Vamos nos registrar na ⟦Guilda de Aventureiros⟧

Mesmo eu já entendendo algumas coisas deste mundo graças ao livro de Daijiro, eu sinto que seria melhor se eu aprendesse as coisas por conta própria.

É claro que não é como se eu não acreditasse no livro, mas o livro não chegou a falar sobre a taxa para entrar na cidade, nem sobre a bola de cristal que detecta o emprego das pessoas e também não disse nada sobre as habilidades que o Desempregado possui.

Não é a primeira vez que observo e experimento uma situação por conta própria. É parecido com a vez em que eu estava tentando encontrar um emprego. Eu não apenas li artigos sobre a empresa como também participei de visitas a fábricas e instalações no meu tempo livre antes de participar da entrevista.

Mesmo assim eu fui descartado por falhar no teste escrito antes de ter a chance de participar da entrevista dessa empresa de automóveis em particular.

O lugar que vem à mente para conseguir informações deveria ser uma taverna… mas eu não me dou bem com o álcool.

Mesmo eu já tendo chegado aos 20 anos de idade e ter atingido a idade legal para beber, os jovens de hoje em dia evitam álcool então não é porque você chegou aos 20 anos que você vai começar a beber automaticamente.

Eu entendo que não vai ser fácil lidar com o ambiente de uma taverna, então com o objetivo de conseguir informações, a Guilda de Aventureiros é a melhor escolha.

Assim, seguindo meu objetivo original, eu segui para a Guilda de Aventureiros.

Prédio com telhado azul. Placa com espada e escudo. Ei vi o lugar imediatamente e segui adiante.

Era uma construção de madeira. A porta estava entreaberta e havia alguns homens fortes ao redor. Não, tinha várias Onee-san lindas lá também.

… tão ansioso.

Eu fico imaginando… um cara como eu em uma Guilda de Aventureiros como essa, em nove de dez casos seria envolvido em uma situação complicada.

Mas… mas tem um monte de pessoas por aqui, então tudo ficará bem… yup.

Não é como se eu fosse ser arrastado para uma briga em plena luz do dia.

Porque eu estou sendo tão pessimista? Isso é algo trivial comparado ao nervosismo que eu sinto quando abro as portas para uma entrevista de emprego.

Eu coloquei meu sorriso de negócios e entrei na Guilda de Aventureiros.

(Ichinojo): “Com licença!”

 Eu os cumprimentei em voz alta. Eu me arrependi na mesma hora.

… merda! Sem perceber eu segui meus hábitos para entrevistas.

Imediatamente as atenções se voltaram para mim. A maioria dos aventureiros logo perdeu interesse e voltau a seus negócios, mas alguns deles ainda continuaram a me encarar.

No entanto, não parece que eu vou me envolver em algum problema, então eu respirei aliviado.

Eu segui em frente, direto para uma janela vaga e saudei a atendente.

(Ichinojo): “Prazer em conhecê-la. Eu sou Kusuno… não, Ichinojo”

Eu queria me apresentar como Kusunoki Ichinosuke, mas este é o |Outro Mundo|. Enquanto meu nome for listado como Ichinojo em meu status, eu vou me apresentar como Ichinojo.

(Atendente): “Bem-vindo a Guilda de Aventureiros. Como posso ajuda-lo?”

Uma linda mulher com cabelos castanhos e olhos de âmbar me cumprimentou.

E as orelhas dela não estão ao lado do rosto, mas sim acima da cabeça…

… as orelhas de raposa estão aqui!

Eu estava louco de alegria. Não, não é como se eu estivesse apaixonado por essa mulher-fera em especial, é só que…. hmm. É algo como o romance de um homem.

Discretamente olhando através do balcão, eu vi o relance de uma cauda. Eu fiquei hipnotizado por isso.

Mas seria suspeito se eu ficasse encarando e não me concentrasse em meus negócios logo. Eu vou entrar no modo de entrevistas.

(Ichinojo): “Eu cacei três Coelhos no caminho para cá e ouvi que posso vende-los aqui. Isso é verdade?”

(Atendente): “Sim, isso está correto. Então por favor, mostre-me seu [Certificado de Aventureiro]

 (Ichinojo): “…[Certificado de Aventureiro]?”

(Atendente): “Sim. Aqueles que mudam seu emprego para o tipo relacionado a combate no templo recebem um certificado provando que eles se tornaram aventureiros. Eu realmente sinto muito, mas não compramos nada de não-aventureiros”

… nem pensar! Isso significa que eu não vou poder comprar e vender itens na Guilda de Aventureiros enquanto eu for um Desempregado?

(Atendente): “Para empregos orientados ao combate, uma vez que você atinge o level 5 como Plebeu, o emprego de Caçador estará disponível e será o mais acessível para você atender ao nosso critério. Esse é um emprego disponível para qualquer homem adulto que pagou sua quantia de taxas prevista”

(Ichinojo): “Erm. Há outro método para se tornar um aventureiro sem ser mudando de emprego?”

(Atendente): “Não”

(Ichinojo): “Mas eu quero muito poder usar os recursos da Guilda de Aventureiros com o meu emprego atual”

 (Atendente): “Sinto muito, mas regras são regras”

… não, sem chance.

Não, esta é uma boa oportunidade. Eu já estava considerando trocar de emprego depois que o Desempregado atingisse um certo level de qualquer modo.

Pensando melhor, esta pode ser a mensagem de Deus me dizendo que está na hora de seguir em frente e conseguir um emprego no |Outro Mundo|.

(???): “Boa tarde Katyusha-san”

Enquanto eu estava em pensamentos profundos, um homem atrás de mim cumprimentou a moça recepcionista.

Era um Ojisan[1] cabeludo transbordando vitalidade. Parecia ter uns 45 anos.

(Katyusha): “Boa tarde Matthias-san. Erm. Se possível, por favor evite fazer seus negócios aqui na guilda”

 (Matthias): “Entendido. Ichinojo, certo?”

Como ele sabe meu nome? Espera. Ah. Minha voz estava bem alta então quem estava por perto deve ter escutado minha conversa.

(Matthias): “Eu ouvi um pouco da sua conversa. Você quer se registrar na Guilda de Aventureiros não importa a forma, mas você não quer mudar o seu emprego atual. Se esse é o caso, eu tenho uma boa proposta”

(Ichinojo): “… hmm?”

Um bom método? Ou será apenas um truque?

(Katyusha): “Erm. Matthias-san, como eu havia mencionado, por favor, não faça negócios aqui na guilda…”

(Matthias): “Desculpe-me Katyusha-san. Muito bem, eu vou lhe dar os detalhes, então venha aqui comigo. Fique tranquilo, eu sou um amigo da Katyusha-san. Eu diria até um grande amigo. Não há pessoas suspeitas que seriam amigas de funcionários de uma guilda”

 Não, com certeza há.

Esses que dizem que não são suspeitos são extremamente suspeitos.

Mas talvez isso seja o destino, certo? Talvez isto seja trabalho do destino igual a quando ele me deixou continuar como Desempregado?

Depois de sair da guilda, Matthias começou a me explicar enquanto andávamos.

(Matthias): “Não apenas para a Guilda de Aventureiros, até para a Guilda de Alquimistas, a Guilda de Ferreiros, a Guilda de Pescadores e muitas outras guildas que existem, você irá precisar de profissões específicas para se tornar um membro delas. Entretanto, existe um método para colher os benefícios das guildas sem trocar de emprego”

Matthias ergueu um dedo e disse.

(Matthias): “Será possível se você conseguir um representante. Por exemplo, se Ichinojo quiser vender Coelhos, você pode pedir para alguém que já é um aventureiro para vende-los no seu lugar”

 Entendi. Isso com certeza é efetivo.

(Ichinojo): “Isso não seria ilegal?”

(Matthias): “Não, não, esse é um daqueles comportamentos tolerados pelas guildas. É claro que você terá que pagar seu representante”

(Ichinojo): “Então é um sistema de comissão. Em outras palavras, Matthias seria o aventureiro que venderia meus itens para mim?”

(Matthias): “Não, não. Eu não sou um aventureiro. Eu trabalho no negócio de escravos”

Mercador de escravos?

Mercador de escravos… quer dizer… vendendo Escravos?

Uwah. Sério? Tráfico humano?

Eu fui avisado da escravidão pelo livro do Daijiro, mas eu pensei que algo assim acontecesse em uma terra distante.

(Matthias): “Ah. Mesmo chamando eles de Escravos, neste país eles não são maltratados. O dono é obrigado a lhes dar roupas, comida e abrigo e se o tratamento for ruim, o país irá punir o dono”

Matthias me explicou depois de ver que minha expressão de espanto. Hmm. Mesmo assim…

Ter Escravos ainda me daria uma imagem horrível.

(Matthias): “Minha companhia não trabalha apenas com a venda dos Escravos, nós também oferecemos aluguéis. Para aluguel, há diferenças dependendo do Escravo, mas uma hora costuma sair por cinco sense. A carne de um Coelho pode lhe render dez sense. Normalmente, a margem do aventureiro é de 30%, então se você vender três Coelhos, 30% de 30 sense, que são nove sense serão a porção do aventureiro enquanto os 21 sense restantes serão a porção de Ichinojo-sama. Entretanto, se você escolher alugar um Escravo, você ainda vai conseguir seus 30 sense e depois de pagar a taxa do aluguel de cinco sense, ainda ficará com 25 sense sobrando. A propósito, violência e atos sexuais com o Escravo alugado são proibidos“

Ah. Se é assim então com certeza não me sentirei mal.

É simples. Imagine isso como um emprego temporário.

(Ichinojo): “Por curiosidade, quanto iria custar para comprar um?”

(Matthias): “Isso depende do indivíduo, mas humanos costumam custar entre 10.000 e 30.000 sense”

 Uma a três moedas de ouro… ou quase um milhão a três milhões de ienes huh.

Mesmo não sendo barato, como é o preço de um ser humano, eu também não posso dizer que é caro.

(Matthias): “É claro que há indivíduos que possuem habilidades especiais, então esse é um preço bem genérico. Atualmente, o Escravo mais caro na minha loja é uma meio Elfa e meio Anã que também é uma Forjadora de Espadas Mágicas. Seu preço é dez milhões de sense. O aluguel custa 500 sense por hora“

O custo da hora dela seria de 50 mil ienes enquanto seu preço é de um bilhão de ienes huh.

Forjadora de Espadas Mágicasparece ser um emprego de nível superior para um Ferreiro, que é capaz de processar materiais para criar armas e ainda pode fazer espadas mágicas.

(Matthias): “Além do mais, você é obrigado a pagar um imposto. Você precisa pagar 1.000 sense todos os anos”

100 mil ienes por ano… hmm. Se este mundo tem 12 meses no ano, isso deve ser o suficiente enquanto eu conseguir guardar pelo menos dez mil ienes por mês.

Contudo, seria muito melhor pagar apenas cinco sense por vez. Não é como se eu fosse usar os serviços da Guilda de Aventureiros todos os dias.

Além disso, eu não tenho dinheiro o bastante para gastar com a alimentação de um escravo.


Nota do autor (Yousuke Tokino):

Finalmente chegou a hora para os escravos.

Isto é tudo por hoje.

A continuação será amanhã. Eu acho que irei focar na trapaça de crescimento para amanhã.

De qualquer forma, por favor, leia o capítulo de amanhã.


[1] Ojisan significa tio, mas também é usado como termo de respeito para um homem mais velho.