O trabalho de Big Second-sensei

Um trio de idiotas veio procurar confusão conosco.

Eu olhei para os empregos desses três.

Usuário de MachadoLv13.

EspadachimLv13.

Usuário de GatoLv21.

Oi! Um emprego esquisito apareceu!

O que diabos é um Usuário de Gato!?

A pessoa mais a frente, um homem mais velho careca com o rosto mais ameaçador era o Usuário de Gato.

Se um Usuário de Machado ataca com machados, um Usuário de Gato ataca usando gatos?

Ele iria usar algo como o “Golpe mortal, insuportável para pessoas alérgicas a gato, Tempestade de Pelos de Gato!”?

Eu ainda não consigo imaginar até onde vãos os empregos deste mundo.

(Usuário de Gato): “Oi. Seu desgraçado, por que você está tão pensativo?”

O Usuário de Gato me encarou.

(Ichinojo): “Não é nada. Desculpem, mas essas duas são minhas queridas companheiras. E esta garota é um importante bem que foi confiado a mim, então por favor, vão incomodar outra pessoa”

(Usuário de Gato): “Aa. O que um pirralho magricela como você está dizendo? Você… você é o dono delas, certo? Já que é assim, se você não quiser se machucar, me obedeça. Faça as três nos servirem. Se você fizer isso, eu vou ignorar a sua petulância”

(Ichinojo): “Olhe aqui. Eu já disse que estamos cansados já que estamos acampando desde a última noite, ok? Pelo o amor de Deus, vão fazer essa chatice em outro lugar. Aliás, eu só vou dizer isto, se vocês nos incomodarem mais, eu não vou mostrar misericórdia”

Eu estava realmente cansado.

Ruminando[1] sobre minhas palavras, essas pessoas que se achavam mais fortes definitivamente tentariam me atacar.

Justo quando eu estava tendo esse pensamento… ele realmente tentou me acertar. Fácil demais de ler.

Assim, contra o punho que vinha em minha direção, eu contra-ataquei com o meu próprio punho.

Eu estava sentado na cadeira enquanto o homem estava de pé.

Olhando para a postura e o porte físico, estava claro como o dia quem iria vencer.

De fato, a luta terminou em um instante.

Contudo, obviamente, o resultado foi completamente o oposto do que as pessoas ao redor estavam imaginando.

(Usuário de Gato): “Ugyaaaaa!”

O Usuário de Gato caiu de costas no chão enquanto segurava seu pulso e retorcia-se de dor.

Os ossos de alguns dedos dele devem ter quebrado. Houve uma sensação estranha.

Um livro fino caiu do bolso do homem.

(Ichinojo): “Você é muito barulhento, eu vou te curar, então fique quieto”

Eu segurei o pulso do homem e entoei a ‖Cura Pequena‖.

Uma luz pálida envolveu o punho do homem.

(Usuário de Gato): “… não dói mais… obrigado?”

Dos arredores surgiram vozes de surpresa e admiração pela minha ‖Magia de Cura‖ como se dissessem “Para ser capaz de usar Taijutsu e ‖Magia de Cura‖ sendo tão jovem…”.

Sério. Mesmo tendo dito a mim mesmo que eu não deveria chamar atenção, eu acabei fazendo coisas que me destacariam como se eu fosse algum tipo de protagonista.

Assim, eu peguei o livro que tinha caído… e fiquei sem palavras.

(Ichinojo): “Que merda é esta? Por que este tipo de coisa está aqui?”

Eu segurei o livro com mãos trêmulas.

(Haru): “Mestre, esse é um item banido pela igreja. Só segurar esse já é considerado um crime”

(Carol): “Este livro deve ser equivalente a dez moedas de prata no mercado negro, porém… é melhor devolvermos ele para a igreja”

(Malina): “Hawawawa”

As três garotas olharam para o livro que eu peguei.

Eh? Este é um item proibido pela igreja?

Equivalente a dez moedas de prata no mercado negro?

É mentira, não é?

Como os homens acharam ruim o livro ser descoberto, eles fugiram em velocidade máxima.

Certamente, os olhares das mulheres seriam dolorosos se elas soubessem que eles carregavam este livro.

Mas isto é… aquilo, certo?

Doujinshi[2], correto? Além disso, é do tipo que menores de 18 anos não podem ler.

Folheando o livro, eu vi o relacionamento entre personagens 2D parecidos com os de mangás.

Dentro dele, havia uma cena onde o homem tinha uma frase dessas: “Minha Magnum está em excelente forma” e a garota estava encantada.

… quem foi que espalhou a palavra “Magnum” neste mundo? Eu pensei nisso, mas deve ser algum tipo de paródia.

(Ichinojo): “Quem escreveu isto!?”

Eu folheei até a última página.

Editora: Comic Step

Autor: Big Second

Yup. Claramente é um pseudônimo[3]. Ainda assim, eu vou me lembrar deste nome só por precaução.

(Ichinojo): “Por enquanto, eu vou me livrar deste livro ultrajante…”

Eu guardei o doujinshi na minha [Bolsa de Itens].

(Ichinojo): “Por que um doujinshi adulto é um item proibido da igreja? A lei deste mundo é mesmo bem rigorosa”

Eu me perguntei se também existiam leis contra pornografia infantil.

Assim que eu tive esse pensamento…

(Carol): “Erm. Aparentemente, esse autor inicialmente escreveu livros de entretenimento que muitos apreciavam, porém… sem perceberem, o autor começou a publicar livros para adultos e, finalmente, escreveu histórias que envolviam relações entre as Deusas-sama… o que fez com que a igreja coletasse todos os livros e eles passaram a ser contrabandeados”

(Ichinojo): “É claro que eles seriam banidos. Sério, quem faria algo tão estúpido… Big Second, huh”

Não devem existir gráficas nem máquinas de fotocópia. Também não deve existir a técnica de retícula[4] e, em primeiro lugar, este é um mundo onde papel branco é inestimável.

Sério, o que essa pessoa estava pensando para criar esse doujinshi?

(Haru): “… erm… mestre. Big Second é o nome da pessoa que fez este livro?”

Haru perguntou com uma expressão levemente surpresa, que logo se tornou uma expressão de decepção.

(Ichinojo): “Yeah. É o que está escrito aqui”

(Haru): “Essa pessoa… eu provavelmente tenho uma ideia de quem ele é”

(Ichinojo): “Eh?”

(Haru): “Provavelmente, ele é… Daijiro-sama”

(Ichinojo): “EeeeH!? Daijiro-sama? Isso é mentira, não é!?”

Esse cara é um grande benfeitor para mim, sabia!?

Eu acho difícil de acreditar que ele iria desenhar um livro tão estúpido.

(Haru): “Erm. Depois que o Lorde Demônio foi selado, eu viajei com os Heróis por um tempo e, nessa época, eu fui apresentada a um mangá? Ele foi desenhado por Daijiro-sama. Se eu me lembro bem, o nome do autor daquele livro era Big Second… e esse era o nome que Daijiro-sama usava quando escrevia seus livros”

… Daijiro… o grande segundo filho[5]… Big Second, huh. Que coisa fácil de entender.

Aliás, que tipo de pessoa é ele exatamente?

Meu benfeitor, uma das pessoas que selou o Lorde Demônio com o Herói e também alguém que escreve doujinshi?

A personalidade que eu estava imaginando para ele está ficando cada vez mais borrada.

(Malina): “Sem chances… essa pessoa escreveu um livro desses”

Malina murmurou de forma desesperada.

Depois de perguntar a ela, eu descobri que Malina também foi ajudada pelo livro de Daijiro.

A propósito, nem uma única [Bolsa de Itens] foi deixada para ela. Aparentemente, até a lâmpada que deveria estar lá tinha sumido.

Ou foi um japonês que veio para cá antes dela ou algum residente deste mundo acabou descobrindo a sala secreta e pegou tudo.

Eu sinceramente me senti mal por ela.

(Ichinojo): “Daijiro-san não foi capturado, foi?”

(Carol): “Carol não escutou nada sobre o autor ter sido capturado. Como se pode imaginar, isso iria afetar a fé na igreja se eles prendessem uma das pessoas que derrotou o Lorde Demônio junto do Herói, então eu acho que eles resolveram isso de forma clandestina”

(Ichinojo): “Entendi… isso é um alívio”

Eu disse isso enquanto bebia o chá que nos trouxeram.

Aliás, enquanto mais da metade dos livros dele são itens proibidos, ele aparentemente tem um considerável número de fãs secretos. Ao que parece, esses fãs se identificam como Secarians.

O conteúdo do trabalho dele não é puramente ero[6], há até livros que envolvem yuri[7] e até BL[8]. Minha visão sobre a personalidade dele estava cada vez menor.

Como eu já imaginava, eu não poderia continuar falando sobre esses doujinshi com as garotas, então…

(Ichinojo): “É mesmo. Eu esqueci de uma coisa. Vocês sabem algo sobre um emprego chamado Usuário de Gato?”

Eu perguntei a elas assim que eu me lembrei disso.

Contudo, nenhuma das três parecia conhecer algo sobre esse emprego.

Usuário de Gato… eu realmente quero saber que tipo de habilidades esse emprego tem.

Eu estou mesmo curioso.


História secundária

A Oeste da pradaria, havia algumas figuras caminhando.

Julio e Sutchino assim como uma outra pessoa.

(???): “Fufufufufufu”

Uma garota de cabelo curto que segurava múltiplas folhas de papel enquanto encarava as duas pessoas a sua frente. Ela era uma garota com a mesma idade de Julio e Sutchino.

A garota olhou para os dois e sorriu.

(???): “Sutchi x Juli é ótimo. Tem que ser Sutchi x Juli depois de comparar com Juli x Sutchi”

Arrepios corriam pelas espinhas das duas pessoas a frente quando eles escutavam a garota murmurando. Naturalmente, nenhum dos dois entendia completamente o significado dessas palavras.

Contudo, eles poderiam dizer instintivamente que era a pior coisa para elas.

O nome dela era Milky.

Uma das Secarians afetada pelos doujinshi criados por Big Second, também conhecido como Daijiro.

Mais da metade dos doujinshi desenhados por Daijiro eram itens proibidos.

Mas havia alguns livros que não eram proibidos. Os livros conhecidos como BL.

O motivo para isso é que não havia a possibilidade de uma Deusa-sama aparecer nele e, além disso, eles tinham uma alta demanda entre as senhoritas nobres.

Milky era uma leitora e também estava envolvida na criação de livros BL.

Os livros BL que supostamente não poderiam ser produzidos em grandes quantidades, eram impressos usando técnicas de gravura e depois eram vendidos.

Eram livros de qualidade menor que os livros criados por Daijiro, mas eles se tornaram muito populares entre as esposas na cidade e, na verdade, se tornaram famosos como um produto especializado de |Ferruit|.

Por esse motivo, Milky tinha dinheiro.

(Julio): “Hey. Por que você trouxe a Milky?”

Julio reclamou com Sutchino.

(Sutchino): “Eu já te disse, não? É porque nós não sabemos o que tem lá embaixo no |Labirinto|. Essa garota não tem interesse em dinheiro e ela vai ser nossa principal força de ataque”

(Julio): “Isso é verdade, mas andar na frente dessa garota faz meus músculos das costas… tremerem”

(Sutchino): “Só aguente isso até terminarmos”

Enquanto ela era uma Plebeia, Milky ganhou enormes quantias de ouro e pagou enormes quantias de taxas, fazendo seu Level de Plebeia aumentar.

Assim, o emprego que ela escolheu foi Jornalista Mágica.

Jornalistas Mágicos desenhavam formações mágicas com suas canetas que podiam criar talismãs e contratos especiais e até tinham a habilidade para criar grimórios[9] se o Level aumentar bastante.

No entanto, a tinta que os Jornalistas Mágicos usam é um item extremamente valioso que só pode ser criado por Herbalistas de alto nível.

Por esse motivo, esse é um emprego que é muito difícil para subir de Level se a pessoa não tem dinheiro.

(Milky): “Fufufufufu”

(Julio e Sutchino): “… tsk!”

As espinhas deles tremiam enquanto Milky estava perdida em suas desilusões.

….

(Julio): “Merda. Estamos cercados!”

(Sutchino): “Cercados… sem chances. Por que há Hobgoblins aqui?”

Goblins, monstros demi-humanos que possuíam rostos horríveis.

Vinte Hobgoblins com corpos que eram ligeiramente maiores do que os de Goblins apareceram subitamente.

Se fosse um número igual de oponentes, Julio e Sutchino seriam capazes de derrotar eles, mas 20 de uma vez era algo consideravelmente perigoso.

(Julio e Sutchino): “Milky! Nos ajude!”

Eles gritaram, porém…

(Milky): “Gaha. Geki! Hau”

Com a cena de dois homens jovens se abraçando, ela teve um sangramento nasal e caiu com um olhar extasiado.

(Julio e Sutchino): “É por isso que os pervertidos são…”

Eles mais uma vez começaram suas reclamações.

Seria ruim se isto continuasse! Justo quando os dois pensaram nisso…

(??? A): “Pareeee!”

(??? B): “Por favor, pareeee!”

Eles ouviram as vozes de um homem e uma mulher.

Então, aparecendo diante deles estava um homem que parecia ser um Espadachim vestindo uma armadura dourada e segurando uma espada, assim como uma mulher envolta em uma túnica prateada e segurando um chicote de metal.

Esses dois estavam montados em um burro lento e seguiam na direção deles.

O burro lento mandou três Hobgoblins para o ar em um instante. Os Hobgoblins restantes fugiram em velocidade máxima depois de verem isso.

Nesse momento, Julio pensou…

[Julio]: (“… tão maneiro… é um Herói! Um Herói apareceu!”)

Apesar do responsável por se livrar dos Hobgoblins ser o burro lento e eles estarem montando ele sem conseguirem controla-lo, para Julio, essas duas pessoas eram exatamente como os Heróis que ele imaginava.

Por coincidência, o grande responsável por resolver a situação, o burro lento, estava comendo tranquilamente os papéis de Milky, que estava desmaiada graças a um sangramento nasal.

Neste mundo, papel de alta qualidade era criado por Herbalistas e o gosto dele, aparentemente, era algo que os burros lentos achavam delicioso.

(Jofre): “Você está bem? Garoto, meu nome é Jofre! Um Herói!”

(Elise): “Meu nome é Elise! Uma Domadora de Monstros! Este aqui é Centauro”

Dois garotos gângsteres da cidade.

Dois idiotas.

E um burro e uma pervertida.

Foi esse o momento em que cinco indivíduos e um animal que nunca deveriam ter se encontrado, se encontraram…


[1] Ruminando significa ficar pensando em algo durante muito tempo, geralmente em algo que não gostamos ou que nos aflige.

[2] Doujinshi é um termo japonês para publicações independentes, geralmente revistas, mangás ou romances. O termo é comumente traduzido como fanzine, que também identifica revistas independentes.

[3] Pseudônimo é um nome adotado por autor ou responsável por uma obra (literária ou de qualquer outra natureza), que não usa o seu nome verdadeiro.

[4] Retícula (Screentone em inglês) é um nome genérico da técnica de finalização artística muito usada em histórias em quadrinhos e na pop art e que consiste em imprimir, por decalque, texturas sobre o papel.

[5] O significado do nome Daijiro em japonês é “o grande segundo filho”. Em inglês, “o grande segundo” pode ser traduzido como “big second”.

[6] Ero é um termo para se referir a um conteúdo adulto que envolve pornografia.

[7] Yuri é um termo para se referir a histórias que envolvem o relacionamento amoroso entre mulheres.

[8] BL é uma sigla para “Boys Love” e é usada para se referir a histórias que envolvem yaoi, relacionamentos amorosos entre homens.

[9] Grimórios são livros de fórmulas mágicas usados por feiticeiros.