Extra: A trovadora (Parte 02)

Correndo pela estrada principal da Capital havia um homem conhecido como ⌈Cavaleiro Negro.

(Aleist): “Me perdoem!”

Pulando pelo carrinho empurrado por um homem velho, ele mudou de direção enquanto aterrissava, desesperadamente fugindo. Consciente de suas costas, ele olhou ao redor e decidiu a direção que ele deveria seguir.

Seu cabelo loiro encaracolado se esticava para trás enquanto ele corria. Seus olhos de cores diferentes eram lindos de se contemplar, azul na direita, e verde na esquerda[1]. Seu corpo bem treinado agia como uma mola, o permitindo saltar livremente pela rua principal. Mas o que ele fazia uso não era apenas seu porte físico.

Ao canalizar |Mana em seu corpo, ele estava o aprimorando. Desesperado o bastante para usar qualquer meio que estivesse à sua disposição para fugir, sempre que ele passava ao lado de uma mulher, o jato de ar que ele causava erguia as saias delas. Sempre que ele estava a ponto de trombar em alguém, era sempre uma jovem mulher ou uma linda mulher mais velha.

(Aleist): “Até parece que eu iria parar aqui!!”

Berrando como se sua alma estivesse gritando, Aleist nem mesmo tentou espiar as saias levantadas. Ele continuou a desviar de todas as mulheres em seu caminho com um magnífico trabalho de pés.

As pessoas iriam chamá-lo de “Aquele desgraçado do harém”, com inveja, ciúme e ressentimento.

Mas do ponto de vista do homem em questão, esse não era o resultado que ele obteve porque ele queria isso. Aleist entendia que um harém era um privilégio especial concedido apenas aos poucos escolhidos. Isso não tinha nenhuma relação com recursos financeiros ou força. O que era mais importante era o que poderíamos chamar de qualificações para manter um harém.

… e o poder para manter esse harém, mesmo quando se ficava cercado.

Você poderia ser impossivelmente denso. Você poderia fingir que não enxergava a situação. Até pervertidos sortudos eram permitidos. Mas você não deveria jamais fugir. Um homem com a qualidade de aceitar todas as integrantes do harém… ou seja, a disposição de um personagem principal.

Aleist não tinha isso.

Antes mesmo que isso entrasse em questão…

(Noiva A): “Não fuja Aleist-sama!”

(Cavaleira A): “Qual o significado disto Capitão Aleist!?”

(Noiva B): “Essa deveria ser a nossa frase. Nós somos as noivas dele! Mesmo assim, ele parte em uma viagem com nada além de mulheres? Nem pensar!”

As mulheres perseguindo ele estavam o alcançando, mesmo quando ele corria com força total. Havia aquelas correndo com saias, e aquelas montando cavalos para persegui-lo. A maioria delas era ⌈Cavaleiras que se graduaram na academia, o Instituto Educacional do |Reino de Courtois|, enquanto as outras eram mulheres que possuíam poder equivalente.

Aleist suportou os olhos frios direcionados a ele pelos homens ao redor enquanto ele gritava com seu coração.

(Aleist): “Não, eu já tenho alguém em meu coração!”

Mas o mundo estava cheio de incertezas.

(Cavaleira B): “Se você é um nobre, apenas desista!”

(Cavaleira C): “Em primeiro lugar, aquela garota de quem você está atrás nem pensa em você!”

(Noiva C): “Aleist, só desista!”

Damas nobres, ⌈Cavaleiras integrantes de tribos das ⌊Feras, vários tipos de mulheres perseguiam Aleist. Era um sonho que muitos homens jovens teriam desejado. Mas o coração de Aleist já tinha uma dona. Uma garota ⌊Elfa chamada Millia.

Ainda assim, aquela que ele amava nunca o perseguia, ele era o único que corria atrás dela. Além disso, seu rival era mais do que adequado.

O ⌈Cavaleiro Branco Rudel. Ele sabia que esse homem não pensava nada de especial de Millia, mas mesmo assim, Millia não desistia dele. Para Aleist, isso era algo muito doloroso.

O fato de Rudel ser seu amigo íntimo só tornava o relacionamento deles mais dúbio. Mesmo assim, Aleist não desistia.

(Aleist): “Até parece que eu vou desistiiiir!!”

Não havia como dizer o que elas fariam a ele se ele fosse capturado. Imaginando que elas se certificariam que ele não poderia mais fugir, Aleist correu pela rua principal. Foi nesse momento. Assim que ele entrou no beco da rua onde os caminhos ficavam um pouco mais complicados, Aleist foi pego.

Aquela que o capturou era uma aluna mais nova de cabelo azul de seus dias de estudante… uma de suas noivas.

[Aleist]: (“Ah, acabou. Adeus minha inocência”)

A expressão de Aleist era a de alguém que tinha desistido de tudo.

Ela era Nate. Seu cabelo azul encaracolado chegava até suas costas. Sua pele pálida e olhos do mesmo azul de seus cabelos eram excepcionalmente lindos. Seu encontro com Aleist tinha sido na festa de despedida da graduação, um encontro ultrajante onde ela acabou em cima dele[2]. Mas sem que Aleist fizesse a menor ideia do que estava acontecendo, ela tinha se tornado noiva dele.

(Nate): “Que perturbador Senpai”

Nate agarrou Aleist, sorrindo gentilmente enquanto ela fazia um apelo. Você poderia chamar isso de barganha.

(Nate): “Eu só tenho um pequeno pedido, mas se você o aceitar, eu vou te salvar aqui e agora”

(Aleist): “O qu-que é? Eu não vou te dar o meu corpo!”

(Nate): “Isso soa atraente, mas desta vez é diferente. Bem, você poderia chamar isso de um problema da minha casa, ou talvez algo do tipo… há um lugar que eu quero que você vá comigo. É claro que se você for, então eu vou te salvar, e eu não colocarei as mãos em você”

Aleist se encolheu com o som de passos se aproximando, pensando um pouco antes de concordar.

[Aleist]: (“Se isso é tudo o que eu preciso fazer, é uma troca barata”)

Ele pensou e concordou, mas isso iria se provar um enorme erro.

(Nate): “Muito bem, então espere um pouco”

Nate saiu do beco, com uma voz teatral, proclamando para as mulheres que corriam para onde Aleist tinha fugido.

(Nate): “Más notícias! Senpai pulou sobre aquele prédio e seguiu por aquele caminho!”

(Noiva D): “Bom trabalho Nate!”

(Noiva E): “Não deixem ele fugir, encontrem-no!”

(Cavaleira D): “Se foi para lá que ele seguiu, eu posso usar alguns amigos das brigadas de ⌈Cavaleiros para cercá-lo!”

[Aleist]: (“Estou com medo. Elas estão me assustando. Vamos aprender a ser só mais um pouco graciosas senhoritas…”)

Assim que todas caíram na artimanha de Nate, ela acenou para ele. Aleist deixou o beco, aliviado por ter sido salvo.

(Aleist): “Você realmente me salvou”

(Nate): “Você não precisa me agradecer. Porque você vai trabalhar adequadamente em troca. Yeah, agora que eu sei que você vai me ajudar, um enorme peso foi retirado dos meus ombros”

Nate bateu em seu peito em alívio. E Aleist se lembrou que ele nunca perguntou sobre o destino.

(Aleist): “Pensando nisso, para onde estamos indo?”

(Nate): “Ah, sobre isso… para o |Reino de Celestia|. Minha casa veio de lá, e houve um pequeno pedido para nós recentemente, então eu tenho que fazer essa viagem. Eu realmente estou aliviada por você vir comigo. Quer dizer, um passo errado e nós teremos um incidente internacional em nossas mãos. Não, talvez ainda maior do que isso?”

(Aleist): “… eh?”

Diante de uma encantada Nate, o entendimento de Aleist foi incapaz de acompanhá-la.


A passagem de ar de |Courtois| para |Celestia| era, para os cinco, uma experiência nova.

Voando pelo céu aberto com um ⌊Dragão Branco com quatro asas. Seu corpo era maior do que um Dragão selvagem comum. Com o tamanho de seu corpo e asas, seus braços também eram grossos e robustos. Mas se você dissesse tal coisa, você machucaria essa jovem donzela que era o Dragão.

Entre os Dragoons, a mais famosa parceira ⌈Cavaleira… montando as costas de Sakuya, o rabo de cavalo de Izumi Shirasagi balançava com o vento. Seu cabelo sedoso balançava para frente e para trás. Normalmente, a ventania seria muito pior, mas a barreira erguida com magia protegia os cinco nas costas do Dragão.

Vindo de uma região estrangeira chamada de Oriente, Izumi era uma beldade com cabelo e olhos preto. Ela foi a colega de classe de Rudel e uma pessoa que o entendia bem.

Mais do que amigos, menos do que amantes, ambos os lados aceitavam isso.

No momento, embora ela fizesse parte da brigada de ⌈Cavaleiros de elites chamada de ⌈Altos Cavaleiros, a ela foi concedida a posição de Inspetora Especial para manter um olho em Rudel (quem causava problemas atrás de problemas). Desta vez, eles estavam indo para uma nação estrangeira, então ela vestia a roupa azul usada pelos ⌈Altos Cavaleiros. Seus peitos eram grandes o bastante para forçar suas roupas, e às vezes, olhos de inveja eram concentrados nela.

(Izumi): “O |Reino de Celestia| é uma nação pequena. Eu só li sobre ele em livros, então eu estou um pouco ansiosa por isso”

Quando Izumi disse isso, a garota com longos cabelos verdes ao lado dela murmurou desinteressadamente. Diferente de humanos, as orelhas dela se estendiam bastante. Uma mulher com as características orelhas dos ⌊Elfos… Millia olhou para Rudel com seus olhos verdes.

Izumi tinha dito que não poderia assumir o papel de Inspetora Especial sozinha, e ao chamar sua colega ex-aluna Millia, ela também se tornou uma das Inspetoras de Rudel. Nota: seus peitos modestos nunca foram alvo de nenhum olhar invejoso.

(Millia): “É aquele lugar com o enorme vulcão, não é? Eu estou surpreso que pessoas sejam capazes de viver em tal lugar. Parece sem sentido, ou quem sabe até admirável”

A declaração de Millia foi respondida por um Rudel excessivamente sério.

(Rudel): “É verdade que esse é um vulcão ativo, mas embora eu não saiba como, esse é um país que de alguma forma controla o vulcão. E como eles estão próximos de um vulcão, as fontes termais são famosas. Parece que a terra é propícia para o cultivo de frutas. |Courtois| também importa seus vinhos de fruta, você nunca bebeu um antes?”

(Millia): “É impossível para nós termos experimentado o tipo de vinho que você bebe Rudel”

Desviando seus olhos de Rudel, depois de cuspir um pouco de cinismo, ela fechou sua boca. Ela parecia ter uma natureza que não a permitia ser honesta consigo mesma, e Izumi só poderia pensar que isso não faria nada além de mal para ela enquanto mostrava um sorriso sem graça.

(Izumi): “Mas isto é uma surpresa. Eu pensei que você iria voltar para as fronteiras logo Rudel”

Com o objetivo de mudar de assunto, Izumi se lembrou do conteúdo desta missão especial. Resumindo, ao enviar um Dragoon especialmente notório, eles estavam mostrando a dignidade de |Courtois|. Devia haver algumas motivações políticas por trás desta missão, e Izumi se preocupava se Rudel seria contra esse tipo de coisa.

O trabalho deles na fronteira não tinha acabado ainda. Apesar disso, apenas eles estavam realizando tal missão decorativa. Visto que essa era uma ordem, ela sabia que ele iria aceitá-la, mas ela se preocupava com o que ele iria pensar sobre a situação.

O homem parecia bastante entusiasmado ao partir em uma missão. Mas com a pergunta de Izumi, ele ficou com uma cara só um pouco apreensiva.

(Rudel): “… eu quero esconder isto de Sakuya, mas ela ficou realmente animada quando eu a disse que estávamos indo para uma missão especial. Veja, na última vez que fizemos algo grande, ela teve que ficar vigiando a casa[3]… contanto que Sakuya esteja feliz, isso não pode ser ruim. Mesmo que seja uma missão no nível de uma tarefa simples”

Uma razão ultrajante. Ao invés da importância da missão em si, ele a aceitou para mimar seu Dragão. Ouvindo isso, Millia suspirou enquanto falava.

(Millia): “Você é o mesmo Dragoon idiota de sempre”

Izumi tocou as costas brancas abaixo dela enquanto sorria.

Às vezes, o Dragão soltaria um rugido retumbante. Para Izumi que podia escutar os pensamentos que ela transmitia, ela podia dizer que era um rugido de felicidade. A aparência dela era a de um Dragão esplêndido demais, mas Sakuya era uma criança nascida há poucos anos.

Ela era frequentemente julgada por sua aparência, mas ainda era uma criança que precisava de alguém cuidando dela.

[Sakuya]: (“Missão especial! Sakuya é forte! Sakuya é legal!”)

Sakuya cantava enquanto voava pelo céu, e Izumi e Rudel a observavam com sorrisos. Uma subespécie do Dragão Gaia que vivia dentro da terra, não era hábil em voar. Sua velocidade de movimento era muito menor do que a média dos ⌊Dragões. Mas esta era uma missão bem tranquila. Eles partiram da ocasionalmente caótica fronteira e Izumi sentia que esses tipos de missões não eram ruins para de fazer de vez em quando.

Ela se virou para o olhar de inveja que vinha de Nate.

(Izumi): “Então, que tipo de negócios vocês dois têm no |Reino de Celestia|? Se eu me lembro bem, o decreto só dizia que nós teríamos que acompanhá-los até lá e na viagem de volta, mas…”

Antes da partida deles, com um decreto oficial de uma organização chamada de Defensores, apareceram Nate e outro indivíduo. Aleist olhava para Millia e se lembrou de como Nate disse a eles no último minuto que eles iriam montar Sakuya também. No meio de sua partida ocupada, eles aceitaram o decreto e deixaram eles montarem.

Eles eram todos conhecidos e eles pretendiam confirmar a papelada enquanto estavam no céu.

(Nate): “Ah, você não precisa se incomodar com isso. Enquanto estamos nisso, eu realmente recomendo que você arranque essas coisas fora do seu pei… ow!”

Como Nate invejava o amplo peito de Izumi com um sorriso, Aleist a atingia na parte de trás da cabeça.

(Aleist): “Min-minhas desculpas Izumi-san! Esta garota não tem absolutamente nada de peito, então ela fica com inveja de pessoas com peito grande”

Aleist concluiu o assunto por ela. Você não deveria dizer essas coisas, senão Izumi só ficaria mais preocupada. Quanto aquela na mente de Aleist, Millia tinha peitos modestos, no lado oposto do espectro de Izumi.

Quando Izumi olhou para Millia, ela viu uma veia pulsando em sua testa.

[Izumi]: (“Ah, este é aquele padrão de fracasso”)

Izumi olhou para Rudel pare vê-lo cantarolando com o som de Sakuya. Ele provavelmente não tinha nenhum outro interesse. Antes que ela pudesse se tornar dano colateral, Izumi se moveu para o lado de Rudel e escutou atentamente a música de Sakuya e Rudel.

[Sakuya]: (“Você é forte, Sakuya. Incrível, Sakuya! Todoooos os inimigos vão para o chão com um golpe!”)

(Rudel): “Yeah, Sakuya, você é a melhor!”

Olhando para Rudel e Sakuya, Izumi escolheu não prestar atenção a luta acontecendo atrás deles.

(Millia): “Bom, me desculpe! Eu sinto muito por ter peitos tão pequenos!”

(Aleist): “Você está errada Millia! Ao invés de grandes, eu prefiro os mais reservados!”

(Nate): “Então isso significa que eu sou o tipo do Senpai! Millia-senpai, ser plana não é ruim, sabia? Esses pedaços de gordura só ficam entrando no caminho”

(Millia): “Quando alguém com tanta inveja deles diz isso, você não tem nenhum poder de persuasão!”

(Aleist): “Você está errada, vocês duas estão! O que é importante é o balanço, e o tamanho nem sempre…”

(Nate): “Pensando bem, Senpai, sua irmã mais velha é peituda, não é?”

(Millia): “Por que você está com esse olhar de pena para os meus peitos!?”

(Aleist): “Nate! Não faça isso! Você não deve tocar nesses!”

(Millia): “Aleist, então você estava pensando nisso também! É verdade, no fim, eu não tenho nada! Mesmo minha irmã sendo peituda, eles sempre dizem isso!”

(Nate): “… eu sei que eu não sou a mais adequada para falar, mas Senpai, você é um pouco complexada com isso”

Izumi ignorou a discussão atrás dela, mas talvez Rudel tenha ficado curioso, pois ele se virou. Olhando para a circunstância da briga deles, ele ficou com uma cara que dizia que ele não entendia o que estava acontecendo.

(Rudel): “… Izumi, o que exatamente Aleist fez de errado?”

Vendo Rudel inclinando sua cabeça, Izumi sacudiu a sua própria. Para ser completamente honesto, os erros de Aleist estavam além da conta. Quando ele tinha uma garota de quem gostava, trazer uma mulher diferente com ele era mais um de seus erros.

[Izumi]: (“Ah… ele estava errado desde o início. Bem, tanto faz”)

Desistindo, Izumi só orou para que Rudel não se tornasse o mesmo que Aleist.

(Izumi): “Não, se você não entende, então está tudo bem. Só continue do jeito que você é Rudel. Dessa forma, você vai reduzir as casualidades ao seu redor”

O honesto Rudel não entendeu, mas concordou mesmo assim.

(Rudel): “En-entendo. Eu vou dar o meu melhor”

Vendo Rudel falhando em compreender, Izumi ficou aliviada. Ele amava tanto ⌊Dragões que tinha pouco interesse em qualquer outra coisa. Mas ele tinha o status de um futuro Arquiduque, e ele obteve uma posição como um Dragoon, os ⌈Cavaleiros chamados de heróis de |Courtois|. Seria muito estranho se não houvesse nenhuma mulher ao redor dele.

Na verdade, muitas mulheres se aproximavam dele com afeição, mas com seu status e sua posição de Dragoon, ele recusava essas associações. Ele sempre deixava tudo claro quando se tratava dessas coisas, um alívio para Izumi.

… a razão para ela não sair com ele também era um problema de status.

(Rudel): “Esses tipos de missões não são ruins”

Olhando para os três animados, Rudel falou. Izumi estava de acordo.

(Izumi): “É verdade. Uma viagem despreocupada pelos céus não é nada ruim. Mas Rudel, esta é uma missão em uma terra estrangeira, então você deve ter cautela. Em, umm… várias coisas”

|Celestia| era uma nação aliada, e ela refletiu se ele poderia causar um incidente. Rudel concordou com um sorriso.

(Rudel): “Deixe isso comigo. Não é como se eu pretendesse causar qualquer problema”

[Sakuya]: (“Sakuya também está bem Izumi!”)

Ouvindo as respostas de Rudel e Sakuya, Izumi mostrou um sorriso caloroso e pensou.

[Izumi]: (“Agora eu fiquei preocupada”)

Essas foram respostas que não a deram a menor paz de espírito.


Emilio caminhava irritado por um corredor no castelo de |Celestia|.

[Emilio]: (“Droga! Foi por culpa daquele Rei inútil que confiou em outros países…”)

Ele foi notificado que |Celestia| pediu pelo destacamento de um Dragoon de sua nação aliada, |Courtois|. Os detalhes que as brigadas de ⌈Cavaleiros estavam dispostas a ouvir eram pouco mais do que uma declaração que esses ⌈Cavaleiros não eram de confiança.

Mas havia algo mais que Emilio não poderia perdoar.

[Emilio]: (“O plano deu errado. Eu tenho que fazer alguma coisa…”)

Relembrando dos eventos, o erro veio com aquele grupo de três soldados. Reunidos com o objetivo de proteger um portão que não tinha nenhum valor em particular, eles eram marginais, Soldados apenas no nome. Mas quem sabe seu reconhecimento fosse alto, apesar de seus míseros salários, eles arriscaram suas vidas para começar uma perseguição.

[Emilio]: (“Quando eles são menores do que mercenários contratados para compor números, meu plano foi…”)

Para piorar isso, esses marginais estavam seguindo Emilio. Os três estavam sorrindo. Por cima da Armadura de má qualidade que eles receberam, eles usavam até medalhas mais fajutas ainda concedidas a eles por salvarem a Princesa.

Além disso, eles subiram de posição para Soldados oficiais.

|Celestia| não era uma grande nação. Por esse motivo, eles preparavam elites como ⌈Cavaleiros, mas quando se tratava de Soldados, eles eram apenas reunidos para criar números. Normalmente, eram os ⌈Cavaleiros que realizavam as missões. Esse era um país com poucas tropas, mas havia uma razão para isso.

No passado, |Celestia| esteva em guerra com o enorme poder de |Courtois|. E como |Courtois| invadiu com seus Dragoons como sua principal força de combate, o Deus do vulcão reverenciado como o protetor do país os repeliu. Esse foi um evento de quase oitenta anos atrás.

[Emilio]: (“Se agarrando na glória passada para sempre, é porque eles idolatram aquilo como se fosse um Deus, por isso este país está arruinado!”)

A partir daí o povo de |Celestia| estava convencido que eles eram um povo protegido por Deus. Por esse motivo, a noção de que os militares poderiam ser desnecessários se espalhava como uma praga.

Embora fosse uma nação pequena, eles mantinham uma relação de iguais com |Courtois|… não, um passo errado e eles seriam subestimados, e isso se devia em grande parte a esse tipo de ocorrências.

E mesmo agora, o fracasso da brigada de ⌈Cavaleiros estava contribuindo para isso. Como as ferramentas cerimoniais foram perdidas, seria preciso algum tempo antes que a cerimônia pudesse recomeçar. Irrelevante ao populacho, a multidão ou ao castelo, essa insatisfação era direcionada aos ⌈Cavaleiros.

As brigadas de ⌈Cavaleiros permaneciam com o objetivo de manter a ordem pública, mas no ataque contra a Princesa, a população tinha suas dúvidas. Por esse motivo, a Realeza e os nobres fizeram uma nação aliada enviar um Dragoon, principalmente para enviar uma mensagem.

Quando Emilio pensou em quanta incompetência foi demostrada, isso o irritou demais.

[Emilio]: (“Por culpa desse alto escalão inútil, este país está…”)

Assim que ele pensou nisso, uma voz o chamou atrás dele. Era o grupo de três.

O enorme homem barbudo era Ben. O alto homem magro era Pono. O baixo e roliço homem era Passan. Com sorrisos esplêndidos, os três chamaram Emilio…

(Ben): “Qual o problema Capitão?”

(Pono): “Manter isso guardado não fará bem para o seu corpo Capitão”

(Passan): “Se você está com fome, vamos para o refeitório Capitão”

Quando ele pensava em como este grupo tinha entrado em seu caminho, Emilio foi tomado por uma sensação de incapacidade.

(Emilio): “… vo-vocês…”

Ele segurou sua cabeça. Mas onde foi que ele errou? Os Soldados que protegeram Cleo estavam agora destacados como subordinados de Emilio. Isto era algo que até Emilio, aclamado como um gênio, não poderia prever. Logicamente, Emilio entendia muito bem que ele não era nenhum gênio.

Ele não era mediano. Ele só tinha um pouco de talento.

[Emilio]: (“Por que o meu plano saiu tão errado? Eu não direi que foi perfeito, mas mesmo assim, eu gastei um longo tempo com a preparação”)

A cabeça de Emilio começou a doer.

… ainda assim, ele não desistiu.

[Emilio]: (“Eu ainda posso corrigir isso. De alguma forma, a Princesa… a Princesa, com essas mãos…”)

Os olhos afiados de Emilio ainda não tinham desistido.

Ele subitamente escutou uma voz exaltada de dentro do castelo. Com o tumulto, o grupo de três olhou curiosamente para Emilio.

(Emilio): “… vamos verificar isso”


Com seu voo terminado, o grupo de Rudel desceu até |Celestia|.

(Rudel): “Nós estamos um pouco adiantados em relação ao planejado”

No ponto de aterrissagem designado, os pelotões de Soldados e ⌈Cavaleiros que notaram o tumulto começaram a aparecer correndo. Tomando a forma de uma cidade fortaleza, a Capital tinha um castelo esplêndido edificado no meio.

Embora as tropas entrassem e se reunissem, eles não se aproximariam. Era algo natural. Não havia homens corajosos o bastante para verem Sakuya e pensarem em desafiá-la.

Mas enquanto eles tentavam aterrissar no local que foi escolhido para eles pousarem, ele era pequeno demais para Sakuya. Cuidadosamente manobrando-a no espaço, Rudel a elogiou.

(Rudel): “Muito bem Sakuya.”

[Sakuya]: (“Me elogie, me elogie! Me elogie mais!”)

Quando Sakuya abanou sua cauda com prazer, Izumi o advertiu.

(Izumi): “Rudel, faça a cauda de Sakuya parar. Neste ritmo, haverá dano colateral. Aqui não é |Courtois|. Se você quebrar muitas coisas, isso irá causar um enorme problema”

Escutando isso, Rudel imediatamente tranquilizou Sakuya e a acalmou antes de desmontar de suas costas. Mas então, Nate começou a guiar Aleist para algum lugar.

(Nate): “Ah, muito bem, nós temos nossa própria missão para realizar”

(Aleist): “Espere, missão? Eh!?”

Vendo Nate puxando Aleist pela mão, Rudel ficou preocupado assim que ele descobriu que o homem parecia não ter nem confirmado o conteúdo de sua própria missão. Ao mesmo tempo, ele estava curioso sobre que tipo de missão seria esta.

[Rudel]: (“Eu acho que isso não tem nada a ver comigo. Dê o seu melhor Aleist”)

Enquanto Rudel acenava com a mão para seu amigo, Aleist gritou alguma coisa.

(Aleist): “Você disse que era pessoal! De onde aquele decreto oficial veio!? Hey, você está ouvindo!?”

(Nate): “Você está sendo barulhento Senpai! Depois de chegar tão longe, só se decida! Está tudo bem, o decreto é real… sua origem é apenas um pouco duvidosa”

(Aleist): “Como imaginei!”

As preocupações de Rudel apenas aumentaram, mas este era um problema de Aleist, então ele decidiu deixar isso para lá. Ele só buscou alguma confirmação com Izumi.

(Rudel): “Izumi, o decreto de Aleist era genuíno, não era?”

(Izumi): “Não há dúvidas quanto a isso. Embora ele fosse um pouco suspeito”

Enquanto Rudel e Izumi se perdiam em pensamentos, Millia, em seu uniforme dos Defensores, olhava para a entrada da praça e falava.

(Millia): “Pessoal, parece que nossa festa de boas-vindas está aqui”

(Rudel): “Muito bem, vamos executar a missão. Vocês duas, fiquem atrás de mim. Vocês devem agir como se fossem minhas assistentes afinal”

Assim que Izumi e Millia concordaram, Rudel arrumou seu uniforme de ⌈Cavaleiro Branco feito sob encomenda enquanto ele esperava pela chegada do enviado de |Celestia|.


[1] Heterocromia (ou heterocromia ocular) é uma anomalia genética na qual o indivíduo possui um olho de cada cor. Existem três tipos de heterocromia, a completa, a setorial, e a central. A completa é aquela em que cada olho tem uma cor diferente, como por exemplo um olho castanho e o outro azul. Na heterocromia setorial há uma parte do olho de uma cor diferente, neste tipo, é mais comum apenas um dos olhos ter duas cores (ou mais). E a central é a que mais ocorre, em que a parte de cor diferente é um círculo no centro da íris.

[2] Esses eventos aconteceram no capítulo 070.

[3] No capítulo 126, Rudel partiu com seus colegas e superiores para proteger uma cidade que estava sendo invadida por monstros e Sakuya teve que ficar para trás por ordens de Bennet.