A disciplina e pai e filha

Quando Rudel voltou para o alojamento dos Dragoons, os membros ativos estavam esperando por ele.

Os integrantes da brigada que Alejandro liderava eram ⌈Cavaleiros de casas famosas. Essa era a facção de Alejandro, mas na brigada de Dragoons, que não podia fazer nada além de ser uma meritocracia[1], havia muitos que vinham de origens humildes.

A respeito de Rudel indo longe demais neste assunto, ele os chamou para pelo menos criar um espetáculo onde ele seria duro com Rudel. Isto era mais ou menos uma forma de mostrar a autoridade deles.

Eles queriam mostrar que Rudel era um Dragoon da própria facção de nobre deles. Por outro lado, os ⌈Cavaleiros de baixo status e os nobres que não entraram em qualquer facção observavam isso de longe.

Havia aqueles que lideravam casas de Viscondes[2] servindo como Dragoons em atividade, mas quando se tratava do nível de um Conde[3], o líder nunca poderia atuar nesse papel.

Para aqueles de casas com status maior do que as de Conde, aqueles sem a necessidade de sucederem suas casas poderiam se tornar Dragoons. Por outro lado, Rudel era um futuro Arquiduque[4].

Da posição de Alejandro, ele poderia adicionar Rudel a sua facção, essencialmente o colocando como líder, ou formar uma conexão. Depois de anunciar a punição rigorosa reservada a Rudel, ele calculou tão longe como salvar ele disso e vender um favor a ele.

Ele espremeu seu conhecimento que o permitiu viver em uma sociedade nobre de sua própria maneira, mas foi tudo em vão.

Vendo Enora e Falk esfarrapados, o rosto de Alejandro ficou vermelho em um instante. Um Dragão surrado era uma coisa, mas ele não poderia perdoar o fato de que as roupas de sua filha pareciam estranhamente rasgadas.

Os traços de ferimentos tratados apenas fizeram ele perder sua cabeça ainda mais rápido.

(Alejandro): “O que aconteceu!? Cattleya, explique esta situação!”

Assim que Alejandro ficou abalado, Cattleya inexpressivamente se aproximou para sussurrar no ouvido dele.

(Cattleya): “Vice capitão, é melhor você se livrar dos outros. A propósito, se você não fizer isso, é você quem vai ficar em desvantagem”

Encarado por Cattleya, Alejandro acabou hesitando com a atitude imponente dela. Embora ele não demonstrasse isso em seu rosto, ele acabou acatando as ordens de Cattleya.

Mesmo que não fosse aqui, ele pensou em vender um favor, mas era este lado dele que o impedia de se tornar Capitão.


Observando Alejandro conduzindo Cattleya, Rudel e Enora de longe, Oldart deu ordens para um de seus homens.

Adivinhando a situação até certo ponto, era quase tudo como ele tinha previsto, e ele escolheu agir.

(Oldart): “Oy, vá voando até o palácio o quanto antes possível. Diga a eles que nosso pequeno Arquiduque voltou”

(Dragoon A): “Sim senhor!”

Assim que o ⌈Cavaleiro foi mandado embora, Oldart seguiu até seu próprio Dragão. Enora não voltou antes para informa-los sobre o retorno de Rudel, além disso, tanto ela quanto seu Dragão estavam em terrível estado.

Embora Sakuya não estivesse ferida, havia fuligem em suas escamas.

Ele não sabia o motivo para o Dragão de Cattleya ter voltado primeiro, mas Oldart tinha uma ideia geral do que estava acontecendo.

[Oldart]: (“Aquela garota Enora surtou com Rudel ou Cattleya. Como eles não estão se reportando… Cattleya planeja esconder isso?”)

Quando se tratava da própria Cattleya, embora houvesse alguns problemas com sua personalidade, ele a via como competente. E vendo como Cattleya não reportou isso logo quando voltou, ele tinha uma vaga suspeita de que algo tinha acontecido.

Ele pensou que algo estava errado no momento que Sakuya e Falk se aproximaram do campo de treinamento, quando os Dragoons de patrulha apressadamente correram até ele.

Oldart chamou alguns de seus subordinados e passou algumas ordens a mais.

(Oldart): “Oy, assim que o futuro Arquiduque terminar de conversar com o Vice capitão, traga ele até mim. Eu vou levar ele direto para o palácio, então dê ao Vice capitão meus cumprimentos. Enquanto você estiver nisso, chame o antigo Capitão e Vice capitão também”

(Dragoon B): “Sim senhor! Mas Capitão, o Vice Capitão sabe sobre este assunto?”

Assim que um ⌈Cavaleiro fez uma pergunta para a ordem de Oldart, Oldart deu uma risada maliciosa.

(Oldart): “Mas é claro que ele sabe. Eu vou estar no palácio por um tempo, então leve todos os pequenos assuntos para o Vice capitão. Tenho certeza que nossos predecessores serão capazes de fazer algo sobre ele”

Alejandro tinha um senso de hostilidade contra Oldart, se recusando a obedientemente escutar suas ordens. Mas se o Capitão e Vice capitão anteriores estivessem envolvidos, a história seria diferente.

Empurrando seu trabalho para Alejandro com sucesso, Oldart estava de bom humor.

Com passos rápidos, ele seguiu até seu próprio Dragão, seus homens viram ele partir enquanto suspiravam.


Em uma sala de reuniões no campo de treinamento, Rudel observava Alejandro descarregando sua ira em Enora.

Levando as cadeiras e a mesa com ela assim que ela voou pelo ar, Enora desmoronou impotente no chão. Enquanto Rudel tentava o impedir, Cattleya o segurava.

Ela estava calmamente olhando para Alejandro e Enora.

(Alejandro): “Su-sua filha estúpida! Embora sendo uma Dragoon orgulhosa, que tipo de desgraça você…”

Através de seus cabelos bagunçados, Enora olhou para a ira de seu pai. Mas sem poder para responder, ou talvez sem ter a intenção, ela não abriu sua boca.

(Alejandro): “Não apenas você usou um Dragão em um assunto pessoal, você atacou uma superior? Sua mente está sã!?”

Agarrando sua filha caída pelas golas de suas roupas, Alejandro a ergueu. Incapaz de continuar observando, Rudel se intrometeu para colocar um fim a isso.

(Rudel): “Vice capitão, mais do que isso é…”

Mas assim que ele avançou, Alejandro gritou com ele.

(Alejandro): “Isto é um problema entre pai e filha! Mantenha sua boca fechada!”

Com essas palavras, Rudel acabou dando um passo para trás. Diante da relação de pai e filha que ele não poderia compreender, ele refletiu sobre que tipos de palavras ele deveria dizer.

Tendo mal falado com seus pais durante sua vida, Rudel só poderia apertar seu punho e abaixar sua cabeça.

Então, coçando sua cabeça, Cattleya entrou na conversa.

(Cattleya): “Vice capitão, isto não é mais apenas um problema entre pai e filha. Tanto eu quanto Rudel somos vítimas e sua filha é a agressora. E enquanto minha casa é a casa de um Visconde, Rudel é da casa de um Arquiduque… a ⟦Casa Campbell também é uma casa de Visconde, não é?”

Embora Rudel não se importasse, status era algo que um nobre não poderia ignorar. Mesmo que eles fossem Dragoons, eles ainda eram simples ⌈Cavaleiros e, de todas as coisas, Rudel era a vítima neste assunto.

(Alejandro): “… minha filha vai cometer suicídio”

Com o murmúrio lúgubre de Alejandro, Rudel arregalou seus olhos. Mas talvez ela ainda não tivesse entendido isso, pois Cattleya não mostrou nenhuma surpresa.

(Rudel): “Po-por que isso!?”

Não foi Enora, mas Rudel quem se aproximou de Alejandro. Havia raiva misturada em sua voz, uma rara visão para o normalmente cortês Rudel.

(Rudel): “Eu sou grato que você não torne isso um assunto público. Mas isso não resolve a situação”

Rudel não poderia perdoar a explicação de Alejandro. Esse não era um problema que ele tinha o direito de se intrometer, mas ele se lembrou da razão que ela deu para atacar Cattleya que ele escutou no caminho de volta.

(“Eu queria ser reconhecida”)

As emoções deturpadas de Enora terminaram de forma lamentável, ainda assim, ele não poderia aceitar isso.

(Rudel): “Você quer dizer que um pai pode pedir para sua filha morrer!?”

(Alejandro): “De qualquer forma, isso é o que vai acontecer! Se é isso o que vai acontecer, então se eu, seu pai, for aquele que vai fazer isso, nós ao menos teremos uma desculpa para dar a nossos ancestrais”

Antes que Cattleya pudesse impedi-lo, Rudel saltou.

Seu punho direito afundou na bochecha esquerda de Alejandro e, no instante seguinte, Alejandro estava voando pelo ar. Desta vez, Cattleya arregalou seus olhos pela surpresa.

(Cattleya): “O q-que você está fazendo!?”

Talvez por nunca considerar que Rudel fosse soca-lo, Cattleya prendeu ele no chão. Enora também estava surpresa pelas ações dele.

(Rudel): “… não ser reconhecido é realmente doloroso. Não ter ninguém olhando para você é realmente horrível. Mas não ser reconhecido por aquele que você mais quer é ainda mais doloroso!”

Sendo lançado no ar, quem sabe Alejandro nunca imaginou que ele na verdade seria atingido, pois ele estava completamente indefeso. Como resultado, ele foi nocauteado com o impacto contra a parede.

(Cattleya): “Sério, o que há com você!? Que motivo você tem para atingir o Vice capitão…”

(Rudel): “Com isto, eu coloquei o Vice capitão em meu débito. Agora que eu atingi um oficial superior, isso nos deixa empatados, não é?”

(Cattleya): “É lógico que não, imbecil! Isto não é uma briga de crianças!”

Ao atingir o Vice capitão, no fim, o problema foi deixado de lado. Cattleya prendeu Rudel e o jogou em uma cela disciplinar.

Depois disso, Oldart, que ficou cansado de esperar, foi busca-lo.


(Oldart): “Gyahahaha, então foi por isso que Cattleya te jogou em uma cela. Mas deve ter sido um belo golpe. Se sentindo renovado?”

“Eu queria socar meus superiores também, mas não me bata”, assim que Oldart disse esse tipo de coisa, Rudel ficou um pouco surpreso. Ele pensou que receberia alguma punição rigorosa.

Pela atitude de Cattleya, ele não conseguia acreditar em Oldart.

[Sakuya]: (“Muh, Rudel não fez nada de ruim!”)

Sakuya apoiou Rudel enquanto ela voava, mas Oldart era incapaz de escutar a voz dela.

Temporariamente livre de sua cela disciplinar, Rudel seguiu para o palácio com Oldart.

(Rudel): “Minhas sinceras desculpas”

Depois de pensar longa e duramente sobre isso, Rudel sentiu que ele fez algo errado. Abaixando seus ombros, ele se desculpou com o Capitão Oldart. Mas ele ainda tinha que se desculpar por sua estada na |Morada dos Dragões|.

Oldart pensou que esse era um pedido de desculpas incluindo o assunto da |Morada dos Dragões|. Mas Rudel ajudou sua parceira Dragão em seu tempo de crise e ele não tinha intenção de refletir sobre isso.

(Oldart): “Bem, contanto que você repense seus atos, então não está tudo bem? Nada de bom vai surgir punindo você e, pelo contrário, não foi bom que você colocou Alejandro em débito com você? Você provavelmente não deveria ter batido nele, mas comparado com o que Lady[5] Enora passou, isso não é nada”

Assim que Oldart disse isso audaciosamente, Rudel foi preenchido por uma sensação de alívio. Mas pela atitude de Cattleya, ele ainda se perguntava se havia algo errado.

(Rudel): “Esse é mesmo o problema?”

Entendendo que ele não estava em posição de dizer nada sobre isso, Rudel estava preocupado pensando que tinha desrespeitado a lei e a ordem.

(Oldart): “Está tudo bem. Aqueles que são reconhecidos por ⌊Dragões, me excluindo, todos eles têm um parafuso a menos em suas cabeças. Só pense sobre isso… não há forma de um Dragão um dia seguir qualquer humano decente. Além de mim”

Oldart falou como se ele tivesse esquecido completamente que ele era o líder desse grupo de desmiolados. Enquanto isso, Rudel estava enviando a ele um olhar de admiração.

(Oldart): “Não é como se aquele Alejandro odiasse Lady Enora. Ele ama ela de sua própria maneira… bem, como punição, eu acho que ela vai ficar nas celas disciplinares por uma semana como você?“

(Rudel): “Eu sei que é estranho para eu dizer isso, mas nós vamos mesmo ser liberados só com isso?”

(Oldart): “Como. Eu. Estava. Dizendo. Você é um caso especial. Eu não posso tratar você da mesma forma que os outros. Mas pessoalmente, eu realmente me sinto culpado”

Assim que o rosto de Oldart ficou sério, Rudel corrigiu sua postura. Ele já tinha escutado que Oldart tinha habilmente lidado com os casos dele e Enora.

Entre piadas, ele riu pela forma como ele só estava diminuindo sua força de combate e aumentando seu próprio trabalho. Mas até Rudel entendia que Oldart estava sendo prudente.

Naquele acidente com as notas e neste caso da fuga do Dragão, Oldart queria até se desculpar ele mesmo.

A inveja e ciúmes contra um futuro Arquiduque levaram a uma avaliação mais rigorosa para Rudel. Acima disso, o próprio Rudel era o ⌈Cavaleiro Branco… mas Oldart disse que ele não ligava para colocar um fim na situação atual.

(Oldart): “A avaliação desta vez foi uma coisa, mas para ser honesto, esse tipo de coisa acontece todos os dias. Se eu tentar impedi-los, eles só vão te incomodar de uma forma diferente”

(Rudel): “Eu tenho certeza que sim”

Se lembrando de tudo o que aconteceu, Rudel foi incapaz de dizer que isso seria diferente. Mesmo que ele fosse visto como um futuro Rei, só isso criaria facções de oposição.

Entre os plebeus, havia muitos que se ressentiam da ⟦Casa Arses.

Ele não era apenas um indivíduo, Rudel carregava o nome da ⟦Casa Arses. Oldart estava dizendo a Rudel para mostrar competência suficiente para se livrar desse preconceito.

(Oldart): “Para melhor ou pior, você não é o melhor. E vai ser o mesmo a partir de agora… Lady Enora é uma coisa, mas nós temos esta coisa chamada status. Se este incidente fosse cometido por um ⌈Cavaleiro normal, tenho certeza que cabeças voariam. Rudel, você não deve se esquecer disso. O que você está buscando é algo excepcionalmente grande”

(Rudel): “… eu só queria virar um Dragoon, isso é tudo o que eu queria. Bem, quando eu tentei, as pessoas ao meu redor nem tentaram me reconhecer por isso. E agora que eu virei um, eu comecei a pensar sobre várias coisas ultimamente. Olhando para isso agora, foi um pouco idiota”

Chegando tão longe, Rudel se lembrou de sua juventude. Todos riram dizendo que isso era impossível. Todos disseram que seria impossível para ele. E era quase como se até mesmo o mundo não tentasse o reconhecer.

Com tudo isso, os rostos daqueles que o reconheceram surgiram em sua cabeça.

Rudel gentilmente acariciou as costas de Sakuya. Se lembrando de sua promessa com Sakuya, ele olhou para frente com olhos cheios de determinação.

(Oldart): “Os sinceros sonhos de um jovem homem são de fato algo belo. Mas entenda, agora, você é apenas um Dragoon. É melhor que você se lembre disso… muito bem, isso é o bastante para a bronca. É melhor que você pense em algumas palavras mágicas para se explicar para o Rei e seus homens”

(Rudel): “Está tudo bem! Esta é a minha segunda vez!”

Se lembrando de seus dias como estudante, Rudel respondeu Oldart com honestidade. Mas talvez a resposta que ele esperava não apareceu, pois Oldart estava um pouco confuso.

(Oldart): “É-é mesmo…”

Oldart olhou para Rudel e pensou um pouco.


Era uma instalação usada pelos Dragoons e Enora foi colocada em uma cela disciplinar.

No canto da sala estreita, Enora se sentou encolhida, enterrando seu rosto no espaço entre seus joelhos. As roupas que ela vestia foram trocadas das vestimentas de uma ⌈Cavaleira para as roupas toscas de uma prisioneira.

Poucas horas depois que ela foi colocada na cela, ela escutou a aproximação de um único par de passos. Enora conhecia esses passos, eles eram passos que fizeram ela se encolher ainda mais.

Enquanto ela encolhia seu corpo o máximo que podia, esses passos pararam diante dela.

(Alejandro): “Que deplorável é isso”

(Enora): “…”

Enora não poderia responder, mas seu corpo estava tremendo.

(Alejandro): “Parece que Oldart conseguiu se livrar do problema. Seus pecados serão perdoados apenas com esta cela… … … … eu sinto muito”

Depois de dizer apenas isso, Alejandro caminhou para longe da cela. Como se guiada por essas palavras inesperadas, Enora foi até a entrada de sua cela, chamando seu pais.

(Enora): “Pai, eu-eu…”

Se virando para sua filha adulta, Alejandro simplesmente acenou com a cabeça. Ela notou que aquele “deplorável” era uma palavra que ele dirigiu para ele mesmo.

“Eu sou um homem pequeno. O antigo Capitão e Vice capitão tinham algumas palavras pesadas para mim… por Deus, eles realmente cuidaram deste trabalho. Eu devo me desculpar com você também. Você é uma filha boa demais para mim”

Ele deu um sorriso sem graça e, depois de dizer isso, ele seguiu seu caminho. Parecia que ele estava com uma cara bem incomodada, mas ele não iria deixar que ela visse seu rosto todo.

Enora, ao escutar essas palavras, se agarrou nas barras de ferro e deixou suas lágrimas escorrerem.

(Enora): “Desculpe, eu sinto muito… pai…”


O Capitão e o Vice capitão deixaram um registro desse dia.

Nos anos que viriam, eles foram usados como documentos para provar o comportamento sem precedentes de Rudel, mas isso é certamente um conto para outro dia.

“– Quando eu disse a ele para pensar em uma desculpa para o Rei como uma brincadeira, ele disse que estava tudo bem porque essa era sua segunda vez”

“– Quando eu sucumbi a ira e bati na minha filha, Rudel me atingiu. Minha bochecha esquerda está inchada. Isso dói. Eu não posso aparecer em público”

Se tornando um Dragoon e entrando em suas fileiras com sucesso, a lenda de Rudel continuou como segue…

“– Ele destruiu as instalações do campo de treinamento em seu primeiro ano. Depois disso, seu Dragão fugiu e ele mesmo passou alguns meses na |Morada dos Dragões|. Ele socou seu oficial superior e, depois disso, no palácio… no evento de apresentação…”

Com metade de seu primeiro ano ainda por vir, ele já tinha criado várias lendas.

Esses documentos iriam passar por um terrível escrutínio[6] em anos futuros. Foi determinado que eles estavam muito longe da realidade.

Sua segunda vez se explicando para o Rei e socando um oficial superior. Não foi por muito, mas eles não eram os eventos mais confiáveis.

Normalmente, ele deveria ter passado por severas punições, fazendo esses eventos serem considerados invenção.

Mas assim que outros documentos detalharam ainda mais ações absurdas de Rudel, a linha entre verdade e ficção rapidamente perdeu sua nitidez.


[1] Meritocracia é uma palavra que estabelece uma ligação direta entre mérito e poder. Pode ser entendida como um princípio de justiça, às vezes qualificado como utópico; mas pode também ser considerada como um instrumento ideológico que permite legitimar a desigualdade dentro de um sistema político. Um modelo meritocrático é um princípio ou um ideal de organização social que tende a promover os indivíduos dentro de diferentes corpos sociais – escola, universidade, instituições civis ou militares, mundo do trabalho, administração pública etc. – em função do mérito (talento ou aptidão, trabalho, esforço, competência, inteligência, virtude) de cada um, e não em função da origem social (classe), da riqueza ou das relações individuais (fisiologismo, nepotismo ou cooptação).

[2] Visconde é um título nobiliárquico de categoria superior à de barão e inferior à de conde.

[3] Conde é um título nobiliárquico existente em muitas monarquias, sendo imediatamente superior a Visconde e inferior a Marquês. Inicialmente, na Idade Média, era o senhor conde feudal, dono de um ou mais castelos e de terras denominadas condado, mas posteriormente, a partir do século XIV, o título nobiliárquico foi utilizado apenas como grau de nobreza.

[4] Arquiduque era o título nobiliárquico dos membros da família imperial austríaca e da família imperial do Sacro Império Romano-Germânico (962-1806), os von Habsburg. Nunca existiu um trono arquiducal: um arquiduque seria para sempre o imperador soberano. É título imediatamente superior ao de Grão-Duque e inferior ao de Infante.

[5] Lady (“senhora” ou “dama” em português) é um título nobiliárquico britânico, sendo o feminino de Lorde (“Lord“, em inglês).

[6] Escrutínio é um exame que se faz minuciosamente em algo.