‖Magia‖ conjurada por uma ⌈Arquimaga⌋

Excalisur?

O nome da espada lendária soava meio que uma farsa.

(Vendedora): “Bem-vindo cliente. Você quer tentar? A taxa por uma tentativa é apenas um sense, sabia?”

A vendedora que disse isso era uma beldade com pele clara que parecia ter pouco mais de 20 anos. Apesar de ser a mesma garota que subiu pela escada feita de corda da casa embaixo da ponte, ao invés de estar usando camisa e shorts como naquela vez, ela estava com belas roupas e não havia mais a sensação de pobreza.

(Ichinojo): “Tentativa?”

(Vendedora): “Você não sabia? Esta espada é uma arma lendária que apenas Heróis podem usar. Se você puxar esta espada, sua força heroica irá despertar e seu corpo será preenchido por um enorme poder. Um idiota de algum lugar que não conseguiu puxar a espada esmagou a pedra ao redor dela e a carregou para longe. É claro que ninguém poderia usar uma espada neste estado, então ela viajou de lugar em lugar até finalmente chegar aqui. Se você quer tentar, puxe ela depois de ler atentamente aquela placa”

Entendo. Então é este tipo de evento, huh.

Nós três olhamos para a espada e para a placa e demos nossas opiniões.

(Ichinojo): “Esta espada, de acordo com o ‖Avaliar Metal‖, é feita de ferro, mas ela brilha como prata, então talvez tenha alguma tinta nela?”

(Haru): “Mestre, na última linha da placa, escrito em letra miúdas: ‘Se você puxar a espada terá que compra-la. O preço é 1.000 sense’”

(Carol): “Espada de ferro, huh. Se for esse o caso, então o preço normal deveria ser uns 500 sense. Portanto você tem um lucro de 500 sense, huh”

Depois de ouvir nossas opiniões, a Onee-san nos mostrou um sorriso e…

(Vendedora): “Ah. Me desculpem. A Excalisur é só uma espada teste. Esta é a coisa real!”

Desta vez, ela nos mostrou um cajado de madeira preso em uma pedra.

A ponta do cajado tinha uma joia vermelha brilhante incrustada que parecia ser muito cara.

(Vendedora): “Este é o [Cajado de Aklapios][1]. É um cajado que aumenta o poder mágico do usuário”

… um cajado que aumenta o poder mágico…

Não é feito de metal, então eu não serei capaz de dizer se é verdade, mas bem, deve ser uma falsificação.

Eu aposto que deve ter algo que te obrigue a comprar ele como o “Compre por 1.000 sense se você tirar ele da pedra” escrito na placa em frente a ele.

(???): “Este é! Este é o [Cajado de Aklapios]!?”

Subitamente, alguém falou atrás de nós.

Era uma mulher vestida de negro, com um chapéu triangular e um manto, uma camisa e echarpe pretas. Além disso, ela tinha uma máscara negra que cobria a área ao redor de seus olhos.

Era uma Onee-san de idade parecida com a da vendedora.

A Onee-san falou em voz alta.

(???): “Meu nome é Marina, a maior Arquimaga do mundo. Vendedora, eu quero que você me dê esse cajado! Eu vou pagar com ouro se você desejar!”

(Vendedora): “Sinto muito cliente. Esse cajado só pode ser passado para aquele que tira-lo da pedra”

(Marina): “Se é assim, por favor, me dê uma chance para desafia-lo”

A Onee-san que se chamava Marina passou uma moeda de cobre para a vendedora e concentrou sua força.

Contudo, ela não conseguiu puxar o cajado.

As mãos de Marina estavam tremendo, então parecia que ela estava usando bastante força.

Depois de três minutos tentando, Marina balançou sua cabeça como se tivesse desistido.

(Marina): “Ah… parece que é impossível para mim. Mesmo que este cajado seja um item que eu pagaria 50.000 sense. Me pergunto se alguém me representaria e puxaria este cajado?”

(Vendedora): “Infelizmente, até hoje, ninguém conseguiu puxar o cajado. Que tal vocês, Onii-san e amigas? Mais cedo eu acidentalmente preparei a espada de teste, então como desculpa eu vou deixar vocês tentarem uma vez de graça”

(Marina): “É mesmo? Vocês também vão tentar? Se você puxar o cajado, 50.000 sense… não, eu quero comprar ele por 100 mil sense! É claro que eu vou preparar um contrato”

Entendi.

Pensando bem sobre isso, se eu puder puxar o cajado, pagar 1.000 sense e depois vende-lo para a Onee-san por 50.000 sense, seria incrível.

Eu não vou perder nada se não conseguir puxa-lo.

(Haru): “Mestre, eu devo tentar?”

(Ichinojo): “Não. Haru, espere um momento”

Eu dei um passo à frente em direção a Marina.

(Ichinojo): “Onee-san, você é mesmo uma Maga?”

(Marina): “É claro. Se você quiser, eu posso mostrar minha ultra magia… ‖Magia Espacial‖ e ‖Magia de Invocação‖

(Carol e Haru):‖Magia de Invocação‖!?”

Carol e Haru exclamaram.

Aparentemente, ‖Magia de Invocação‖ é uma habilidade única neste mundo, então só poucas pessoas podem usa-la.

Além disso, ‖Magia Espacial‖, huh. Eu com certeza anseio por movimentos instantâneos e armazenamento espacial.

(Marina): “Mesmo que você não tenha me pedido, eu vou mostrar para você! Já que o público já se reuniu em antecipação”

Quando a Onee-san ergueu suas mãos enquanto fazia alguns movimentos, um chapéu de seda apareceu do nada.

(Carol e Haru): “Incrível! Essa é a ‖Magia de Invocação‖!?”

(Marina): “N-não, isso foi… desculpem, esse foi só o ato de abertura! A partir de agora, vocês vão ver a super magia do século! Deem uma olhada. Dentro deste chapéu de seda que não tem nada dentro!”

A Onee-san disse isso e cobriu o chapéu de seda com uma capa.

Então, ela entoou algo parecido com um feitiço.

(Marina): “{‘ De acordo com a terra dele, seu tempo e seu contrato, apareça, rei dos céus, agora é a hora de você mostrar sua forma! ‖Invocar Pássaro‖! ’}”

Assim que ela recitou isso, ela removeu a capa… três pombas apareceram de dentro do chapéu que não deveria ter nada.

(Espectador A): “… impossível!? Pombas aparecerem onde não havia nada! É a ‖Magia de Invocação‖!”

(Espectador B): “Inacreditável, é um milagre! Um milagre aconteceu! Normalmente, ‖Magia de Invocação‖ só invoca um por vez, mas ela invocou vários pássaros ao mesmo tempo”

(Espectador C): “Gênio. É uma Maga gênio”

A plateia aplaudiu enquanto a Onee-san acenava com seu chapéu e coletava as moedas.

(Haru): “Foi incrível, não foi mestre? Eu nunca imaginei que seria capaz de ver ‖Magia de Invocação‖ com meus próprios olhos”

(Carol): “Carol também. Carol pensou que ela estava tentando nos enganar com a vendedora, mas parece que ela é mesmo uma Arquimaga genuína”

eh?

As pessoas aqui estão falando sério?

Agora mesmo… não importa o quanto eu olhe para isso, foi só um truque de prestidigitação[2], não foi?

Quer dizer, o emprego dela nem ao menos é Maga.

Ela é uma Artista de Rua Lv29.

Além disso, ao exibir uma pretensa ‖Magia Espacial‖, aplausos irromperam. Moedas de doação estavam voando.

Yup. Apesar de ter sido uma apresentação impressionante, ainda foi apenas um truque de mágica.

É como um daqueles truques onde o mágico parece estar tirando as cartas do nada.

Os pombos voaram pelo céu em círculos.

O céu estava azul.

Eu esperei por um tempo até que a plateia se dispersasse.

Os que ficaram fomos nós três, Marina, que parecia encantada com a montanha de moedas que ganhou, e a Onee-san, que originalmente estava fazendo seus negócios aqui.

(Marina): “Que tal? Qual a sua opinião sobre a minha grande magia?”

(Ichinojo): “Mas isso não foi apenas uma prestidigitação?”

Eu disse isso a Marina que estava orgulhosa de si mesma.

Marina endureceu.

(Haru): “Mestre, o que é uma prestidigitação?”

Haru perguntou.

(Ichinojo): “Ao invés de magia, isso é uma técnica baseada apenas na sua destreza para fazer com que pareça que um evento paranormal aconteceu. Por exemplo, escondendo pombos ou outro pássaro em suas mangas, você pode fazer parecer como se eles tiverem aparecido de dentro do chapéu assim que você puxar a capa”

(Haru): “Mas três pombos voando ao mesmo tempo?”

(Ichinojo): “Ao dobrar as asas deles e prende-los, pombos vão parecer bem menores quando comparados com sua aparência normal. Como pombos são criaturas com corpo coberto por penas, você pode tentar olhar dentro das mangas dela, tenho certeza que vão ter penas lá”

No momento em que eu disse isso, Marina instantaneamente fez um gesto para esconder suas mangas. Nesse momento, a echarpe preta dela escorregou… e um [Colar de Escravo] podia ser visto.

(Ichinojo): “… entendi. Como há um contrato com o Escravo, tudo será invalidade se o mestre só falar que o Escravo estava agindo sem sua permissão e o mestre não será punido. Então é um esquema desses”

(Haru): “Eh. Então existe um golpe desses?”

Depois de eu ter falado tudo isso, a Onee-san vendedora levantou as duas mãos.

(Vendedora): “Eu me rendo, nós perdemos. Puxa, você são bons, Onii-san e amigas. Qualquer um pode ver a trapaça da primeira espada, mas eu não achei que alguém iria ser capaz de ver através do nosso segundo ato. Ahaha. Mesmo que anteontem um casal de idiotas tenha comprado tudo o que eu tinha, a espada Excalibur e o conjunto de armadura dourada, assim como o chicote de metal que dizem que talvez possa despertar o poder de um Mestre de Monstros e uma túnica meramente pintada de prata, hoje foi o meu dia de azar”

(Ichinojo): “… você está surpreendentemente tranquila”

(Vendedora): “Ah. Bem, na verdade, eu não menti. Este cajado realmente aumenta o seu poder mágico. Mas só chega a aumentar 1%”

A Onee-san disse isso, puxou o cajado da pedra e bateu em seu próprio ombro enquanto falava.

(Vendedora): “Aquela que disse que queria comprar o cajado foi Marina. Isso não tem nada a ver comigo”

(Marina): “Tão cruel… você não disse que era minha amiga?”

(Vendedora): “Silêncio estranha ansiosa”

A Onee-san puxou a máscara de Marina.

Quando isso aconteceu, seus olhos japoneses foram revelados e ela se agachou em pânico como se estivesse tentando esconder seus olhos. Seu rosto ficou completamente vermelho.

(Marina): “Hau… por favor, me devolva. Por favor. Me devolva a máscara Kannon”

(Kannon): “Me dê metade das moedas que você ganhou se quiser ela de volta Malina. Quem você acha que vai alimentar e cuidar de uma Andarilha como você?”

As duas pareciam ser bem próximas enquanto competiam pela máscara.

Eh?

(Ichinojo): “Espere um momento. Erm. Eu não sei se você é Marina ou Malina[3], mas você… talvez você seja…”

Eu falei espantado.

(Ichinojo): “… uma japonesa?”


Nota do Autor (Yousuke Tokino)

Está no título do terceiro volume, mas finalmente a nova heroína apareceu.

Marina. Uma Artista de Rua e comparsa de uma vendedora do tipo vigarista.


[1] Asclépio é o deus grego da medicina, cura, rejuvenescimento e dos médicos. Seu cajado com serpentes entrelaçadas até hoje é usado como símbolo da medicina.

[2] Prestidigitação é uma técnica de iludir o espectador com truques que dependem especialmente da rapidez e agilidade das mãos; ilusionismo, mágica.

[3] Lembre-se: em japonês não existe a pronúncia do “L”. Além disso, quando Marina se apresentou ela usou “マリーナ”, enquanto Kannon chamou ela usando “マリナ”. A única diferença na pronúncia das duas é um “Ri” mais longo no caso da expressão de Marina.