Eu quero me tornar mais forte

Eu acompanhei Haru de volta a loja de Matthias.

(Haru): “Muito obrigada mestre. Mesmo tendo sido por um breve período, eu gostei de poder sair depois de tanto tempo”

(Ichinojo): “Eu irei pedir por você de novo se tiver algum negócio na guilda”

Eu me curvei. E então Haru se dirigiu para os fundos e Matthias apareceu.

(Matthias): “Você voltou cedo. Parece que você não quis levar a criança ao |Labirinto|

(Ichinojo): “Mas é claro! Não foi Matthias-san quem disse que eu deveria pagar pelo tratamento dela se ela se machucasse?”

Eu respondi com uma risada.

(Ichinojo): “Bom, Haru queria ir ao |Labirinto| e eu acho que não levaria tanto tempo para levá-la, além disso, eu estou competindo por um espaço entre os aventureiros”

Ficaria tudo bem levá-la para explorar o |Labirinto| quando eu tiver derrotado mais alguns Coelhos e me tornar mais forte ao ponto de poder atravessar o |Labirinto|.

O preço do aluguel dela é de 120 sense por dia, então eu sou capaz de ganhar essa quantia em um dia.

Mesmo assim, eu continuo sendo um Desempregado. Além disso, eu sou fraco, um mero peixe pequeno.

Eu não tenho nem a força para protegê-la nem a habilidade para me exibir pra ela.

(Matthias): “Desculpe, isso não será possível”

A resposta de Matthias foi algo que eu não esperava.

(Ichinojo): “Eh?”

(Matthias): “Para Escravos neste país, eles são capazes de viver com certa facilidade e podem escolher a pessoa que desejam que os compre até certo ponto. Por exemplo, escolhendo o sexo e a idade. No entanto, isso só é possível para o primeiro ano como Escravo

(Ichinojo): “Primeiro ano?”

(Matthias): “É a lei de proteção ao mercado de escravos. Poderiam haver problemas se os Escravos colocassem critérios difíceis e complicados para não serem comprados por ninguém”

(Ichinojo): “Ahh. Entendo”

Em outras palavras, quando alguém se torna um Escravo, ele pode trabalhar duro para encontrar um dono dentro de um ano. Entretanto, uma vez que esse tempo passar, eles têm que abrir mão desse direito.

Depois que esse um ano passar, existe a possibilidade de que o Escravo seja vendido para o tipo de dono que ele mais odeia. Eles precisam se comprometer e trabalhar duro para conseguir ser vendido antes de um ano se passar.

(Ichinojo): “Erm. Eu entendi o sistema, mas continuando a conversa, que critério Haru definiu?”

(Matthias): “Yeah. O critério que ela escolheu foi um dono mais forte que ela. Porque para alguém da raça dos Lobos Brancos, o juramento de fidelidade só é feito a alguém mais forte. Jurar fidelidade para alguém mais fraco é uma humilhação pior do que a morte”

… mesmo ela tendo esse pensamento… obriga-la a me chamar de mestre…

Eu fiz algo que precisa de desculpas.

(Ichinojo): “… erm. Ainda tem algo que eu não entendi. Por que ela não pode ir ao |Labirinto| comigo?”

(Matthias): “Na verdade, há um aristocrata que deseja comprar ela. Ele é uma pessoa que dá muito suporte para a Guilda de Aventureiros

ah. Eu posso imaginar…

Resumindo, se eu convidar ela para meu grupo, eu correrei o risco de irritar esse tão “estimado” indivíduo.

Se isso acontecer eu não serei capaz de seguir uma carreira de sucesso como um aventureiro.

Quem sabe, quando nós fomos até a Guilda de Aventureiros vender os materiais, ele já sabia que eu estava esperando por Haru no lado de fora?

(Matthias): “É claro que mesmo aristocratas têm que seguir leis. Enquanto ela não mudar seu critério, se aquele nobre desejar comprar Haurvatat, ele precisará vencê-la em um duelo. No entanto, isso só é válido até o primeiro ano como Escrava dela acabar”

Então, qualquer um poderá compra-la depois que seu primeiro ano passar.

(Ichinojo): “… a propósito, em que dia ela completa um ano como Escrava?”

(Matthias): “Daqui a exatos dez dias ao meio-dia”

Matthias me respondeu com um olhar de piedade.

(Matthias): “Sinto muito Ichinojo-sama. Eu descobri que o nobre não é um aventureiro e que você não está sobre influência desse aristocrata, então eu quis, mesmo por apenas um breve momento, deixar ela experimentar o lado de fora. Escravos não podem deixar esse prédio sem um mestre”

Entendo. Então é por isso que ela queria tanto ir para o |Labirinto|.

Porque uma vez que ela seja comprada por um nobre, ela não terá a chance de sair livremente.

(Ichinojo): “… última pergunta… qual é o preço dela?”

(Matthias): “Uma garota tão bonita quanto ela normalmente custaria 100.00 sense. Entretanto, o acordo com o comprador dela, se ele atender ao requisito, será vende-la por 30.000 sense”

30.000 sense huh… é o mesmo preço de venda do [Terno de Recrutamento].

Ah. É claro… eu não planejo comprar ela.

Eu irei juntar esse dinheiro… e depois? Se eu sentir pena… eu irei ter que comprar todos os Escravos do mundo.

Eu deixei a loja e soltei um longo suspiro.

Em primeiro lugar, que méritos eu tenho para compra-la?

Com a minha trapaça de crescimento eu posso viver bem sozinho.

Como um representante para a Guilda de Aventureiros, eu posso alugar um escravo como eu fiz hoje. Definitivamente é mais barato do que pagar um imposto anual.

É verdade que ela é linda, mas eu passei apenas uma hora… não. Para ser preciso, eu só passei alguns minutos com ela.

30.000 sense por alguém assim? Três milhões de ienes?

Ha. É tão sem sentido eu estar considerando isso.

[ “Eu não posso sentir entusiasmo nas suas motivações” ]

Essas foram as palavras de um entrevistador de uma empresa de computadores.

… por que eu estou me lembrando das palavras desse entrevistador agora? Depois de tanto tempo?

[ “Sua motivação com certeza é racional e você me deu respostas esplêndidas. Porém, você consegue se imaginar seguindo essa carreira?” ]

No fim, naquela vez, eu não consegui dar uma resposta a essa pergunta.

No fim, a mensagem de oração chegou.

No meu estado atual… eu estou refletindo sobre isso?

É claro que sim, eu pensei depois de pensar um pouco.

Essa é a resposta certa para começo de conversa.

Qual o problema em pensar racionalmente?

[ “Onii, suas ações são muito irracionais. Por que você abandonou a escola? Com o seguro de vida do pai, você seria capaz de se graduar sem problemas” ]

… por que eu me lembrei das palavras da minha irmã dessa vez?

É claro que com o seguro de vida eu seria capaz de me graduar no ensino médio. Entretanto, eu queria usar o dinheiro que o pai deixou para os estudos de Miri.

Me parecia mais racional auxiliar a família só depois de me graduar, mas eu acabei fazendo o que eu fiz ao invés disso.

[ “… onii, você não se arrepende? ]

Miri parecia que ia chorar a qualquer momento quando ela me perguntou isso.

O que eu respondi dessa vez?

Eu não tenho nenhum arrependimento.

Mesmo sendo uma escolha estúpida, eu irei provar para todos que eu fiz a escolha certa.

É isso mesmo. Foi isso o que eu pensei nesse tempo. Meus pensamentos sinceros.

Se é esse o caso… o que eu quero fazer agora?

Eu vou descartar os pensamentos racionais. O que exatamente eu quero fazer?

(Ichinojo): “Eu quero comprar Haru”

 Os outros podem pensar que eu sou egoísta.

Talvez ela seja mais feliz vivendo com o nobre.

No entanto, estará tudo bem enquanto eu não me arrepender da minha decisão.

Eu estou certo disso.

O prazo acaba em dez dias… não, depois de nove dias eu irei desafiar Haru e irei vencer.

Até lá, eu preciso me preparar e ficar mais forte.

Porém, eu não tenho informações suficientes.

Se é dessa maneira, eu conheço apenas cinco pessoas nesta cidade.

Eu não posso contar com a ⟦Guilda de Aventureiros. Eu não sei onde os olhos do nobre estão.

Eu posso explicar meu plano para Matthias, mas eu não quero que Haru crie muitas expectativas.

Não tenho certeza se vou ficar mais forte.

A pessoas mais confiável deve ser a onee-san guarda do portão. Mas ela deve estar trabalhando, então é melhor não incomodar ela.

Há uma pessoa com quem eu posso contar. Como um ex-aventureiro, ele deverá ser capaz de me ensinar muitas coisas.

Assim, eu me decidi e abri a porta daquela loja.

(Ichinojo): “Vendedor(a), faça-me um homem!”

(Vendedor(a)): “Com prazer!”

 O vendedor de roupas afeminado inflou seu nariz e pulou em cima de mim.


Nota do autor (Yousuke Tokino):

Sério… péssima escolha de palavras.