O protagonista e o elenco de apoio

O segundo dia do torneio começou com uma atmosfera peculiar. Os estudantes do primeiro ano completaram suas partidas sem nenhum problema, e a classe da princesa foi a vitoriosa… Chlust também participou como um representante e mostrou seu valor.

Houveram algumas partidas que pareceram suspeitas, não importava como você pensasse nelas, mas diante da família real, eles lutaram justa e honestamente.

E a razão para o clima anormal, logicamente, era Rudel. Os colegas de Rudel estavam acabados, mas o estado de Rudel era ainda pior. Era algo natural devido as lutas severas contra os alunos tão bons quanto Luecke e Eunius.

Certo, ele estava aos pedaços, porém…

(Rudel): “Finalmente chegou a hora! Nós definitivamente vamos ganhar!”

Ele estava terrivelmente energético. No salão, Luecke e Eunius, que fugiram da enfermaria… e Vargas ao lado de seus colegas veteranos que treinavam todas as manhãs com ele, estavam todos lá. No meio deles, Basyle também apareceu para incentiva-lo.

Em tal salão, do outro lado da arena, a turma de Aleist olhou para o estado lastimável dos companheiros de Rudel com alívio. Eles estavam preocupados com a classe de Rudel, que foi capaz de vencer todos seus adversários na chave com as salas mais fortes, mas graças a isso, eles tinham certeza que poderiam chegar ao topo.


E desde o início, as finais foram repletas de batalhas ferozes. Indiferente a ociosidade da turma de Aleist, a classe de Rudel conseguiu lidar com eles. Na batalha final, o resultado estava em dois a dois, e com isto, todos sabiam que podiam esperar por uma excitante final.

Rudel estava de pé no lado oposto de Aleist, esperando pelo sinal do árbitro. E enquanto ele esperava, Aleist o chamou.

(Aleist): “Parece que alguém está em chamas… ainda assim, você está em péssimo estado. Quando finalmente tenho a chance de me exibir, estou preocupado que vá parecer que estou apenas intimidando um fracote”

Ao contrário do cinismo de Aleist, Rudel era a manifestação da seriedade. Isso mesmo, Rudel estava esperando por esse momento e pelos resultados até agora, ele aceitou o cinismo de Aleist como algo natural… mas ele iria provar que ele estava errado! Com isto em mente, Rudel preparou sua espada de madeira.

Enquanto ele focava sua atenção na partida, a dor em seu corpo parecia desaparecer lentamente.

Vendo Rudel desse jeito, Aleist resmungou sobre a reposta dele enquanto assumia sua posição. Confirmando que os dois lados estavam prontos, o árbitro deu o sinal.


Assistindo da sala dos visitantes nobres, a família real prendeu o fôlego vendo a luta que estava acontecento diante de seus olhos. Esta não era mais uma disputa entre estudantes do curso fundamental. Esses dois poderiam ser facilmente comparados com veterando ou até Cavaleiros plenos. Todo o salão prendeu o fôlego.

[Fina]: (“Me-meste!!! Por que você está tão acabado!? Você vai perder desse jeito! Meu mestre vai perder!!!”)

Fina entrou em pânico. Quanto a partida, Aileen…

(Aileen): “Oh. Quão maravilhosamente forte deve ser Aleist-sama!”

Ele salvou sua irmãzinha, e aquela bela aparência… seu semblante lembrava o Cavalerio que ela um dia amou. Para Aileen, Aleist era o Cavaleiro ideal.

Mas a impressão que a rainha tinha era algo completamente diferente. Abrindo seu leque, ela escondeu sua boca e se inclinou para frente para ter uma visão melhor. Sentindo o interesse crescente da rainha pela partida, o rei tentou perguntar pela impressão dela.

(Albach): “Que tal? Você vê algo que gosta?”

Deixando um espaço de silêncio, a rainha respondeu à pergunta.

(Ciel): “Sim, esse garoto chamado Rudel, o legítimo herdeiro da Casa Arses é forte. Mas… como posso dizer isso… Aleist da Casa Hardie é… meio fraco”

Os olhos da raina se abriram ainda mais do que o comum ao sentir que a força de Aleist não era tão grande. A rainha que descreveu sua força de tal maneira… desde o início, a rainha sempre gostou de homens fortes. Em sua juventude, Albach era excelente com a espada e seria correto dizer que ela se apaixonou por suas habilidades. Mas sendo forçada a sentar e assistir um torneio de estudantes do curso fundamental… “Até suas partidas sem graça e seus movimentos destreinados são insuportáveis de assistir”… ela pensou.

Mas na realidade, começando com os filhos dos Três Lordes, ela pôde testemunhar algumas lutas interessantes.

Contudo…

(Ciel): “Que decepção… nas finais, além disso, na partida final… um deles já estava aos pedaços antes da partida começar e a força do outro não faz jus a partida. Se for desse jeito até o fim, então a luta de ontem entre Rudel e Eunius foi mil vezes melhor”

A rainha abriu seu leque mais uma vez. Parece que ela perdeu o interesse.

(Albach): “Então, quem você acha que vai vencer?”

Para a pergunta despreocupada do rei, a rainha deu uma resposta desinteressada.

(Ciel): “Bem, o vencedor será…”

Sem ser percebida por seus pais, Fina, sem expressões…

[Fina]: (“Minhas fofuras! O reino das fofuras de meus sonhos!!! Mestre!!! Aguente firme!!!”)

Fiel a seus desejos até o fim.


Era uma partida mais dura do que Aleist imaginou. Tanto em esgrima como em ‖Magia‖, Aleist achou que estaria na frente, mas Rudel não estava pedendo. Não, você poderia dizer que ele estava vencendo. Rudel…

[Rudel]: (“A esgrima de Aleist está um pouco atrás da de Eunius! A ‖Magia‖ dele está muito longe da de Luecke! Não é sua força… Aleist não possui um nível de técnica impressionante. Se eu vou vencer, não tenho escolha além de usar esse defeito!”)

Pensando nisso, ele defendeu os ataques de Aleist que o empurrava usando força bruta e esperou por um contra-ataque. Enquanto Aleist foi pressionado desde o início da partida, ele falhou em acertar um único ataque. Por outro lado, reprimido como estava, os ataques de Rudel acertavam o alvo com precisão. Mesmo assim, o fato de ele estar arrastando seu corpo surrado ser uma desvantagem não mudou.

No salão, as vozes em apoio a Aleist (que salvou a princesa) eram a maioria. Recebendo o encorajamento deles, Aleist começou o combate com ânimo total. Mas agora, ele estava sendo pressionado a vencer!

Além disso, seu oponente era Rudel. Aquele Rudel! Incapaz e orgulhoso! Rudel, a existência que era apenas uma estorvo!!!

(Aleist): “Por que você está no meu caminho!? Só caia de uma vez!”

Ficando irritado, ele usou sua ‖Espada Mágica‖ com pressa. Sua espada de madeira foi cercada por chamas, assumindo a forma de uma lâmina de fogo. Mas seu tamanho era duas vezes maior do que seu próprio corpo. Assim que Aleist balançou sua espada, ele lançou um ataque em Rudel.

(Aleist): “Você! Alguém como você! Deveria apenas desapareceeeer!!!”

Horizontalmente. Verticalmente… Aleist atacou com sua espada… enquanto ele se esquivava, Rudel também colocou ‖Magia‖ em sua espada. Sua espada especial que ele fez para imitar uma ‖Espada Mágica‖. A ‖Espada Mágica‖ de Rudel era feita de pura ‖Magia‖ e estava ao redor de sua espada de madeira, assumindo a forma correta de uma lâmina.

Seu tamanho não era nada tão impressioantne… mas assim que a lâmina de Aleist colidiu com a de Rudel, mesmo ele sabendo que não iria alcançar, Rudel atacou com sua própria espada. A ‖Magia‖ cercando a espada saiu da lâmina, mas em troca, a ‖Espada Mágica‖ de Aleist foi cortada.

(Aleist): “O q-que é isso!? Eu nunca vi esse tipo de movimento… que covarde!”

No momento em que ele tentou protestar com o árbitro, Rudel chegou a seu lado. Ele se apressou para levantar sua espada e bloquear, mas como as duas espadas de madeira já tinham atingido seus limites, elas se despedaçaram no momento do impacto.

(Aleist): “Ár-árbitro! Eu não posso usar minha espada de madeira. Tempo! Tem…”

No momento em que sua espada se despedaçou, Rudel instanteneamente mudou para o combate a curta distância. Aleist usou as habilidades que ele possuía… ele desviou com seu talento em artes marciais, mas ele vacilou contra a diferença no espírito de Rudel. ELE sentiu medo dos olhos sérios de Rudel.

[Aleist]: (“Por quê!? Por que isso está acontecendo!? Este é o meu mundo, não é? Este não é o mundo onde eu sou o protagonista!?!?”)

Uma exibição de alto nível de combate com os punhos aconteceu entre os dois, mas Aleist não podia fazer nada além de recuar. Não importava o quão forte ele fosse, o que ele perdeu foi a força de vontade, ele só poderia ser capaz de bloquear. Incapaz de fazer algo além de bloquear, Aleist se lembrou de sua vida antes de sua reencarnação… a verdade era que Aleist sofria bullying em sua vida passada.

[Aleist]: (“Humilhado dia após dia… eu finalmente me envolvi em um acidente e reencarnei no mundo do jogo que eu amava! Eu até consegui algumas trapaças! Eu até tenho status! Meu rosto não é feio! E mesmo assim… mesmo assim, até aqui… você está me intimidando aqui!!!”)

Assim que o rosto de Aleist foi tomado pelo medo, ele recebeu o punho de Rudel. Atirado para longe, Aleist rastejou pela arena. Foi uma cena igual a de sua vida passada.

[Aleist]: (“Estou com medo! Com medo! Com medo! Eu vou ser humilhado de novo? Por esse personagem inútil…”)

Como Aleist não se levantou, Rudel não o perseguiu. Ele simplesmente ficou de pé diante dele. O assustado Aleist não era nem capaz de olhar para ele.

Ao seu redor, vozes de encorajamento para Aleist… ele podia ouvir vaias para Rudel.

(Rudel): “Levante-se! Por que você não está lutando comigo Aleist!?!?”

Os punhos de Rudel tremiam pela força de seu aperto. Pela raiva contra o vazio, Rudel exaltou-se. Com suas palavras, Aleist sentiu ainda mais medo.

(Aleist): “Eu estou bem por perder! Só me deixe perder!!!”

Com a resposta de Aleist, o árbitro tentou declarar o fim da partida. Mas Rudel o impediu.

(Rudel): “Por favor, levante-se! Eu finalmente cheguei até aqui… por tudo o que eu fiz… eu vim até aqui visando você! Eu queria vencer! Eu queria que você me reconhecesse! Mesmo assim… Aleist, você é forte, não é!?”

Com essas palavras, Aleist se levantou contra Rudel. Rudel o respondeu com seus socos mais uma vez. Mas desta vez, a luta se tornou algo atrapalhado, uma troca cega entre punhos.

Diferente da partida de alto nível até um momento atrás, era praticamente uma luta entre crianças. Mas até essa mudança foi aplaudida pela plateia.


(Fina): “Que lado está vencendo?”

[Fina]: (“Que estupidez você está fazendo!? Mestre idiota!!! Você já venceu, não venceu!? Só derrube logo esse cara e me leve para o paraíso das fofuras!!! Paraíso das fofuras? Fofuraíso… huh? Nada mal!!! Fofuraíso! Fofuraíso!”)

Sem qualquer expressão, ela ficou animada sozinha.

E sua irmã, a primeira princesa…

(Aileen): “Que brutal… eu odeio esse pirralho da Casa Arses!”

E o rei…

(Albach): “Agora isto é mesmo uma luta de homens. Mesmo assim… com isto, o garoto da Casa Hardie não está em desvantagem?”

Com seu leque aberto, a expressão da rainha não mudou. Ela olhava de cima para a arena. Quem sabe ela estava convencida de sua previsão e por isso não respondeu à pergunta do rei.

O diretor olhava para a realeza a para seus estudantes em silêncio. “Ambos são estudantes da academia”… ele pensou. Se o resultado desta partida se provar algo bom para os dois…


Enquanto os dois trocavam socos, seus pés ficaram instáveis. Os braços deles faziam grandes movimentos com o pouco de força que restava. Mesmo em tal situação, a plateia no salão continuou apoiando os dois. A maioria apoiava Aleist, mas definitivamente, havia aqueles torcendo por Rudel.

(Aleist): “Caia logo… isso já não é o bastante!?”

Aleist e Rudel estavam com caras terríveis. Um dos golpes de Aleist atingiu o rosto de Rudel. Mas Rudel se recusou a cair, mandando outro golpe em resposta. Nenhum deles queria desistir.

Mas seus limites estavam próximos. Rudel já estava em seu limite desde o início. A única razão para ele continuar de pé era sua vontade de não desistir. Sua busca pela vitória não era só porque ele queria permanecer na academia… por algum motivo, Rudel estava obcecado por Aleist. A própria pessoa tinha notado isso. Uma sensação que ele nunca teve antes se tornou a vontade de Rudel.

Juntando o fim de seu poder, Rudel envolveu seu punho em ‖Magia do Vento‖… no fim, secando toda a sua ‖Magia‖, o punho de Rudel foi até Aleist para acabar com a partida, o derrubando ao chão. Assim que o salão prendeu sua respiração, os dois caíram.

Rudel estava sem energia e ‖Magia‖, Aleist foi pressionado até este ponto pela primeira vez em suas duas vidas… depois que eles ficaram imóveis no chão por um tempo, algumas vozes começaram a incentiva-los.

(Estudante A): “Levante-se Aleist-sama!!!”

(Estudante B): “Não perca para alguém como ele Aleist-senpai!!”

(Estudante C): “Você não pode perder para esse idiota!!!”

Os estudantes torcendo por Aleist zombaram de Rudel. Com isso, começando por Vargas, os veteranos começaram a gritar por Rudel. Com vozes altas, eles o encorajaram.

(Vargas): “Não perca Rudel!!! Mostre os resultados de seus treinos diários!!!”

Luecke e Eunius também gritaram. Apesar de seus ferimentos e da deficiência de |Mana, eles se forçaram a gritar!

A voz de Millia se misturou com a deles.

(Millia): “Eu não vou te perdoar se você perder aqui, Rudel!!!”

(Luecke): “Se levante logo! E você se diz ser o homem que nos derrotou!?!?”

(Eunius): “Pare de dormir e se levante de uma vez!”

Com as palavras dos herdeiros dos Três Lordes, seus colegas que estavam ao redor também gritaram palavras de incentivo. E as vozes dos colegas de Rudel também podiam ser ouvidas.

(Colega A): “Levante-se Rudel!!!”

(Colega B): “Você prometeu que ficaria conosco até o fim!!!”

(Colega C): “Não perca para alguém como Aleist!!!”

No fim, Izumi gritou com toda a sua força!

(Izumi): “Por quanto tempo você planeja ficar dormindo aí Rudel!? O mais forte… o mais forte dos Cavaleiros, você vai virar um Dragoon, não é!?!?!?”

Rudel tentou usar seus braços para levantar seu corpo do chão, mas ele caiu na mesma hora. Ele tentou de novo e de novo… e justo nesse momento, um Dragão passou voando. Por apenas esse breve instante, a sombra do Dragão passou por Rudel. Então…

(Rudel): “Isso mesmo… eu decidi que iria definitivamente me tornar um Dragoon! Por esse sonho, eu não posso sempre estar no lado perdedor… eu vou ficar mais forte! Eu decidi ser o Dragoon mais forte de todos, aquele que não vai perder para ninguém!!!”

Rudel se levantou com suas pernas tremendo. Todas as vozes de apoio se tornaram gritos de alegria. E Aleist nem ao menos tentou se levantar. Suas pernas já não o escutavam. Seu coração já tinha reconhecido sua derrota e não importava quão grandes suas habilidades eram, ele era incapaz de se levantar.

(Aleist): “Merda…”

A voz de Aleist não pôde ser ouvida pelos aplausos ressoando pelo salão. Assim, o árbitro declarou o fim da partida.

(Árbitro): “Vencedor, Rudel Arses!!!”


Na sala dos visitantes nobres, sem expressão nenhuma, Fina se levantou de seu assento. Ela ergueu suas mãos e apontou para o céu para expressar seu deleite. Ela até soltou um grito.

(Fina): “Siiiiiiiiiiiiiim!!! Ele venceuuuuuuuuuuuuu!!!”

[Fina]: (“Mestre venceuuuuuuuuuuuuuu!!! Você é mesmo incrível mestre! Meu coração parou de bater por um momento, sabia!?!?!? Mesmo não tendo nada fofo acontecendo, ele parou de bater!!!”)

(Albach): “O q-que você está fazendo Fina?”

O rei olhou para sua filha com preocupação. A rainha derrubou seu leque, enquanto a filha mais velha segurava sua boca aberta pela surpresa. No meio disso tudo, o diretor fechou seu punho triunfantemente sem que ninguém pudesse ver.

Na arena visível da sala, os colegas se reuniram ao redor do vencedor. Eles rapidamente tentaram arrasta-lo para a enfermaria, enquanto Rudel dizia algo incompreensível sobre a forma como a partida durou até a cerimônia de encerramento e argumentou sobre algo… parece que ele queria ficar até o fim, mas estava claro que sua cabeça não estava funcionando direito.

[Diretor]: (“Então você superou isso… e Aleist-kun?”)

O diretor pensou em Aleist, que já estava sendo carregado para a enfermaria.


Aleist foi carregado em uma maca. Lhe disseram para permanecer deitado na sala de espera por um momento, antes de deixarem ele sozinho na sala. Na sala de espera sem mais ninguém, Aleist chorou.

(Aleist): “Eu… não importa para onde eu vou, nada muda”

Nesta sala, um único colega entrou. Assim que Aleist percebeu que era o aluno que sempre tentava se envolver com ele, ele ficou com uma cara desagradável. Até esse instante, nenhum de seus outros colegas veio ve-lo. Ele tinha certeza que eles estavam falando mal dele. Por suas experiências com o bullying, ele já tinha percebido isso.

No entanto…

(Colega): “Vo-você quase conseguiu Aleist… tenho certeza que você vai vencer na próxima vez… eu acho…”

Seu colega hesitantemente falou com ele. Até mesmo agora, ele tentava se aproximar de Aleist. “Eu devo retirar esses xingamentos a eles”… enquanto pensava nisso, Aleist chorou de novo.

[Aleist]: “Ah. Entendi, então era isso. Por que eu não percebi antes? Eu queria um amigo. O motivo para eu amar um jogo onde todos gostavam do personagem principal… tenho certeza que era porque eu queria que alguém gostasse de mim… por que eu não consegui perceber algo tão simples como isso?”

(Colega): “A-Aleist! Você está com dor!? Eu vou chamar o médico!”

Vendo seu colega se apressando para ir até o médico, Aleist ouviu os incentivos que não podia escutar com a porta fechada… “Será que alguém como eu poderá ser um bom amigo para ele?”… enquanto Aleist pensava sobre isso, ele chorou e sorriu.