O veterano e a mulher mais velha

[Dragão]: (“Filho dos homens de algum tempo atrás. Eu quero que você salve a minha contratante… você acha que poderia matar ela?”)

Rudel escutou a voz do Dragão do Vento diretamente em seu coração. No início, ele ficou confuso, mas a situação dele não permitiria isso. Lilim estava com a vantagem mesmo lutando contra cinco adversário, forçando o grupo de Rudel em uma batalha de defesa.

[Rudel]: (“Você está me dizendo para matar ela… eu…”)

Os momentos de indecisão de Rudel eram um perigo no campo de batalha. E Lilim não os deixaria sem punição.

(Lilim): “Te peguei!!”

Com um ataque de média distância, ela encaixou uma sequência de magias intermediárias. Junto do grito de Lilim, múltiplas explosões de vento, gelo e fogo assaltaram Rudel. E aqueles que pularam na sua frente foram Vargas e Basyle.

(Vargas): “O que você está fazendo Rudel!?”

Enquanto ele dizia isso, Vargas usou o escudo que ele segurava com as duas mãos para receber a magia, enquanto Basyle lançava sua própria magia para deter os ataques. Mas depois da detonação da sequência de magias… o poder de Lilim teve uma vitória esmagadora: o escudo de Vargas estava destruído e ele foi atirado para trás e, apesar de não chegar ao mesmo ponto, Basyle também foi lançada para longe devido ao impacto.

(Rudel): “Vargas! Basyle!”

(Lilim): “Dois a menos!! Uma mulher encrenqueira se foi e eu reino superior!!!”

Segurando sua espada, Rudel correu em direção a Lilim. Ela se defendeu da lâmina dele com sua faca. Mesmo Rudel tem colocado tanta força em seu golpe, a força de seu ataque foi redirecionada pela faca que ela segurava em uma mão.

(Rudel): “Por que você está fazendo isto!?”

Mesmo agora, Rudel estava confuso. Ele não sabia se seria capaz de matar ela… mas enquanto ele refletia sobre o que deveria fazer, os ataques de Rudel ficaram distraídos.

(Lilim): “Por quê? Porque você me abandonou, merda!!! Além disso, andando com uma mulher por aí, exibindo ela… eu vou te matar… eu vou matar você!!!”

Rudel sentiu que os olhos negros dela ficaram ainda mais escuros. Enquanto ele desviava de um golpe da faca de Lilim, ele notou que marcas brancas estavam na pele dela. Essa insígnia branca que ele já tinha visto duas vezes não trazia nada além de péssimas memórias.

(Rudel): “Essa marca… por que você tem essa marca Lilim-sama?”

(Luecke): “Para trás Rudel!”

Depois que Rudel gritou, foi a vez Luecke. Rudel reagiu a voz dele e instantaneamente pulou para trás. E a magia avançada que Luecke lançou contra Lilim… a torrente de chamas atingiu a cabeça dela, porém…

(Lilim): “Ha HAHAHA!!! Tal poder de fogo, diante de minhas chamas negras, elas não passam de um fogo brando! Mas eu já estou cansada, então está na hora de ficar séria… venha a mim, meu Dragão maligno”

[Dragão]: (“…”)

Dizendo essas coisas incompreensíveis, Lilim chamou seu Dragão do Vento. O Dragão respeitou seu chamado e se aproximou dela. De maneira nenhuma ele era um Dragão maligno.

(Lilim): “Eu vou matar todos eles! Apague a existência de todos… de todos que eu odeio!!!”

Se estendendo no Dragão, Lilim subiu até o céu. Rudel podia ver que seus olhos negros estavam cheios de lágrimas enquanto ela continuava a rir. Eunius entendeu que não havia nada que ele pudesse fazer contra um Dragão voando pelos céus e estalou sua língua.

(Eunius): “Tsk! Neste ritmo, nós estaremos mesmo ferrados”

Como se para responder a declaração com pouca vontade de Eunius, dois deles se voluntariaram para servir de iscas.

(Basyle): “Po-por favor, fuja Rudel-sama. Nós vamos segura-la de alguma forma, então os Três Lordes devem…”

Cobertos de ferimentos, Basyle e Vargas se apoiaram no ombro um do outro enquanto Basyle oferecia sua proposta. Se virando, Rudel olhou para eles com seriedade.

(Vargas): “Hah, hah. Não é uma ideia ruim salvar um novato. E mais do que qualquer coisa, eu decidi me tornar um irmão legal para os meus irmãozinhos… vá Rudel”

Enquanto ele dava uma risada dolorida, os braços de Vargas estavam cobertos de sangue e o braço esquerdo dele estava definitivamente quebrado. Mas olhando para os dois que estavam de pé, Lilim…

(Lilim): “Então você ainda está viva mulher! Desta vez, as chamas do meu Dragão maligno vão te derreter!”

[Dragão]: (“Filho dos homens… faça sua escolha. Minha contratante, ou aqueles próximos a você… se você quiser salvar todos, você precisa matar minha contratante. E agora mesmo, ela já foi dominada. É doloroso vê-la assim… mate ela, por favor”)

(Lilim): “Por que você não está atacando!? Se apresse e mate essa destruidora de lares!”

Lilim ordenou isso ao Dragão. Pela forma como Basyle foi a primeira a ser atacada por Lilim, parecia que Lilim não gostava de ver nenhuma mulher perto de Rudel. Como se fosse errado para outras mulheres estarem ao redor do homem que ela supostamente deveria se casar.

[Dragão]: (“Não fique refletindo, filho dos homens! Estou chegando ao limite do quanto posso me opor as palavras da minha contratante”)

(Rudel): “… você tem razão, eu não preciso refletir. Graças aos céus não preciso mais me preocupar”

Rudel murmurou enquanto ele olhava para o Dragão no céu.

Foi nesse momento que o Dragão Vermelhode Cattleya atingiu Lilim e seu Dragão do Vento.

(Eunius): “Eu realmente não entendi, mas vamos usar esta chance para correr Rudel!”

Eunius colocou sua mão nos ombros de Rudel e o chamou. Luecke ajudou os feridos Basyle e Vargas e estava no processo de recuar.

(Rudel): “Vão na frente… eu descobri algo que tenho que fazer”

(Eunius): “Do que você está falando!? Você planeja se meter nessa briga de monstros!?”

Na direção que o dedo de Eunius apontava, o Dragão do Vento era pressionado no chão pelo Dragão Vermelho enquanto as duas Dragoons pulavam de suas costas. Uma intensa batalha de magias de médio alcance e combates a curta distância estava acontecendo entre elas. Enquanto Lilim pulava atirando raios de magia por todo o lugar, Cattleya usava o poder de sua [Espada Mágica] para cortar todas as magias e encurtar a distância para obrigar Lilim a uma luta de curta distância.

Isso era tudo o que estava acontecendo, mas era claramente acima do nível dos estudantes. Cada movimento individual era carregado de velocidade e precisão inacreditáveis. As magias e os golpes de espadas estavam em outro nível… o ritmo delas era tão incrível que faria alguém se perguntar se as árvores ao redor não seriam destruídas. Não, elas realmente estavam sendo afetadas. Algumas árvores já estavam caídas e o terreno rapidamente mudou.

(Rudel): “… as duas são minhas noivas. Este é meu problema também”

(Eunius): “Idiota! Isso é irrelevante agora… mesmo que elas sejam desposadas por você, essas duas já estão condenadas. Cattleya causou um problema, e com os eventos de hoje, no pior dos casos, Lilim vai ser sentenciada a morte! A anulação do noivado é só uma questão de tempo”

Uma Dragoon que atacou o filho mais velho de um dos Três Lordes. Só isso já era um enorme problema, mas se o mundo soubesse que ela usou um Dragão por um rancor pessoal, o prestígio universal dos Dragoons iria cair. Como este era um problema relacionado com a dignidade do país, ela não seria capaz de escapar de uma severa punição.

(Rudel): “Noiva ou ex-noiva, não importa. Eu decidi salvar elas!”

Rudel olhou para Eunius com seriedade. E Eunius perdeu para a vontade dele. Deixando Luecke para tratar os feridos, ele decidiu ajudar Rudel.

(Eunius): “Eu entendi. Mas o que vamos fazer? Eu não acho que seremos capazes de impedir uma luta entre essas duas”

Diante de seus olhos, eles podiam ver as duas Dragoons trocando insultos enquanto elas lutavam. Consecutivas explosões de magia; uma tempestade de golpes de uma [Espada Mágica]; uma batalha de proporções monstruosas acontecia na frente deles.

(Rudel): “… se conseguirmos me isolar com Lilim, eu posso ser capaz de fazer algo”

(Eunius): “Eu não sei o que você está planejando, mas isso torna Cattleya o problema. Eu vou fazer algo sobre ela, então você definitivamente tem que salvar Lilim. A propósito, o que você pretende fazer?”

(Rudel): “Eu não faço a menor ideia, porém… isso não é um problema!”

Dando sua resposta repleta de confiança, Rudel seguiu em frente para onde Lilim e Cattleya estavam lutando. Depois de suspirar, Eunius o acompanhou.

(Eunius): “Você vai mesmo ficar bem!?”

Ouvindo o grito de Eunius atrás dele, Rudel pensou sobre o que ele tinha decidido fazer em seu coração.

[Rudel]: (“Eu definitivamente vou salvar ela!”)


Dois deles voltaram para a batalha. Enquanto isso, vendo Rudel e Eunius partindo, Luecke começou a tratar Vargas e Basyle. Ele só poderia usar medidas de emergência, e depois que ele as completou, ele estava pensando em deixar essa floresta de uma vez. Luecke estava preocupado com a segurança de seus amigos, mas ele também estava preocupado com o paradeiro do mercador que levou eles até esse local.

Enquanto ele pensava sobre o mercador que Basyle tinha uma forte suspeita, ele só poderia pensar no pior e tomar a ação apropriada. Para salvar os dois feridos o quanto antes, ele priorizou retornar para a cidade.

Com esses pensamentos na mente de Luecke, Vargas subitamente começou a chorar.

(Luecke): “Você está com dor?”

Luecke refletiu se deveria usar sua escassa fonte de |Mana no tratamento de Vargas, mas Vargas balançou sua cabeça.

(Vargas): “Não, eu só estou envergonhado… eu disse algo maneiro para Rudel, mas no fim, fugir é tudo o que eu posso fazer. Eu nem pude ficar de pé. Eu queria me tornar um homem que poderia salvar alguém…”

Para as palavras de Vargas, Luecke não sabia o que dizer. Mas Basyle abraçou ele.

(Basyle): “Você foi maneiro. Foi porque você decidiu ser uma isca que eu fui capaz de reunir minha coragem… obrigado”

(Vargas): “Basyle…”

Deixado nos bastidores, Luecke estava ainda mais perdido sobre o que deveria dizer enquanto coçava sua cabeça e desviava seus olhos. Ele orou pela segurança de Rudel.