Prólogo (Volume 06)

Parece que o trabalho de remoção de detritos no vale ao Sul está atrasado.

Foi porque monstros frequentemente apareciam nesse local e os não-combatentes precisavam fugir para se abrigar sempre que isso acontecia.

Despachar Cavaleiros para os proteger enquanto eles faziam o trabalho de remoção também foi considerado, mas a limpeza do recente problema ainda não tinha sido concluída.

Uma possível solução era enviar um pedido para a Guilda de Aventureiros, mas a maioria dos aventureiros da cidade foram contratados como escolta pelos Mercadores que escaparam dos monstros e o pequeno número de aventureiros que permaneceu na cidade recebeu o pedido de protege-la.

Esse foi o tamanho da comoção.

Os residentes da cidade provavelmente estavam inquietos pela partida da maioria de seus combatentes.

Por esse motivo, Suzuki e seu grupo decidiram ir defender o local dos deslizamentos.

Dois dias depois da comoção, nós visitamos a casa de um certo chefe tribal que vivia perto de |Ferruit|.

Por natureza, mais de 90% dos cidadãos de |Dakyat| são nômades, então a maioria deles permanecia em tribos.

Era a casa do lorde de uma das tribos que tinha o maior poder entre todas as tribos, então eu estava certo quando imaginei um lugar esplêndido, mas ela era uma casa que era fácil para montar e desmontar.

Para ser honesto, ela ficaria um pouco apertada se todos entrassem.

Lá, Suzuki e seu grupo não aceitaram a maior parte do crédito pela solução desse problema.

Ele disse que aquele que protegeu a cidade no fim foi Alessio e não ele.

E ele mencionou que se a informação de Cavaleiros perdendo para monstros se espalhasse pelo mundo, o poder nacional de |Dakyat| seria questionado e isso causaria uma grande desordem dentro do país.

Jofre, Elise e nós também concordamos.

Julio disse que ele seguiria a decisão de Jofre enquanto Milky não tinha interesse nenhum nesse assunto.

Sutchino disse que ele não precisava de fama e honra contanto que ele recebesse a recompensa e todos o olharam com caras feias, mas o lorde respondeu que o recompensar com ouro era mais fácil e passou dez moedas de ouro para ele.

E quando eles ouviram sobre o problema no vale do Sul, Suzuki e seu grupo, Jofre, Elise e Julio se levantaram.

Sutchino estava relutante, mas, aparentemente, essa região tem veios[1] de ouro e eles foram todos arrastados pelos deslizamentos de terra.

Sutchino imediatamente se levantou quando ele escutou que poderia ter ouro misturado com os sedimentos dos deslizamentos.

Sutchino estava segurando a misteriosa conta que desfez o ritual na estátua da Deusa e a fez voltar para seu estado normal no fim.

O cliente que o confiou esse item não estava dentro de |Ferruit|, então ele não conseguiu receber nenhuma recompensa.

Ele clamou sobre como isso foi um golpe.

No entanto, como ele foi enganado em uma negociação que não foi aprovada pela Guilda de Aventureiros, ninguém iria ajuda-lo.

A lã dourada poderia ser vendida por um alto preço como um item valioso, mas Carol o contou que todos os Mercadores que iriam comprar isso por um bom preço tinham escapado do país, então ele só poderia vender esse volume por um preço baixo e ele também não poderia trocar ela por ouro.

Provavelmente, era por isso que ele queria dinheiro agora.

A propósito, nós educadamente recusamos esse pedido.

Eu entendi que se Suzuki e seu grupo fossem para lá, então não haveria necessidade de mais nenhum pessoal para ajudar.

Definitivamente não era porque eu não queria trabalhar como um Desempregado.

É porque havia muitas coisas que não poderiam ser feitas se outras pessoas estivessem por perto.

Por exemplo, eu ainda não examinei totalmente a habilidade ‖Hikikomori‖ e o |Meu Mundo|.

Eu planejei ficar na estalagem em |Ferruit| por um tempo para fazer isso com calma.


Cinco dias se passaram desde que os monstros vieram atacar |Ferruit|.

No quarto da estalagem que eu já considerava minha própria casa…

(???): “O… o… o…”

Eu escutei uma voz misteriosa.

Isso é um alarme quebrado?

(???): “O… oha… oha…”

Isso não está realmente quebrado?

E assim eu acordei e olhei para o meu lado.

Uma garota com cabelos pretos estava fazendo um seiza[2] na cama.

Apesar de suas longas franjas estarem cobrindo seus olhos, eu podia claramente dizer que ela estava envergonhada pelas bochechas completamente vermelhas.

(???): “Oha… ohayo…”

Ela estava vestindo roupas de seda.

Era um par de roupas que eu comprei para todas, já que estava com excesso de ouro.

As roupas tinham um grande decote, então o [Colar de Escravo] estava mais visível que o normal.

(???): “… ohayogozaimasu[3]…”

(Ichinojo): “… ah. Bom dia Malina… como imaginei, não teria sido melhor se você trocasse com Carol ou Haru?”

Malina balançou sua cabeça vigorosamente quando eu fiz essa pergunta.

Ontem, Carol, Haru e eu discutimos sobre quem deveria dormir com quem em cada quarto.

Carol e eu dormimos no mesmo quarto na noite anterior, então, pela ordem, deveria ser a vez de Haru dormir comigo.

Contudo, eu acompanhei Haru em seu treino de esgrima pelo dia inteiro ontem.

Mesmo que o status aumente com o Level, é dito que a habilidade com espada requer técnica e experiência.

Foi por isso que eu concordei com a opinião de Haru de que ficaríamos enferrujados se não lutássemos contra um oponente humano ocasionalmente.

Assim, quando nós voltamos…

(Carol): “Ichino-sama, você deve estar cansado, então por favor, durma no mesmo quarto que Carol hoje. Já que você não será capaz de se recuperar da sua fadiga se Haru-san dormir no mesmo quarto que o mestre”

… e Carol disse isso, indicando que ela sabia sobre o que fazíamos a noite.

Francamente, essa era a realidade, então eu não poderia me recusar.

Foi então que…

(Marina): “Não. Hoje eu irei para o eterno sono com Ichino”

Marina disse isso. Eu não quero entrar no sono eterno.

(Marina): “É claro que eu irei tirar a minha máscara. Já está na hora de Malina estabelecer uma tolerância com o gênero masculino. Mas não tente fazer nada com ela, entendido?”

Marina sugeriu isso.

Foi a primeira vez que ela mencionou isso, então, no fim, Haru e Carol não tiveram escolha além de concordar.

Entretanto, quando a máscara foi retirada, Malina estava nervosa como sempre.

Quando eu acordei no meio da noite devido a uma estranha voz e escutei com atenção…

(Malina): “7.291 carneiros, 7.292 carneiros, 7.293 carneiros…”

Eu estava chocado ao ouvir a voz dela contando carneiros.

Se ela contasse um carneiro por segundo, ela deveria estar contando por duas horas e meia.

Contar carneiros é um costume que surgiu porque “carneiro” e “sono” têm sons parecidos e poderia te deixar sonolento, mas para pessoas como nós que não são familiares com o inglês[4], eu não acho que cairíamos no sono mesmo se contássemos carneiros, mas eu achei que ela ficaria ainda mais nervosa se eu falasse com ela, por isso eu fiquei quieto.

Eu já não podia ouvir a contagem de carneiros depois de um tempo, mas eu não sei se foi porque Malina dormiu ou se fui eu quem dormiu.

Contudo, quando eu olhei para o rosto dela, a expressão de nervosismo parecia superar a expressão de sonolência.

(Ichinojo): “… você vai colocar sua máscara?”

(Malina): “Ah… eu vou ficar assim… até o café da manhã”

(Ichinojo): “Entendi…”

(Malina): “… sim”

Depois disso, o silêncio dominou o quarto.

Eu estava pensando sobre coisas estúpidas e eu escutei o som de alguém se movendo ao meu lado quando Malina falou…

(Malina): “Er… eu gostaria de me trocar, mas…”

(Ichinojo): “Des-desculpe!”

Eu falei isso enquanto me virava e…

(Ichinojo): “Eu vou sair então”

(Malina): “Ah. Não… contanto que você fique virado para a parede…”

(Ichinojo): “O… okay”

Qual é a desse nervosismo?

Eu podia ouvir o sussurro das roupas.

O que ela está tirando agora?

Não, o que eu estou pensando?

O que eu deveria fazer… é isso. ‖Olhos de Falcão‖… se eu usar eles, eu poderei ser capaz de olhar para trás sem Malina perceber.

… espere! Que diabos eu estou pensando?

Espiar é algo horrível.

Em primeiro lugar, eu já tenho Haru e Carol que me amam.

Se eu fizer algo assim aqui, eu iria perder a confiança delas.

No entanto, eu fico imaginando…

Mesmo que ela costume usar aquelas frases de chuunibyou, depois que ela tira a máscara dela, ela se torna tímida e tem medo de homens, mas ela se abriu um pouco comigo e poderíamos dizer que isso nos levaria para uma situação onde ela ficaria apaixonada por mim.

Espere. Eu sou mesmo um idiota.

Desde quando eu comecei a ter um harém como objetivo?

Primeiramente, eu só estou pensando se eu devo ou não espiar agora.

Espere. Eh? Por que eu estou falando como se espiar fosse mesmo uma possibilidade?

(Malina): “Ichino-san, eu já terminei de me trocar… qual o problema?”

Malina perguntou preocupada assim que eu bati minha cabeça na parede.

Eu sorri amargamente para ela e disse…

(Ichinojo): “Nada… eu me pergunto… yup. Como imaginei, essas roupas combinam muito com Malina”

(Malina): “Obr… muito… obrigado”

Vendo ela olhando para baixo e seu rosto ficando vermelho, fico imaginando o quão tímida ela é.


Nota do Autor (Yousuke Tokino)

Este capítulo não significa que eu vou seguir a rota de Malina.


[1] Veio é uma camada de minérios que pode ser explorada.

[2] Seiza é um termo para se referir a uma forma tradicional de se sentar no Japão.

[3] Ohayo Gozaimasu significa “bom dia” em japonês.

[4] Em inglês “carneiro” e “sono” são escritos como “sheep” e “sleep”.