A garota do |Labirinto Artificial|

Era como uma sala de segurança, não, como uma sala de controle.

Incontáveis monitores mostravam imagens do |Labirinto|. Uma massa negra em forma de fumaça se transformou na figura de uma enorme centopeia. Depois dessa centopeia se mover até uma certa distância, ela pressionou um botão. Quando ela fez isso, uma parede de pedra caiu em cima da centopeia e a esmagou.

Quando a parede de pedra voltou a sua posição original, a centopeia já não existia mais.

Ela realizou essa tarefa com indiferença.

Ela… era uma garota.

A garota com cabelos brancos que pareciam estar a ponto de tocar o chão, removeu sua mão do botão, girou e girou sua cadeira e foi quando nossos olhos se encontraram.

Ela parecia uma garota de 14 anos de idade.

(Garota): “…”

A expressão dela congelou. Ou melhor, ela nem tinha expressões no rosto. E essa expressão não mudou mesmo depois que ela me viu.

No momento, eu a cumprimentei primeiro.

(Ichinojo): “Desculpe incomoda-la, meu nome é Ichinojo”

(Garota): “… como?”

Agora, como eu devo explicar isto?

Logo após eu achar que seríamos esmagados pelas paredes, eu usei minha habilidade ‖Hikikomori‖ para escapar para o meu |Meu Mundo| com Carol e fechar o portão pouco antes das paredes se fecharem completamente.

E quando eu imediatamente abri a porta de novo, ela nos levou para este lugar.

Quando a localização da saída está bloqueada por alguma coisa, o portão de saída vai ser aberto no local mais próximo possível.

Eu descobri que esse lugar seria provavelmente uma área secreta do mapa.

(Ichinojo): “Deixando isso de lado, eu não achei que teria esse tipo de maquinário aqui… são ferramentas mágicas?”

(Garota): “978-4-7753[1]

(Ichinojo): “Eh?”

(Garota): “Por favor responda. Eu não vou te reconhecer como meu mestre a menos que você me dê a resposta correta”

Ela disse isso com uma voz monótona.

Parecia que eu tinha que falar um número correspondente ao que ela falou, mas, naturalmente, eu não sabia a resposta.

(Garota): “No evento em que pessoas além do mestre entrem nesta sala, eles devem ser tratados como convidados. Você tem alguma pergunta?”

(Ichinojo): “… então nós não seremos tratados como inimigos. Foi você que tentou nos matar usando as paredes?”

(Garota): “Sim. É minha tarefa lidar com indivíduos que entram no |Labirinto|, mas também é minha tarefa receber aqueles que chegarem aqui”

Então era assim. Eu considerei a possibilidade de que era uma armadilha, mas, hmm, yeah, provavelmente não será um problema.

(Ichinojo): “… você é uma humana?”

(Garota): “Não, eu sou a Boneca de Trabalho número 417. Eu não tenho nome”

Boneca? Ela?

Ela parecia mesmo estar viva. Mas eu conheço uma existência como ela.

Pionia.

Ela era provavelmente uma existência parecida com Pionia.

(Ichinojo): “Erm. Eu vou trazer minha companheira, mas você não vai atacar, vai?”

(417): “Pessoas que entraram nesta sala antes ou aqueles que estão acompanhando elas não são alvos dos meus ataques”

(Ichinojo): “Okay, Por favor, espere um momento”

Eu abri a porta para o |Meu Mundo| e chamei Carol.

(417): “978-4-7753. Por favor responda. Eu não vou te reconhecer como minha mestra a menos que você me dê a resposta correta”

Os mesmos números apareceram como antes, mas, naturalmente, Carol não poderia responder também.

E assim, Carol também foi reconhecida como uma convidada.

(Ichinojo): “O que é esta construção? Eu pensei que seria um |Labirinto|

(417): “Isto é um |Labirinto Artificial| criado pelo Lorde Demônio Familis Raritei”

(Ichinojo): “Um |Labirinto| criado pelo Lorde Demônio? Os |Labirintos| não são construídos pela Igreja?”

(417): “O Lorde Demônio criou |Labirintos Artificiais| em lugares fora da influência da Igreja, como este local”

(Ichinojo): “Então, a sua mestra é o Lorde Demônio?”

(417): “Não”

Ela negou com a cabeça.

(417): “Isso mudou há 96.512 horas”

(Ichinojo): “Er. Quantos anos dá isso?”

(417): “Quase 11 anos atrás”

Então foi pouco antes da morte do Lorde Demônio.

Isso significa que alguém veio tomar este |Labirinto| antes da morte do Lorde Demônio?

(Carol): “Quem é o seu mestre?”

Carol perguntou.

(417): “Eu não posso dar essa resposta para convidados”

Ela respondeu. Parecia algo como um protocolo de confidencialidade.

(Carol): “Por que essa pessoa se tornou o mestre deste lugar?”

(417): “Eu não posso dar essa resposta para convidados”

(Carol): “Seu mestre é um homem? Ou uma mulher?”

(417): “Eu não posso dar essa resposta para convidados”

417 mostrou que não poderia responder nenhuma das perguntas de Carol.

Parecia que informações a respeito do mestre atual eram altamente reguladas.

Eu tentei mudar o rumo da conversa.

(Ichinojo): “Qual é a sua comida favorita?”

(417): “Uva”

Isso era uma brincadeira, mas, aparentemente, ela gosta de uvas.

Eu peguei algumas uvas da minha [Bolsa de Itens].

Eram uvas usadas para fazer vinho, então japoneses como eu não gostam delas por seu sabor mais ameno, mas eram uvas que normalmente não poderiam ser encontradas neste mundo.

(Ichinojo): “Você poderia responder as perguntas se eu der isso para você?”

(417): “Desculpe, mas não”

(Ichinojo): “… entendi… haa. Você pode ficar com elas”

Eu coloquei as uvas na frente de 417.

417 olhou um pouco para as uvas antes de pegar uma única delas e a colocou na boca.

Ela devia ter sementes, mas ela mastigou tudo e engoliu.

(Ichinojo): “Hey. É difícil chamar você de 417, então eu posso te chamar por outro nome? É estranho chamar uma pessoa por números”

(417): “Esse comando é exclusivo para o meu mestre”

(Ichinojo): “Mestre… então eu posso fazer isso se eu responder os números que você me passou há pouco?”

(417): “Sim”

Haa. Então eu tenho que resolver o código.

Normalmente há dicas para responder tais segredos e as respostas só podem ser derivadas daí, mas eu não coloquei as mãos em nenhuma dica ao longo do caminho até aqui.

Talvez Haru, que era próxima do Lorde Demônio, poderia saber de algo.

(Ichinojo): “Me pergunto qual seria a resposta…”

Eu murmurei para ninguém em particular.

(417): “É 1417-3[2]

417 respondeu.

(Ichinojo): “… eh? 1417-3?”

(417): “Senha verificada. A partir de agora, o proprietário será definido como Ichinojo. Configuração completa”

(Ichinojo): “… eu virei o seu mestre?”

(417): “Sim mestre. Por favor, me dê qualquer ordem”

417 respondeu de forma monótona.

… esta garota está com muitos defeitos.

(Carol): “Como esperado de Ichino-sama. Ser capaz de descobrir com tal truque”

(Ichinojo): “Não, ao invés de truque, eu acho que foi mais como um bug… erm. Seu atual… ou melhor, quem era o seu mestre anterior?”

(417): “Daijiro-sama”

(Ichinojo): “Daijiro-sama!? Sério? Daijiro-sama era o seu mestre anterior?”

Eu fiquei impressionado ao ouvir o nome do meu benfeitor aqui.

Essa pessoa é realmente incrível. Ele era um dos companheiros do ⌈Herói que derrotou o ⌈Lorde Demônio, ele criou doujinshi e ele era o antigo mestre da 417, em outras palavras, ele conquistou este |Labirinto Artificial|.

(Ichinojo): “O que Daijiro-san te instruiu a fazer?”

(417): “Aumentar a temperatura da fonte termal e configura-la para 55º C 96.500 horas atrás”

(Ichinojo): “… Daijiro-san não queria que ninguém entrasse?”

(417): “A propósito, ele me confiou isto”

Ela pressionou um botão e uma parte do piso se abriu.

Então, o item que apareceu era… uma linda bola de cristal.

(417): “Daijiro-sama deixou uma mensagem que eu devo entregar agora. ‘Esta joia serve para selar uma certa pessoa, então ela deve continuar selada aqui. Se você por acaso ver esta joia, eu te imploro, por favor, sele ela de novo’… isso é tudo”

Eu não poderia reclamar depois de ouvir tal pedido.

Depois que eu pedi para 417 selar ela de novo, a joia foi mais uma vez sugada pelo chão.


Voltando alguns minutos no tempo.

Miri e as outras estavam tendo uma pequena celebração de vitória em uma taverna localizada em |Korat|.

(Norm): “Sem chances! Eu não esperava que o Príncipe-sama fosse a mente* por trás disso”

(Kannon): “Eu achei que havia muitas dicas que faziam disso algo bem óbvio”

(Miri): “… nós estamos no meio de nossa refeição, então vocês poderiam por favor ficar em silêncio?”

Norm, que estava ligeiramente animada, Kannon, que estava calma, e Miri, que estava com um leve mau humor.

Elas acabaram de resolver um enorme incidente no país de |Korat| que poderia ter abalado o mundo, mas essa era uma longa história, então vamos falar disso algum outro dia.

Isso aconteceu quando Miri estava se sentindo chateada com a culinária que consistia apenas de vegetais.

Ela sentiu isso. Uma ligeira flutuação no fluxo de poder mágico no Sul… o poder selado dela estava sendo liberado.

Entretanto, depois de quase três minutos, o poder de Miri foi selado mais uma vez.

Esses três minutos foram suficientes. Ela foi capaz de confirmar a localização do selo.

(Miri): “… Norm, Kannon, eu vou dar uma semana de folga para vocês. Um lugar que eu devo visitar apareceu repentinamente… a propósito…”

Miri criou duas chaves de escuridão e atravessou os peitos delas.

(Norm): “Eh?”

Norm ergueu sua voz em surpresa, mas Kannon obedientemente aceitou isso como se ela entendesse o que estava acontecendo.

(Miri): “Eu selei seus corações para que vocês não falem de mim para ninguém. Só por precaução, se aquele camarada aparecer, Kannon, lide com ele corretamente”

(Kannon): “Sim. Tenha uma viagem segura mestra”

(Miri): “Não desperdicem o meu dinheiro”

Miri lembrou elas enquanto pegava dinheiro para a refeição atual delas e para as futuras despesas para esse período de tempo antes de deixar a taverna.

Então, ela invocou Fenrir e correu para o Sul.

(Haru): “Já faz muito tempo, Norm-san, Kannon-san”

Haurvatat entrou nessa taverna apenas 30 minutos depois.


[1] Esse número é parte do código de identificação do primeiro volume da Light Novel.

[2] Esse é o resto do código de identificação do primeiro volume da Light Novel.