Superando Marty (Parte 7)

Rudel levou Fina, Mii e Sophina para a |Morada dos Dragões|. Com o objetivo de aprender o que estava lhe faltando, ele foi cumprimentar o Dragão de Marty.

Mesmo ele tecnicamente arrastando a Princesa com ele em sua jornada, neste ponto, ele não a via como nada mais do que uma discípula. Mesmo que ele demostrasse seu respeito em ocasiões formais, a atitude dele sofria uma mudança completa quando eles estavam sozinhos.

(Rudel): “Você não consegue fazer nem o básico!? Qual o significado disto!?”

(Fina): “Es-espere mestre! Não me atire no lag… gyaaah!! (Eu não quero mais isso! Ele não me ensina nada e eu não posso aguentar todo este treinamento básico)”

Mii e Sophina assistiram com insegurança enquanto Fina, sem expressão nenhuma, era atirada no lago. Na semana desde que eles chegaram na |Morada dos Dragões|, dia após dia, Fina seria colocada para criar sua resistência básica e passava por um treinamento básico de magia.

Mas sob a tutela do Dragão de Marty, Rudel estava aprendendo as habilidades necessárias para ser um Dragoon. Ele já tinha aprendido todos os segredos que ela sabia sobre as carícias e o Dragão não tinha mais nada para ensinar a ele. Mas havia muitas coisas que ele tinha que aprender quando se tratava de Dragoons.

Assim que Fina foi lançada no lago, Rudel se virou para encarar o Dragão mais uma vez.

[Dragão da Água]: (“Você é gentil demais. Trate ela assim e essa Princesa nunca vai avançar”)

(Rudel): “Eu sei, mas ela ainda é uma Princesa, então eu não acho que posso ser mais severo do que isto”

[Dragão da Água]: (“Você acha? Quando aquele Príncipe idiota usou sua boca para dizer coisas estúpidas como querer montar nas minhas costas, Marty socou ele e correu para esta floresta comigo… com todos nós”)

Enquanto o Dragão de Marty era o Dragão da Água, ela também era a chefe dos Dragões no momento. Se a chefe dissesse que ela estava indo para casa, então até os Dragões com contratantes iriam segui-la.

Isto não infringia a promessa entre humanos e Dragões quando o contrato era feito. Um Dragão prometia emprestar seu poder, mas não era como se ele tivesse que obedecer. A pessoa que cancelou o contrato de Marty foi o Príncipe, e Marty voltou para a floresta com todos os Dragões.

[Dragão da Água]: (“O rosto desse cara quando nós falamos que íamos para casa foi uma obra de arte! O palácio foi destruído enquanto estávamos nisso e eu passei quase dois meses aqui com Marty. Aquele Marty, ele conseguiu uma saia de grama e uma lança e se divertiu com isso por todo o caminho”)

De acordo com o Dragão, a Família Real levou seus Cavaleiros para todos se desculparem depois de dois meses. Mas isso foi uma desgraça para o nome de |Courtois| e a verdade foi deturpada antes que isso fosse relatado.

(Rudel): “Ah, eu li algo sobre isso em vários livros. Mas eles não diziam nada sobre Marty-sama, sabia? Eles diziam que ele chocou a Realeza, mas ele nunca foi punido, então eu pensei que isso pudesse ser uma mentira”

[Dragão da Água]: (“Mentira? Do que você está falando? Marty era jovem nessa época e ele era incrível! Ele era velho quando eles mandaram ele se aposentar, mas mesmo assim, Marty era incrível”)

Se lembrando disso, o Dragão continuou a falar dos bons tempos. Rudel estava encantado ao ser capaz de escutar o Dragão que ele admirava. Mas para Fina, que rastejou para fora do lago (e também para Mii e Sophina), só parecia que ele estava falando sozinho.

Depois disso, Rudel iria ocasionalmente soltar uma voz de surpresa, às vezes desvendando técnicas e às vezes falando sobre como ele iria lidar com Fina. As três inclinaram seus ouvidos cheias de terror.

Mas Fina estava chateada e assim que ela se cansou de sentir medo, ela tentou testar suas carícias em Mii. Assim, mesmo tendo levado algum tempo, o rosto de Mii de fato ficou vermelho.

(Mii): “P-Princesa, mais do que isso é… eu… eu estou me sentindo estranha!!”

Com seu corpo se contorcendo em um instante, Mii caiu onde estava.

Sophina olhou para o rosto sem expressão de Fina nesse momento, mas ela iria dizer mais tarde a seus homens que quase parecia que ela estava rindo.

(Fina): “F-fwahahaha!! Parece que eu também posso fazer isso. (O que foi isto? Então eu posso fazer isso se eu tentar!? Se é assim, então mesmo sem o mestre, meu objetivo… eu posso me tornar a governante do fofuraíso!!)”

(Sophina): “Pr-Princesa, onde você está indo?”

Se sentindo confiante, sem expressão nenhuma, Fina contou a Sophina.

(Fina): “Não é óbvio Sophina? Até este ponto, eu precisava da técnica do mestre. Mas como eu estou agora, eu serei capaz de cumprir meu objetivo. Eu não preciso mais do meu mestre. Não, eu não preciso mais de Rudel”

(Sophina): “Do que você está falando!? Princesa, se recomponha!! Rudel é um indivíduo indispensável para o futuro do país, certo? Dizendo que você não precisa dele… e quanto aos planos que você preparou!?!?”

Fina, sem expressões, mostrou suas costas para Sophina enquanto seguia para Rudel e o Dragão. Se afogando em sua técnica e pisando fora de seu caminho, Fina caminhou para sua despedida.

(Sophina): “Não, não, você finalmente se tornou a discípula dele, então por que você está correndo por conta própria? Escute as pessoas quando elas estão falando com você!!”

Recentemente, Sophina perdeu boa parte de sua dignidade como uma Alta Cavaleira e ela ficou profundamente aflita pela separação de Fina e Rudel. É claro que essa preocupação veio de segundas intenções.

Atrás de Rudel, absorto em sua conversa com o Dragão, veio a voz de sua discípula afogada em sua técnica. Sentindo uma presença terrível de sua voz, Rudel se virou, olhou nos olhos de Fina e entendeu tudo.

Vendo ela com os olhos de uma pessoa que se perdeu em seu próprio poder, Rudel (que esteve sorrindo até o momento) ficou com o rosto sério.


[Dragão da Água]: (“Isto é ruim. Essa criança está com olhos de alguém que se afogou em poder. Ela tem uma noção dos fundamentos, mas eu nunca pensei que ela fosse se perder tão rápido…”)

[Sakuya]: (“Hey, Rudel, brinque comigo”)

[Dragão da Água]: (“Fique quieta e assista Sakuya. Este é um duelo entre mestre e estudante”)

Com o Dragão de Marty e Sakuya os observando, os dois humanos ficaram de pé em um tronco flutuando no lago. Nesse lugar, onde nenhum deles poderia desviar ou recuar, eles só podiam deixar suas técnicas colidirem.

Obtendo a técnica que ela desejava, Fina determinou que Rudel era desnecessário. Mas ela queria a técnica dele a seu lado, então ela disse que ele seria dela.

Rudel pensou na posição de Fina e recusou imediatamente. Nenhum deles iria recuar, então as coisas seriam resolvidas em um duelo.

(Fina): “Mestre, não, Rudel. Você não quer ser meu? Mesmo que eu seja assim, eu sou a Princesa de um país. Não há problemas com sua casa ou status. (Agora, o que você vai fazer? Não há problemas para mim se eu ganhar ou perder. Eu já tenho a técnica que eu desejo em mãos!! Agora, contanto que eu possa obter Rudel, isso será perfeito, mas eu não tenho que forçar mais do que isso!)”

(Rudel): “Eu entendo que não estou em posição de dizer isto, mas no momento, você está cometendo um erro. Eu tenho certeza que te disse que seu casamento iria criar problemas por todo o país. E você não está olhando para mim… como pensei, tomar você como uma discípula foi um erro”

Em cima do tronco flutuando livremente pela água, nenhum dos lados teve a menor contração. Só para esclarecer, Fina foi treinada em combates desde jovem. Mas no máximo, era para autodefesa e para ter certeza que ela não sofresse pela falta de exercícios.

A razão para ela achar que podia ir tão longe foi por um estado de desilusão onde ela se convenceu que poderia fazer qualquer coisa. Era um estado extremamente perigoso. Se Rudel ignorasse ela aqui, Fina iria, sem dúvida alguma, se afastar de seu caminho. Ela iria se tornar um demônio que não pararia até acariciar todos os Demi-Humanos do mundo.

Pelo bem de Fina, que se tornou a discípula dele, Rudel aceitou o duelo.

(Fina): “Rudel, se você só se satisfizesse comigo… mas você tinha que ser enganado por aquela Cabelo Preto!”

(Rudel): “Izumi não tem nada a ver com isso!”

Assim que um peixe pulou para quebrar a superfície da água, os dois se moveram. Em todas as formas possíveis, Rudel tinha a vantagem, mas Fina não tinha nada a perder. Ela via isto como nada mais do que uma cerimônia para fazer Rudel desistir. Mas assim que a distância entre os dois se encurtou, aquela que fez o primeiro movimento foi Fina.

(Fina): “Você deixou a sua guarda baixa Rudel! (Yaaay! Agora você é meu!!)”

Com toda a técnica que ela possuía, Fina exercitou suas carícias em Rudel, mas Rudel não mostrou reação. Assim que Fina entrou em pânico, Rudel gentilmente a envolveu em um abraço.

(Fina): “Po-por quê…”

Para uma surpresa Fina, Rudel declarou sua própria vitória.

(Rudel): “Eu já te disse. A parte mais importante… é o amor. Mas parece que você se esqueceu”

Assim que |Mana foi emitida pelo corpo de Rudel, uma expressão nasceu no rosto sem expressões de Fina. Seu rosto ficou vermelho. Era um rosto miserável, mas era a primeira expressão dela em sua vida. De longe, Mii e Sophina olharam para isso com descrença.

(Fina): “E-erk! (Merda, esta sensação é… o interior da minha cabeça está ficando branco… auh)”

Assim que Rudel a soltou, Fina caiu dentro do lado. Atingido pelo jato de água, Rudel silenciosamente observou o corpo flutuando de Fina. A expressão dela já tinha desaparecido, mas seu rosto tinha um leve tom de vermelho.

Os dois Dragões que assistiram o confronto tiveram reações diferentes.

[Dragão da Água]: (“Marty, seu desejo foi transmitido”)

Talvez Sakuya ainda guardasse suas lembranças ruins de Fina e mesmo ela estando feliz pela vitória de Rudel, seu estado mental estava confuso.

[Sakuya]: (“Brinque comigo também!”)

Rudel pulou no lago, ergueu o corpo de Fina e saiu da água lentamente. Assim que ele chegou a terra, ele colocou Fina em suas costas e a chamou.

(Rudel): “Como foi?”

(Fina): “… eu perdi. Eu sinto muito mestre. Eu sinto muito… eu estava errada. (Ele é mesmo incrível. Meu mestre é o melhor!)”

Rudel continuou carregando Fina enquanto seguia para Mii e Sophina. Enquanto ele caminhava, ele continuou falando com Fina em suas costas. Não com as palavras duras de um mestre, mas com palavras gentis de um companheiro.

(Rudel): “Nós dois temos muito a aprender, mas o caminho é longo. Você acha que pode continuar?”

(Fina): “Sim”

(Rudel): “Entendi, eu vou ser severo de novo amanhã”

(Fina): “Sim!”

Mii e Sophina observaram eles se aproximando, mas elas não podiam acompanhar o que estava acontecendo. Mais do que isso, Fina finalmente mostrou uma expressão, mas o problema era que foi um tipo de expressão que elas não poderiam dizer a ninguém. Não havia forma de elas relatarem o rosto deplorável de uma donzela.

(Mii): “Sophina-san, eu estava errada? Eu não posso mais entender o que a princesa quer”

(Sophina): “Que coincidência. Eu também não posso entender esses dois. Ela insistiu que isto era uma viagem pré-nupcial e disse que ela iria construir isso como se fosse uma verdade estabelecida, mas agora…”

Enquanto as duas trocavam olhares, Rudel chegou ao lado delas. Fina escutou o conteúdo da conversa, mas ela falou com elas de forma esclarecedora. Foi apenas mais tarde, depois que ela voltou para a academia, que ela se arrependeu do fato de não ter estabelecido uma verdade.

Mas nesse momento, ela estava completamente satisfeita.

(Fina): “Vocês duas, casamento é um ritual sagrado. Não é algo que possa ser feito com tais motivos impuros. Sophina, você quase passou da idade, então por favor, leve isso um pouco mais sério”

Os cabelos da cauda e orelhas de Mii se arrepiaram enquanto ela arregalava os olhos. A Princesa de seus ideais estava diante dela. Em lugar nenhum ela poderia ver a forma de Fina, que iria assediar sexualmente ela.

Foi neste momento que Mii temeu Rudel do fundo de seu coração. Você definitivamente não poderia ir contra ele. Ela precisava dizer isso a seu clã…

Mas com o assunto de sua idade núbil[1] sendo mencionada, Sophina não tinha tempo para pensar nisso. O fato que mais a preocupava foi apontado por Fina, que normalmente era a pior. Humanos recebem um dano maior quando eles são atingidos com a verdade. E pela pior pessoa possível… ela estava cheia com um sentimento que fervia por dentro, mas ela baixou sua cabeça e se controlou.

Vendo Sophina se contorcendo pela raiva, Rudel teve um mal-entendido. Por seus olhos injetados de sangue e seus punhos trêmulos, ele pensou que ela estava tensa. O cabelo dela perdeu seu brilho e ele concluiu que ela acumulou algum estresse. Com sua promessa com Izumi, ele se lembrou que não poderia acariciar ela, mas ele pensou que qualquer outra coisa estaria permitida.

Ele não poderia acariciar, mas Rudel estava crescendo a cada dia. Não haveria problemas com uma massagem. Se ele pudesse dizer, ele diria que era uma ideia maravilhoso. Assim, depois que ele desceu Fina de suas costas, ele foi realizar isso.

(Rudel): “Sophina-san, você parece exausta. Eu te fiz me acompanhar por puro egoísmo, então você não me deixaria te fazer uma massagem?”

(Sophina): “Ha? O que você… espere! Tire suas mãos daí!! Ah”

A voz lasciva de uma mulher ecoou pela |Morada dos Dragões|. Ela foi pega de surpresa, mas nos momentos seguintes, o humor de Sophina chegou ao ponto mais alto de todos.


[1] Núbil significa que a pessoa tem idade para se casar.