaleiros por perto se irritaram. Mas eles eram Cavaleiros de alto nível. Mesmo se as palavras irritassem, eles não ergueriam suas mãos. No entanto, do ponto de vista do Vice Capitão, era como receber um ataque direto no estômago.


A próxima partida era finalmente a de Rudel. Aleist se separou dele com uma expressão de descaso, mas, do outro lado, Rudel era a epítome[2] da seriedade.

(Aleist): “Agora é hora de punir um nobre arrogante… alguma reclamação?”

(Rudel): “Se sou arrogante ou não… não, eu sou arrogante. Não tenho nenhuma reclamação, mas quero que você me leve a sério”

(Aleist): “É isso então… mas você vale mesmo meu máximo?”

Junto ao grito do árbitro para iniciar, ambos seguiram em frente.

A distância foi eliminada em um instante e as espadas de madeira que se encontraram soltaram um violento som que a madeira não deveria fazer. Vendo Rudel segurando seu ataque, Aleist se assustou um pouco e vendo isto, Rudel partiu para a ofensiva.

Assim que Aleist tomou alguma distância, Rudel lançou magias ofensivas. Ele soltou uma série consecutiva de ‖Magias Elementares‖, sem dar chance para Aleist atacar… porém, Aleist…

(Aleist): “Não se empolgue demais!!!”

Tentou lançar uma ‖Magias Avançada‖ de fogo na arena. Do ponto de vista de Rudel, ele estava cheio de aberturas e foi uma péssima escolha. Ele instantaneamente lançou um raio de magia enquanto diminuía a distância e tentou mudar a luta para um combate próximo, mas nesse momento…

(Aleist): “Idiota, eu posso ver através de você!!”

A espada de Aleist estava coberta com magia de vento. Mesmo Rudel defendendo seu ataque, ele ainda foi violentamente lançado no ar.


(Cavaleiro A): “Incrível… nunca imaginei que veríamos uma luta deste nível no curso fundamental”

(Cavaleiro B): “Aleist é mesmo o monstro que disseram”

(Cavaleiro C): “Mas o garoto da Casa Arses aguentando a luta contra ele também é algo incrível…”

Tal conversa acontecia na sala dos visitantes nobres. Os Alto Cavaleiros estavam encantados e o coração do Vice Capitão já estava dançando pela façanha desses lutadores novatos. Mas Cattleya era a única diferente.

(“Que irritante… que merda é esta partida? É só um moleque com nada além de magias de fortalecimento contra outro idiota que treinou tudo o que não devia treinar!”)

Ela seria capaz de derrotar a ambos em um instante. Enquanto Cattleya estava convencida, ela lançou um olhar maldoso para Rudel. Ela não gostava dele… essa era a impressão que Cattleya tinha de Rudel.

(Cavaleiro): “Rudel da Casa Arses. Eu ouvi que ele está tentando se tornar um Dragoon… se as coisas continuarem assim, talvez ele tenha alguma chance”

Com essas palavras do Alto Cavaleiro, o sangue de Cattleya ferveu. “Ele irá subir para a mesma posição que a minha? Não faça piadas! Esse aí não é bom! Definitivamente não vai acontecer!!”

Nesse ponto, ela nem mesmo sabia o que não estava bom. Ela assistiu a partida entre Rudel e Aleist com atenção.


A magia que Aleist canalizou em sua espada de madeira… graças a magia do vento, Rudel estava sendo pressionado. Se ele tentasse defender os golpes, ele seria enviado para trás e mesmo que ele desviasse, o vento destruiria sua postura. Lançar magia enquanto corria era o melhor ataque que podia realizar.

(Rudel): “Hah, hah… exatamente como Basyle falou. A qualidade de sua magia cai demais quando é antecipada em combate. Nesse ritmo, mesmo atacar parece inútil”

Rudel se lembrou das instruções de Basyle. Assim, ele decidiu fazer uma aposta. Toda a sua magia em ponto cego… mesmo com ‖Magia Elementar‖, no ponto cego e colocando todo o seu poder nisso…

Aleist olhou para Rudel. Uma expressão de divertimento em seu rosto. Ele percebeu o que Rudel ia tentar.

(Rudel): “Hmm. Você vai apostar tudo em um único ataque? Parece bom… eu vou aceitar, então venha com tudo que você tiver!”

A força do vento ao redor da espada de madeira de Aleist aumentou. Ao redor de sua lâmina, um pequeno tornado… essa espada mágica parecida com uma lâmina feita de um ciclone chocou a plateia.

Segurando essa espada mágica no alto, Aleist assumiu sua postura… do outro lado, Rudel juntou |Mana na palma de sua mão direita.

(Árbitro): “Es-esperem vocês dois! Não podemos ter nenhuma morte aqui…”

Usando o grito do árbitro como sinal, os dois saltaram em movimento. Na mão direita de Rudel, uma magia de fogo… Aleist sorriu enquanto abaixava sua espada. Mas Rudel preparou vento em sua mão esquerda escondida.

Usar duas magias de uma vez era algo que você poderia chamar de impossível durante os dois anos do curso fundamental da academia. Rudel não podia controlar isso perfeitamente… mas com a magia do vento em sua mão esquerda, ele mudou a direção da espada mágica de Aleist, atingindo sua mão direita em cheio em Aleist. Com uma explosão dentro da arena, os dois saíram voando ao mesmo tempo… e o resultado estava claro diante dos olhos de todos.


(Vice Capitão): “Fim da partida… isso foi mesmo interessante”

Cattleya não estava interessada nas palavras do Vice Capitão. Ela simplesmente lançou um olhar para Rudel caído na arena.

Enquanto Aleist conseguiu se manter em pé, Rudel não era capaz do mesmo. Mas mesmo assim, ele desesperadamente se contorcia para tentar se levantar.

(Cavaleiro): “No fim, as diferenças em suas habilidades apareceram… Aleist Hardie é mesmo um monstro”

Enquanto ela ouvia essa conversa, no fundo Cattleya sentiu medo.

(“Por que ninguém percebeu? O verdadeiro monstro é aquele ali! Aquele Rudel Arses!!”)

Na avaliação de Cattleya, Rudel era um monstro. Mesmo incompleto, ele demonstrou habilidade em manipulação de magias simultâneas. Tanto em esgrima e magia, ele ultrapassou completamente Aleist em todos os quesitos. A única razão para Aleist ter vencido foi sua carta na manga chamada espada mágica e, pelo que parecia, um poço sem fundo de |Mana.

(“Mas Rudel ainda tem quinze anos… ele está na idade onde ainda pode crescer. A força de sua vontade que ainda está tentando se levantar… mesmo tendo visto tamanha diferença entre seus poderes, ele ainda está tentando se levantar!”)

Este garoto iria rastejar até o topo… Cattleya percebeu que estava com medo de Rudel. Ele tinha um nível de talento, mas não era o mesmo que o dela e, quando se trata de esgrima, a habilidade dele estava um pouco atrás em relação a da garota de cabelos pretos de antes.

Mas se eles se enfrentassem, Rudel certamente venceria.

Foi por isso que Cattleya pensou… ela iria esmaga-lo…


[1] Dragão Gaia é o mesmo que Dragão da Terra.

[2] Epítome é o que resume, simboliza, serve como modelo ideal de algo.