Incomparável na arena

Como de costume, o interior da Guilda de Aventureiros estava lotado de aventureiros. Há aventureiros que estão lá para trocar informações, mas também há aqueles que só estão bebendo. Parece que eles compraram a bebida da loja na frente da Guilda para beber aqui. Aparentemente, as tavernas só abrem de tarde e beber sozinho não é tão bom, assim os aventureiros se reúnem para beberem juntos.

Por enquanto, eu vou vender as [Pedras Mágicas] que consegui no |Labirinto para Iniciantes|.

Jofre e Elise disseram que iriam fazer seu pedido depois de nós.

(Ichinojo): “Boa tarde Katyusha-san. Eu gostaria de vender as [Pedras Mágicas] e os materiais que eu não vendi da outra vez”

(Katyusha): “Bem-vindo Ichinojo-sama, Haurvatat-sama. Por favor, me mostrem o [Certificado de Aventureiro]

Eu passei o [Certificado de Aventureira] de Haru para Katyusha.

Então eu retirei as [Pedras Mágicas], [Bastões de Goblin], [Asas de Morcegos] e [Geleia de Slime] que adquiri no |Labirinto para Iniciantes|.

As únicas coisas que eu adquiri no |Labirinto| e não vou vender são as [Medalhas Raras] e a [Espada de Goblin].

Quando Katyusha deixou seu assento por um momento para verificar os itens, uma voz de alguém na fila atrás de nós foi ouvida.

(???): “Como sempre o |Labirinto para Iniciantes| huh. Isso é difícil, você praticamente não pode ganhar o bastante para sobreviver só com o |Labirinto para Iniciantes|. Ela é uma coitada por ter um pobretão como mestre”

O Pugilista de antes nos provocou.

Parece que ele continuou no mesmo lugar que estava desde ontem. Ele é mesmo uma pessoa com muito tempo livre.

(Ichinojo): “É tudo o que você tem a dizer?”

(Pugilista): “Huh?”

(Ichinojo): “Como você é um aventureiro de quinta categoria, até suas provocações são de quinta. Como esperado do garoto de recados do nobre-sama”

(Pugilista): “Seu desgraçado. Você está querendo começar uma briga?”

(Ichinojo): “A pessoa que quer brigar está me perguntando se eu quero brigar? Com isto você seria um comerciante de quinta também”[1]

Eu zombei dele.

(Ichinojo): “Se você quer brigar então podemos ir para a arena”

Eu usei meu polegar para apontar por cima de meu ombro para a entrada atrás de mim.

Eu vou enfrenta-lo na arena.

(Jofre): “Hey. Novato… não, novato, a arena é ali”

(Elise): “Essa é a Sala Disciplinar”

(Jofre): “É nossa segunda casa”

… pelo amor de Deus. Por favor, calem suas bocas. Eu não vou perguntar em detalhes o motivo para a Sala Disciplinar ser a segunda casa de vocês.

O Pugilista riu animado com minha sugestão.

(Pugilista): “Eu nunca pensei que seria você quem sugeriria isso, mesmo depois de ser capaz de ver meu emprego. Parece que eu vou ser capaz de ganhar uma grande recompensa do jovem mestre Oregeru”

… então o nobre que queria comprar Haru se chama Oregeru.

Que cara língua solta.

(Katyusha): “Ichinojo-sama, obrigado por esperar. O total será 32 sense. Por favor, confirme isso”

32 sense… 3.200 ienes[2] huh. Eu não sei dizer se isso é muito ou pouco, mas isso não importa agora.

Eu coletei as três bolsas de dez moedas de cobre e as duas moedas extras e as coloquei na minha [Bolsa de Itens].

(Pugilista): “Katyusha-san, por favor, prepare a arena! Este garoto quer lutar comigo!”

(Katyusha): “Eh? Por favor, esperem! Ichinojo-sama não é um aventureiro, é?”

(Pugilista): “Está tudo bem, eu não vou matar ele! Eu só vou machuca-lo um pouco. Além disso, se eu fizer o pedido não teremos problemas com as regras, certo?”

O Pugilista disse isso com um sorriso vulgar.

Como ele estabeleceu as regras, Katyusha não poderia mais reclamar.

A arena foi preparada e a taxa foi paga pelo homem que fez o pedido. 30 sense, custou 30 moedas de cobre.

Isso é caro.

Não estamos apenas eu e o Pugilista, há muitos aventureiros que estavam na Guilda e nos seguiram. Os bêbados também levaram suas bebidas.

A arena era circular com grama ao redor.

Não havia muitos assentos e ela era coberta por quatro paredes, então as lutas não podiam ser vistas por quem estava de fora.

(Katyusha): “Se a luta não for concluída em até dez minutos, a vitória será de Kakke-san”

Foi o que Katyusha-san disse. O Pugilista… que parece se chamar Kakke… deixou sua espada na grama, subiu na arena e disse…

(Kakke): “Eu não preciso de dez minutos”

Assim, eu deixei minha espada com Haru e pulei na arena.

Então, quando eu avancei, três homens entraram na arena atrás de mim.

(Ichinojo): “O que você está tramando? Não é uma luta um contra um?”

(Kakke): “Esses caras são vigias para que você não fuja”

(Ichinojo): “Entendi… tem razão. Eu odiaria ficar te devendo 30 sense. Então tome, estou te pagando”

Eu disse isso e joguei as 30 moedas de cobre que acabei de receber. Ao mesmo tempo, eu pisei com força no chão.

(Kakke): “O qu…”

Essas foram as últimas palavras do homem enquanto ele estava de pé.

Eu pisei com força no chão e me movi para frente dele enquanto acertava a palma de minha mão em seu abdômen.

Com este único golpe, o homem caiu sob seus joelhos e as moedas de cobre caíram em suas costas.

(Kakke): “Você… você também é um Pugilista?”

Eu me segurei, por isso ele continuava consciente.

(Kakke): “Heh. Eu estava certo em tomar algumas precauções. Pugilistas são mesmo fortes, mas… magia é sua fraqueza. Lembre-se disso… se você sobreviver!”

Com as palavras de Kakke como sinal… ‖Fogo Pequeno‖… eu escutei o som da magia e três bolas de fogo miradas para as minhas costas voaram até mim. Não é uma violação usar magia na arena, mas eu acho que isso é um tipo de tabu[3].

Assim… esses três tiros me acertaram.

Kakke deve estar confiante que venceu. No entanto…

Foi um pouco doloroso, mas eu estou bem.

Trocando para os meus empregos especializados em magia, minha |Defesa Mágica facilmente aumentou em 20 vezes quando comparada com um simples Pugilista.

Eu já sabia, desde o momento em que eles entraram na arena, que esses três eram Aprendizes de Mago.

(Ichinojo): “Escutem aqui, magia é para ser usada assim! ‖Água Pequena‖! ‖Pedra Pequena‖! ‖Vento Pequeno‖!”

A bola de água e as massas de pedra e vento atingiram os três Aprendizes de Mago e eles desmaiaram.

Então, eu ergui minhas mãos para o céu e liberei a magia de fogo, ‖Fogo‖.

Uma bola de fogo gigante subiu para o céu.

Ichinojo subiu de Level

Como eu usei magia, tanto o Aprendiz de Mago quanto Mago passaram de Level.

Eu olhei para Kakke.

Ele olhou para a magia subindo para o céu e…

(Kakke): “O que… o que é você!?”

… me questionou amedrontado.

(Ichinojo): “Não é um emprego que você possa nomear!”

Porque na verdade nem é um emprego…

Assim, eu agarrei Kakke pelos cabelos e olhei para sua expressão distorcida pelo medo.

(Ichinojo): “Mais importante do que isso, entregue uma mensagem minha para o nobre. Diga que eu sou um covarde que vai fugir e se esconder. Contudo, Haru… eu não vou perdoar ninguém que machuque a pessoa que é importante para mim. Mesmo que meu oponente seja um nobre. É por isso que vou deixar você viver para ser meu mensageiro”

Eu deixei meu recado e…

(Ichinojo):‖Corte‖!”

… usei minha mão como se fosse uma faca.

(Kakke): “Gyaaaaaaaaa!”

A perna de Kakke foi cortada abaixo de seu joelho esquerdo.

… a perna direita estava tremendo. O grito do homem explodiu em meus tímpanos.

Katyusha-san veio até a arena carregando um kit de primeiros socorros originalmente preparado para o meu tratamento.

Os alcoólatras vieram para a arena e aplicaram álcool no ferimento.

Essa desinfecção só causou mais dor para Kakke.

Eu desci da arena e fiquei ao lado de Haru.

(Ichinojo): “Haru… estou de volta”

(Haru): “Mestre, por favor, não exija tanto de si mesmo”

(Ichinojo): “Eu não pretendo”

(Haru): “Por favor”

(Ichinojo): “… obrigado”

Hah. Eu queria ter resolvido isso de forma mais agradável.

É bem difícil tentar atuar como alguém insuperável.

Porém, se este rumor se espalhar, o número de aventureiros que iriam nos provocar deve diminuir.

Eu não pretendo pedir desculpas para Kakke que eu acabei usando como exemplo o ferindo mais do que o necessário, mas eu ainda me sinto um pouco culpado.


Nota do autor (Yousuke Tokino):

O próximo capítulo será o último do primeiro volume.


[1] Em japonês, “começar uma briga” tem um som parecido com “vender uma briga”.

[2] Aproximadamente R$ 91,60.

[3] Tabu geralmente se refere a uma proibição da prática de qualquer atividade social que seja moral, religiosa ou culturalmente reprovável.