A competição de artes marciais de Haru e as outras (Parte 02)

Depois de escutar as circunstâncias de Haurvatat, Norm e Kannon se olharam e concordaram. Elas decidiram ajudar Haurvatat.

E elas estavam seguindo para a vila oculta dos Cait Siths.

(Stella): “Kannon-san, faz muito tempo que não nos vemos nya”

(Kannon): “Há quanto tempo Stella-san. Você ainda está comprando [Vinho da Vinha de Prata]?”

(Stella): “Eu não preciso disso agora nya. Eu coloquei minhas mãos no melhor [Vinho da Vinha de Prata] nya”

Como Stella e Kannon se conheciam, elas começaram a conversar.

Para Norm e Kannon, simplesmente ajudar porque elas estavam livres era meramente uma desculpa. Norm estava preocupada com Ichinojo enquanto Kannon estava preocupada com Malina. Além disso, mais importante ainda, Norm queria encontrar Ichinojo e reuni-lo com Miri.

(Norm): “Nós temos que encontrar Onii-san rapidamente e… eh?”

Quando Norm murmurou isso, a boca dela se moveu sem fazer qualquer som, o que a assustou. Então, ela inclinou a cabeça, perplexa por não conseguir entender o que tinha acontecido.

Ela estava incerta sobre ser capaz de falar aquelas palavras ou se ela realmente não falou nada.

(Kannon): “Norm e eu estamos meio que trabalhando para um novo mestre e graças ao contrato que fizemos, não podemos dizer nada em relação a esse mestre”

(Haru): “Entendo. Mas se esse é o caso, está tudo bem para vocês duas me acompanharem sem consultar seu mestre?”

(Kannon): “Yeah. Nosso mestre disse que nos deixaria livres por um tempo”

Kannon disse isso enquanto ria alegremente.

Mesmo que ela definitivamente não devesse estar em um estado tão contente, ela estava mesmo rindo feliz.

(Kannon): “Mas eu acho que seria melhor se eu não me encontrasse com Malina. Ela finalmente alcançou sua independência afinal”

(Haru): “Eu acho que ficará tudo bem. Malina cresceu bastante”

(Kannon): “Sério? Se for assim, não teremos problemas. Então, estamos indo para a vila dos Cait Siths?”

(Haru): “Sim. Por favor, vamos seguir nosso caminho”

Kannon não questionou mais depois de ser pressionada pelo rosto sem expressões de Haurvatat, mas ela não poderia imaginar que Malina, amante de objetos fofos e especialmente gatos, pudesse manter a calma na frente dos Cait Siths. E as expectativas dela estavam corretas.

(Haru): “Muito bem, vamos nos apressar”

Dizendo isso, Haurvatat carregou Stella em suas costas e correu. É claro que ela levou a velocidade de Norm e Kannon em consideração e não usou toda a sua velocidade. Ela entendia que sua própria força era resultado das habilidades de Ichinojo. Pelo contrário, ela estava preocupada com Kannon. Diferente de Norm que se aventurava em |Labirintos| como parte de sua rotina diária como integrante do esquadrão de vigilantes, ela estava preocupada com as habilidades de Kannon, considerando que ela era uma Ferreira.

Contudo, ela viu que, diferente de Norm que estava com o corpo tremendo, Kannon parecia estar muito bem com a corrida.

[Haru]: (“Então a força física dela deve ser maior do que a de Norm-san… talvez porque a ferraria requer muita força”)

Nessa condição, Kannon provavelmente seria capaz de segui-la mesmo se ela aumentasse o ritmo… Haurvatat pensou nisso e disse a Norm para montar em suas costas (em troca, Stella montou nas costas de Norm) antes que ela começasse a correr com todas as suas forças.

É claro que, com Norm em suas costas, ela não poderia usar sua velocidade total, mas se ela pudesse acompanhar esta velocidade… Haurvatat se animou para ver se Kannon seria capaz de acelerar e se teria resistência o bastante. Se pensarmos no emprego de Ferreira, para usar um martelo, então ela deveria ter muita força nos braços também.

(Kannon): “Haurvatat-san, se você deseja me testar, então você pode aumentar um pouco mais sua velocidade. Eu tenho confiança na minha capacidade física afinal”

(Norm): “Aah… montar em suas costas me traz memórias de montar em Fenrir… Haru-san, por favor, vá mais devagar”

(Haru):Fenrir… a fera lendária? Você montou nas costas dele?”

Apesar da voz de Haru estar ligeiramente mais alta do que o normal, ela ainda perguntou com compostura. Contudo, internamente, ela estava impressionada.

Haurvatat escutou sobre a fera lendária Fenrir da pessoa que tinha selado ela.

Essa pessoa foi… Lorde Demônio Familis Raritei. Ela contou a Haurvatat sobre isso.

Ela disse que poderia derrotar Fenrir com um único braço. Haurvatat sabia que essa era uma forma de elogiar o adversário. Afinal, ela normalmente diria que derrotaria eles com um único dedo ou até que derrotaria eles sem precisar nem mesmo de um dedo.

Considerando a conversa de agora, ela especulou que o atual mestre de Kannon e Norm era uma pessoa capaz de remover o selo de Fenrir e controlar ele como um subordinado.

(Norm): “… yup. Muita coisa aconteceu em nossa jornada até aqui”

Norm falou ambiguamente. Ela não tinha escolha além de falar de forma misteriosa, já que ela não poderia falar nada sobre sua mestra.

No fim, Haurvatat voltou a vila dos Cait Siths usando 70% de sua velocidade total.

Como ela correu em velocidade máxima e voltou para 70% dessa velocidade, as pernas de Haurvatat estavam queimando ao ponto em que ela sentiria dor se alguém as tocasse, não, era um estado onde a dor persistiria mesmo se ninguém as tocasse.

No entanto, elas conseguiram chegar no local planejado.

(Malina): “Kannon? Kannonnn!!”

Malina correu e abraçou Kannon.

(Kannon): “Espere, se acalme Malina. Você não disse que ela tinha crescido? Ela está exatamente como antes”

(Malina): “Isso foi injusto, partindo sozinha sem falar nada. Eu nem tive a chance de te agradecer. Então eu vou te dizer agora. Obrigada, obrigada…”

Subitamente, Malina começou… e foi empurrada para longe por Kannon que estava sendo abraçada por ela.

(Malina): “… mais importante que isso, é… terrível!”

(Kannon): “E pensar que nossa reunião seria assim… você certamente se tornou um pouco mais forte, Malina”

Kannon disse algo meio triste.

Ignorando o que Kannon disse, Malina disse a eles sobre o sério incidente.

(Malina): “Jofre-san e Elise-san foram atacados por alguém… e sofreram sérios ferimentos…”