Antes da tempestade

A recomendação de Pionia para retirar os veleiros era velejar com um barco pequeno na costa durante a maré alta e entrar no |Meu Mundo| de lá.

Então, durante a maré baixa, abrir a porta abaixo dos veleiros e joga-los no oceano.

Contudo, aumentar a porta só um pouco já iria aumentar o consumo de |MP e como eu estava esperando uma luta, eu realmente não gostei dessa ideia.

(Ichinojo): “Er, Pionia-san… onde está o barco menor que eu vou usar para velejar da costa para o oceano?”

(Pionia): “Ele está dentro do veleiro”

(Ichinojo): “Eh?”

Depois de subir a escada jogada do lado do veleiro que levava para o convés, eu encontrei esses pequenos barcos guardados no navio. Mesmo eles sendo barcos a remo ao invés dos veleiros regulares, eles eram bastante resistentes. No mínimo, eles pareciam ser mais robustos do que as embarcações encontradas em lagoas de grandes parques.

Eles provavelmente não vão afundar mesmo se os usarmos no mar, contanto que não encontremos ondas grandes.

(Ichinojo): “Pionia, eu vou usar esse barco! Sem problemas, não é?”

(Pionia): “Sim, eu fiz ele com a intenção de vocês embarcarem no navio maior”

(Ichinojo): “É meio estranho navegar em um barco menor para embarcar em um navio maior”

Eu queria prender o barco com a corda para desce-lo, mas depois de pensar um pouco, não havia necessidade de tira-lo do veleiro já que eu poderia apenas fazer a porta aparecer aqui.

Tudo dito e feito, nós garantimos nosso navio.

O próximo problema seria… só dependeria da minha capacidade.

Sobre isso, já era tarde demais tentar lutar e mudar.

Eu pulei do deque e peguei utensílios de cozinha como a faca de cozinha na minha [Bolsa de Itens].

(Ichinojo): “Nós ainda temos tempo, então vamos almoçar um pouco mais cedo. Já que ainda vai levar algum tempo até o monstro aparecer”

(Carol): “Isso é verdade… mesmo assim, as coisas em que Carol pode ajudar são limitadas”

Yup. Eu não posso dizer que Carol é boa na cozinha.

(Ichinojo): “Carol não tem que se preocupar com isso… certo. Por favor, colha alguns tomates”

(Carol): “Okay. Carol pode fazer isso”

Yup, yup. Por favor, aumente seu emprego de Colhedora.

Talvez eu faça sopa ou algo parecido enquanto esperamos.

(Pionia): “Mestre, como eu posso ajudar?”

(Ichinojo): “Ah. Se você quer ajudar, por favor, corte essa carne seca em tamanhos mastigáveis”

Eu apliquei o ‖Limpar‖ na mesa.

(Pionia): “Sim”

Pionia respondeu enquanto ela transformava sua mão direita em uma faca de cozinha e sua mão esquerda em uma tábua de cortar, mas ela parou de se mover depois disso.

O que ela está fazendo? Eu me perguntei diante de Pionia que parecia ter tido uma ideia e usou sua boca para segurar a carne seca.

(Ichinojo): “Heyyy. Você não pode apenas transformar sua mão direita de volta ao normal!? Só me diga se suas mãos estão ocupadas e você não pode colocar a carne na tábua de cortar. Quero dizer, você nem pode segurar a carne com seus braços ocupados assim”

(Pionia): “Isso foi um erro de cálculo”

(Ichinojo): “Isso foi um enorme erro de cálculo”

(Pionia): “Mestre, não há um enorme ponto cego. Em primeiro lugar, um ponto cego se refere a uma pequena porção de seu olho que não pode detectar luz…”[1]

(Ichinojo): “Eu sei”

É algo parecido com aquilo… se você desenhar dois pontos pequenos em um pedaço de papel, quando você se concentrar em um dos pontos e mover o papel para cima e para baixo, algumas vezes, você não será capaz de ver o outro ponto.

Miri me ensinou isso há muito tempo, então eu sabia sobre isso.

Falar com Pionia podia ser cansativo.

… me pergunto se Sheena seria capaz de aproveitar conversas como esta também?

Se o inimigo que eu vou enfrentar mais tarde for tão poderoso quanto Sheena diz que ele é, pode ser que este seja um oponente que eu não possa cruzar espadas, então, talvez, eu realmente devesse ter conversado mais com Sheena. Eu acabei tendo esse tipo de pensamentos.

(Pionia): “Mestre, você está pensando na Autômata[2] que o Lorde Demônio Familis Raritei construiu?”

(Ichinojo): “… yeah, um pouco…”

(Pionia): “Se esse é o caso, não há sentindo ficar remoendo isso. O maior de todos os desejos de um Autômato é o desejo de seu mestre. Atualmente, o mestre é certamente o mestre dessa Autômata, mas o desejo real dela é atender o desejo de Familis Raritei para proteger essa ilha. Se você pretende ignorar esse desejo e salvar essa Autômata, eu só posso dizer que isso é o ego do mestre falando”

(Ichinojo): “… esse é um discurso bem direto e severo vindo de você”

(Pionia): “Eu me desculpo”

(Ichinojo): “… e gentil também…”

Mesmo que ela seja uma Autômata.

Eu engoli essas palavras. Ou melhor, eu estava sem palavras.

A distinção entre um Autômato e um humano se tornou ambígua para mim.

Depois disso, nós bebemos sopa e descansamos um pouco.

Pionia limpou o resto da soba e a louça que nós usamos.

(Ichinojo): “Carol, devemos ir?”

(Carol): “Sim, Ichino-sama”

Carol concordou com uma expressão séria… mas ela não parecia nervosa.

Eu queria ter um pouco da coragem dela.

(Ichinojo): “Carol, se você achar que ficou perigoso, por favor, fuja na hora”

(Carol): “É claro. E eu vou garantir que Ichino-sama também fuja quando o momento chegar”

(Ichinojo): “Eu sei. Agora, Pionia, por favor, reze para que possamos conseguir a carne de um monstro gigante para o jantar!”

Eu disse isso enquanto abria a porta e levantava a pequena embarcação.

Era pesada… mas eu fui capaz de mover ela de algum jeito.

Eu empurrei o barco menor para a porta.

(Pionia): “Sim mestre. Eu vou ter certeza de fazer as preparações para assar ela e aguardarei seu retorno”

(Ichinojo): “Você com certeza é especializada em assados”

(Pionia): “É porque a maioria dos ingredientes pode ser consumido assim que passa pelo fogo”

Esse parecia ser o mantra[3] de Pionia.

No entanto, pessoalmente, eu sentia que seria melhor cozinhar.

Eu pensei nisso enquanto voltávamos para a praia.

O mar estava extremamente calmo e o som das ondas também estava baixo.


[1] “Erro de cálculo” e “ponto cego” tem uma pronúncia parecida em japonês, por isso a confusão de Pionia.

[2] Um autômato é uma máquina ou robô que se opera de maneira automática. É mais comumente descrito como máquinas que se movem sem a ajuda de eletricidade, especialmente aquelas que realizam ações que lembram humanos ou animais, como é o caso do cuco de um relógio de parede.

[3] O mantra é uma fórmula mística e ritual recitada ou cantada repetidamente pelos fiéis de certas correntes budistas e hinduístas. O termo é uma palavra em sânscrito que significa “controle da mente”. O mantra é repetido de forma a auxiliar a concentração durante a meditação.