As aventuras de Miri (Parte 11)

Miri e Norm, acompanhadas por Gorsa, desceram uma escadaria diferente daquelas escadas em espiral que elas usaram para subir. A escadaria não levava para o primeiro andar, mas parecia continuar até o subsolo.

A expressão de Gorsa não era tão sombria quanto Norm imaginou.

504 medalhas pretas, 50,4 milhões de sense. Essa era uma quantia que permitiria que Norm vivesse entre 30 a 50 vidas sem trabalhar.

Norm perguntou Miri sobre isso.

(Miri): “Isso é só uma encenação. Entre o maior dos Apostadores, Gorsa, e uma pessoa comum que ganhou uma fortuna por sorte no primeiro andar… vencer ou perder não importa. Para ser honesta, perder 50,4 milhões de sense não é grande coisa para este salão de apostas”

(Norm): “… eh?”

(Miri): “Norm, você não percebeu? Havia pessoas segurando medalhas de prata e de ouro no segundo andar. Eu só estou chutando, mas a medalha de prata deve valer 10 medalhas pretas e a medalha de ouro deve valer 100 medalhas pretas. Você entendeu agora?”

Inicialmente, Norm não podia entender o que Miri estava explicando a ela, mas logo ela percebeu e seu rosto ficou pálido.

Cem medalhas pretas, em outras palavras, um cliente regular da área VIP poderia usar uma moeda que era equivalente a dez milhões de sense.

Norm estava chocada pela enorme diferença de seu próprio mundo e ela também entendeu o motivo para a área VIP estar em uma área separada.

(Gorsa): “O maior de todos os Apostadores… uma vez eu fui chamado disso, mas agora eu sou apenas o dono de um humilde salão de apostas. De fato, eu ainda perdi para você”

(Miri): “Eh? Eu acabei de falar. Foi minha derrota. Bom, mesmo assim, eu vou ficar com 90% das medalhas de Norm”

(Norm): “Eh?”

Norm levantou sua voz em protesto… e se encolheu depois de receber um olhar de Miri.

Norm nunca pensou que ela deveria ficar com tudo, mas ao menos ela queria dividir o valor em partes iguais ou quem sabe ficar com 30%.

Então, o lugar em que elas chegaram foi…

(Norm): “… que lugar é este?”

Uma grande sala escura. Iluminada no meio dessa sala havia uma arena que parecia lembrar a atmosfera na arena da Guilda.

(Miri): “É uma arena clandestina. Humanos contra monstros ou, ocasionalmente, humanos contra humanos e dinheiro é apostado no vencedor. Bem, é um show sem graça”

(Norm): “… sem-sem chances. De forma alguma esse ato ilegal seria permitido…”

(Miri): “Você já esqueceu? Este é um salão de apostas estatal”

Em outras palavras, este espetáculo era aprovado pelo país.

(Miri): “De qualquer forma, você não pode culpar Gorsa. Este lugar já funcionava antes mesmo de Norm ou eu, não, antes mesmo de Gorsa nascer. Pessoas que se tornam escravos porque não puderam pagar suas dívidas ao salão de apostas. Aventureiros que querem fazer fortunas em uma única noite. Muitas pessoas lutam aqui”

(Gorsa): “… entretanto, nem uma única pessoa entre os convidados da área VIP sabe sobre este lugar”

Gorsa murmurou com um tom preocupado.

(Miri): “Você não precisa se preocupar com isso. A forma como eu soube deste lugar foi especial. Não foi porque há boatos se espalhando por aí”

(Gorsa): “Você poderia me dizer como você descobriu sobre…”

(Miri): “É um segredo”

(Gorsa): “Entendido”

Norm estava olhando para os dois se curvando respeitosamente um para o outro quando aplausos vieram do salão.

Quando eles se viraram para a arena, havia um homem segurando uma espada lá… no entanto, ele estava mesmo apenas segurando ela. Ele parecia ser inexperiente em lutas e estava sendo cercado por quatro Goblins. Ele estava no ponto cego dela, por isso Norm não notou a cena de sua posição.

(Miri): “Esta é uma aposta para ver quantos Goblins ele pode derrotar, huh. 2,1 para zero mortes, 2,4 para um Goblin… ] suspiro [… em outras palavras, na maioria dos casos, eles morrem antes de derrotar todos os Goblins

(Norm): “Morrem… oh, meu Deus”

(Miri): “Norm, você pode ver que esse homem está usando um [Colar de Escravo Negro], não é? É um colar que representa um escravo criminoso que foi sentenciado a morte. Não há necessidade de simpatizar com ele”

(Gorsa): “Yeah. Ele roubou da mansão de um nobre do |Reino| e foi sentenciado a morte depois do julgamento. E eu fiquei com ele. Se ele vencer dez vezes consecutivas, ele receberá o perdão. Esta é a segunda luta dele, mas ele machucou o pé na primeira rodada, então este provavelmente será o seu fim”

(Miri): “A propósito, já houve alguém que escapou da pena de morte ao sobreviver a dez batalhas?”

Gorsa não respondeu a pergunta de Miri. Essa era a resposta.

Uma pena de morte deve continuar sendo uma pena de morte. O único raio de esperança que eles têm é lutar até o fim com a expectativa de serem salvos. E no instante que essa esperança se transforma em desespero… eles se tornam comida.

No momento, o porrete de um dos Goblins atingiu as costas do homem. Ele matou um Goblin enquanto estava caindo, mas parecia que esse era o seu fim.

Ele recebeu vários golpes dos três Goblins restantes e sangue se espalhou pela arena. Então, os Goblins arrancaram seus braços, pernas e a cabeça e começaram a devora-lo. Goblins não são canibais. É porque carne de Goblin não é saborosa. E, não tendo o costume de enterrar seus mortos, eles nem olharam para o companheiro morto que lutou com eles até um momento atrás e continuaram a comer o homem até que apenas ossos sobrassem. Foi então que um homem totalmente equipado apareceu e perseguiu os Goblins até suas jaulas.

Eles direcionaram suas intenções assassinas para o homem por um instante, mas eles foram mandados de volta as jaulas graças ao cheiro do repelente de monstros aplicado no homem. Eles não tinham permissão para terminar de consumir o homem não porque eles queriam lhe dar ao menos um funeral. Era provável que eles sempre mantivessem os Goblins em um estado onde passavam fome. Eles estavam constantemente com fome, no limite entre a vida e a morte. Tudo para que lutassem contra os humanos.

(Norm): “Isso é terrível”

Norm murmurou.

Miri sentiu que Norm era decente e sensível.

Ao menos ela era melhor do que esses nobres que olhavam para os humanos sendo mortos com um sorriso. Também havia mulheres nobres que olhavam para as lutas com sorrisos mesmo que elas desviassem um pouco seus rostos.

Essas pessoas não consideravam os outros humanos. Nobres nascem como nobres. Realeza nasce como realeza. Como eles crescem nesse tipo de ambiente, eles realmente acreditam que vivem vidas completamente diferentes em comparação com os outros humanos.

Funcionários retiraram o corpo do homem enquanto um homem de smoking usou o ‖Limpar‖ da ‖Magia Quotidiana‖ para lavar a arena. Não havia mais sinais de sangue.

(Norm): “… Miri-chan, por que estamos aqui?”

(Miri): “Porque eu estou procurando por uma certa pessoa… vendo que essa pessoa não está na plateia, eu acredito que ela vai aparecer como uma participante. Gorsa-san, quem são os desafiantes da próxima partida?”

(Gorsa): “Eles estão vindo agora mesmo”

Gorsa apontou para a arena.

Um dos participantes usava um capuz, por isso seu rosto não podia ser visto. Mas por seu corpo delgado, era provavelmente uma mulher.

E o outro era um gigante sem camisa. A arma dele era um machado e havia um [Colar de Escravo Negro] ao redor do pescoço. Um escravo sentenciado a morte.

(Norm): “… ah”

Norm se assustou quando viu esse homem.

Aquele rosto e aquele igualmente terrível cabelo verde. Os pés dela tremeram.

(Miri): “Norm, é alguém que você conhece?”

Ela acenou com a cabeça para a pergunta de Miri.

Pensando que Norm não iria responder, Gorsa explicou…

(Gorsa): “Esse homem era um ladrão. Sua profissão é Bandido. Ele foi capturado por aventureiros e foi sentenciado a morte. O tendão de seu pé foi cortado e ele não poderia mais andar, mas depois que ele foi tratado por Médicos, ele agora é um lutador daqui. Esta é a oitava luta dele e ele irá conseguir o perdão se vencer mais duas vezes”

(Norm): “E ele também é o líder dos bandidos que me sequestraram[1]

(Miri): “… então, ele é o bandido que foi derrotado por Onii?”

Miri esperou pela resposta de Norm e mais uma vez olhou para o bandido.

Ela imaginou seu irmão lutando com esse homem… e em sua imaginação, havia a figura de seu irmão sendo espancado.

Miri sempre esteve com Ichinojo, então ela conhecia a força dele. Ele iria brandir seu senso de justiça e pularia nesse homem grosseiro, mas ele seria derrotado facilmente. Apesar de que Miri iria mostrar a essa pessoa o que é o inferno.

(Miri): “… bom, não importa. Meus negócios são com aquela garota”

A garota enfrentando o bandido tirou seu capuz e revelou seu rosto.

Uma jovem senhorita com pele branca e cabelos morenos.

(Miri): “1,2 para a garota, 8 para o homem… eu acho que é o fim para ele”

Miri olhou para a tabela de apostas e murmurou.

(Gorsa): “Yeah. As habilidades dessa garota são incríveis. No entanto, as apostas já foram encerradas”

(Miri): “… entendo”

Se as apostas ainda não estivessem encerradas, Miri iria provavelmente apostar toda a sua fortuna na garota.

A diferença entre as habilidades dos dois era clara.

(Norm): “Ela é tão forte assim?”

Norm perguntou olhando para o nome escrito na tabela de apostas.

(Miri): “O nome da garota é Kannon”

A resposta para sua pergunta foi anunciada junto do sinal de início da luta.

Espadachim Mágica Kannon.

O que Miri não sabia era que a habilidade de Ichinojo também estava obviamente acima das incríveis habilidades de Kannon.


[1] Esses eventos aconteceram nos capítulos 013 a 015.