Pensamentos cruzando uma pequena cabeça

Nota do autor (Yousuke Tokino):

Os pontos de vista de Ichinojo e Miri são em primeira pessoa.

Os pontos de vista das outras pessoas são em terceira pessoa.


Quando nós chegamos no lado de fora do |Labirinto|, nós seguimos para a loja do Herbalista[1] em velocidade máxima.

Eu escutei ao longo do caminho que transfusões de sangue só são feitas na capital deste país.

Eles preparam Escravos apenas para extrair seu sangue e realizar a transfusão… há até casos onde o sangue é drenado até o Escravo morrer.

É uma história bem fria, mas, aparentemente, apenas Escravos que cometeram crimes sérios são escolhidos para esta tarefa.

Parece que não existe o conceito de bolsas de sangue neste mundo.

Por esse motivo, para aumentar o nível de sangue, o melhor método é beber uma medicação que produz sangue feita por Herbalistas.

Ao que parece, esse é um remédio perecível, portanto, a maioria dos aventureiros não anda com ele.

Nós carregamos Sebastan para dentro do prédio da Guilda dos Herbalistas.

Confirmando a condição dele… junto com a vestimenta de Oregeru, um grande alvoroço aconteceu, e imediatamente ervas foram prescritas e o tratamento foi iniciado.

Assim, nós vimos Sebastan ser carregado até uma sala nos fundos.

(Oregeru): “Eu estou extremamente em débito com você. Este é um presente meu”

Ele disse isso e me passou uma pequena bolsa cheia de moedas.

(Ichinojo): “… eu irei aceitar com gratidão”

Bem, metade disso pertence a Jofre e Elise.

(Oregeru): “Yup. Eu não ficaria feliz se você não aceitasse. Haurvatat, eu rezo para que ela continue bem… a propósito, eu irei algum dia me tornar mais forte. Quando esse dia chegar, eu espero que possa ter um duelo com ela”

(Ichinojo): “É bom ficar mais forte, mas tente não fazer mal as pessoas que estão ao seu redor, okay?”

(Oregeru): “Yup. Eu vou manter isso em mente”

Estou desconfortável porque não sei se ele realmente entendeu a mensagem, mas ele não é uma pessoa ruim afinal.

Assim, me pediram para levar Carol até o Posto de Troca de Escravos.

Quando eu saí da Guilda dos Herbalistas, Haru, Carol, Jofre e Elise estavam esperando.

(Ichinojo): “Sebastan deve ficar bem. Nós estamos indo para o Posto de Troca de Escravos agora, mas o que vocês dois planejam fazer?”

(Jofre): “Nós gostaríamos de passear… ou mais importante ainda… comer. Eu quero comer alguma comida deliciosa”

(Elise): “A comida em conserva não era mesmo saborosa, ne[2]

Mesmo que ela tenha feito aquela bagunça enquanto comia freneticamente, ela falou isso sem nem tentar disfarçar.

(Jofre): “Além disso, se vamos receber tudo isso, nós poderemos viver tranquilamente por um tempo”

(Elise): “Vamos viver tranquilamente, ne”

Os dois seguraram as medalhas na frente deles.

[Medalhas Raras] são itens que podem fortalecer monstros. Normalmente, você não pode obter uma delas sem derrotar monstros raros. Além disso, uma [Medalha Rara] pode ser vendida por 30 mil sense. Com 60 mil por duas medalhas, pode-se dizer que é um item bem caro.

Ela tem o mesmo valor que três moedas de ouro. Eu tenho quatro medalhas, então talvez eu deva ir vende-las também.

Enquanto eu estava pensando nisso…

(Jofre e Elise): “Ah!”

Centauro mordeu as mãos de Jofre e Elise um ] chomp [.

Quando eles instintivamente retraíram suas mãos, as [Medalhas Raras] cobertas de baba…

] Gokun [

… entraram no estômago de Centauro com essa onomatopeia.

(Jofre): “Cospe isso, cospe isso Centauro! Elas são para as nossas comidas caras!”

(Elise): “Nós estamos falidos. Por favor!”

Os dois sacudiram Centauro, mas ele os ignorou e continuou comendo as cenouras que eu preparei como isca. Eles devem estar bem zangados… ou foi o que eu pensei.

(Jofre): “Oh. Bom, pensando sobre isso, foi graças a Centauro que nós fomos capazes de obter essas [Medalhas Raras]

(Elise): “Isso mesmo. Sem Centauro, nós não teríamos chegado a essa cidade também”

Os dois pareciam ter aceitado o que tinha acabado de acontecer. Para momentos como esses, eu acho que a palavra “idiota” poderia ser usada como um elogio para eles.

Bem, é uma medalha que é usada para fortalecer monstros, então eles usaram ela do jeito correto.

(Ichinojo): “Vocês dois, eu consegui ouro de Oregeru. Metade do que eu recebi é de vocês”

Enquanto eu dizia isso, eu chequei o conteúdo da bolsa de couro.

Era uma mistura de moedas de prata e ouro em pacotes sem nem sinal de moedas de cobre.

Uma quantia decente… não, meu senso monetário foi destruído nos últimos tempos. Se fosse quando eu ainda estava no Japão, seria uma quantia considerável de dinheiro.

Era um total de 86.000 sense, então eu dividi em duas partes de 43.000 sense.

Aliás, sem eu perceber, Jofre e Elise agora possuíam [Bolsas de Itens]. Eles disseram que encontraram elas, então eu acho que eles realmente encontraram elas.

(Jofre): “Ooo. Podemos comer comidas deliciosas com isto”

(Elise): “E também podemos comprar selas para colocar em Centauro. Depois disso, nós temos que conseguir armaduras para Jofre, ne”

(Jofre): “Tem razão. Está ficando bem difícil montar nele diretamente. Por último, precisamos comprar um chicote para Elise também, na”

(Elise): “Não, se vamos comprar meu chicote, então a espada de Jofre tem prioridade. Quer dizer, Jofre é o meu Cavaleiro-sama afinal”

(Jofre): “Não, se vamos comprar minha espada, então nós precisamos conseguir um broquel[3] para Elise primeiro. É papel do Cavaleiro pensar sobre a segurança da princesa primeiro, não é?”

(Elise): “… Jofre”

(Jofre): “… Elise”

(Ichinojo):‖Corte‖

Meu ‖Corte‖ atingiu o espaço entre os dois. O poder com certeza aumentou.

Bom, esses dois já estão acostumados com isso, então eles não ficaram assustados.

(Jofre): “Vocês três querem se juntar? Vamos fazer uma celebração de vitória!”

(Elise): “Para celebrar nossa vitória! Ne, Jofre, quem nós derrotamos?”

(Jofre): “É claro que derrotamos nós mesmos! Todos os dias, nós vencemos nossa versão de ontem para viver hoje”

(Elise): “Então precisamos ter celebrações de vitória todos os dias, ne”

Yup. Ao invés de celebrações de vitória, todos os dias de vida devem ser celebrados por esses dois.

Diferente da |Sorte deles, o ponteiro no medidor de felicidade deles já deve ter explodido.

(Ichinojo): “Eu vou recusar. Como eu mencionei antes, nós precisamos ir até o Posto de Troca de Escravos, então nós estamos nos separando de vocês aqui”

(Jofre): “Entendo! Então eu desejo que vocês sejam felizes! Joooo! Haru! Carol!”

(Elise): “Sejam felizes! Joooo! Haru! Carol!”

Essas duas pessoas felizes desejaram felicidade para nós assim que montaram em Centauro.

Mesmo que as palavras deles sejam cem vezes menos adequadas comparadas as palavras da montanha de cartas que eu recebi de minhas entrevistas de emprego no Japão, elas causaram uma incomparável calma em meu coração. Eles definitivamente vão continuar a viver deste jeito.

Pessoas felizes vão trazer felicidade para aqueles ao seu redor.

Contudo, eles também vão irritar as pessoas e, na maioria das vezes, as pessoas ao seu redor não vão conseguir acompanhar a energia deles.

Seja feliz… huh.

(Ichinojo): “Você precisa viver feliz, huh”

Eu olhei para Carol… e senti que eu deveria permitir que ela vivesse com alegria.

Foi por isso que eu voltei atrás na minha decisão sobre me separar de Carol nesta cidade. Meu frágil muro de resolução desmoronou e eu construí um novo muro em seu lugar.

Vamos comprar Carol.

Então, eu me espantei quando olhei para o dedo dela.

(Ichinojo): “Eu esqueci de devolver o [Anel da Amizade]

(Haru): “… devemos ir atrás eles?”

Com o nariz de Haru, seria possível para nós perseguirmos eles, mas eu balancei minha cabeça.

(Ichinojo): “Nós com certeza iremos encontrar eles de novo. Podemos devolve-lo nesse momento”

Isso foi só um palpite. Contudo, eu iria descobrir que esse palpite estava correto em um futuro próximo.

Assim, eu fiz uma pergunta a Carol.

(Ichinojo): “Carol, você gostaria de viajar comigo?”

(Carol): “Eh?”

(Ichinojo): “Nós estamos em uma jornada descontraída. O motivo não é nada profundo. Eu tenho uma [Bolsa de Itens] e você pode aumentar seu Level como Mascate, portanto, você gostaria de viajar conosco?”

(Carol): “Mas Carol é uma Escrava

(Ichinojo): “Se for quanto ao dinheiro para comprar Carol, eu vou dar um jeito nisso. Eu consegui ouro de Oregeru e eu também tenho itens para vender. Além disso, com uma [Bolsa de Itens], eu sou capaz de ganhar mais dinheiro do que outros Mascates, então eu serei capaz de lucrar imediatamente”

(Carol): “… mas…”

(Ichinojo): “Eu não disse que você precisa dar a sua resposta agora mesmo. Nós ainda vamos continuar nesta cidade por um tempo para colocar nosso equipamento em ordem e eu planejo partir amanhã… a propósito, está tudo bem se eu decidir tudo sozinho Haru? Tem algum lugar que você quer visitar?”

Eu subitamente me senti desconfortável e perguntei a Haru, mas ela balançou a cabeça com um sorriso e disse…

(Haru): “Eu deixo tudo para o coração do mestre decidir”

Portanto, nós vamos continuar nossa jornada amanhã.

(Ichinojo): “Carol, durante esse tempo, por favor, pense com calma sobre isso”

(Carol): “Sim… muito obrigado”

Vários pensamentos devem estar cruzando a pequena cabeça de Carol agora.

Eu desejo que a resposta dela seja a escolha em busca de sua própria felicidade.

Eu pensei nisso enquanto nós três seguíamos até o Posto de Troca de Escravos.


História secundária

Um lugar onde os seis pilares das Deusas podem descer… há uma colina onde isso pode acontecer.

|Colina Kyupilas|.

Com o grande e sagrado santuário |Kyupilas| erigido há 1.200 anos.

Lá, o ⌈Herói Alessio Magnal está sob prisão domiciliar.

Prisão domiciliar é um termo usado para dizer que uma pessoa foi presa por traição contra a igreja… isso pode acabar até em execução se a punição for severa.

Mas, o ⌈Herói Alessio, considerando a posição dele, estava sob prisão domiciliar.

Subjugar o ⌈Lorde Demônio. Ele se tornou um ⌈Herói no verdadeiro sentido da palavra.

Criado como um ⌈Herói pela igreja desde o seu nascimento, ele foi enviado em uma jornada quando ele cresceu e atingiu a idade de 14 anos.

A jornada para exterminar o ⌈Lorde Demônio. Isso pode soar extremamente admirável quando falamos assim, mas ele, um garoto de 14 anos, só recebeu uma espada de prata e 3.000 sense da igreja.

“Há outros ⌈Heróis. Você não é o único ⌈Herói

Foi isso o que disseram para ele. Na verdade, os amigos, ou melhor, os antigos estudantes com quem ele passou o tempo também eram ⌈Heróis. Aqueles que deveriam se tornar ⌈Heróis graças ao destino com o qual nasceram para cumprir.

Consequentemente, eles não questionaram suas próprias circunstâncias.

Ele pensou nisso… não, ele estava consciente de quão estranho as coisas eram quando ele conheceu seus companheiros.

Mago Hack. Engenheiro Mágico Daijiro.

Se ele não se encontrasse com eles, o ⌈Herói Alessio não seria nada mais do que uma “simples peça no tabuleiro dos ⌈Heróis”.

Sem ter sua habilidade para se mover livremente, ele iria continuar sendo mantido como uma peça que não poderia sair do tabuleiro.

Contudo, durante sua jornada com seus companheiros, ele descobriu o verdadeiro significado de sua existência como um ⌈Herói. Era assim que as coisas pareciam para ele agora.

O que explicava o porquê ele não tolerava o “papel” de ⌈Herói que a igreja o deu.

Por ter apenas o direito a treinar; por não ter a permissão para sair por conta própria ou para beber a cerveja barata que ele queria experimentar quando atingiu a maioridade.

Ele pensou em fugir.

Então, um dia, ele passou por uma reviravolta. Quando o Mago Hack o visitou.

Mesmo depois de dez anos, o rosto dele não mudou muito.

Entretanto, O longo cabelo de que ele se orgulhava caiu todo e ele se tornou calvo. Ele sentiu que não seria apropriado rir disso, mas ele não conseguiu desviar seu olhar daquele ponto específico.

(Hack): “Pare de ficar encarando a cabeça dos outros Aleo. Deixando isso de lado, eu vim hoje porque eu tenho algo que quero te contar”

Hack suspirou pelo olhar dirigido para sua cabeça enquanto ele falava com Alessio.

(Hack): “… um dos selos do Lorde Demônio foi liberado. Foi aquele cara do |Reino Arundel|

(Alessio): “!?!?!?”

Levando em consideração o significado dessas palavras, Alessio ficou assustado.

Só um par de décadas, apenas esperando por mais algumas décadas e tudo deveria estar acabado, mas a realidade era que o selo já tinha sido liberado.

(Alessio): “É trabalho da raça dos Demônios?”

(Hack): “Não. Há uma estrada localizada por perto, portanto… há uma possibilidade de alguém ter descoberto o |Labirinto| secreto por acaso e coincidentemente teve sucesso em abrir a porta secreta e retirou as [Esferas Demoníacas]

(Alessio): “Isso com certeza é uma série de acasos e coincidências impressionante”

Mesmo assim, a armadilha que estava lá era do tipo clássico, então ela deve ter sido efetiva.

Além disso, ele comunicou Hack que ela foi feita de tal forma que a porta não iria abrir dentro de um ano se o invasor fizesse alguma escolha errada. Eles deveriam ter um ano para planejar sua investida.

(Alessio): “Mesmo assim, eu entendo. O selo do Lorde Demônio, huh. Com certeza vai ser problemático”

(Hack): “… apesar disso, você parece estar bastante animado”

Hack não deixou de notar o alívio no rosto de Alessio.

(Alessio): “… derrotar o Lorde Demônio é o que você pensa quando se refere a um Herói afinal. Você já avisou Daijiro?”

(Hack): “Não, ainda não… como |Mallegory|, que é onde ele está, é muito distante… ou melhor, ele está na direção oposta de |Arundel|. Sendo assim, nós devemos ver a situação o quanto antes”

(Alessio): “Isso é verdade… muito bem. Eu vou falar com o Pai Sagrado… vamos seguir em frente imediatamente”

Alessio disse isso enquanto ele abandonava todas as tarefas que ele deveria fazer e saiu do escritório.

Assim, Alessio Magnal… com 28 anos de idade, começou sua segunda jornada.


[1] Herbalista é a pessoa especialista no estudo de ervas e de outras plantas com propriedades medicinais e/ou na sua aplicação.

[2] Esse “ne” é um jeito informal para mulheres encerrarem suas frases. Ele tem o mesmo sentido de “não é?” ou “você não acha?”

[3] Um broquel é uma espécie de pequeno escudo que era responsável pela proteção contra golpes do inimigo, sendo uma peça segurada por mãos, ou segurada por encaixe no antebraço.