Os três idiotas e as fofuras

Os quatro que iriam servir de isca… se envolveram em um combate intenso enquanto eles corriam. Para ser mais preciso, era uma repetição de atacar, correr e se esconder. Os quatro coordenavam os ataques enquanto fugiam.

(Luecke): “Qual é o problema com aquele pássaro? Eu nem sei dizer se minha magia está funcionando e se aproximar daquela coisa é perigoso… tem alguma coisa que podemos fazer?”

Luecke notou que o poder dos ataques deles não era suficiente para causar um golpe decisivo, mas então, Aleist deu sua opinião.

(Aleist):‖Diminuir‖! Eles está maximizando o efeito de diminuir nossas habilidades!”

Aleist revelou o conhecimento sobre jogos que ele guardava em sua cabeça. O que ele se lembrou foi sobre magias e habilidades especiais que causavam status anormais. Elas não eram particularmente úteis no jogo.

(Eunius):‖Diminuir‖? O que diabos é isso?”

Mas nem Eunius nem Luecke pareceram entender. O ‖Diminuir‖ que Aleist estava se referindo era uma habilidade especial que diminuía os parâmetros de um inimigo, mas isso não funcionava bem no jogo…

(Rudel): “Algum jeito de prevenir isso?”

Rudel entendeu que Aleist tinha algum tipo de informação sobre o inimigo e tentou perguntar. Mas…

(Aleist): “Há os itens de recuperação e a probabilidade do ‖Diminuir‖ ter efeito não é tão alta…”

(Luecke): “Por item de recuperação… você quer dizer medicamentos? Há um medicamento que irá tirar este efeito especial? E você planeja usar isso enquanto está lutando?”

Enquanto Luecke pensava sobre isso, Eunius suspirou.

(Eunius): “Se algo deste tipo está por aqui, nossa melhor aposta seriam os guardas… mas se vamos conseguir uma dessas é só uma possibilidade. Neste caso, só podemos resolver isso em um único golpe”

Ao ouvir o plano de Eunius, Aleist segurou sua cabeça.

(Aleist): “Não tem jeito de um chefe[1] cair com um único golpe…”

Correndo, os quatro esfarrapados deram um passo à frente para seus atos finais. Luecke com sua magia… Eunius canalizou magia em sua espada grande… Aleist usou sua espada mágica e Rudel preparou magia em ambas as mãos.

O primeiro a se mover, Luecke esperou pelo momento em que o Pássaro os notou e começou sua descida, dando o sinal.

(Luecke): “Agora! Todos ataquem!!!”

Luecke lançou uma magia de larga escala contra o Pássaro… assim que o impacto fez o Pássaro perder o equilíbrio e cair, Eunius o cortou com sua espada e Rudel lançou seu ataque. A lâmina de Eunius cortou as asas do Pássaro e o golpe especial de Rudel a lançou longe… e uma pessoa ficou sem fazer nada.

(Luecke): “I-isso deu certo?”

As palavras que Luecke falou sem fôlego seriam logo respondidas. Com sangue escorrendo por todo o seu corpo, o Pássaro monstruoso ficou de pé. Eunius voltou para sua postura de combate, mas Rudel não era mais capaz de continuar de pé. Uso excessivo de |Mana… o efeito sobrecarregou seu corpo. E para piorar a situação, havia a habilidade do Pássaro.

(Eunius): “Tsk! Eu nunca imaginei que seria tão difícil para me mexer… Luecke… você pode ficar de pé?”

(Luecke): “Não me subestime Eunius! Não é como se eu não pudesse ficar de pé! É só que eu não quero…”

Para as palavras de Eunius, Luecke demostrou seu ponto. Assim que os três foram assaltados pela habilidade do Pássaro, Aleist era o único seguro. Mas o homem em questão hesitou em atacar a forma sinistra da besta.

(Eunius): “O que você está fazendo Hardie!? Ataque logo! Você pode fazer isso!”

Aleist se moveu ao ouvir as palavras de Eunius, mas, naquele momento… fogo caiu dos céus, reduzindo o Pássaro a cinzas… esse espetáculo foi como se o Pássaro tivesse sido torrado por um pilar de fogo.

Assim que o fogo se extinguiu e a floresta retornou ao silêncio… foi nesse momento que o Sol começou a nascer e a área se tornou mais clara. Descendo banhada por esta luz, Cattleya estava em seu Dragão Vermelho.

Cattleya desceu de seu Dragão e olhou ao redor. Do jeito que estava, maltrapilho e surrado, Rudel não podia fazer nada além de ficar animado. Mas depois de olhar para a situação, a conclusão que Cattleya chegou foi…

(Cattleya): “Parece que um de vocês resistiu até o fim. Como esperado de Hardie-kun, eu acho? Por outro lado… Rudel, você está acabado e não pode nem se levantar. Você é mesmo desagradável”

Como Cattleya estava de pé diante dos quatro, com Aleist sendo o único ainda de pé, e levando em conta os próprios sentimentos dela, Cattleya não poderia pensar que Rudel também persistiu até o fim. Não, ela não queria pensar nessa possibilidade. Mesmo que com sua força, ela facilmente imaginaria ele contribuindo na batalha…

Cattleya olhou com desprezo para Rudel que estava no chão. Com suas palavras, Rudel se sentiu envergonhado já que ele não foi capaz de mudar nada mesmo depois de um ano. Ele treinou… ele aprendeu… mas mesmo assim, Rudel acabou sendo salvo.

No meio desta cena, Aleist…

(Aleist): “Eh? O que acabou de acontecer? E o meu encontro com Cattleya-san só deveria acontecer bem mais tarde… huh!?”


Os eventos na floresta se tornaram assunto para várias conversas calorosas na academia. “Para salvar a princesa, Aleist se voluntariou para ser uma isca!”… estas conversas tornaram Aleist bastante popular no campus… mas os Três Lordes… as avaliações de Rudel e dos outros são foi tão parecida.

Quanto a Eunius e Luecke, “como esperado dos herdeiros dos Três Lordes!”, eles diriam e os elogiariam, mas para Rudel, se tornou um problema sobre responsabilidade. Ele foi criticado por se voluntariar como isca. Ele não entendia sua posição… foi isso o que o relatório dos guardas dizia, e Chlust que fugiu sem que ninguém percebesse, estava espalhando mentiras para colocar a culpa em seu irmão…

“Acima de tudo, Rudel espalhou medo e desordem. Ele não teve nenhuma utilidade na batalha”

O fato de ele ter arriscado sua vida para salvar a princesa nunca foi mencionado e, a respeito deste caso, Rudel foi terrivelmente responsabilizado. A própria academia negou esses rumores, mas por suas ações, “Ele está pagando eles para ficarem calados?” ou “Eles estão encobrindo isso exatamente por ser verdade!”… os estudantes chegaram a essas conclusões.

Para curar seu corpo ferido, Rudel foi internado na enfermaria. Deitado na cama ao lado da janela que já estava se tornando seu lugar reservado, ele não podia fazer nada além de olhar para o céu. E a seu lado, Izumi estava descascando uma fruta como costumava fazer.

(Rudel): “Você acha que eu vou ver um Dragão… você acha que um vai voar…”

Ele já estava cheio de sua vida chata como paciente. Nas camas vizinhas, Luecke e Eunius também estavam internados por precaução. Diferente de Rudel que estava em péssimo estado, eles saíram da situação com ferimentos leves.

(Luecke): “Vocês são sempre assim?”

Para a pergunta de Luecke, Izumi mostrou um sorriso sem graça.

(Izumi): “Nós estamos bem, mas… Rudel, você não pode só ficar sentado aqui, não é?”

Correto. Rudel era o único que estava em uma situação terrível.

(Izumi): “Eu sinto muito. Eu expliquei para todos da nossa classe, mas parece que a academia já está se apressando para silenciar as histórias desse incidente. Para ser mais precisa, todos estão tentando colocar a culpa uns nos outros… fazendo parecer que você causou o problema. Eles estão adiando sua punição. No pior caso… você será expulso… não, eu escutei que eles vão te obrigar a se graduar antes do tempo”

Rudel reagiu a essas palavras. Com uma expressão séria…

(Rudel): “Izumi… como você acha que eu devo nomear meu ataque especial? Usar ele com um grito aleatório todas as vezes é difícil. Você tem algo legal e curto o bastante para impressionar a todos?”

(Luecke): “Oy. Você pode ser expulso! E você está querendo falar sobre ataques especiais?”

Luecke fez uma expressão de descrença.

(Rudel): “Você pode se tornar um Cavaleiro com o curso de dois anos. Eu só vou precisar trabalhar duro para virar um Dragoon a partir daí, então… eu não estou muito interessado. Não, é uma pena perder o ambiente de aprendizagem desta escola”

Rudel falhou completamente ao responder à pergunta. Com suas palavras, Izumi olhou para baixo com uma expressão sombria em seu rosto. Izumi estava irritada com Chlust. Chlust e os alunos mais novos que fugiram com ele estavam inventando histórias para prejudicar Rudel.

Usando o poder de suas casas… mas isto estava estranho. Não importava a situação, não seria normal para eles se dedicarem tanto para prejudicar Rudel e isso parecia até algo impossível de se imaginar. Talvez as ações de Rudel pudessem ser criticadas. Mas Rudel também tinha seus motivos.

As habilidades anormais do Pássaro fizeram as pessoas ao redor beligerantes. Poderíamos dizer que ele os deixou animados por uma luta. Sob esse efeito, Rudel foi incapaz de tomar decisões racionais. Isso foi comprovado por profissionais. Mesmo assim, a academia tentou colocar a culpa em Rudel.

Izumi sentiu que Rudel estava extasiado por uma corrente poderosa… como se ele estivesse sendo puxado por uma reviravolta maligna do destino. Como ele nadava contra a corrente, a rebeldia intensa de Rudel contra a força parecia estar colocando sua vida em risco.


Enquanto isso, a princesa Fina estava se recuperando em seu quarto. Com os questionamentos e as entrevistas que ela recebia a cada dia para tratar do assunto, para ajudar a se recuperar de sua fadiga…

[Fina]: (“Febre da fofura!!! Hoje é o dia em que irei afagar e acariciar Mii até o fim!!!”)

(Fina): “Não fuja Mii”

… ela convidou sua melhor amiga, Mii, para seu quarto. Com o perigo que ela enfrentou daquela vez, Cavaleiros de sua casa vieram depressa ficar a seu lado. Na verdade, atrás da porta de seu quarto, Cavaleiras poderosas estavam de guarda. Se houvesse um tumulto no quarto, elas iriam ouvir do lado de fora.

Mesmo agora, |Courtois| tem muito preconceito contra Demi-Humanos. Pensando nisso, Fina se manteve em silêncio. Mas…

(Mii): “P-princesa! Você não precisa me acariciar tanto… por que você está apalpando meus peitos!?”

Perseguindo Mii ao redor da cama, Fina a afagou e a acariciou inteira. Com seu rosto sem nenhuma expressão, ela não perseguia nada além da fofura.

(Fina): “Eu quero te acariciar”

[Fina]: (“Eu não consigo parar! O sabor da fofura desta gatinha linda… meu corpo não pode mais viver sem a fofura!!! Eu não posso mais aguentar! Eu não sei quando vou morrer, então me segurar é… ah! Eu preciso aprender a técnica do mestre!”)

E tal desejo poderia acabar salvando Rudel.


[1] Aqui, Aleist usa o termo boss para se referir ao pássaro, que é um termo muito usado para definir um inimigo mais poderoso em um jogo.