Fumaça subindo até o teto

A fumaça que ela exalava formava anéis enquanto eles flutuavam e desapareciam como se fossem sugados pelo teto. Enquanto isso, Quince continuava a me encarar.

Se livrando das cinzas, as borras acumuladas do tabaco dentro do cachimbo, dentro de um pote que parecia ser usado como um cinzeiro. Ela manteve o cachimbo que tinha marcas do batom roxo em um estojo de metal e meramente suspirou.

Depois da minha explicação, Quince fumou seu cachimbo como se estivesse pensando em algo, mas ela parecia ter finalmente organizado seus pensamentos.

(Quince): “A Bênção da Deusa-sama, huh… os rumores dizem que essa Torerul-sama é uma preguiçosa, mas parece que essas palavras vieram de pessoas desinformadas, mas não consigo imaginar ela se oferecendo para mudar o emprego de uma pessoa”

Quince disse isso enquanto ela olhava para mim e Haru alternadamente.

Eu achei que eu poderia enganar todos com a história da Bênção da Deusa, mas pensando melhor, as únicas pessoas que eu enganei, tirando Carol, foi um trio de idiotas.

Pensando sobre isso com calma, eu acho que a maioria das pessoas acharia estranho.

Parece que Carol voltou para seu quarto. Ela passou as dez moedas de prata, ou 1.000 sense, que ela ganhou no último andar do |Labirinto| para Quince.

(Quince): “Bem, essa criança certamente não parece mais ser uma Tentadora… isso é um problema. Ela era a minha maior fonte de renda afinal”

(Ichinojo): “Você parece inesperadamente feliz apesar de dizer isso”

(Quince): “Se você consegue perceber isso, quer dizer que eu ainda preciso melhorar muito”

Quince mostrou um pequeno sorriso enquanto ela brincava com seu estojo de metal… e gentilmente separou sua mão disso.

(Quince): “Então, o que você planeja fazer? Você quer comprar essa criança?”

(Ichinojo): “Isso depende da garota em questão”

(Quince): “Dinheiro?”

(Ichinojo): “Contanto que esteja abaixo de 100.000 sense”

(Quince): “… sua mão não é algo que você deveria mostrar com tanta facilidade… essa quantia normalmente só é obtida trapaceando no salão de apostas”

As palavras de Quince soaram como um aviso.

Normalmente, se um comerciante revela o dinheiro que ele possui para alguém… além disso, cotando um preço mais alto do que o preço de mercado, até mesmo eu sei que há uma grande chance desse comerciante ser enganado.

(Ichinojo): “Eu não trapaceei no salão de apostas. Você escutou isso de Gorsa-san?”

(Quince): “Eu não me lembro de você ter mencionado que conhecia Gorsa… bem, ele me disse. Foi a primeira vez que ele se divertiu competindo com alguém”

Quince encarou Haru…

(Quince): “Você é Haurvatat, não é? Eu ouvi falar que você poderia ser contratada pelo salão de apostas se seu dono morresse”

(Haru): “Mestre não irá morrer antes mim. Minha vida é o escudo do mestre”

(Quince): “Hahaha. Isso é admirável. Eu me pergunto o que você fez para fazer uma Escrava ficar tão ligada a você”

Quince riu animada e perguntou enquanto se aproximava de meu rosto se inclinando para frente.

(Quince): “Quem sabe você possa me ensinar para referências futuras para aqueles que comprarem meus Escravos?”

(Ichinojo): “Eu não fiz nada de especial”

É verdade. Eu não fiz nada de especial. Só aconteceu de Haru jurar lealdade para mim. E assim, eu pensei em viver para recompensar sua lealdade. Não tem nada de especial nisso, é só algo normal para se fazer.

Quince riu mais e mais alegremente como se estivesse se divertindo.

(Quince): “Não fazer nada de especial, então essa é a resposta, huh”

Ela mais uma vez pegou e abriu seu estojo de metal para recuperar o seu cachimbo.

Ela cortou a ponta do tabaco e acendeu o fogo. Fumaça subiu até o teto.

Quince inalou a fumaça de seu cachimbo profundamente e a exalou contra o teto.

(Quince): “10.000 sense são o suficiente. Porque eu não posso justificar um preço mais alto do que isso agora que aquela garota é uma Plebeia. Se você considerar que essa garota vale 10.000 sense, então por favor, compre ela”

Quince encarou a fumaça flutuando e suspirou.

O rosto dela revelava tanto alegria quanto solidão.

(Ichinojo): “Quince-san, talvez você não seja adequada para ser uma Comerciante de Escravos?”

(Quince): “Eu já estou consciente disso”

“Ha”, ela riu e mostrou um rosto sério enquanto ela mais uma vez olhava para o teto.

Ou melhor, Quince estava fingindo olhar para o teto, mas ela estava pensando em Carol que estava no segundo andar.

Graças a ‖Detecção de Presença‖, eu sabia que o quarto dela ficava diretamente em cima desta sala.

(Ichinojo): “Eu mencionei várias vezes, mas se eu vou compra-la ou não, depende da decisão de Carol”

(Quince): “Está tudo bem, essa criança deve ter bons olhos para homens”

Quince olhou para mim e disse isso cheia de confiança.

(Quince): “Ela é uma criança que eu comprei. Ou você gostaria de fazer uma aposta?”

(Ichinojo): “Quince-san, você não odeia apostas?”

(Quince): “Eu só odeio apostas que eu irei perder”

Eu também odeio perder, por isso eu educadamente recusei.

Em primeiro lugar, eu nem tenho total confiança de que irei vencer essa aposta.


O Sol já estava terminando de se pôr e as estrelas estavam começando a brilhar no céu do Oeste no momento que chegamos na Guilda de Aventureiros.

Quando nós entramos na Guilda de Aventureiros, ela já estava preenchida pelo cheiro do álcool.

Eu imediatamente pude ver que os aventureiros que receberam uma boa recompensa pelas Lagartas de Lã estavam comemorando.

Particularmente, eu não ligo para a atmosfera de comemoração, mas eu realmente não gosto deste cheiro. Haru é mais sensível ao cheiro, então eu prefiro terminar nossos negócios rapidamente e ir para casa.

Ao contrário da animação na Guilda, eu encontrei o recepcionista com cara de chateado e o cumprimentei.

Era o mesmo homem que me ajudou ontem.

Assim que ele me viu, um sorriso apareceu em seu rosto e ele falou…

(Recepcionista): “Heyyyy. Aquele cara, Giraido, está fazendo uma comoção. Algo sobre você ter conseguido uma grande conquista”

(Ichinojo): “Giraido?”

(Recepcionista): “O aventureiro que você capturou ontem. Nós não conseguimos encontrar outros crimes, então nós o fizemos atuar como guarda externo como punição e a horda de Lagartas de Lã atacou”

Ah. Então era por isso que esse cara estava naquele lugar.

(Ichinojo): “Não é algo que eu chamaria de grande conquista. A propósito, eles já descobriram o motivo para as Lagartas de Lã aparecerem na cidade?”

(Recepcionista): “Não. Ainda não. Contudo, este período coincide com a época de acasalamento das Lagartas de Lã, então há rumores dizendo que esta foi a razão”

Graças a Deus. Parece que eles não descobriram o incidente com Carol.

Estou aliviado.

(Ichinojo): “Eu quero coletar as porções da recompensa minha e de Haru. Julgando pelo estado da Guilda, eu acredito que o pagamento já foi feito”

(Recepcionista): “Yeah. Cada um conseguiu 200 sense em média, enquanto uma quantia maior foi paga para aqueles que lutaram na superfície, então vocês dois conseguiram 700 sense no total. 100 sense deste montante vieram de Giraido”

(Ichinojo): “De Giraido?”

(Recepcionista): “Como agradecimento por salvar a vida dele”

(Ichinojo): “A vida desse cara com certeza é barata”

(Recepcionista): “Não diga isso, ele ainda é um aventureiro inexperiente. Uma perda de 100 sense de seus rendimentos pode ser um grande problema para ele. Isso mostra o quão agradecido ele está”

O recepcionista disse isso e…

(Recepcionista): “Bem, os rendimentos baixos foram a razão para ele ter se juntado com aqueles companheiros para roubar monstros que outras pessoas estavam desmantelando, mas ele aprendeu com suas experiências”

(Ichinojo): “Se esse é o caso, isso é bom”

Eu recebi sete moedas de prata. Eu peguei alguns materiais e [Pedras Mágicas] deixadas pelos Minotauros que derrotei, mas eu acabei deixando a maioria delas para trás.

Eu acho que está tudo bem se eu vender elas da próxima vez.

Muito bem, vamos sair e fazer algumas compras. Eu pensei nisso e me virei em meus calcanhares para sair

Atrás de mim… Haru subitamente me abraçou.

Duas montanhas atingiram minhas costas e meus músculos se contraíram.

(Ichinojo): “Ha-Haru?”

(Haru): “Mestre… mesmo se você comprar Carol, por favor, não me abandone”

(Ichinojo): “De jeito nenhum eu iria te abandonar…”

(Haru): “Eu estou preocupada. Mestre está ficando cada vez mais forte e eu sinto que você talvez não precise mais de mim”

(Ichinojo): “De forma alguma eu não iria mais precisar de você. Até desta vez, foi graças a Haru que nós conseguimos resgatar Carol… ah…”

Quando eu me virei, os olhos de Haru giraram e giraram e ela estava dormindo com o rosto bem vermelho.

… então ela foi derrotada pelo cheiro de álcool da Guilda, huh.

Deveria existir um limite para quão fraca você pode ser com o álcool.

Fazer comprar vai ser impossível assim. O horário de fechamento das lojas também deve estar próximo.

Parece que não temos escolha além de deixar as compras para amanhã.

(Ichinojo): “Nossa”

Eu carreguei Haru em minhas costas e voltei para a estalagem.

É claro que eu não me esqueci de trocar um de meus empregos para Mulherengo.