Noiva Vs. noiva

O relógio voltou e reiniciou enquanto Cattleya apontava sua [Espada Demoníaca] para a garganta de Mies.

(Cattleya): “Agora você vai falar”

(Mies): “Gn…”

Ao contrário da conduta nervosa de Cattleya, mesmo se você a chamasse de funcionária militar, Mies cresceu como uma dama da alta sociedade cuja capacidade de luta ficava muito abaixo de um soldado comum. O corpo trêmulo dela só era capaz de encarar Cattleya.

Mas nesse momento, do lugar em que Lilim estava lutando, veio um som de explosão junto de um tremor. Assim que o Dragão Vermelho olhou nessa direção, ele relatou o que ele viu para Cattleya. O indivíduo que ele relatou era o problema. Cattleya não hesitou em enviar sua queixa para seu Dragão.

(Cattleya): “Por que os pirralhos dos Três Lordes estão em um lugar desses!?”

Do ponto de vista de Mies, Cattleya, que subitamente começou a falar sozinha, era excessivamente assustadora. Mas ao mesmo tempo, ela sentiu que a atenção de Cattleya se perdeu. Mies… se ela tivesse que nomear sua especialidade, seria sua habilidade para escapar de situações desesperadoras. Uma personagem que originalmente aparecia no jogo, todos os parâmetros de Mies eram baixos, mas ela possuía uma habilidade característica.

(Mies): “Agora!!!”

Mies usou um aparato que ela carregava consigo. Uma “cortina de fumaça”. Algo cilíndrico rolou pelo chão, e de dentro dele, fumaça surgiu com rapidez para roubar as visões de Cattleya e de seu Dragão Vermelho. Mas apenas isso não seria um problema. Para um Dragão e uma Dragoon, algo neste nível não seria o suficiente para ela escapar… quer dizer, se isso fosse apenas fumaça.

(Cattleya): “Quê!? Espere, isso fede!? Que tipo de fumaça é esta!?!?”

Cattleya segurou seu manto contra seu nariz e sua boca. Devido ao cheiro, o Dragão dela era incapaz de perseguir Mies, a presa deles. Com tudo isso, Mies conseguiu escapar de forma esplêndida através da fumaça pútrida em direção a liberdade. Sua habilidade especial… ‖Fuga Bem-Sucedida‖ era uma habilidade que a permitia escapar de qualquer situação com alta probabilidade.

A situação estava ao lado dela. Porque não havia forma de Mies superar Lilim nestas circunstâncias. Agora que ela sabia que os oponentes de Lilim eram os filhos mais velhos dos Três Lordes, Cattleya não tinha escolha além de priorizar eles. Enquanto seu plano original era capturar ou assassinar Lilim, ela não poderia se permitir perder mais tempo com Mies.

(Mies): “Você me forçou a usar o meu trunfo… e este cheiro é um pesadelo na hora de limpar a roupa! É por isso que eu odeio |Courtois|! Estúpidos cavaleiros de lagartos!!!”

Mies reclamava enquanto ela corria. E Cattleya seguiu direto para onde Lilim estava.

(Cattleya): “É sério, o que é este cheiro!? Mesmo assim…de novo e de novo e de novo… por que esse garoto me causa tantos problemas!?”

Ela também estava se queixando enquanto ela montava em seu Dragão Vermelho para resgatar o grupo de Rudel.


Chegando no campo de batalha, Cattleya e seu Dragão foram direto para o ataque. Pelo que ela podia ver do céu, Rudel estava em um grupo de cinco pessoas, e duas delas já estavam caídas. Se ela perdesse mais tempo, alguém poderia acabar morrendo.

(Cattleya): “Eu preciso que você se acalme senpai!”

Os dois Dragões colidiram e se debateram enquanto eles caiam em direção ao chão. As duas Dragoons que pularam de suas costas aterrissaram, assumiram suas posturas com suas armas e imediatamente foram para a batalha.

(Lilim): “Cattleya!!! Que negócios uma vadia mentirosa como você tem comigo!?!?”

Confirmando a presença de Cattleya, Lilim violentamente extravasou suas emoções. Para Cattleya, que conhecia a Lilim normal, isto foi um choque, mas Cattleya já tinha seu motivo.

(Cattleya): “Isto é uma ordem. Por favor, venha em silêncio…”

A [Espada Demoníaca] de Cattleya colidiu com a faca de Lilim. Assim que as lâminas ficaram presas e seus rostos se aproximaram, Lilim cuspiu no rosto de Cattleya.

(Lilim): “Agindo toda educada neste ponto!? Eu sei tudo sobre a sua personalidade! Que negócios a mulher que abre as pernas para qualquer um tem comigo!?!? Colocando suas mãos em meu… meu noivo! Você está tentando se gabar!?!?”

Lilim já não sabia mais o que estava dizendo. Em sua mente caótica, Cattleya era uma destruidora de lares que tentou roubar seu noivo Rudel. Para Lilim, o atual Rudel sobrepôs seu ex-noivo do passado, tornando ele o alvo de sua afeição. Rudel que jurou seu futuro a ela, a traiu assim que viu seus olhos negros e estava se divertindo com outra mulher.

Era essa a forma que Lilim o reconhecia. Mas Cattleya…

(Cattleya): “Do que você está falando!? Quando você normalmente age tão despreocupadamente… e eu sou virg…”

(Lilim): “Mentira! Sempre flertando com todos os Cavaleiros… se exibindo para todos!”

Ambos os lados tomaram distância para começar uma batalha de magias. Enquanto Lilim atirava uma sequência sem fim de ataques, Cattleya canalizou sua magia em sua espada, lançando ondas de choque para conter os ataques a média distância.

(Cattleya): “Eu só estava sendo cortês! Eu não tenho interesse nos homens que se aproximam de mim só por olhar para meu rosto e meu corpo!”

(Lilim): “Ainda se vangloriando!? Exatamente dessa forma, você age de forma ‘cortês’ com todos os homens populares, é por isso que as outras Cavaleiras te odeiam! Você não notou como elas te evitam nos treinos?”

(Cattleya): “… não fod*! Todas as outras mulheres te odeiam por você se fazer de superior! Quando você fugiu da cela, nós tivemos uma competição de insultos sobre você”

As Dragoon proferiam ofensas enquanto elas lutavam. O alto nível da batalha delas só fazia o conteúdo dessa conversa parecer ainda mais fútil.

(Cattleya): “Em-em primeiro lugar, o que você gosta naquele pirralho…”

(Lilim): “Como você… como você poderia entender meus sentimentos! Diferente de você, eu não poderia me importar menos sobre pedigree ou dinheiro! Eu só… só quero me casar!!!”

Com o grito de Lilim, “Como isso poderia ser melhor?”… essa pergunta passou pela mente de Cattleya.

(Lilim): “Eu só queria um lar feliz… e por culpa desses olhos, isso não vai acontecer. Como se você pudesse entender como eu me sinto!!!”

(Cattleya): “Eu não entendo e eu também não quero entender! Se casar com alguém que você nem mesmo gosta…”

Assim que Cattleya murmurou suas últimas palavras, Lilim…

(Lilim): “Com o que você está sonhando? Você acha que tem um príncipe em um cavalo branco esperando você… pff”

Para o lado surpreendentemente inocente de Cattleya, Lilim gargalhou. A risada de Lilim que dizia muito mais do que qualquer palavra fez Cattleya atingir seu limite.

(Cattleya): “Você… você está morta!!!”

(Lilim): “Eu estava tentando te matar até agora, sua idiota!!!”


(Eunius): “… hey. Rudel. Eu acho que não quero mais entrar no meio dessa briga…”

Se aproximando da batalha das duas, os pés de Rudel e Eunius repentinamente pararam assim que a conversa delas entrou em seus ouvidos. Rudel parou para analisar a situação, mas Eunius estava claramente assustado com essas duas.

(Rudel): “Há alguma coisa errada Eunius?”

(Eunius): “Quer dizer, cara, você quer salvar essa mulher?”

Enquanto Eunius apontava para as duas, ele olhou para o rosto de Rudel com uma expressão séria. No local que seu dedo estava apontando, a intensa troca de insultos das Dragoons continha algumas frases indecentes que os homens hesitariam em dizer.

(Rudel): “É claro que sim! Eu vou definitivamente salvar ela”

(Eunius): “Hah… tudo bem, eu entendi. Eu vou ajudar… eu vou ficar determinado. Hah…”

Eunius refez a pegada em sua Claymore[1] enquanto ele começava a correr na direção de Cattleya. Rudel segurou sua espada enquanto ele seguia para Lilim, mas… ele se sentiu um pouco ansioso.

[Rudel]: (“Por favor, aguente só mais um pouco”)

Sua própria espada tinha atingido seu limite durante sua luta contra Lilim. Pela sensação em sua mão, a pequena diferença do habitual só poderia ser reconhecida depois de usa-la durante tanto tempo. Mas mesmo assim, Rudel sabia. Esta espada estava em seu limite…


No momento em que a guerra de abusos de Lilim e Cattleya chegou em uma curta distância mais uma vez, Eunius, do lado de Cattleya, e Rudel, do lado de Lilim, pularam entre elas para impedir a luta.

(Cattleya): “!!! O que você pensa que está fazendo!?”

Cattleya gritou assim que ela viu eles, enquanto Eunius mostrava um sorriso sem graça e explicava a situação. Como ele tinha ouvido a conversa anterior delas, o rosto de Eunius estava completamente rígido.

(Eunius): “Bem, só espere um pouco, senhorita Dragoon. Meu parceiro disse que ele iria salvar sua noiva e ele não escutaria nenhuma pessoa questionando isso… portanto, você poderia dar um momento a ele? Se você dizer que não, então eu vou ter que manter você acompanhada por um tempo”

Eunius suplicou em um tom que parecia que ele estava lutando com ela. Mas do ponto de vista de Cattleya, as pessoas que ela deveria salvar estavam em seu caminho. Não era algo para se alegrar.

(Cattleya): “Você está maluco? Mesmo que você seja o filho mais velho de uma das casas dos Três Lordes, há coisas que você não pode fazer”

“E você é quem está me dizendo isso?”… Eunius pensou enquanto ele segurava sua espada com força, indicando seu desejo de não deixar ela seguir em frente.

Cattleya saltou para trás para colocar alguma distância entre ele.

(Cattleya): “Mesmo que vocês consigam salvar ela… senpai… não, essa Dragoon será…”

Ela certamente enfrentaria algum tipo de punição severa. Cattleya queria dizer isso antes de fechar seus olhos e dar uma olhada para Eunius e Lilim conversando com Rudel atrás dele. Diferente de antes, Cattleya não podia sentir nenhum ódio por ele. Ela desfez sua postura para observar aqueles dois.


[1] Claymore é uma variante escocesa da espada medieval montante utilizada durante os séculos XV e XVI. Possui gume duplo e é manejada com as duas mãos, impedindo o guerreiro de utilizar um escudo.