História secundária: O início da turbulência

A respeito da linha do tempo dos eventos, isto aconteceu por volta do momento em que Ichinosuke obteve o seu D (Doujinshi).

(Julio): “Wah. Incrível! Os monstros desta área não têm chances contra vocês”

Julio estava bajulando Jofre e Elise.

Jofre e Elise estavam de fato fatiando os monstros ao redor da área com a espada dourada dele ou acabando com eles com o chicote prateado dela.

Mesmo se as aparências deles fossem vistas sem o julgamento desequilibrado de Julio, eles ainda pareciam incríveis.

No entanto, eles só aparentavam isso, porque na verdade eles não eram.

Este |Labirinto| era um |Labirinto para Iniciante| e tinha o objetivo de aumentar os Levels dos soldados novatos ao ser usado três vezes por mês. Ele servia para a obtenção de [Pedras Mágicas] e pontos de experiência enquanto eles caçavam os monstros que aumentavam durante o período de dez dias.

Esse era um método seguro de ganhar pontos de experiência.

De fato, como Julio, Sutchino e seu grupo de delinquentes, a Sociedade Secreta do Massacre, visitavam este lugar sem permissão para ganhar pontos de experiência e caçar sem perigo de se machucarem, este era um lugar com nível de dificuldade mínimo.

Para Jofre e Elise que não sabiam sobre isso…

(Jofre): “Bom, é porque esta é a força de um ⌈Herói!”

(Elise): “É também por causa da força de uma ⌈Mestra de Monstros como eu!”

Eles anunciaram triunfantemente.

Eles realmente acreditavam que eles tinham se tornado mais fortes.

A propósito, os sentimentos nos corações dos outros integrantes do grupo, Sutchino e Milky, não eram assim tão simples.

O primeiro a notar a anormalidade foi Sutchino.

[Sutchino]: (“Há tão poucos monstros…”)

O exercício militar deveria ter acontecido há quatro dias. Mesmo assim, havia poucos monstros.

Apenas três monstros aparecem até agora: dois Goblins e um bebê Slime.

Em uma situação normal, no momento em que eles chegassem onde estavam, não seria estranho enfrentar três vezes mais monstros do que eles enfrentaram.

Só isso foi o bastante para ele entender o quão estranha a situação era.

Contudo, Sutchino se alegrou.

[Sutchino]: (“Eu com certeza sou sortudo. Se há só esses poucos monstros, esses dois não vão precisar se esforçar muito e provavelmente não vão fazer nenhum pedido quando estivermos dividindo a recompensa. Eles devem ficar satisfeito se deixarmos todas as [Pedras Mágicas] e itens que os monstros derrotados deixarem”)

Ao invés de considerar a possibilidade de estarem em uma situação perigosa, a personalidade fútil de Sutchino que só era capaz que calcular dinheiro seria a ruína dele algum dia.

Enquanto isso, para Milky…

[Milky]: (“Fufufu. Muito bom. Juli x Jof, ahh. Isso pode funcionar! A maior história de todas está se revelando”)

Como sempre, ela estava perdida em fascinação com suas desilusões.

Aliás, havia também um burro lento chamado de Centauro junto com esses cinco, mas ele estava simplesmente comendo toda a grama que ele encontrava crescendo no |Labirinto|. De vez em quando, ele comia algum musgo para experimentar outra coisa.

No fim, as cinco pessoas e um burro não notaram a situação perigosa e chegaram no último andar.

(Julio): “Jofre-san, a sala a frente é a sala do Chefão! Se for Jofre, você pode derrotar facilmente o Chefão agora!”

(Jofre): “Oo. Entendo! Okay. Vamos lá!”

O que esperava por eles quando eles fizeram a curva no corredor era… uma cena inacreditável.

Uma cena que destruía o senso comum deste mundo.

Ela estava quebrada…

A porta para a sala do Chefão, que era dita ser impossível de ser quebrada por qualquer tipo de força de qualquer monstro, estava estraçalhada.

A figura de cinco pessoas podia ser vista a frente da porta destruída.

Surpreendentemente, foi Milky que fez o primeiro movimento.

[Milky]: (“‖Talismã Extinguível‖!”)

Ela enviou cinco talismãs que apagaram as presenças do grupo e gesticulou para que os outros ficassem em silêncio.

Mesmo que seja dito que eles apagam as presenças dos usuários, ele é um item que funciona apenas ao ponto de tornar difícil de ver e ouvir as pessoas que estão dentro da área de ação, mas ele ainda pode ser efetivo se usado corretamente.

Então, ela fez um movimento para recuarem e seguirem para o ponto cego dos oponentes enquanto ela gesticulava.

(Jofre): “O que está acontecendo? Quem são eles?”

(Elise): “Está completamente quebrada…”

Jofre e Elise falaram isso mesmo sem parecerem estar assustados.

Julio estava impressionado com a calma deles, mas a aparência de Milky era diferente.

Ela fechou a boca deles.

(Milky): [“Eu acredito que… eles são agentes de |Korat|… eu posso ver que eles receberam treinamento especial”] (sussurrando)

Os olhares das outras quatro pessoas mudaram com essas palavras.

Até Jofre e Elise sabiam que |Dakyat| e |Korat| tinham uma relação parecida com a de um cão e um gato.

E eles pareciam entender que esse esquadrão tinha um motivo extraordinário para estar aqui.

(Elise): [“O que faremos agora? Jofre?”]

(Jofre): [“É óbvio o que temos que fazer! O que eles estão fazendo aqui é… sabotagem. Eles devem querer destruir a estátua da Deusa para destruir a funcionalidade do |Labirinto|”]

(Elise): [“Por qual motivo?”]

(Jofre): [“Qual motivo… hnnnn… por qual motivo?”]

Enquanto os dois continuavam conversando em sussurros, Milky ponderou com um olhar sério.

Sem o |Labirinto|, a oportunidade para continuamente aumentar o Level não seria o único benefício que seria perdido.

Sem a função de purificar o miasma, os monstros da vizinhança ficariam fora de controle e seria plausível que o miasma acabasse se reunindo no |Labirinto| do lado de |Korat| e ajudasse as tropas de |Korat| a aumentar de Level.

A força das tropas não era baseada apenas no desempenho das armas e de seus números, o Level era um fator muito importante também.

Era por isso que eles teriam vantagens ao destruir o |Labirinto| e Jofre não estava totalmente errado.

Milky pensou consigo mesma.

[Milky]: (“Mas como eles vão destruir isso? Eu não acho que seja possível destruir a porta da sala do Chefão usando métodos normais”)

Se eles criaram tal tecnologia, não seria mais eficiente usarem ela ao invés de criar um plano tão mirabolante vindo por todo este caminho só para completar um trabalho de sabotagem? Foi o que Milky pensou…

(Sutchino): [“O que vamos fazer Julio. Com essas pessoas aqui, não vamos conseguir colocar isso no lugar”]

Sutchino suspirou enquanto ele pegava a esfera do bolso em seu peito.

(Julio): [“Por que não jogamos ela daqui? Vai ser bom se eles pensarem que ela foi jogada daqui pela destruição da porta da sala do Chefão”]

(Sutchino): [“É isso! Você é um gênio!”]

Mesmo que não existisse razão para uma esfera voar de lugar nenhum apesar da porta da sala do Chefão ter sido destruída, Sutchino que queria que o grupo fosse embora sussurrou para Julio com animação e ele rolou a esfera transparente pelo chão como se ela tivesse sido jogada pela destruição da porta da sala do Chefão.

(Milky): “Não!”

Milky tentou impedi-lo, mas Sutchino espiou pelo canto com apenas seu rosto a mostra e a esfera que ele jogou rolou em linha reta. Essa esfera passou pela barreira que Milky colocou e que eliminava a presença deles e atingiu a porta da sala do Chefão que estava destroçada.

As pessoas no fundo da sala do Chefão olharam para a direção deles assim que eles ouviram o som da esfera atingindo os destroços.

Milky imediatamente se preparou para contra-atacar.

O talismã que elimina a presença é um item que previne que outras pessoas foquem em uma determinada área.

Assim que a atenção deles fosse focada nessa área e o talismã fosse visto, eles não seriam mais capazes de escapar já que seus oponentes eram agentes treinados.

Milky tinha visto desde o início que a força de Jofre e Elise não era nada demais.

(Milky): “Todos, por favor, escapem daqui… não se preocupem, com o poder das minhas desilusões, mesmo que esses homens estejam com os rostos cobertos por máscaras, eu ainda posso criar uma história”

(Sutchino): “Tudo bem. Eu deixo isso com você!”

Julio agarrou o braço de Sutchino que estava a ponto de fugir.

(Julio): “Sutchino, não precisamos fazer isso. Não se preocupe, nós temos Jofre-danna[1] aqui! De forma alguma seremos derrotados!”

(Sutchino): “Esse… esse pode não ser o caso! Mesmo que isso seja verdade, nós só vamos atrapalha-lo se ficarmos aqui”

Como Julio tinha uma fé cega em Jofre e parou Sutchino que estava tentando fugir, Sutchino que não podia se mover, caiu no chão onde estava.

(Jofre): “Oo. Deixe isso comigo! Eu sou um Herói!”

(Elise): “Eu também sou uma Mestra de Monstros, então eu também vou ficar bem!”

Os dois correram em frente…

(???): “Líder, há dois idiotas correndo para cá”

Talvez tenha sido só uma coincidência que ele tenha usado esse termo… Jofre e Elise apareceram, mas o homem que foi chamado de líder disse…

(Líder): “Deixem eles, já está na hora… glória a pátria amada!”

Na mesma hora que ele exclamou isso, a escuridão engoliu a figura do homem assim como a de seus quatro companheiros.

Quando eles perceberam que a escuridão era um infinito número de monstros, como era de se esperar, todos começaram a fugir.


Nota do Autor (Yousuke Tokino)

Originalmente, eu planejava postar a história secundária como um bônus dos capítulos, mas eu senti que seria melhor que eu compilasse elas juntas, então eu acabei postando ela como um capítulo completo.

O próximo capítulo também será uma história secundária.


[1] Usar o danna para se referir a alguém é o mesmo que chama-lo de “mestre”.