O ⌈Espadachim⌋ idiota, o Jogador idiota, e…

Com o incidente que envolveu a Princesa Fina no ano anterior, a excursão do segundo termo do curso fundamental foi posta sob revisão e foi alterada para ser uma excursão no campo. Um acampamento seguro no leito do rio e Fina estava indo e estava excitada enquanto ela seguia para o evento. O que estava acontecendo no meio desse acampamento de duas noites e três dias era o torneio individual dos veteranos.

Por suas aulas e notas relevantes, os competidores foram selecionados e os estudantes que receberam as qualificações para participar iriam lutar em partidas individuais durante o período de duas semanas, mas… este ano, o assunto principal era a retirada de Rudel. Quando você pensava de forma geral nos alunos do quarto ano que participaram, Rudel tinha muitas chances de conseguir o título.

Com a ausência de Rudel, a partida final se tornou um duelo entre Eunius e Aleist. Os dois que tinham vencido com suas habilidades e status sociais, uma visão rara nas finais, uma batalha a curta distância se desdobraria. Era algo tão grande como se eles estivessem se livrando de seus ressentimentos pelas partidas anteriores em que tiveram que se segurar.


(Eunius): “Desista logo Aleist!”

Atacando com sua espada de madeira pessoal em forma de claymore[1], Eunius lançou uma sequência de golpes contra Aleist. Assim que as espadas de madeira se encontraram, elas criaram um som violento junto do impacto. Ao contrário da surpreendente elegância de Eunius, Aleist envolveu sua espada mágica com vento e tentou usar força bruta para criar uma vantagem.

(Aleist): “Por que você não está sendo lançado para longe!? Normalmente, você não deveria ser capaz de cruzar espadas com esta belezinha! Diferente do último ano, eu trabalhei duro para aumentar o poder dela!!!”

Se defendendo dos poderosos ataques de Aleist, Eunius respondeu com um golpe com toda a sua força. Recebendo esse golpe que contava com o abençoado físico de Eunius, Aleist foi jogado no ar rodopiando… mas mesmo ele voando para longe, Aleist ainda atirou várias magias.

(Eunius): “Droga! Eu não posso perder até encara-lo de novo… vá dormir!”

Atirado para longe pela magia, Eunius olhou para Aleist. Mas se recuperando nesse momento, Aleist conseguiu se equilibrar, canalizando mais magia em sua lâmina. Sua espada de madeira ficou com uma rachadura assim que um relâmpago surgiu nela.

(Aleist): “Você não é o único que não pode perder!!!”

Vendo isso, Eunius deu uma risada feroz. Deixando sua própria |Mana repousar em sua espada também, os dois lados colocaram todas as suas forças em seus golpes…


(Luecke): “E então vocês dois foram hospitalizados de novo… eu posso entender que o vencedor Eunius tenha ferimentos sérios, mas Aleist é mesmo fraco contra dor”

Olhando para os dois descansando em suas camas, Luecke suspirou. Eunius que ficou de pé depois de um intenso embate foi declarado o vencedor, enquanto o inconsciente Aleist ficou em segundo lugar. Eunius encarou Luecke enquanto Aleist desviava os olhos.

(Eunius): “Quando você nem ao menos lutou, você tem coragem par ficar falando isso! Mais importante ainda, Rudel está com Chlust de novo hoje…”

(Aleist): “Yeah, eu só fiquei um passo para trás… eu realmente trabalhei duro, mesmo assim… todos cresceram insanamente fortes”

Ignorando os murmúrios de Aleist, Luecke respondeu Eunius com apenas um aceno com a cabeça. Durante o feriado prolongado e o segundo termo, Rudel apenas participou das aulas mínimas necessárias. Ele estava investindo seu tempo treinando Chlust.

(Aleist): “Chlust deveria ser forte, não é? Esse Fritz não tem nada de especial, então ele realmente precisa ir tão longe?”

Aleist murmurou a pergunta que ele tinha depois de ouvir a conversa dos dois. Ouvindo isso, Eunius o informou…

(Eunius): “Enquanto você estava fora, Chlust foi espancado. Eu não sei se ele é forte ou não, mas esse garoto é inútil. Parece que o coração dele foi despedaçado… se ele ver Fritz, ele começa a tremer e ele não pode fazer nada”

(Luecke): “É provavelmente por isso que ele está sendo treinado de forma tão severa. Rudel é mole demais com seu irmão… ele era mole com a irmã dele também, não era?”

(Aleist): “Erselica? Eu não acho que eles se deem tão bem, porém… (Então essa parte mudou também? No jogo, Erselica se dava melhor com Chlust do que com Rudel)”

(Luecke): “Não, parece que ele tem uma irmã chamada Lena de uma mãe diferente”

Ouvindo esse nome de Luecke, Aleist inclinou a cabeça. Entre as pessoas do jogo que habitavam este mundo como cenário, ele nunca tinha ouvido falar de uma “personagem chamada Lena”. Uma personagem secreta que nunca apareceu? Ou uma personagem que simplesmente existia no roteiro? Enquanto ele pensava sobre essas coisas…

(Aleist): “… pensando bem, eu também nunca ouvi falar de Fritz. Será que eu ignorei ele porque ele era um figurante? Mas não tem jeito de ele ser um figurante se ele tem ligação com a princesa Aileen… eu realmente deveria parar de pensar sobre isso dessa forma. Mas nesse caso, o evento que vai acontecer depois deste será…”

(Eunius): “Aleist está murmurando sozinho de novo… ele fala algumas coisas incompreensíveis de tempos em tempos”

Eunius olhou para Aleist, murmurando em pensamentos profundos, e suspirou. E até que o amigo de Aleist viesse visita-lo, ele continuou perdido em pensamentos.


Se tornando uma terceiranista, Millia foi visitar sua irmã mais velha, Lilim. Para um Elfo que sucumbiu a escuridão, uma recuperação completa era mais difícil do que ela imaginava. Mesmo que ela tenha deixado de ser uma Elfa das Trevas, o coração dela foi corroído. Assim que Millia visitou o quarto de sua irmã em seu dia de folga, ela perguntou com preocupação…

(Millia): “Você está bem? Já faz algum tempo, mas…”

Ao contrário das preocupações de Millia, Lilim nervosamente desviou os olhos… descobrindo recentemente que Millia gostava de Rudel, ela começou a se sentir culpada por sua irmã mais nova. Chegando tão longe, ela finalmente percebeu que ela tinha se tornado a noiva da paixão de sua irmã, deixando as coisas um pouco desagradáveis.

(Lilim): “Vo-você guarda rancor de mim? Eu fui noiva do cara que você gosta, além disso, o noivado foi desfeito… mas, minha testa, ele… kyah!”

Como ela estava um pouco irritada, Millia já tinha preparado seu trunfo anti-Lilim.

(Millia): “Es-estou feliz que você esteja bem. Mas já que o noivado foi desfeito, isso é desnecessário, não é? E você tem certeza que você não repeliu ele mostrando sua forma sombria?”

(Lilim): “Vo-você! E pensar que minha irmãzinha iria dizer uma coisa dessas! Apesar de ser verdade que eu causei problemas a ele…”

E sentindo os sentimentos de sua contratante, o Dragão do Vento se desculpou. Para um Dragão contratado, mesmo à distância, Dragoons podiam se comunicar com seus corações.

[Dragão]: (“Eu sinto muito Lilim… se eu apenas soprasse algumas chamas quando eu derrotei aquele Ogro… mas mesmo para mim, chamas negras são impossíveis”)

(Lilim): “Nã-nãããão! Até mesmo o meu próprio Dragão está remoendo minhas antigas feridas!! Só me deixem esquecer isso! Eu não quero me lembrar mais daquilooooo!!!”

Vendo isso, Millia riu um pouco por dentro, mas a forma de sua irmã mais velha se tornou um pouco miserável. Para os Elfos, que normalmente se mantinham calmos e serenos, períodos de Elfos das Trevas eram o maior de todos os constrangimentos de suas vidas. Havia até alguns que descartavam suas próprias vidas por isso. Assim, as famílias normalmente mantinham alguma distância para que eles pudessem recuperar as feridas em seus corações.

Pensando que não fazia sentido continuar com isso, Millia a entregou algumas boas notícias.

(Millia): “Hey, sobre os torneios do terceiro termo do curso fundamental, você quer tirar uns dias de folga e vir comigo? Parece que um primeiranista chamado Fritz se envolveu em uma briga com a Casa Arses, então vai acontecer uma luta depois do torneio. Rudel vai enfrentar esse Fritz e, se for na academia, você não acha que poderá se desculpar com ele pelo que aconteceu?”

(Lilim): “… Millia, que irmãzinha maravilhosa você é”

[Dragão]: (“Eu vou também. Eu preciso agradecer aquele filho dos homens”)

(Millia): “Mas Cattleya-san também está indo”

Enquanto Millia disse isso com um sorriso, Lilim sentiu algo no ar.

(Lilim): “Cattleya está indo? Ela estava trabalhando na fronteira, mas… eu posso mesmo tirar um dia de folga? Organizar as escalas de trabalho é um saco, sabia? Tirar uma folga sem nenhuma boa razão será um problema e… nã-não, não é como se eu odiasse Rudel ou algo assim”

(Millia): “Não se preocupe. A verdade é que me pediram para vir aqui. No segundo ano, há uma garota da tribo dos Gatos Brancos e essa garota é a melhor amiga da princesa. De acordo com ela, a princesa queria que você aparecesse só por precaução caso algo aconteça”

Lilim pensou um pouco antes de responder. E então, ela descobriu que a irmão mais velha de Fina, a Princesa Aileen, estava pretendendo entrar sorrateiramente na academia. E como esta não era uma visita oficial, ela deveria ter poucos guardas…

Não que Lilim ou Millia soubessem de qualquer coisa a respeito disso.

(Lilim): “Isto é um trabalho?”

(Millia): “Não é. Quer dizer, não há dinheiro envolvido. Mas você será capaz de se encontrar com Rudel. E se foi a princesa… se foi um pedido da Princesa Fina, então isso não é motivo o bastante?”

Com essas palavras, Lilim decidiu tirar alguns dias de folga para ver o torneio interclasses. Fina duvidava que alguém iria tão longe para investigar o fato de Cavaleiros aparecerem na academia em seus dias de folga e, com isso em mente, Fina também estava se preparando para o que aconteceria depois da competição.


[1] Claymore é uma variante escocesa da espada medieval montante utilizada durante os séculos XV e XVI. Possui gume duplo e é manejada com as duas mãos, impedindo o guerreiro de utilizar um escudo.