O irmão mais novo, o garoto e a princesa louca

Havia pouco tempo para o fim do terceiro termo. A academia estava em uma comoção com a graduação e preparações para aceitar o próximo grupo de novos estudantes. E a hora para a Casa Arses cumprir a promessa feita a Fritz chegou. A primeira Princesa Aileen apareceu na escola e, ao lado dela na sala dos visitantes nobres, Fina também acabou assistindo aos duelos.

Havia mais estudantes reunidos na arena agora do que durante o torneio interclasses. Os assentos da plateia estavam divididos entre nobres e plebeus. Os estudantes torcendo por Fritz estavam animados enquanto enviavam seus incentivos, enquanto vaias e provocações eram mandadas para Chlust do lado oposto.

(Estudante A): “Espanque ele mais uma vez Fritz!!!”

(Estudante B): “Chlust, pare de tremer e diga alguma coisa”

(Estudante C): “Não perca para esse nobre imbecil!”

O corpo estudantil era em sua grande maioria composto por alunos plebeus. Do lado dos assentos dos nobres, os jovens nobres se reuniram ao redor de Luecke e Eunius dos Três Lordes enquanto assistiam à situação com repugnância.

Do lado de Eunius, Aleist sentou-se com seu amigo, enquanto Izumi estava ao lado de Luecke. Rudel estava de pé perto de Chlust e como ele estava perto do ringue, ele não tinha um assento.

(Luecke): “Chlust com certeza é popular”

Luecke lia seu livro enquanto fazia um comentário sarcástico sentindo a atmosfera da arena.

(Eunius): “Não. Você não acha que eles estavam apenas demonstrando o ódio contra todos nós? Você se esqueceu? Graças a esse cara aqui que espancou Fritz, as pessoas estão pensando que Chlust vai ser espancado no lugar dele”

(Aleist): “Vo-você está errado! Eu definitivamente não espanquei ele. E isso não tem nenhuma relação com Fritz e Chlust”

Depois de encarar sem interesse o ringue, Eunius apontou para o inquieto Aleist a seu lado e riu. Aleist apressadamente deu uma desculpa. Izumi escutou essa conversa enquanto ela observava Rudel que olhava para Chlust.

(Izumi): “Eu espero que isto acabe sem nenhum incidente, porém…”


Na sala dos visitantes nobres, as duas princesas encaravam os homens para os quais elas estavam torcendo. Aileen mostrou um sorriso caloroso para Fritz que estava de pé no ringue, enquanto Fina encarava sem expressão nenhuma Rudel do lado de fora do ringue. Os Altos Cavaleiros de guarda e o diretor também assistiam os estudantes de lá.

(Aileen): “Ah, Fritz-sama… ele definitivamente vai vencer, não é?”

Enquanto Aileen confirmava isso com o Alto Cavaleiro a seu lado, Fina…

(Fina): “Sophina, pelo seu julgamento, quem você diria que vai vencer?”

(Sophina): “Sim, eu acredito que o estudante plebeu chamado Fritz tem a vantagem. Parece que Chlust-sama treinou, mas eles começaram com fundações diferentes. Eu acredito que seria difícil para Chlust diminuir a distância entre eles no espaço de menos de um ano”

(Fina): “Entendo…”

[Fina]: (“Não que eu me importe. Honestamente, não é um problema para mim se Chlust ou Fritz perderem. Contanto que o mestre saia de sua luta com segurança, tudo estará bem! Mesmo assim, ela perdeu completamente sua integridade… mesmo que seja a minha irmã de quem estamos falando, isso não seria um enorme problema?”)

Mas ouvindo as palavras de Sophina, Aileen perguntou a ela sobre sua avaliação de Rudel. Sophina tinha grande destaque entre os Altos Cavaleiros que ficaram na academia como guardas de Fina, e Aileen queria confirmar a vitória de Fritz. No entanto…

(Aileen):Alta Cavaleira, para os seus olhos, quem deve vencer a próxima partida? Eu tenho certeza de que aquele homem é forte, mas Fritz-sama treinou muito”

(Sophina): “Se eu puder, sua majestade, minha modesta opinião não é nada além de…”

Ao mesmo tempo que Sophina estava com problemas para encontrar as palavras certas, a sem expressões Fina riu internamente por estar aproveitando a situação.

[Fina]: (“Só diga isso! Diga a ela agora como você avaliaria o amado Fritz-sama dela! Quando ele foi surrado por Aleist, e Aleist foi derrotado por Eunius, diga a ela como o mestre é o mais forte de todos! Bem, se você fizer isso, ela irá se lembrar do seu rosto e nome para te importunar!”)


Em cima do ringue, os dois competidores se encararam, trocando olhares debaixo dos ensurdecedores encorajamentos. Para ser mais preciso, ao contrário do olhar de Fritz, Chlust estava desviando seus olhos e tremendo um pouco.

(Fritz): “Você sabe quanto tempo eu esperei por este dia? Este ressentimento que cresceu desde a minha infância, alheios a forma como seu povo sofria com taxas absurdas, eu vou ensinar a vocês nobres uma lição”

Fritz assumiu sua postura com sua espada de madeira e Chlust se preparou também. Assim que o árbitro que estava entre eles sinalizou o início da partida, Fritz disparou para frente e lançou sua espada contra Chlust.

(Chlust): “Co-como se eu ligasse!”

Chlust bloqueou a lâmina que se aproximava, mas o próximo ataque já estava pronto. Fritz balançava sua espada de madeira com facilidade em todas as direções e Chlust só conseguia se defender.

Ele bloqueava e desviava, mas apesar de tudo isso, os ataques de Fritz iriam atingir o corpo dele… Rudel simplesmente assistiu isso acontecer.

(Fritz): “Tanto você como seu irmão são lixo! Agora mesmo, quantas pessoas você acha que estão sofrendo em suas mãos”

Com essas palavras, a espada de Fritz derrubou Chlust. Soltando a espada de suas mãos, Chlust caiu e Fritz continuou sua investida. Não apenas com sua espada, ele começou a chutar seu adversário com seus pés.

(Fritz): “Que tal isso? Diga alguma coisa! Para todos aqueles sofrendo, diga a eles que você sente muito, ou que é sua culpa!”

Em apenas alguns minutos desde o início do duelo, Chlust estava acabado… mas sem dizer nenhuma palavra, ele se levantou. Ele foi buscar sua espada só para ser chutado por Fritz de novo. Era uma luta unilateral. Os nobres desistiram de seus incentivos iniciais e assistiram a luta em silêncio.

(Chlust): “… me desculpar? Então você se desculpa primeiro”

(Fritz): “Quê?”

Chlust agarrou o pé de Fritz enquanto falava. Com a respiração irregular e uma voz que mal podia ser ouvida…

(Chlust): “Eu-eu estou dizendo para você se desculpar por chamar o meu irmão de lixo”

Nesse momento, ele foi chutado de novo. O que apareceu na mente de Chlust nesse instante foi seu irmão Rudel. Quando todos o abandonaram, Rudel foi o único que o apoiou até o fim.

[Chlust]: (“Meus amigos e colegas de classe me desprezam. Todos parecem me chamar de lixo… até o pai e a mãe não vão responder direito minhas cartas. No fim de tudo, meu irmão é o único que nunca me abandonou!”)

Desde que ele perdeu para Fritz, todos ao seu redor abandonaram Chlust. Mas apenas Rudel passou todo este tempo treinando ele. E mesmo agora, ele estava assistindo a luta dele.

[Chlust]: (“Por que… eu tenho que ser tão miserável? Eu não posso me permitir a ser tão patético na frente do meu irmão”)

Chlust desesperadamente continuou segurando a perna de Fritz. Chutado pela perna livre de Fritz e golpeado pela espada, a partida continuou. O sangue de Chlust pintou a arena e os gritos que ele soltou não foram poucos.


Na sala dos visitantes nobres, Fina olhou para sua irmã Aileen animada com olhos frios. Assim que ela soube que a atenção de todos estava focada nas proezas de Fritz, ela suspirou sem nenhuma expressão enquanto olhava para o ringue.

[Fina]: (“Esta não é a luta de algum herói da justiça. Que ridículo ver o pequeno príncipe da minha irmã está agindo como um simples marginal. É uma reviravolta tão impressionante que eu só posso rir”)

Essa partida era praticamente o mais forte abusando do mais fraco. Para Fina, parecia quase como se fosse a representação da relação de poder dos nobres oprimindo os plebeus. Por um lado, Fritz estava com a razão e a Casa Arses era cruel. Mas por outro… seguindo o ponto de vista da lei do país, a Casa Arses era a vítima e Fritz o agressor.

Em |Courtois|, controlada pela realeza e por nobres, Fritz, que se mostrou hostil com a grande Casa Arses, era um criminoso. E a razão para ele ser hostil não era algo que os outros nobres ou a realeza pudessem aceitar com facilidade. Os Lordes que nos governam não têm a qualificação para isso, era o que ele estava dizendo…

[Fina]: (“Mesmo que a Casa Arses seja uma ninho de escórias e vilões, os métodos do seu Fritz em seu cavalo branco são totalmente horríveis. Pela atmosfera da arena, não me parece que ele tem carisma o suficiente e ele não está olhando para si mesmo de forma imparcial. Sem nenhuma pessoa talentosa para compensar suas falhas, o charme de Fritz não é nada para se temer”)

Justo quando Fina pensou nisso, as pessoas ao redor estavam se afastando ao ver essa partida unilateral. Ninguém poderia pensar na luta de Fritz como justiça. Aqueles que não podiam ler o clima, eventualmente gritavam algumas vaias para o ringue silencioso. Mas mesmo assim, a atmosfera estava em declínio.

[Fina]: (“Mais importante que isso, aquela cabelo preto! Eu odeio ela… selando as carícias de meu mestre com apenas uma palavra, essa maldita raposa que prendeu meu mestre em sua jaula é, bom, ela é fofa, então eu acho que ‘cabelo preto’ é o bastante. De qualquer forma, eu odeio você, cabelo pretoooo!!! Mais do que Fritz, este reino precisa fazer algo sobre essa cabelo preto, ou eu vou perder um tesouro nacional!!!”)

Fina encarou Izumi sem nenhuma expressão, que estava sentada e preocupada ao lado de Luecke…


O árbitro entrou no ringue para deter os ataques de Fritz contra Chlust, que não podia mais se mover. Confirmando o estado de inconsciência de Chlust, o árbitro declarou a vitória de Fritz.

(Fritz): “Venha até aqui Rudel!”

Enquanto Fritz assumia sua posição com sua espada de madeira e gritava, Rudel colocou o inconsciente Chlust em suas costas e deixou o ringue. Essa ação irritou Fritz, mas…

(Rudel): “Eu vou cuidar do meu irmão mais novo. Só descanse um pouco enquanto isso”

Com a frase de Rudel, indignado como estava, Fritz saiu do ringue e descansou um pouco.

Rudel deixou o ringue com Chlust em suas costas. Recobrando sua consciência sob seu ombro, Chlust entendeu o fato de que ele tinha perdido.

(Chlust): “… haha, depois de tentar tanto, eu ainda perdi no final? Eu realmente não tenho nenhum talento”

Enquanto Chlust se ridicularizava, ele derramou lágrimas de frustração. Irritado com ele mesmo por não ser capaz de atingir nem um único golpe, e mesmo depois de seu irmão ser zombado, ele se criticou por sem capaz de apenas segurar a perna de seu adversário.

(Chlust): “Quando a hora chegar, eu só vou encarar outra derrota desagradável e vou morrer em alguma vala na fronteira”

Rudel silenciosamente o carregou apesar de seus soluços lamentáveis. Mas o lugar para onde ele o levou não era a enfermaria. Ele o levou para os assentos da plateia da arena, onde Luecke e Eunius estavam sentados.

(Rudel): “Eu sinto muito, vocês poderiam arrumar algum espaço?”

Rudel pediu a Luecke e Eunius.

(Eunius): “Rudel… por que você trouxe ele para cá?”

Enquanto Eunius suspirava, ele abriu algum espaço entre ele e Luecke e, seguindo ele, todos na fileira se moveram como se estivessem deslizando. E depois que ele fez Chlust (espancado e com os olhos vermelhos) se sentar nesse espaço, Rudel desceu dos assentos e seguiu para o ringue.

Irritado, Eunius chamou o atordoado Chlust sentado a seu lado. Foi uma ação causada após ele sentir o ar desconfortável.

(Eunius): “Dê uma boa olhada na luta do seu irmão mais velho. Esquisito como ele é, ele está tentando fazer tudo o que pode por você… eu não vou dizer para que vocês se deem bem, mas no mínimo, você não pode reconhecer ele?”

Ouvindo essas palavras, ele tentou dizer alguma coisa, mas engolindo essas palavras, Chlust olhou para baixo para seu irmão e Fritz no ringue.

(Luecke): “Eu duvido que vai ser uma partida interessante”

Luecke fechou o livro que estava lendo, mirando seus olhos nos dois que estavam se encarando. Sentada a seu lado, Izumi também olhou para o ringue. Mas só Aleist parecia não ter entendido essas palavras.

(Aleist): “Não vai ser interessante? Fritz é bem forte. Eu escutei que ele treinou muito depois que eu limpei o chão com ele, sabia?”

(Eunius): “Hah, é por isso que você nunca vai superar seus limites. Quando você já é ridiculamente abençoado, essa parte é sua fraqueza…”

Eunius suspirou profundamente para Aleist. Enquanto ele possuía magia que ultrapassava o domínio da humanidade, Aleist não estava usando isso de forma produtiva. Os que estavam ao seu lado estavam o olhando com irritação, guardando a mesma opinião para eles mesmos.

(Alesit): “Qu-qual é o problema com todos vocês!?”