O garoto e a princesa

A segunda princesa Fina era uma princesa sem expressão. Como ela era incapaz de demonstrar suas emoções corretamente, as pessoas passaram a chama-la de ⟦Princesa Boneca. Mas os rumores diziam que ela era a mais linda de |Courtois|, e sua beleza era tanta que a família real se mantinha atenta para a chance de casa-la com a realeza de outros países.

… mas essa ⟦Princesa Boneca tinha um segredo. Ela amava sentir as orelhas e caudas dos demi-humanos! Você poderia dizer até que ela amava os demi-humanos como um todo… mas mesmo agora a posição social dos demi-humanos era baixa em |Courtois|. Se a princesa fosse vista tocando um deles em público, haveria muitos que não veriam isso com bons olhos. Assim ela precisou resistir.

Dia após dia… vivendo tão perto dos demi-humanos da academia… ela desesperadamente se segurou.

Mas um dia, isso chegou ao fim. Quando Fina chegou na cafeteria da academia, ela testemunhou algo ultrajante. E ela finalmente chegou ao limite de sua paciência.

Dois alunos mais velhos do currículo regular estavam cercando uma novata da classe composta por plebeus. A pessoa sentada desajeitadamente entre eles era uma das que Fina já tinha avaliado antes, a mais fofa das garotas fera do ano, Mii da Tribo dos Gatos Brancos. Seu sorriso amável e seu corpo pequeno… Mii não era muito alta. Mas isso não era o mesmo que dizer que a Tribo dos Gatos Brancos tinha uma constituição pequena.

Era exatamente por isso que ela era valorizada acima de todos! Quero dizer, na cabeça de Fina.

E apesar de seu corpo pequeno, Mii tinha os atributos de uma mulher. Ela se ressaltava onde deveria se ressaltar e tinha as curvas onde deveria ter. Outro grande fator por trás de sua popularidade. Mii era estranhamente popular entre os garotos… e agora mesmo, ela está presa entre alguns veteranos.

Sua amiga que parecia sua guarda assumiu uma posição suspeita para esconder Mii e enquanto ela hesitava sobre o que fazer o aluno mais velho fez seu movimento.

(???): “Mesmo assim… estou curioso. Posso toca-las?”

(Mii): “S-se for só um pouco, então… u-um? Você ainda está me tocando?”

(???): “Rudel? Isso não é o bastante? Por que você não solta ela agora? Você já perguntou o que queria, certo?”

Correto. Os dois veteranos eram Rudel e Izumi. Rudel queria saber como as tribos de feras treinavam diariamente, então ele foi e perguntou a Mii que estava por perto. Mas então, algo capturou o interesse de Rudel… eram essas orelhas e cauda reais? Ou eram elas um ornamento tribal?

… seu interesse despertou e é claro que Rudel… tocou elas para confirmar. Mas quando falamos sobre a sensação de toque delas… elas eram felpudas e macias. E os olhos de Mii pareciam ser preenchidos por prazer. Rudel continuou sentindo elas… suas orelhas e a cauda… testando outros métodos. Como resultado…

(Mii): “Ah! N-noooooooaaaaaah!! Ah!”

Depois de tremer algumas vezes, o corpo de Mii deu uma grande guinada. E ela caiu na mesa… sua respiração estava estranhamente irregular. Acima disso, seu rosto estava levemente vermelho…

(Izumi): “Rudel… precisamos conversar. Vamos para o telhado”

O humor de Izumi piorou e Rudel teve a sensação que ele não deveria desobedece-la…

(Rudel): “En-entendi. Mas deixar esta garota aqui é um pouco…”

(Izumi): “Você tem razão. Então vou leva-la para o dormitório das garotas. Não fuja”

Observando esta conversa, Fina não sabia o que fazer. Mas ela tinha a sensação de que ela deveria tomar alguma atitude.

(Fina): (“O que foi aquela técnica!? Eu estou com muita inveja, drooogaaaa!! Me ensine suas técnicas! Passe suas habilidades para mim!! Será muito mais útil para meu futuro do que qualquer uma destas aulas inúteis!”)

(Fina): “Vocês dois! Afastem-se dessa garota!! Que inve… quero dizer, vocês não estão envergonhados como veteranos!? (Obrigado pela refeição!!!)”

Fina apareceu na frente de Rudel e Izumi. Mas Rudel não conhecia a princesa. Por seu rosto e sua aura, Izumi já sabia quem ela era, mas ela não sabia o que fazer.

Rudel, por outro lado…

(Rudel): “Quem é você? Se você for uma amiga dela, então eu poderia deixar ela com você… eu tenho que ir para o telhado… aparentemente”

As pessoas ao redor se assustaram com essa atitude descarada. Na cafeteria, com um grande número de estudantes por perto, a grande revelação de que ele não conhecia a princesa de seu próprio país era um grande problema, mais do que isso, ele deu um trabalho para essa princesa… isso era inadmissível.

Mas naquela hora, a princesa estava…

(Fina): (“Ele é totalmente um santo! Deixando este gatinho fofo comigo… hah, hah… eu mal posso me controlar!! Eu posso toca-la sem hesitação!!”)

(Fina): “Entendido. Eu vou assumir a responsabilidade e vou acompanhar ela. Daqui em diante eu rezo para que vocês não façam mais este tipo de coisa. Se tal ação acontecer mais uma vez… (espere. Huh? Se eu deixar ele fazer isso de novo, poderia conseguir uma desculpa para tocar?)”

A princesa saiu em direção ao dormitório feminino, carregando Mii por conta própria. Ignorando completamente as opiniões ao redor, ela carregou Mii por todo o caminho até o quarto da garota da Tribo dos Gatos Brancos… sentindo sua fofura por todo o caminho! Dali em diante, ela se tornou amiga de Mii e, para a princesa Fina, foi o melhor dia de sua vida.


Na manhã do outro dia, uma Fina satisfeita sentou em seu lugar e o homem que sempre vinha flertar com ela… Chlust, fez sua aparição. Então ela se lembrou. O irmão de Chlust era Rudel da técnica divina.

(Fina): “Chlust, seu irmão mais velho é sempre daquele jeito?”

(Chlust): “Hah? Oh. Aquela desgraça para o nome Arses? Eu também estou com problemas por culpa dele. Quero dizer, ele é como uma criança que não fala nada além de sonhos, nunca olhando para a realidade…”

Daí em diante, uma infinita torrente de ofensas sairia da boca de Chlust. Ouvindo isso, Fina pensou.

(Fina): (“Este cara é mesmo inútil. A cada dia sua bajulação se torna um incômodo maior e quando eu pensei que ele poderia me apresentar para o tão importante mestre Rudel… eu tenho alguma outra conexão?”)

Ontem, Fina acariciou o corpo todo de Mii. Porém… ela não conseguiu fazer o mesmo que Rudel. Não importava o quanto ela a afagasse, Mii iria apenas dizer: “isso faz cócegas”… ela entendeu a diferença nas habilidades dela e Rudel em primeira mão e até sentiu a sensação de derrota. E ela pensou…

(Fina): (“Eu vou me tornar sua aprendiz!”)

E mesmo assim, o irmão mais novo Chlust não tinha nenhuma utilidade. Dentro da cabeça de Fina, as ações de Chlust estavam chegando a um nível nunca antes visto. Ela colocou toda a sua expectativa, mas ela foi traída além da própria imaginação.

Graças a isso, Fina se tornou cada vez mais fria do que o normal com ele…

Questionando o comportamento de Fina, Chlust decidiu analisar várias coisas. E o motivo que ele encontrou foi seu irmão Rudel. De seus seguidores, Chlust descobriu sobre os eventos da cafeteria do dia anterior.


Na tarde daquele dia… no telhado da escola. Com as questões não resolvidas do dia anterior, Izumi estava aplicando seu sermão em Rudel.

(Izumi): “O que você tem a dizer sobre ontem?”

Assim que Izumi disse isso friamente, Rudel respondeu com um rosto sério. Rudel passou a noite toda pensando sobre isso. Ele pensou nos pontos negativos de sua própria maneira e ele pensou que poderia fazer Izumi entender isso.

(Rudel): “Sinto muito. Mas eu estou confiante! Você pode dizer que eu fui muito apressado, mas eu li um livro maravilhoso sobre a arte de acariciar Dragões, e eu tenho praticado todo esse tempo. Então eu tenho certeza que aquela garota fera estava maravilhada… eu admito que eu só testei isso em minha irmãzinha e no meu cachorro. Mas mesmo assim, tenho certeza que ela adorou!”

Era um comentário sobre algo inútil… ao ver a expressão séria de Rudel, a cabeça de Izumi começou a doer.

(Izumi): “… como se um simples carinho pudesse levar àquilo! Não, isso também é importante, mas não conhecer a princesa de seu próprio país… você conhece o termo lèse-majesté[1]?”

(Rudel): “O que isso tem a ver com a princesa? No momento, ela é só uma aluna mais nova que está na nossa academia. Se as pessoas ao redor ficarem atentas demais a tudo o que ela faz, isso só vai colocar mais pressão nela… mais importante que isso, eu acredito que minha técnica de cafuné chegou em um nível considerável. Minha irmãzinha me elogiou bastante. Você quer experimentar?”

Por um breve instante, Izumi sentiu que sucumbiria a tentação. Reunindo seus sentimentos, ela estava a ponto de repreender Rudel. A porta que levava ao telhado soltou um som violento assim que foi aberta e, liderando algumas dúzias de garotos, Chlust fez sua entrada.

(Chlust): “É tudo sua culpa Rudel! Tudo porque você está tentando me derrubar!”

Rudel e Izumi não sabiam o que estava acontecendo… mas nas mãos de Chlust e os garotos, eles seguravam espadas e facas de madeira.


[1] Lèse-majesté, ou lesa-majestade, é o crime de traição contra a família real, ou violar a dignidade de um soberano ou o Estado. Em alguns casos os condenados eram punidos com execução pública por meio de tortura, seus bens se tornariam propriedade da Coroa e sua família condenada a infâmia.