As irmãs ⌊Elfas⌋ e Pudim

Solidão, ódio, desejo… o covil do Dragão Gaia estava corrompido por emoções conflituosas e a névoa negra foi absorvida e capturada. Ela manteve sua própria consciência, mas ela não possuía nenhuma força para resistir ao corpo do Dragão. Mesmo assim, ela olhou as emoções ao redor do Dragão e havia várias coisas que ela conseguiu ver.

Como uma subespécie, este Dragão foi afastado dos outros. Mesmo entre seus companheiros da mesma espécie, ele foi isolado da floresta. Ele passou longos anos nas profundezas da terra se lamentando até se tornar um cadáver.

Mas o Dragão tinha um papel. Como um Dragão Zumbi, seu papel era lutar com o protagonista. Depois da graduação, o grupo do protagonista seria destacado para a Guarda Real, uma nova organização formada pelo país e o próprio protagonista seria o Capitão. Os outros membros da Guarda seriam, logicamente, as integrantes do seu harém.

Entre as missões que eles realizariam, havia um pedido para exterminar um Dragão Zumbi. Não era nada mais do que uma das missões que existiam para aumentar os níveis dos personagens antes do arco da guerra. Aquele que foi preparado para esse objetivo era essa subespécie de Dragão.

A temível aparência de seu corpo foi criada para causar mais impacto e criar a sensação de ser um inimigo assustador.

(Névoa): “Este é um Dragão destinado a ser morto. Em alguns poucos anos, ele irá sair e começar a atacar, mas por enquanto, aqui ele reside…”

A névoa negra pensou sobre várias coisas com a informação que tinha em mãos. Foi nesse momento que a névoa notou seu próprio erro e chamou o Javali e o Pássaro.

(Névoa): “Re-reunião!!!”

(Javali): “Quê?”

(Pássaro): “Eu não vou me aproximar dessa coisa”

Da distância da entrada da caverna, os dois olharam para o corpo do Dragão que foi tomado pela névoa negra. A névoa começou a explicar a situação para eles.

(Névoa): “Este é um Dragão destinado a ser morto! Ele vai ficar bem por enquanto, mas neste ritmo, ele irá sair em menos de um ano. Originalmente, seriam alguns anos, mas como ele me absorveu, ele vai começar a se mover antes do planejado!”

(Javali): “…”

(Pássaro): “… isso é culpa sua”

(Névoa): “Exatamente, então é minha (nossa) responsabilidade”

Ela não era um indivíduo, portanto, a responsabilidade era de todos os três, era o que a névoa negra estava declarando. O Javali e o Pássaro suspiraram. Mas se as palavras dela fossem verdade, então esta era uma situação que eles não poderiam ficar sem fazer nada. Os três seres eram existências nascidas para fazer uma irregularidade voltar a seu papel original. Devolver Rudel para seu caminho, diminuir seu ranking no treinamento da floresta e transformar Aleist em um Herói acima de Rudel.

Era tudo para fazer a história voltar a seu rumo original. O Javali nasceu da possibilidade de Rudel não desistir do treinamento como ele deveria fazer nesse evento.

O Pássaro apareceu quando a popularidade de Aleist estava muito menor do que ela deveria estar. Era para corrigir isso que sua magia que diminuía o status do alvo não mostrou efeito em Aleist.

Finalmente, a névoa negra nasceu para corrigir o próprio Rudel, que arrastava e mudava todos a seu redor. Ela assumiu Cattleya e Lilim, Dragoons que Rudel admirava do fundo de seu coração. Como resultado da configuração aprovando Rudel ao longo do caminho, ela ficou fora de controle.

Com apenas uma razão para sua existência, a névoa negra tentou matar Rudel. Quando cada um deles enfrentou um destino lamentável, esses três existiam para mediar a história.

(Javali): “Não tem jeito… nós vamos falar com Rudel sobre isso”

O Javali decidiu isso e o Pássaro concordou enquanto eles saíam da caverna. Vendo os dois partindo, a névoa negra falou…

(Névoa): “Se-se possível, vocês poderiam não comentar sobre o meu erro!?”


(???): “Oy, Fritz, você soube? Parece que aquele rumor é verdadeiro”

Na cafeteria da academia, os segundanistas do curso fundamental estavam discutindo a recém-criada Guarda Real. Aparentemente, o líder da nova unidade receberia um Dragão e havia até conversas sobre suas obrigações e jurisdição que iriam rivalizar com os Altos Cavaleiros e os Dragoons, então os estudantes estavam certos de que isso era uma mentira.

Assim que a conversa chegou até ele, Fritz se lembrou da carta que ele recebeu há poucas semanas.

(Fritz): “É mesmo? Eu ouvi que contanto que você tenha qualificação de Cavaleiro, qualquer um pode participar do processo de seleção de Capitão da Guarda Real. Isso também é verdade?”

Fritz fingiu não saber, mas ele já sabia de tudo. A remetente da carta era a Primeira Princesa Aileen e a carta detalhava a Guarda Real. Mas não estava escrito que ele seria escolhido. Tudo que Fritz sabia era que ele poderia participar.

(Colega A): “É uma nova organização de elite que nós estamos falando aqui! Por que não tentamos também?”

Talvez eles fossem escolhidos. Vendo seus colegas se animando enquanto eles pensavam nas perspectivas, Fritz não estava calmo. Com os eventos do último ano, ele não fez nada além de ficar consciente de Rudel e dos outros.

(Fritz):Altos Cavaleiros também vão estar lá, assim como Cavaleiros em atividade, não é? Eu acho que será consideravelmente difícil”

Tendo experimentado uma derrota esmagadora, Fritz não podia entender o que estava faltando a ele. Ele não podia entender o fato de que ele esteve vivendo em um mundo estreito, mas mesmo assim, ele desejava poder e queria ficar mais forte.

(Colega B): “Mesmo que eu não seja tão bom, não haverá problemas para você Fritz! Se for agora, você pode até mesmo ser capaz de derrotar Rudel. Se for Fritz, o mais forte de todos de nosso ano, eu realmente acho que você será digno de ser o Capitão da Guarda Real”

As palavras de seus colegas, que acreditavam nele do fundo de seus corações, irritaram Fritz. A pseudo espada mágica que ele obteve ao observar Rudel e as técnicas que ele usava livremente para fortalecer seu corpo, mesmo com tudo isso, Fritz perdeu. Seus colegas, que não entendiam isso, irritavam ele. Além disso, Fritz também tinha perdido para Aleist.

(Fritz): “Bem, isso parece interessante, então eu acho que vou tentar participar”

[Fritz]: (“É um pedido de Aileen afinal”)

Depois de dar sua resposta, Fritz voltou a comer sua refeição. A seleção de Fritz era um fato determinado, mas sem saber disso, ele decidiu aceitar o desafio. Ele até se sentiu grato por Aileen dar a ele essa oportunidade.


(Aleist): “M-Millia-san!”

Com um buquê na mão, Aleist estava praticando sua confissão para uma parede. Ao seu redor, seus amigos, que andavam com ele desde os anos do curso fundamental, observavam enquanto seguravam o riso. Eles estavam garantindo que ninguém apareceria e até que Millia-san (quem ele chamou até ali) chegasse, eles criticariam as confissões de treino de Aleist.

(Amigo A): “Aleist, você está se esforçando demais… você vai ficar bem contanto que você aprenda a dizer a palavra amor com mais naturalidade. Você tem um bom rosto e ela não vai dizer não, estou te dizendo”

(Amigo B): “Não, isso não faz parecer que tudo o que ele tem é sua beleza? Na verdade, ele é um cara perfeito com status e fama, certo?”

Os amigos que o observavam, depois de confirmarem que a hora estava se aproximando, decidiram se dispersar. “Nos diga como foi…”, eles disseram isso enquanto partiam. Vendo eles indo embora, Aleist começou a se sentir desesperado.

(Aleist): “Es-está tudo bem! Eu tenho certeza que isso vai funcionar… mesmo que não dê certo, eu não vou desistir! Eu vou tentar quantas vezes forem…”

Enquanto Aleist murmurava para se convencer, ele escutou passos de alguém se aproximando, o que acelerou seu coração. Ele se lembrou de chama-la para um espaço deserto, então ele concluiu que quem estava se aproximando era Millia. Ele instantaneamente começou sua confissão.

(Aleist): “Eu-eu gosto de você! Por favor, saia comigo!!!”

Com os olhos fechados, Aleist entregou o buquê. Mas mesmo assim, ele falhou miseravelmente.

(???): “E-eh!? Be-bem, se você está bem comigo…”

(Aleist): “Eh!?”

A voz não era de Millia, então Aleist abriu seus olhos para confirmar isso. De pé estava uma garota jovem com cabelos vermelhos. Sua pele bronzeada e cabelos vermelhos a destacavam, a garota que parecia mais jovem do que sua idade dizia não era Millia. Ela era um interesse romântico potencial chamada Lux.

Mesmo ela tendo um corpo pequeno, ela era uma guerreira desde o nascimento que carregava um enorme martelo. A aparência da garota primeiranista deixou Aleist completamente confuso. Infelizmente, foi aí que Millia fez sua aparição.

(Millia): “Oh? Eu vim porque fui chamada até aqui, mas não parece que Aleist foi quem me chamou… Aleist, você deveria ter um pouco de consideração por Seli e Juju”

Calmamente observando Aleist e Lux, ela notou que Aleist estava se confessando. Enquanto a essência estava errada, a situação estava correta. Um amigo de Aleist chamou Millia até esse lugar, mas o fato de ele não dizer quem estava esperando por ela se provou um problema.

Se ela soubesse, talvez ela teria notado seu engano.

Depois de aconselhar Aleist, Millia foi embora com desconforto. Em seus quatro anos desde que chegou na academia, ela cresceu e agora era mais uma dama do que uma garota. Elas eram irmãs afinal, e Millia estava ficando mais parecida com sua irmã mais velha Lilim. Vendo suas costas enquanto ela ia embora, Aleist gritou…

(Aleist): “Por quêêêêêêêêêê!!!”


Por volta desse momento, Rudel estava conversando com a irmã mais velha de Millia, Lilim. Do ponto de vista de Lilim, ela só estava tendo uma conversa informal com a pessoa que estava em sua mente ultimamente, mas ela sabia que Rudel cuidou dela nos eventos de anos atrás. Ela estava preocupada ao pensar se havia algum desconforto pelas ações que Rudel tomou para salvar ela.

(Lilim): “Você vai para a morada dos Dragões!?”

(Rudel): “Sim. Eu consegui permissão, então tudo o que falta é eu fazer isso”

Enquanto os dois falavam sobre os rumores da academia, o tópico naturalmente mudou para a recém-criada Guarda Real. Lilim sabia que Rudel se tornou o Cavaleiro Branco e ela conseguiu perceber que a Guarda Real estava relacionada a isso. Seu conhecimento apenas serviu para aumentar sua surpresa com as ações de Rudel.

(Lilim): “Não há motivos para um humano como você se esforçar tanto. Para um Demi-Humano, a menos que você obtenha um Dragão selvagem, você nunca será reconhecido, mas você tem uma oportunidade para obter um Dragão Cinza. Ainda assim, você vai mesmo ignorar isso?”

Enquanto Lilim dizia palavras duras com preocupação, Rudel respondeu com um sorriso sem graça.

(Rudel): “Eu tenho algumas razões. Mas a maior de todas é querer ser escolhido pelo meu Dragão. Mesmo sabendo que isso é só o meu próprio egoísmo, não é como se eu odiasse Dragões Cinzas ou algo do tipo!”

Com a negação frenética de Rudel no final, Lilim deu uma risada. “Eu sei”, ela falou. Ela contou a Rudel que não entendeu errado a intenção dele.

Para Rudel, ele também tinha uma promessa com os três. Ele não tinha como ficar obcecado por isso, mas algumas partes de seu coração doíam quando ele escutou que não seria capaz de escolher seu próprio Dragão. Para Rudel, Lilim fez uma certa proposta.

(Lilim): “Se seus sentimentos continuarem os mesmos, então você quer que eu te leve até a morada dos Dragões? Esta é a casa do meu Dragão e você não é uma pessoa que eu não deveria levar até lá”

(Rudel): “Você vai!? Eu definitivamente gostaria que você me levasse até lá!”

Vendo Rudel encantado ao saber que poderia montar em um Dragão, Lilim sorriu. Mas ela também queria que Rudel desistisse. Como Dragões Cinzas eram criados pelo país, eles não atacavam humanos. Mesmo que você não fosse escolhido, eles não tomariam sua vida. Mas Dragões selvagens possuíam muito mais orgulho do que os Cinzas.

Era normal para eles matarem humanos que eles odiavam. Enquanto suas habilidades eram altas, havia o risco de você perder sua vida.

(Lilim): “Muito bem, então assim que a hora chegar e se você ainda desejar ir, vamos nos manter em contato”

Dizendo isso, Lilim se separou de Rudel. Como ela foi até a academia, ela pensou em se encontrar com sua irmã mais nova, Millia. Apesar de ela ter conseguido passar um pouco de tempo com Rudel como um bônus.


A ex-Deusa, agora Sakuya, estava vivendo uma vida parasitando Rudel e Izumi. Mas havia apenas mais um ano para eles na academia, então o momento de pensar em seu futuro chegou.

No quarto de Rudel, Sakuya estava deitada na cama enquanto comia doces. Quando ela não tinha um nome, Luecke e Aleist a chamariam de coisas terríveis, então ela se comprometeu e escolheu o nome Sakuya. Quando Aleist a chamou de Cérebro von Pudim e Pudim MacPudim, houve uma vez que ela chorou e se agarrou a Rudel.

Como resposta, Rudel pensou que alinhar pudim suas vezes no nome não era uma boa, então… “Que tal Pudim AlaMode[1]? Ele perguntou. Assim, como sempre, a ex-Deusa acabou chorando e correu até Izumi e Sakuya era agora o seu nome. Ela nunca foi capaz de pensar em um bom nome por conta própria, mas ela decidiu que qualquer coisa era melhor do que ser chamada de Pudim.

Izumi pensava que esse era um belo nome e não podia entender sobre o que a ex-Deusa não gostava nele. Mas ela era Sakuya, e agora Sakuya estava surpresa com o que Rudel declarou.

(Sakuya): “Estudar? Do que você está falando Rudel? Eu sou uma Deusa!”

(Rudel): “Ex… e não está na hora de você pensar sobre ser independente? Eu estou bem cuidando de você, mas do jeito que as coisas estão, você vai continuar dependendo dos outros”

Brincando o dia inteiro só para ser salva por Izumi ou Rudel, Sakuya não tinha como responder a isso.

(Sakuya): “Nnrrghh, tá bom, eu entendi. Eu vou fazer você se arrepender do dia que você subestimou o intelecto de uma Deusa, você escutou? Quando se trata de mim, as letras que os humanos usam são meros… o que é isto?”

Enquanto Sakuya mostrava sua motivação, Rudel entregou a ela alguns livros. Esses livros eram livros ilustrados sobre Dragoons que Rudel trouxe com ele. “Se fosse apenas um doujin[2], eu iria alegremente ler”… pensou Sakuya enquanto ela abria um livro.

Mas não importava a página que ela olhava, ela podia ver traços de que o livro foi lido de novo e de novo.

(Sakuya): “Você realmente gosta tanto assim de Dragoons? Eles são só Cavaleiros que montam Dragões. Eu tenho certeza que o título de Cavaleiro Branco supera eles”

(Rudel): “… vamos apenas dizer que eu não colocaria o Cavaleiro Branco e os Dragoons na mesma escala. Eu não tenho dúvidas de que escolheria ser um Dragoon sem nenhuma hesitação”

Enquanto Rudel deixava isso claro, Sakuya desinteressadamente olhava para as figuras. Ela não conhecia as letras, então ela olhou para as imagens e tentou ler a história com sua própria imaginação.

Um Dragão macho e um Cavaleiro cruzando as fronteiras das espécies e… enquanto ela lia o conto sozinha, Rudel acertou a cabeça dela com relativa seriedade. Com os olhos cheios de lágrimas, Sakuya esfregou sua cabeça e encarou Rudel, mas ele estava na verdade bem bravo então ela se desculpou.

(Rudel): “Não vá arbitrariamente revisando a história! Não tem outro jeito, então eu acho que vou ter que ler eles todas as noites”

(Sakuya): “Você com certeza parece feliz ao dizer isso. Homens certamente parecem amar Dragões e outras formas de vida mais fortes…”

Vendo ela tão desinteressada, Rudel resolveu ler para ela os livros dos Dragoons todas as noites. Alguns dias mais tarde, Sakuya invadiu o quarto de Izumi, segurando com carinho um livro ilustrado em suas mãos enquanto ela declarava…

(Sakuya): “Izumi, eu vou virar uma Dragoon!”

(Izumi): “Eu-eu entendo… e-eeeeEh!?!?”

Os olhos de Sakuya brilhavam enquanto ela carinhosamente segurava o livro no alto e Izumi não fazia ideia sobre o que dizer a ela.


[1] À la mode é uma expressão da culinária francesa para se referir a um prato que é servido acompanhado de sorvete.

[2] Doujin é outra forma de se referir a Doujinshi, um termo japonês para publicações independentes, geralmente revistas, mangás ou romances. O termo é comumente traduzido como fanzine, que também identifica revistas independentes.