O jovem homem e o ⌈Herói⌋

Rudel acordava cedo todas as manhãs para realizar seu treinamento. Depois de colocar um lençol sobre a ex-Deusa com seu corpo se esticando no meio da cama, ele pegou sua espada de madeira pesada e seguiu para o pátio. Ultimamente, ele tinha começado a treinar com uma espada de madeira que imitava o peso e comprimento da lâmina que Basyle o presentou.

Havia várias razões para isso. Especialmente porque nos últimos dias… desde que ele foi declarado como um Cavaleiro Branco, ele sentia o poder transbordando de dentro de seu corpo. Talvez por isso, estava ficando cada vez mais difícil controlar seu poder. Se ele tentasse usar magia, ela ficaria fora de controle e se ele tentasse cobrir sua espada com |Mana, ele não poderia manter a |Mana no formato da espada.

Hesitante com seu rápido crescimento, Rudel continuou com o treinamento necessário para controlar isso. Quando ele praticava os golpes com sua espada, o som que era feito era claramente diferente do som dos outros estudantes ao redor. Seus movimentos também, enquanto o próprio indivíduo não estava satisfeito com isso, pelos olhos dos que estavam por perto, os feitos de Rudel já pareciam super-humanos. E para Rudel, todos ao redor tinham tato e ninguém iria chamar ele para treinar.

Mas nesse dia, havia um indivíduo que o chamou. Seu amigo Luecke. Luecke normalmente conduzia suas pesquisas até tarde da noite, então suas manhãs nunca começavam tão cedo. Ainda assim, ele estava vestindo roupas flexíveis com uma espada de madeira na mão.

(Luecke): “Você com certeza é energético pela manhã Rudel”

(Rudel): “Luecke, que raridade. Você não fez nenhuma pesquisa ontem?”

Rudel parou de mover sua espada e olhou para Luecke. Limpando seu suor, ele tentou conversar um pouco. Desde que Vargas se graduou, havia poucos estudantes que iriam falar com Rudel durante seu treinamento, então Rudel estava contente eu conversar com Luecke.

(Luecke): “Você pode cruzar espadas comigo? Do jeito que as coisas estão indo, minhas notas vão acabar sendo as mesmas de Eunius e isso é algo que eu não posso aceitar”

Segurando sua espada de madeira, Luecke assumiu sua postura para um estilo de luta focado em estocadas. Sem pensar em nada em particular, Rudel assumiu sua posição também. Mas nessas circunstâncias, Luecke era quem receberia as instruções. Se havia alguém entre os alunos capas de trocar golpes de forma decente com Rudel, esse seria Eunius ou alguns dos quintanistas.

(Rudel): “Seus pés não estão afastados o suficiente. E há excessos em seus movimentos”

Defendendo e repelindo as estocadas de Luecke, Rudel apontou esses problemas. Luecke tentou se concentrar e corrigir isso, mas enquanto ele se focava demais nos problemas, seu equilíbrio se desfez. Rudel desceu sua própria espada de madeira, parando ela só um pouco antes do pescoço de Luecke.

(Luecke): “Hah, eu acho que é cedo demais para eu praticar com você… desculpe por tomar o seu tempo”

(Rudel): “Está tudo bem. Fora isso, a sua pesquisa está indo bem?”

(Luecke): “Está indo tudo bem. Mas eu não quero que as coisas terminam em uma derrota, certo? Se eu me graduar com nada além de derrotas contra você e Eunius, eu tenho certeza que vou me arrepender disso. Nesse caso, eu tenho que dar o meu melhor agora”

Enquanto os dois suavam, eles limparam suas testas e se sentaram na grama. Olhando para o céu, seria mais um dia quente.

(Luecke): “Mais importante que isso, como Aleist está indo? O primeiro semestre já está no fim, mas ele ainda está sendo espancado por aí?”

(Rudel): “Eu me pergunto o mesmo… na última vez que eu o vi, os homens da tribo dos Tigres estavam se revezando para duelarem um após o outro com Aleist. Eles ficaram bem surpresos com a resistência dele. Encantadoramente surpresos e eles disseram que do jeito que as coisas estavam indo, Aleist seria capaz de dominar as técnicas deles em pouco tempo”

Luecke sentiu um pouco de pena por Aleist enquanto ele mudava de assunto e falava sobre a cerimônia no palácio que ele foi incapaz de participar no ano anterior.

(Luecke): “Isso é uma pena. Mas deixando isso de lado, a cerimônia de nomeação de Cavaleiros no palácio real é esta semana. Nós estávamos sob prisão domiciliar e não pudemos participar no último ano[1], então nós vamos ter que aparecer desta vez”

Era uma cerimônia importante onde eles jurariam sua lealdade para o país como Cavaleiros. Como eles estavam recebendo ações disciplinares no ano anterior, os três foram incapazes de participar. De forma parecida, Izumi iria participar da cerimônia deste ano também.

(Rudel): “Ah, então já faz um ano desde aquilo. O tempo realmente voa…”

(Luecke): “Considerando nossos status, o Rei pessoalmente irá nos nomear como Cavaleiros. Como os líderes dos Três Lordes estão todos se reunindo desta vez, parece que o palácio está em um clima festivo”

Como Rudel e os outros estavam sendo nomeados, os líderes das Casas dos Três Lordes estavam indo para o palácio. Ouvindo isso, Rudel informou Luecke que ele não tinha ouvido nada a respeito. Mesmo com Rudel sendo reconhecido pelo Rei, Luecke mostrou um sorriso amarelo para o tratamento da Casa Arses com ele.

Outra razão para a festa no palácio era o fato de esta ser a estreia de Rudel na alta sociedade. Os nobres mostraram algum interesse em finalmente ver o indivíduo que recebeu tantas avaliações diferentes. Os pais de Luecke e Eunius não eram exceções.

(Luecke): “O sino está a ponto de badalar as seis. Devemos ir para o salão de jantar Rudel?”

(Rudel): “Yeah, Eunius deve ter acordado também. Ele estava causando um tumulto sobre como, começando por ontem, ele teria uma aula em que ele não poderia se atrasar”

(Luecke): “Ele realmente não é bom com essas coisas”

Os dois riram enquanto eles seguiam para o salão de jantar. No momento em que eles chegaram, um sonolento Eunius e uma sonolenta ex-Deusa estavam incansavelmente tomando o café da manhã.


Enquanto isso, no |Império|, Askewell e Mies estavam confirmando os resultados de seus experimentos na instalação de pesquisa no território imperial. Dentro de uma enorme jaula, um Ogro com o corpo negro e marcas brancas estava obedientemente sentado. Ele era apenas o protótipo, mas seu desempenho era mais do que suficiente para satisfazer Askewell.

(Askewell): “Eu recebi um relatório que ele derrotou um de seus próprios irmãos sob nossas ordens, mas eu nunca pensei que ele iria se desenvolver até esse ponto”

Enquanto Askewell parecia satisfeito com o experimento, Mies ignorou seus próprios sentimentos e o agradeceu. Mas sua mente estava em caos. Enquanto Mies esteve conduzindo experimentos desde antes de conhecer Askewell, ela nunca pensou que iria ser capaz de atingir tais resultados. Parecia até que o próprio mundo tinha sido forçado a trabalhar a favor dela.

(Mies): “Suas palavras são desperdiçadas em mim General”

(Askewell): “Você é do tipo bem formal Mies. Mas depois de escutar o relatório dos resultados do experimento, eu apenas tive que vir ver a coisa real. Mesmo que eu tenha essa aparência, eu costumava ser do tipo estudioso, sabia? Uma vez eu planejei descartar a espada e herança e seguir o caminho acadêmico”

Ouvindo essa inesperada informação, Mies ficou um pouco surpresa. Foi nesse momento que ela descobriu um lado inesperado do jovem Príncipe Imperial Askewell. Vendo o rosto do Príncipe com um sorriso infantil, Mies se sentiu um pouco feliz.

(Mies): “Você General? Isso é uma surpresa. Que tipo de pesquisa você ia fazer?”

(Askewell): “Yeah, a maioria se referia a agricultura… hey Mies. Quando o |Império| e o |Reino| existem no mesmo continente, por que eles têm que ser tão diferentes?”

Com a pergunta de Askewell, Mies pensou sobre o que ela deveria responder. Ela poderia dizer que ele não estava falando sobre a diferença nos costumes, cultura ou língua, mas ela não sabia onde ele queria chegar.

(Askewell): “… comparada com a abundância do |Reino|, as pessoas do |Império| mal tem o que comer. Eu, veja bem, eu decidi ser um acadêmico para salvar o povo do |Império|. Mas um experimento que eu tinha certeza que seria um sucesso foi um fracasso, e não importava o quanto eu escrevesse, ninguém iria olhar para o meu trabalho de novo. Eu estava de coração partido, mas mesmo assim, como um Príncipe do |Império|, eu escolhi trabalhar pelo futuro dessas pessoas”

(Mies): “A terra do |Reino| realmente é farta. É precisamente por isso que o |Império| precisa obter terra fértil mesmo que isso signifique ir à guerra, mas… então houve um tempo em que você era assim General?”

Askewell abaixou sua cabeça e assim que ele a levantou, seu anterior sorriso de criança mudou para um atormentado.

(Askewell): “É realmente absurdo. Não importava o quanto eu tentasse salvar vidas, eu só estava andando em círculos, mas no momento em que eu me tornei um militar, as realizações só se acumularam. Era como se eu nunca tivesse tentado ser um acadêmico. Eu tive a sensação de que Deus estava me dizendo que a guerra sempre foi a minha única opção”

(Mies): “General…”

Mies estava começando a entender o indivíduo chamado Askewell um pouco mais. Mas assim que o sorriso de Askewell voltou para o seu estado normal, ele falou mais uma vez com Mies.

(Askewell): “Eu não preciso de simpatia e eu não perdi meu objetivo de ser útil ao povo. Quanto mais terra nós obtermos do |Reino|, mais pessoas do |Império| serão salvas… e eu vou ficar contente se você puder me emprestar seu poder nesse momento”

(Mies): “Sim!”

Vendo as costas de Askewell enquanto ela saía da instalação, as preocupações de Mies desapareceram. Sentindo que tudo ficaria bem contanto que ela o seguisse, Mies não sentiu a menor sensação de desconforto.

Quanto a Askewell, ele era o Terceiro Príncipe do |Império| e o Herói que Aleist não podia ser.


Em sua visita ao palácio, Rudel e os outros estudantes se dividiram entre os nobres com rank mais alto do que Conde[2] e aqueles abaixo para suas posses. Como a turma do último ano era feita apenas de nobres, havia menos participantes do que a média neste ano, mas com os filhos mais velhos dos Três Lordes participando, o palácio estava uma bagunça.

(Eunius): “Que chatice. Hey Rudel, quer dar o fora daqui?”

(Rudel): “Não posso fazer isso! Se eu não virar um Cavaleiro, eu não posso virar um Dragoon

Odiando esse tipo de formalidade, Eunius convidou Rudel para fugir. Mas, exatamente como ele esperava, Rudel recusou. A conversa foi observada por seus inquietos colegas do terceiro ano.

Luecke estava calmo, sentado com tranquilidade na sala de reuniões que se tornou a sala de espera deles. Mas nessa sala de reuniões estava uma Izumi nervosa. Pensando que Izumi estava preocupada com algo, Rudel a chamou. Mas a causa do nervosismo de Izumi era o próprio Rudel.

(Rudel): “Você está nervosa Izumi? Está tudo bem, a cerimônia vai ser a mesma para os dois grupos”

(Izumi): “… Rudel, por que eu estou aqui?”

(Rudel): “Isso é fácil. Quando eu tentei perguntar, eles deram permissão”

(Izumi): “Por que eles deram permissão para eu ficar aqui?”

(Rudel): “Isso é fácil também. Como os oficiais estavam hesitantes sobre isso, Eunius e Luecke apareceram na mesma hora e ajudaram”

(Izumi): “… vocês dois…”

Assim que Izumi dirigiu seu rosto para Luecke e Eunius, os dois desviaram os olhos. Mas os ombros dos dois estavam tremendo, mesmo que fosse só um pouco. Eles tomaram essa ação apenas por diversão, mas eles nunca imaginaram que isso seria permitido. Mas como os filhos mais velhos dos Três Lordes requisitaram isso, o Rei também reconheceu a participação de Izumi.

(Rudel): “Não se preocupe Izumi. Foi o Rei em pessoa quem cuidou de tudo isso. Nós só usamos este sistema porque os números de alunos eram tão grandes que não tínhamos outra escolha”

Izumi queria segurar sua cabeça. Ela entendia o que Rudel estava dizendo, mas mesmo assim, havia algo chamado bom senso. Não era como se todos teriam uma impressão favorável dela, uma estrangeira nas terras de |Courtois|. Como Izumi odiava agir de forma incorreta, esta cerimônia estava parecendo a provação de sua vida.

(Luecke): “Não há nada com o que se preocupar. Se você está desejando ser uma Alta Cavaleira, então a nomeação será muito maior do que essa. Você deveria se acostumar com isso enquanto pode”

Luecke explicou isso para consola-la e, como Izumi era fraca quando o assunto era esse, ela reuniu sua determinação. Justo no momento em que ela se recompôs, oficiais do palácio informaram aqueles que estavam na sala de reunião que as preparações estavam terminadas.

No salão, começando pela linhagem real, os ministros e os oficiais de alto nível, agentes, nobres de alto rank e jovens Cavaleiros os observavam. Os estudantes caminharam pelo carpete estendido pelo salão, se ajoelhando diante do Rei todos ao mesmo tempo. Era aqui o local em que a orquestra real mostrava seu valor e eles deram seu máximo em sua performance.

[Rudel]: (“Então eu finalmente percorri todo o caminho até aqui…”)

O Rei viu Rudel se ajoelhando e deu um sorriso irônico assim que ele se lembrou de seu encontro com os três na enfermaria[3]. Depois de dois anos, esses três finalmente se tornavam Cavaleiros; olhando para as pessoas ao redor, o Rei ficou com uma expressão séria.

A cerimônia correu como planejado e enquanto os líderes das Casas Diade e Halbades estavam com expressões sérias enquanto observavam seus filhos, eles estavam contentes com isso. Os nobres ao redor tinham altas avaliações enquanto eles viam o Rudel dos rumores. O jeito como ele se portava era perfeito. Até mesmo ele não faria algo absurdo durante essa cerimônia, então os olhos dos nobres enquanto observavam Rudel estavam sérios.

Mas na Casa Arses, apenas o pai de Rudel tinha emoções conflituosas. A honra que ele perdeu com o incidente de Chlust foi reconquistada por Rudel. Ainda assim, ele passou a criar um sentimento próximo do ódio por Rudel. Ele se sentiu com inveja nesta situação que era tão diferente da de quando ele foi nomeado Cavaleiro.

Cada indivíduo era chamado por vez pelo Rei, e cada um iria expressar palavras de lealdade em retorno. Assim que eles se tornaram Cavaleiros, eles receberiam status do país, mas o status de Cavaleiro era acompanhado de obrigações. Se uma guerra se iniciasse, eles não teriam permissão para fugir. Eles juraram lutar em nome de seu país.

E dessa forma, o Príncipe Herói Askewell e Rudel seguiram em frente para sua batalha predestinada. As preparações gradualmente caminhavam para a guerra dentro de poucos anos.


[1] Rudel, Luecke e Eunius foram punidos no ano anterior pelos eventos que ocorreram durante a luta de Cattleya e Lilim e a participação deles nessa confusão.

[2] Conde é um título nobiliárquico existente em muitas monarquias, sendo imediatamente superior a Visconde e inferior a Marquês.

[3] O primeiro encontro com o Rei aconteceu no capítulo 030, depois do torneio do segundo termo em que Rudel enfrentou Luecke, Eunius e Aleist, respectivamente, e todos ficaram muito machucados.