O jovem homem e o tempo

Entrando em seu ano final, mesmo havendo vários problemas, Rudel e os outros avançaram de forma segura. O consenso geral era de que os filhos mais velhos dos Três Lordes eram os mais dignos para se tornarem os Chefes do dormitório dos garotos e a academia meio que os obrigou a assumirem as posições.

Izumi se tornou a Chefe do dormitório feminino e a academia estava tomando as medidas que eles consideravam as melhores. Com uma Chefe estrangeira, os novatos nobres tentariam se rebelar, mas a academia não seria tolerante com isso.

“Façam de Izumi a Chefe!”, foi o pedido sincero dos professores e funcionários relevantes. Nos quatro anos desde que ela entrou na academia, a presença de Izumi ficou imensa. Além do fato de a criança problema conhecida como Rudel nunca ir contra ela, havia poucas pessoas no mundo para quem os homens da tribo dos Tigres iriam baixar suas cabeças.

Do ponto de vista de Izumi, “Por que isso chegou a esse ponto?”, era o que ela certamente pensava. Mas essas pessoas determinaram que Izumi era tudo o que eles tinham.

Enquanto Izumi ficou cada vez mais ocupada com as responsabilidades de Chefe impostas a ela, ela estava atualmente ensinando as letras a Sakuya em seu quarto. Ela ainda não podia acreditar na parte da Deusa e nos assuntos relacionados a isso, mas ela pensava em Sakuya como uma irmã complicada enquanto cuidava dela. Mas ultimamente, Sakuya estava definitivamente agindo estranho. Ela tinha declarado com confiança que iria se tornar uma Dragoon, mas agora, havia momentos em que a saúde dela ficava debilitada e sua concentração sumia.

Pensando que era uma doença, Izumi a levou até a enfermaria para checar ela, mas não havia anormalidade. Sakuya também estava consciente de sua condição ruim, mas ela estava certa de que era apenas temporário. Não, ela estava se assegurando de não pensar sobre isso. Desde o dia em que sua mão começou a tremer, ela começou a experimentar momentos de tontura.

(Izumi): “Você está bem Sakuya? Devemos encerrar por hoje?”

Os estudos dela não estavam indo a lugar nenhum e seu corpo estava em mau estado, apenas sua irritação estava aumentando, então Izumi a chamou com uma voz gentil. Mas Sakuya continuou estudando enquanto ela se agarrava a seu livro.

(Sakuya): “Eu-eu posso continuar…”

A forma frenética de Sakuya estudando estava começando a mostrar um tipo diferente de impaciência da de Rudel.


Com o início de um novo ano escolar, os veteranos se encontraram cuidando de seus novatos com mais frequência. No dormitório, eles iriam ensinar todas as regras gerais e as não-escritas. Mas como era o caso de todos os anos, os jovens nobres de status mais elevado iriam zombar de seus veteranos e não escutariam nada do que eles iriam dizer. Eles estavam usando a sala de jantar do dormitório masculino para darem suas explicações, mas os jovens nobres começaram a falar no fundo.

Os veteranos dando as explicações normalmente não iriam aconselhar os novatos de alto status, mas ultimamente, com Chlust, Fritz e uma corrente de todos os tipos de escândalos acontecendo, eles os aconselharam. Então, os garotos veteranos se lembraram do trunfo que os graduados deixaram.

(Veterano A): “Todo mundo está escutando? Eu vou dizer apenas uma vez, então é melhor que vocês se lembrem. Há quatro pessoas consideradas as mais fortes de todas nesta academia e vocês definitivamente não podem ir contra esses quatro. Alguém sabe quem são eles?”

Para o quintanista que estava cuidando da explicação, um nobre primeiranista deu uma resposta exemplar.

(Novato A): “Tem a Segunda Princesa, não é? E não é estranho que tenham quatro quando o certo seria termos ‘o mais forte de todos’? Você está tentando nos enganar senpai?”

Com a pergunta do estudante, os primeiranistas ao redor levantaram dúvidas similares com risadas. Mas sem se incomodar, o veterano continuou sua explicação.

(Veterano A): “Você pode considerar as coisas dessa forma se quiser, mas os quatro de quem eu estou falando são os filhos mais velhos das casas Arses, Diade, Halbades e Hardie. Eles são nobres e seus status superam os de todos vocês. Houve uma vez que um deles acabou em um instante com um primeiranista, mas contanto que vocês não incomodem esses quatro, vocês vão ficar bem. Contudo… há uma única pessoa que nenhum desses quatro podem enfrentar. Além da Princesa”

Enquanto os rostos dos estudantes que estavam zombando ficaram rígidos, eles utilizaram a mesma ameaça que os graduados do último ano usaram. Quando havia garotos-problema e um Princesa no dormitório das garotas, eles pensaram em seus senpais que fizeram o melhor. Assim que um dos Chefes (um garoto do quinto ano) continuou com um sorriso…

(Veterano B): “Há uma garota no quinto ano chamada Izumi-san, uma Chefe do dormitório feminino. Não importa o que aconteça, vocês não podem ir contra ela… os mais fortes de todos na academia não ficarão em silêncio”

(Novato B): “E-e daí? Pelo nome dela, ela deve ser uma estrangeira, não é? Mesmo que vocês nos ameacem…”

(Veterano B): “Ah, desculpe, desculpe. Você não conseguiu compreender? Deixe-me reformular minha frase: se os filhos mais velhos dos Três Lordes não podem enfrenta-la, então não tem jeito de pessoas como você fazerem isso. E se vocês se esgueirarem no dormitório das garotas, vocês realmente vão ser capados, então tomem cuidado. A Princesa está lá agora mesmo, então a segurança está em alerta máximo e há Altas Cavaleiras esperando com espadas nas mãos”

Assim que o quintanista deu uma explicação desinteressada, as atitudes orgulhosas dos estudantes que acabaram de sair de suas casas ainda não tinham desaparecido. Havia alguns que iriam ficar em silêncio assim que eles conhecessem as habilidades deles, mas sempre haveria estudantes que usariam as conexões de suas casas para achar que poderiam ficar com essas atitudes esnobes e prepotentes, mesmo na academia.

Mas enquanto os Chefes davam suas explicações aos alunos, Rudel e os outros fizeram suas aparições. Rudel, Eunius e Luecke nunca quiseram se tornar Chefes para início de conversa, mas com a poderosa insistência da academia e (para Rudel) a persuasão de Izumi, eles relutantemente aceitaram.

Os professores estavam implorando para eles se tornarem um exemplo para os novatos, então eles acabaram se apresentando mais tarde. A sala do jantar ficou em silêncio de uma vez. Pensando em como as futuras autoridades do país se reuniram, os jovens nobres ficaram mansos como cordeiros. Os estudantes plebeus também ficaram sem fala com essa atmosfera.

Assim que eles foram para a sala de jantar, os três se apresentaram para os novatos. Mas Eunius estava rabugento por seu tempo livre diminuir ao se tornar um Chefe. Ele visitava a cidade noite após noite, e como ele se tornou um quintanista e pensava que seu tempo livre aumentaria, ele foi empurrado para o posto de Chefe, então talvez isso fosse apenas natural.

(Eunius): “Deixe-me dizer isso agora. Não entrem no meu caminho, não me causem problemas, escutem o que eu tenho a dizer… entendido?”

Seu corpo era enorme e com essas palavras cheias de intensidade, os primeiranistas acenaram. A criança em seu rosto sumiu e aos olhos de alguém que não conhecia ele, Eunius parecia um indivíduo perigoso. A explicação de Luecke foi a seguinte.

(Luecke): “Eu não me importo nenhum pouco com Eunius, mas eu tenho que dizer o mesmo. Eu quero ler em paz a noite… façam alguma confusão estúpida e eu irei prende-los na sala disciplinar, então é melhor que vocês se lembrem disso”

Luecke liberava uma atmosfera fria diferente da de Eunius, fazendo as expressões dos estudantes gradualmente ficarem sombrias. Mas as palavras de Rudel os animou só um pouco.

(Rudel): “Vocês são terríveis, vocês dois. Vocês não podem fazer vista grossa para pequenas coisas? Eu também causei alguns problemas, então não podemos ser um pouco mais tolerantes?”

Um senpai gentil. Os novatos estavam aliviados, mas suas próximas palavras fizeram os alunos pensarem que ele era o mais assustador de todos eles.

(Rudel): “Mas se vocês causarem algum problema no dormitório das garotas, eu vou ficar com problemas… é melhor vocês estarem preparados para as consequências se isso acontecer”

Quando o rosto de Rudel subitamente mudou de um sorriso para uma cara sem expressões, os primeiranistas se encolheram. Eles pensaram desde o início que era somente uma leve ameaça, então eles os ameaçaram com sentimentos despreocupados. Mas o ar imponente que eles liberavam, diferente do de um veterano normal, fez com que todos desistissem de resistir.

Entrando em seu ano final, Rudel estava com vinte anos. Seu corpo cresceu e ele passava um ar mais maduro. Diante dos primeiranistas que ainda eram jovens, Rudel se lembrou de quando ele mesmo entrou na academia. Quando ele chegou na academia, ele nunca imaginou que se tornaria um Chefe.

Com a ameaça de Rudel, Luecke suspirou. Enquanto Luecke passava um ar mais frio, ele se tornou muito mais sociável do que quando iniciou seus estudos.

(Luecke): “Rudel, com isso você quer dizer ‘não causem nenhum problema para Izumi’, não é?”

Como Luecke, Eunius também estava com uma cara irritada.


Diferente do dormitório dos garotos, o dormitório feminino contou com Izumi dando uma explicação tranquila. No começo, as pessoas deram seus olhares curiosos para essa estrangeira, mas sua explicação prosseguiu de forma favorável.

A razão era simples. Elas sentiram que seria desvantajoso ir contra uma mulher que acompanhava os filhos mais velhos dos Três Lordes.

As estudantes plebeias estavam dando seu apoio para Izumi se tornar uma Chefe. Essas plebeias poderiam ser reconhecidas também, isso as dava esperanças. Por outro lado, havia descontentamento por partes das nobres.

Elas pensavam que Izumi tinha se tornado a mulher de Rudel, e popular como ele era, esse era um posto que ninguém mais poderia alcançar com sucesso. Elas reconheciam Izumi como um obstáculo em seu caminho, mas ela era uma existência complicada que elas não poderiam se livrar.

(Izumi): “Isso é tudo o que há para dizer sobre os horários da sala de jantar… se vocês tiverem alguma pergunta, eu vou dar o meu melhor para responder”

Se tornando uma adulta, Izumi possuía um ar calmo e sua forma solene de pé fez uma porção de garotas terem que olhar para cima. Seus longos cabelos pretos pareciam brilhar para as novatas.

Na sala de jantar, uma única estudante levantou sua mão. Uma primeiranista que parecia ser uma garota simplória, e como ela estava sentada no espaço preenchido por garotas plebeias, o status dela não poderia ser muito alto. Mas o que ela perguntou foi algo bem exagerado.

(Novata A): “O que eu posso fazer para ser como você senpai?”

Os olhos da garota que admirava Izumi estavam brilhando. Izumi recebeu muitas perguntas semelhantes antes. Mas ela não conseguia entender o que “Ser como você” deveria significar. E agora, o momento e o lugar eram inadequados.

(Izumi): “Se possível, eu tenho que pedir que vocês mantenham as perguntas relacionadas a apresentação”

A garota segurou sua cabeça com as palavras de Izumi. Mas Izumi continuou falando.

(Izumi): “… mas você veio até essa academia. Você só precisa se polir enquanto aprende. Mesmo que você não se torne igual a mim, tenho certeza que você vai encontrar o seu próprio ideal”

Enquanto os olhares de admiração só aumentavam, Izumi continuou explicando as regras do dormitório. Mas quando as explicações se voltaram para a regra não-escrita, o rosto dela ficou um pouco cansado. Várias Chefes também passaram por problemas com essa regulação implícita.

(Izumi): “E esta é uma regra não oficial, mas… se vocês verem um certo garoto no dormitório feminino, fujam para o seu quarto imediatamente e não deixem ele entrar de maneira alguma”

(Novata B): “Mas garotos não podem entrar no dormitório das garotas, podem?”

Uma primeiranista parecia perplexa ao ver ela explicando algo tão óbvio. Na verdade, Izumi tinha acabado de explicar a elas para não convidarem garotos para o dormitório das garotas.

(Chefe A): “Não, um…”

Vendo suas Chefes veteranas com dificuldades para encontrar palavras, as primeiranistas ficaram preocupadas. Elas assistiram em silêncio enquanto as Chefes (Izumi inclusa) se reuniam e sussurravam entre si. Como garotas, elas tinham sido avisadas por suas casas para tomarem cuidado com os garotos da academia. Os interiores das cabeças delas foram preenchidos com terríveis possibilidades.

Mas de acordo com suas veteranas, era algo completamente diferente.

(Izumi): “… um certo garoto pode entrar no dormitório das garotas com praticamente nenhum questionamento. É algo complicado, mas ele tem seus motivos e seu status, então é impossível botá-lo para fora. Não há risco de vocês serem atacadas, mas… me desculpem. Se vocês virem ele, eu recomendo que vocês fujam. Vocês definitivamente não devem se aproximar! Ele vai acariciar vocês”

Vendo os rostos de incompreensão das primeiranistas, Izumi queria ficar brava com Rudel em seu coração. Se elas não vissem Rudel em ação, ninguém iria perceber o verdadeiro perigo.

Até Izumi avisa-las, as vítimas tinham sido em sua maioria Mulheres-Fera. Isso era perigoso! Era uma regra não-escrita do dormitório das garotas. As alunas que se deixaram ser acariciadas por curiosidade foram deixadas com corpos que jamais esqueceriam.

Vendo os rostos questionadores das novatas, as Chefes amaldiçoaram Rudel.


Depois que Rudel deixou o dormitório dos garotos, Sakuya pegou a espada de Rudel. O objetivo dela eram os dois dormindo na lâmina. Ela se perguntou se eles sabiam de algo sobre as anormalidades acontecendo em seu corpo e decidiu perguntar.

No quarto de Rudel, ela colocou a espada em cima da mesa e os chamou.

(Sakuya): “Vocês podem me ouvir? Há algo que eu preciso perguntar”

(Javali): “O quê?”

(Pássaro): “…”

(Sakuya): “Meu corpo está estranho ultimamente e quando eu fiz um exame, não havia nada de errado comigo. Isto não poderia ser culpa da sua companheira? Eu realmente quero ficar melhor logo, sabia?”

Sua recente falta de saúde estava gradualmente a deixando em pânico, Sakuya escondeu sua fraqueza e fingiu ser forte enquanto perguntava.

(Javali): “Que sabe?”

(Pássaro): “Bom, tanto faz. Tente tocar o cabo da espada. Nós podemos descobrir alguma coisa”

Seguindo as palavras do Pássaro, Sakuya segurou o cabo da espada. Ela sentiu um pequeno tremor enquanto algo percorria todo o seu corpo. Sakuya soltou o cabo assustada, fazendo as duas feras reclamarem.

(Sakuya): “O qu-que vocês fizeram tão de repente!?”

(Javali): “… isto é…”

(Pássaro): “Algo bem interessante”

Ignorando a raiva de Sakuya, os dois começaram a discutir. Sakuya não poderia entender o conteúdo, mas pela atmosfera, ela teve a sensação que era algo ruim. As palavras deles gradualmente ficaram escassas, fazendo a tensão dela crescer.

(Javali): “Escute bem… seu corpo é um recipiente temporário que a névoa negra criou. Ele só foi feito para uma única batalha com Rudel, um corpo descartável feito apenas com um único uso em mente, podemos colocar dessa forma”

Um suor frio escorreu pelas costas de Sakuya. Seus olhos se esbugalharam e palavras não podiam mais sair de sua boca. Continuando, o Pássaro deu uma explicação simples do estado de Sakuya.

(Pássaro): “Você fez bem resistindo por tanto tempo, mas seu corpo não pode mais se manter. O que era originalmente a alma de uma Deusa foi forçadamente selada em um corpo humano. Parece que ele está chegando a seu limite”

(Sakuya): “Vo-você está mentindo, não está?”

O corpo dela começou a tremer, Sakuya subitamente ficou assustada. Isso era algo que ela nunca tinha experimentando antes como uma Deusa, mas seu corpo e coração estavam bem sintonizados para reagir ao medo conhecido como morte.

(Javali): “É verdade. Seu corpo está chegando ao limite”

(Pássaro): “… foi algo que fizemos, mas eu não posso assumir a responsabilidade. Minhas desculpas”

As duas vozes de pena ressoaram pelo quarto de Rudel. Sakuya não queria desistir, ela disse aos dois tudo o que ela poderia dizer.

(Sakuya): “Se aquela névoa foi quem fez o meu corpo, vocês não podem fazer nada sobre isso!? Hey, é verdade! Nesse caso, se nós perguntarmos a névoa…”

(Javali): “Desculpe. Seus próprios poderes foram usados para criar seu corpo. Além de não termos nada para usar como substituto…”

Enquanto o Javali não conseguiu continuar, o Pássaro expressou os fatos.

(Pássaro): “Sua alma foi forçadamente selada. Sua alma não vai voltar a ser uma Deusa. No momento, você é uma existência distorcida que mantém uma forma humana com uma alma de Deusa. Assim que seu corpo chegar a seu limite, você vai desaparecer”

O Pássaro reiterou a verdade, mas sua intenção era dizer a Sakuya para passar seus últimos momentos sem arrependimentos.

(Sakuya): “U-uwah… waaaaah!!”

O grito de Sakuya ressoou no quarto vazio de Rudel. Assim que o medo e a tristeza assolaram ela, Sakuya entendeu o que significava partir, algo que ela nunca sentiu como uma Deusa. Ela se lembrou de Aleist e Rudel que ela conheceu no templo. E todos que ela conheceu na academia.

(Sakuya): “Por quê? Eu finalmente fiz alguns amigos… eu até encontrei um objetivo! O que é isto? O que você quer dizer com eu não tenho mais tempo!?!?”

O Pássaro e o Javali silenciosamente observavam a forma enlouquecida dela.

(Sakuya): “Eu fiz uma promessa! Para Rudel e Izumi! Eu prometi a eles que eu iria virar uma Dragoon!”

Sua forma, enquanto ela chorava como uma criança pequena, era dolorosa para se observar. As duas feras propositalmente falaram com ela com tons frios. “Nos odeie se você quiser, nos despreze de você desejar… que existências tolas nós devemos ser”… os dois pensavam nisso enquanto se devotavam em bancar os vilões.

(Javali): “Chorar como uma criança é bom e tudo o mais, mas por que você não pensa em como passar o pouco de vida que lhe resta?”

(Pássaro): “Eu não posso entender isso. Quando você era uma existência que transcendia a humanidade…”

Os três monstros que nasceram apenas para colocar Aleist no pedestal, eles sentiram o desprezo do mundo que os criou. Eles se odiavam por serem capazes de completar seus objetivos apenas ao trazer desgraça para os outros.

Mas o Javali e o Pássaro perderam seus corpos e se tornaram existências que só sobreviviam com a ajuda da |Mana de Rudel. Eles iriam eventualmente desaparecer, mas eles não falaram sobre isso. Eles silenciosamente resistiram enquanto Sakuya batia na bainha da espada com suas mãos.