As fronteiras e a academia

(Izumi): “Eu sinto muito, você teve até que carregar as minhas bagagens”

Alto no céu, Izumi estava montada nas costas de Sakuya, chamando Rudel atrás dela.

Eles estavam a caminho de |Beretta|, na fronteira do |Reino|, e Izumi estava acompanhando Rudel para o destacamento dele como uma Inspetora Especial.

(Rudel): “Não se preocupe com isso. Um aumento de peso deste nível é insignificante para Sakuya”

[Sakuya]: (“É-é fácil”)

O coração de Izumi doeu ao ver Sakuya soltando uma voz consideravelmente aflita. Como uma subespécie do ⌊Dragão Gaia, Sakuya tinha o mérito de ser capaz de carregar enormes quantidades de carga. Mesmo a capacidade de carga de um ⌊Dragão Gaia comum era incomparável com os outros ⌊Dragões.

Por essa razão, quando eles partiram da capital, eles foram ordenados a levar uma enorme quantidade de suprimentos com eles.

Eles estavam seguindo para uma terra que tinha acabado de começar a se desenvolver, e o atual estado da cidade era um onde era frequente os produtos estarem em falta.

Um céu azul se esticava por toda parte para abençoar a partida deles, mas Sakuya estava sofrendo com a carga amarrada nela. Eles tiveram que fazer várias paradas pelo caminho, e Izumi se perguntava se a carga era pesada demais.

[Izumi]: (“Várias sacolas personalizadas em seu pescoço, duas bolsas em cada um dos ombros… essas malas também parecem ser feitas manualmente…”)

A propósito, as malas pessoais de Izumi e Rudel estavam presas no pescoço de Sakuya. Era lamentável olhar para ela, mas Rudel estava constantemente conversando com Sakuya.

(Rudel): “Você quer descansar Sakuya?”

[Sakuya]: (“A-ainda não”)

(Rudel): “Não se force demais. Nós ainda temos muito tempo antes de eu assumir meu posto, então você pode ir com calma”

[Sakuya]: (“Sakuya vai dar o seu melhor”)

Observando Sakuya desesperadamente movendo suas asas, Izumi esfregou as costas dela.

(???): “…. eu peço desculpas por arruinar o clima, mas eu estou aqui também”

Izumi e Rudel se viraram para ver Millia sentada com um olhar irritado em seu rosto. Correto, Millia foi selecionada para se tornar a subordinada de Izumi.

Desde o início, era impossível para uma pessoa cumprir o papel de Inspetor, e ela tinha que escolher alguém. Assim, Izumi conversou com todas as suas conhecidas. Mas assim que elas descobriram que o trabalho era manter um olho em Rudel, todas as amigas e conhecidas dela recusaram.

[Izumi]: (“Não, eu sei o verdadeiro motivo, porém…”)

Além disso, elas estavam recusando com boas intenções. Com o objetivo de deixar Izumi sozinha com Rudel, elas estavam agindo de forma virtuosa.

Apenas um…

Apenas Aleist se voluntariou e implorou para ser o subordinado dela. Era provavelmente por causa de Millia.

[Izumi]: (“Nós realmente não somos assim”)

Suspirando, Izumi se sentiu um pouco preocupada que a subordinada que ela finalmente obteve foi Millia. Izumi pensou que ela iria recusar, mas ao contrário de sua expectativa, Millia prontamente aceitou a posição. Enquanto Izumi sabia que ela não tinha desistido de Rudel, não era seu direito avisar ela sobre esse assunto.

[Izumi]: (“Eu espero que nada dê errad… não, eu acho que isso não vai acontecer”)

Aleist já queria fugir do palácio… ela se lembrou do rosto dele quando suas subordinadas, as ⌈Cavaleiras, o arrastaram de volta a força.

Se ele queria se tornar um Inspetor Especial devido ao ódio do serviço de limpeza, ou se ele queria apenas perseguir Millia, Izumi notou que ele estava agindo por ambas as razões.

[Izumi]: (“Aquele Aleist está definitivamente causando problemas”)

(Rudel): “Dê o seu melhor! Dê o seu melhor Sakuya!”

[Sakuya]: (“Aaaah! Minha asa está com cãibra!!”)

“Por outro lado, este lado é meio emocionante”, pensou Izumi. Mesmo quando havia uma mulher atrás deles que os seguiu devido a emoções conflituosas, Rudel e Sakuya eram os mesmos de sempre.

… asa com cãibra…

(Izumi): “Espere! Isso é ruim, você deve aterrissar na… nwaaaaaaaah!”

O grito de Izumi ressoou pelo céu.


No fim, eles chegaram na |Cidade Portuária de Beretta| no dia seguinte.

Chegando quase no limite do tempo, Rudel deixou o descarregamento das bagagens com Izumi, se apressando para a estação de ⌈Cavaleiros sozinho.

Mesmo que ela fosse chamada de cidade portuária, ela era originalmente um lugar sem nada. Migrantes que se voluntariaram da capital e grandes cidades estavam trabalhando duro para estabelecer um porto.

Em tal situação, era impossível preparar um destacamento para cada indivíduo da brigada. Nessa terra onde tudo era insuficiente, a defesa foi deixada para um pelotão de ⌈Cavaleiros das fronteiras e dois ⌈Dragoons.

Caminhando pela estrada alinhada com casas de tijolo, Rudel observou a desajustada paisagem urbana enquanto ele seguia para o posto.

Acima das casas simples, os caminhos eram excessivamente ruins. As pessoas por quem ele passava estavam com rostos exaustos.

[Rudel]: (“A situação não está pior do que eu imaginei?”)

Ambos o |Reino de Courtois| e o |Império Gaia| eram países que você poderia dizer serem baseados em magia. Isso significava que se você usasse magia, o trabalho de uma única pessoa poderia crescer imensamente. Todos os artesãos utilizavam algum tipo de magia, espalhando sua graça.

Mas ao mesmo tempo, as cidades que existiam por eras tinham suas mãos cheias com simples manutenções. Magia era conveniente, cidades cresceriam com facilidade. Mas pensando em como manter elas, cada cidade tinha o seu limite.

Era por esse propósito que novas terras eram reivindicadas e uma cidade portuária era construída para obter produtos marinhos.

Mas pelo que Rudel podia ver, não parecia que as coisas estavam indo bem. Isto não era simplesmente devido à dificuldade de cultivar a terra. Embora eles pudessem usar magia, no fim, isso não era nada além do poder humano. E esta era uma terra que esteve desabitada até este ponto.

Havia monstros que viam o lugar como suas casas, e as reservas de |Mana das pessoas seriam gastas em combates. Diferentes de ⌈Cavaleiros experientes, mesmo que um leigo pudesse usar magia, isso tinha seus limites. Apesar disso, se um inimigo aparecesse, eles não teriam escolha além de lutar por suas vidas e, olhando para o resultado, o plano deles não estava indo bem.

Após chegar na estação, Rudel apresentou seus papéis de identificação para o soldado de vigia.

Parecia que ele era uma pessoa recrutada no local, o serviço dele era desleixado.

(Soldado): “U-umm… você é um ⌈Cavaleiro, não é? Que negócios você tem aqui hoje?”

(Rudel): “Eu deveria ser destacado aqui, começando hoje. Por enquanto, você poderia me deixar falar com a pessoa responsável pela área dos ⌈Dragoons?”

(Soldado): “Não, um…”

Rudel ficou ansioso se este soldado nervoso estaria bem, mas do fundo do posto, o superior do soldado apareceu. Ele era provavelmente o Líder do pelotão de ⌈Cavaleiros.

O corpo dele estava mais para o lado rechonchudo, mas os olhos dele eram consideravelmente afiados.

(Líder): “Você não ficou sabendo!? Minhas desculpas. Bennet está fora supervisionando a construção do porto, então se você quiser ver ela, é melhor você descer até lá. Ah, e eu vou cuidar da sua papelada”

(Rudel): “… isso está certo?”

Rudel tinha alguma resistência em entregar seus formulários para um ⌈Cavaleiro de uma jurisdição diferente.

Mas o outro lado riu.

(Líder): “Esse tipo de regulamento não chega até aqui. Nós estamos responsáveis por toda a papelada”

Entregando seus formulários para o ⌈Cavaleiro dando uma risada forçada, Rudel seguiu para o porto. Mesmo sem um guia, ele decidiu que ele seria capaz de achar o caminho contanto que ele avançasse em direção aos pontos em construção.

A própria cidade não era muito grande, e ele queria dar uma boa olhada nela.


(Fina): “O mestre deve ter chegado agora”

Agora uma quintanista, Fina olhou para o corredor enquanto murmurava.

Sua guarda Sophina buscou confirmação do assunto com os ⌈Dragoons.

(Sophina): “Isto é exatamente como você planejou, não é? Você não destacou aqueles ⌊Dragões da Água de antemão em preparação para isto?”

Antes de ser decidido que Rudel iria para |Beretta|, Fina transferiu os postos de dois ⌊Dragões da Água. Oficialmente, era pelo bem da cidade que não estava crescendo como planejado.

(Fina): “Pereça o pensamento[1]. Mesmo eu não posso ler tão longe. Se eu pudesse, minha Fofuralândia já estaria em construção… mestre, se apenas o mestre se movesse de acordo com os meus planos…”

Somente Sophina podia entender que ela estava realmente irritada.

[Sophina]: (“Se ela apenas não fosse assim…”)

(Fina): “Bem, eu mudei as posições deles, mas se você perguntar qual a influência dessa ação…”

Fina tinha preparado várias medidas anti-|Império|, e a mudança nos destacamentos de ⌈Dragoons era só uma delas. Ela destacou os competentes para a fronteira com o |Império|.

Com nenhuma autoridade própria, Fina só poderia usar seu pai Albach. Mas até Sophina podia sentir perspicazmente o enfraquecimento do poder político de Albach.

Enquanto ela queria se preparar para o |Império| o quanto antes possível, Albach era incapaz de se mover. Se Fina não se movesse por conta própria, parecia que eles não conseguiriam nem mesmo alguma informação decente. “O |Reino| está acabado”, o fato de ela ocasionalmente pensar assim era o segredo de Sophina.

(Sophina): “Eu tinha certeza que você simplesmente queria enviar uma ⌈Cavaleira da tribo dos ⌊Lobos para Rudel”

A pessoa que Sophina citou de brincadeira era uma mulher da tribo dos ⌊Lobos contratante de um ⌊Dragão da Água, Bennet. Embora houvesse vários ⌊Demi-Humanos felinos ao redor de Fina, não havia nenhum das tribos dos ⌊Cães ou ⌊Lobos. Era por isso que Sophina disse isso como uma piada.

Honestamente, ela nunca pensou em tal coisa. Era certo que a mulher era uma Dragoon competente… contudo…

(Fina): “É-é claro que não. De forma alguma isso seria verdade. Agora vamos nos apressar para a minha próxima aula”

(Sophina): “… Princesa”

(Fina): “O que foi? Você pretende fazer eu me atrasar Sophina?”

(Sophina): “Sua próxima aula é por esse caminho”

Assim que Fina se virou para a direita no corredor em forma de “T”, Sophina apontou para a passagem da esquerda. Inexpressiva e silenciosamente, Fina caminhou pelo caminho que Sophina instruiu.

Confirmando seus arredores e vendo que não havia ninguém por perto, Sophina ordenou que suas subordinadas fortificassem a área. Essas ⌈Cavaleiras cercaram o alvo delas, Fina.

E… Sophina agarrou os dois ombros de Fina para perguntar.

(Sophina): “Então, qual é a verdade?”

(Fina): “… hmm, parece que eu não posso mentir para você”

Desistindo, Fina começou a contar a verdade. Era exatamente o que Sophina tinha considerado como uma brincadeira.

(Fina):⌈Cavaleiras da tribo dos ⌊Lobos são excessivamente valiosas. Há muito poucas entre todos os ⌈Cavaleiros de |Courtois|… sem colocar suas mãos nelas, você acha que o mestre pode se tornar o Rei das Fofuras? Não, isso é impossível. Para fazer meu mestre o Meister[2] das Fofuras… iiaaaaiaa!”

Por volta do fim, Sophina começou a sacudir Fina para trás e para frente, suas subordinadas não a detiveram. O que realmente irritou ela foi Fina usando o termo “Meister das Fofuras”.

[Sophina]: (“Esta garota definitivamente pensou que isso foi inteligente no momento que saiu de sua boca”)

Com seus óculos desalinhados, a respiração curta, Sophina sacudia Fina. Era uma cena para fazer seu sangue gelar.

(Sophina): “Você acha que esta é uma fofura[3] de piada!? Aquela que disse que estamos em um período importante foi você Princesa. Se controle logo!”

Assim que a sacudida parou, Fina continuou inexpressiva, mas para Sophina, ela parecia estar com um rosto mais afetado do que o normal. Quando ela pensou que a Princesa iria inventar uma desculpa…

(Fina): “Você precisa mudar sua forma de pensar Sophina. Não é como se eu estivesse entregando uma fofura para o Meister das Fofuras, as fofuras estão saltando nas mãos do mestre. Eu realmente nunca pensei que ele iria para o lugar da mulher da tribo dos ⌊Lobos, mas isto deve ser o destino. O Fofuraíso está dizendo a meu mestre para se tornar o Meister das FofuraaaaAAaas!”

Sophina sacudiu ela para frente e para trás mais uma vez, ela continuou a sacudindo até pouco antes da aula começar.


Enquanto isso, os professores que estavam cercando o Diretor na sala dos funcionários tinham buquês de flores em suas mãos enquanto dirigiam seus sorrisos.

(Diretor): “Parem já com isso pessoal! O que você estão tentando fazer é uma violação da regulação da escola!”

Mas apenas o Diretor que estava tentando resistir tinha um rosto pálido enquanto ele recusava a proposta deles. É claro que ele estaria assim, o cartaz disposto na sala dos funcionários dizia:

“Parabéns Pelo seu Terceiro Mandato como Diretor”

Normalmente, diretores seriam trocados depois de dois mandatos, no máximo. Ainda assim, o ambiente estava o informando que seu terceiro mandato estava decidido. O Diretor não podia entender.

[Diretor]: (“Por quê? Eles estavam normais até ontem, não estavam!? Eu já estava preparado para partir!”)

Ele se lembrou de suas preparações para entregar o cargo, as preparações que ele estava realizando pensando que esses seriam seus últimos dias. Com a graduação da geração de super-crianças problema, ele tinha voltado para esses dias nostálgicos.

Um problema menor era o fato de Fina ser uma surpreendente criança problema. Na calada da noite, ela iria soltar sons estranhos enquanto ela cuidava de sua papelada, e ela iria matar aula para vagar do lado de fora da academia. Tirando isso, era o mesmo de antes… não, pensando em como havia menos intrusos no dormitório das garotas, podia se dizer que era mais decente do que antes.

Mesmo assim…

(Professor A): “Hahaha, do que é que você poderia estar falando Diretor? Não há nenhum regulamento como esse na academia”

(Professor B): “Todos os nossos funcionários estavam profundamente comovidos, trabalhando com tal Diretor impressionante”

(Professor C): “Foi uma decisão unânime”

Embora todos estivessem rindo, seus olhos não estavam.

(Diretor): “Existe um negócio chamado acordo tácito! E eu disse que eu estava pronto para me aposentar! (Esses caras estão mentindo. Por quê? O que exatamente aconteceu com eles!?)”

O Diretor olhou para o seu aliado, o representante do diretor. O homem estava em uma idade onde, se ele não se tornasse o próximo diretor, ele não teria outra chance. O Diretor sabia que, quando seu segundo mandato foi decidido, o homem estava bastante irritado. Mas agora, “Eu vou dar o meu melhor para te ajudar”, ele murmurou com um sorriso.

(Diretor): “… alguma coisa aconteceu?”

O Diretor olhou para uma professora de vontade fraca. Essa professora causou um problema antes e ele a defendeu. Então ele sabia que ela não iria mentir para ele.

Enquanto o ambiente voltava para o silêncio, a verdade que o olhar intenso do Diretor tirou dessa professora era algo realmente pavoroso.

(Professora A): “A-a lista dos calouros do próximo ano chegou”

(Diretor): “Tenho certeza que sim. Para jovens nobres, eles entregam seus formulários de inscrição preenchidos corretamente e mais cedo. Não deveria ser um problema terminar por volta deste… não pode ser!”

(Professora A): “Minhas sinceras desculpas! Eu… eu vi. A irmã de outra mãe de Rudel-dono, eu vi o diabo… eu vi Rudel-dono nela!”

Os funcionários compartilharam suas memórias de quando Lena apareceu na academia[4]. A imagem de um irmão paparicando sua irmã era acolhedora, mas o problema residia nas frases dela.

“Eu quero lutar com Eunius-san”

“A academia é um lugar para brigar”

“Você acha que eu serei capaz de destruir uma instalação também?”

As memórias dramatizadas dos professores se espalharam com a matrícula dela. O surgimento de uma versão feminina de Rudel trouxe uma completa mudança para a calma sala dos funcionários.

Como um resultado da discussão de emergência que se seguiu, conversas sobre o diretor fazer algo a respeito surgiram. Era um resultado das habilidades do Diretor em lidar bem com coisas inúteis.

“Ah, isso é impossível para mim”, o representante do diretor foi tão longe a ponto de dizer isso, recusando o assento de diretor logo no início.

(Diretor): “Nã-não brinquem comigo. Não importa como vocês olhem para isso, vocês não deveriam ficar em guarda antes mesmo de conhecerem ela. Ela pode na verdade ser uma honesta e boa garota”

(Professor D): “Mesmo que ela seja uma honesta e boa garota, eu não quero outra criança problema. E eu posso dizer! Aquela garota me dá a mesma sensação de Rudel-dono e dos outros”

Todos concordaram.

Encurralado em um canto, o Diretor olhou para os papéis espalhados sobre sua mesa. Havia um documento permitindo que ele continuasse suas funções; ele já tinha recebido o selo do palácio e tudo o que ele precisava fazer era assinar.

(Diretor): “Acalmem-se! Primeiro, vamos sentar e conversar!”

(Professor E): “Nós recebemos a aprovação do palácio. Tudo o que resta é a sua decisão. Nossa vontade não vai mudar!”

Algumas horas depois, um Diretor exausto assinou os formulários. Naquela sala dos funcionários onde ele era o único com uma cara sombria, os outros funcionários se alegravam e o abençoavam.

Na academia, a graduação de Fina e a matrícula de Lena estavam se aproximando.


[1] Perish the thought é uma expressão inglesa usada (normalmente de forma irônica) para mostrar que você achou uma sugestão ou ideia completamente ridícula ou desagradável.

[2] Meister significa “mestre” em alemão. Esse termo passou a ser usado de forma informal (às vezes de forma sarcástica) pela língua inglesa para se referir a uma pessoa que tem extenso conhecimento teórico e habilidades práticas em sua profissão, negócio ou algum outro tipo de atividade.

[3] A forma como Sophina usa fluffing nessa frase é a mesma usada com o termo fucking.

[4] Lena visitou a academia com Rudel no capítulo 061.