A Deusa chamada Minerva

[Minerva]: (“Seria ótimo se eu pudesse morrer depois de contar até três e antes de chegar até o quatro. Uuuum, doiiiis, trêêêês, quatroooo… como esperado, não é tão fácil morrer… eu me pergunto porque eu não posso morrer?”)

Talvez ela não tenha nos notado, pois Minerva continuou com seu monólogo pessimista.

Miri caminhou até a estátua da Deusa.

(Miri): “Minerva, você está aí não é? Apareça!”

E falando com a estátua da Deusa assim, ela estava a ponto de ataca-la.

No momento que Miri fez isso, o cenário diante de meus olhos subitamente mudou.

Era um espaço totalmente branco que faria você ficar insano se ficasse apenas parado.

Essa já era a minha quinta vez aqui? O Domínio da Deusa.

A propósito, diferente dos outros Domínios das Deusas, havia um vagaroso cheiro de ervas medicinais.

(Minerva): “Ara, já faz muito tempo Kaguya-chan. Como foi, quais são suas ideias sobre morte depois de estar em um estado de imortalidade?”

(Miri): “Não era imortalidade, apenas juventude eterna… aliás, eu agora me chamo Miri, então não me chame mais por esse nome”

(Minerva): “Ara, isso não é bom? Mas eu me lembro que te dei a habilidade Estudo da Medicina quando você reencarnou pela primeira vez porque você disse que queria criar uma droga milagrosa para se tornar imortal. No entanto, bom trabalho morrendo. Me ensine seu método de morte na próxima vez”

(Miri): “Se você quer morrer, então apenas se mate ou algo assim”

(Minerva): “Eu estou te pedindo isso porque eu não posso fazer isso. Não me provoque Kaguya-chan”

Eu podia dizer que o rosto de Miri estava se contorcendo enquanto Minerva continuava chamando ela de Kaguya.

Será que Kaguya era o nome de Miri em sua vida anterior?

(Miri): “Onii. Kaguya era meu nome na minha vida anterior. Familis Raritei era um pseudônimo[1]

(Ichinojo): “Hn? Por que você fez algo tão confuso?”

(Miri): “Para autodefesa. Muitos feitiços usam o nome da pessoa como meio. Um exemplo seria o feitiço ‘Abrir Status’”

(Ichinojo): “Oh, tem razão, ele não se ativa a menos que você diga o nome de seu companheiro para verificar seu Status. Quanto a ferramentas mágicas que utilizam o nome de uma pessoa, há os vilões da ‘Jornada ao Oeste’[2], Chifre Dourado e Chifre Prateado[3], que tinham uma cuia que poderia sugar uma pessoa para dentro dela se eles respondessem quando seus nomes fossem chamados”

(Miri): “Isso, a ‘Cuia Vermelha’. Há ferramentas mágicas parecidas neste mundo. Há um como esse que apareceu na Jornada ao Oeste, ele não dissolve o alvo, mas tranca eles dentro”

(Ichinojo): “Sério… não seria muito ruim se encontrássemos tal item?”

(Miri): “Bem, esses itens são chamados Tesouros Sagrados e são muitos raros, então você provavelmente não tem que ficar muito preocupado com isso. Por exemplo, se eu for presa por um item como esse, eu posso simplesmente escapar usando a Magia de Transferência

(Ichinojo): “Wow, então a Magia de Transferência não seria a mais forte de todas?”

(Miri): “Onii não gostaria de aprender a Magia de Transferência também? Magia Cotidiana IV é um tipo de Magia de Transferência

(Ichinojo): “… feitiço do tipo de transferência com a Magia Cotidiana… feitiço de transferência mesmo sendo Magia Cotidiana… por algum motivo, eu tenho um mal pressentimento sobre isso”

Mas ela certamente está ficando mais forte aos poucos.

No início, era apenas um feitiço para limpeza, então se tornou um feitiço para isolar totalmente o som e depois um feitiço para converter poder mágico em óleo. Todos eles são feitiços incríveis se você olhar apenas para seus efeitos.

Eu sinto isso… certamente, não seria estranho que ela se tornasse um feitiço do tipo transferência também.

Mas transferência é parte de sua rotina diária?

(Ichinojo): “Ah, mas mesmo que eu não possa usar Magia de Transferência, eu sempre tenho a opção de escapar para o |Meu Mundo|

Eu só posso abrir a porta para o |Meu Mundo| no local onde eu a criei antes de entrar, assim, o resultado final seria eu não sendo capaz de escapar de onde eu estaria preso, mas ao menos eu não morreria de fome.

Enquanto eu pensava nisso, eu virei meus olhos e vi Minerva-sama escalando uma escada portátil enquanto ela agarrava um laço feito com uma corda.

(Minerva): “… vocês estão me ignorando e conversando entre si… viver é doloroso, eu quero morrer!”

(Ichinojo):Waaaaa! Minerva-sama, não morra! Nós não estamos te ignorando!”

(Miri): “Onii, está tudo bem, deixe ela para lá”

(Ichinojo): “Como você pode dizer para eu deixar ela para lá? O que acontecerá assim que a Deusa-sama morrer?”

Enquanto eu estava falando isso, Minerva-sama colocou sua cabeça dentro do laço da corda e saltou.

(Ichinojo):Uwaaaaa! A Deusa-sama virou um teru teru bozu[4]!

(Miri): “É por isso que eu disse que está tudo bem”

(Ichinojo): “Não está tudo bem! Nós temos que ajudar ela imediatamente…”

Eu rapidamente subi na escada portátil para salvar Minerva-sama. Eu não tinha tempo para me incomodar sobre onde o laço estava preso enquanto eu disparava para salva-la.

(Ichinojo): “Eu vou te resgatar agora!”

Assim que eu tentei alcançar ela com as minhas mãos, eu escutei um estalo na corda.

Minerva-sama caiu no chão.

(Minerva): “Ahhhh… é verdade, eu quero comer o curry que Libra faz antes de eu morrer. Eu vou morrer depois que eu comer o curry feito por Libra”

(Miri): “Ela é sempre assim. Minerva tentou se matar incontáveis vezes e desistiu com esse tipo de desculpa”

(Ichinojo): “Sério… é verdade, eu tenho um pouco de curry que eu fiz, mas Minerva-sama comeria ele?”

Eu peguei o curry da minha [Bolsa de Itens] e perguntei a Miri.

(Miri): “Eu não acho que ele vai querer o seu. O curry feito por Libra é uma obra-prima suprema em que os temperos são medidos por miligramas e o tempo de cozimento é calculado em segundos, então o curry feito por Onii seria…”

(Minerva): “Obrigado pela refeição”

Minerva-sama roubou meu curry sem que eu notasse, colocando ele na mesa que apareceu sem que eu notasse e começou a comer sem que eu notasse.

Minerva continuou a silenciosamente comer o curry.

(Ichinojo): “Miri, você tem fukujinzuke[5] no molho de soja?”

(Miri): “Yeah, eu tenho”

(Minerva): “No lugar disso, eu gostaria de rakkyo[6]

(Ichinojo): “… Miri, você tem esse?”

(Miri): “… yeah, eu tenho”

Depois disso, Minerva-sama voltou a comer o curry com rakkyo.

Então…

(Minerva): “Obrigado pela refeição. Muito bem, meu estômago está cheio… está na hora de eu fazer vocês irem embora?”

(Miri): “Não brinque comigo! Minerva, eu tenho algo que quero perguntar para você… ouch!”

(Ichinojo): “Veja bem Miri. Essa não é a atitude que você deve ter com uma Deusa-sama”

Eu dei uma tapa com a lateral da minha mão na cabeça de Miri para avisa-la.

Miri ficou emburrada, mas eu não vou deixar ela continuar assim.

No fim, Miri concordou e mudou sua forma de questionar Minerva-sama.

(Miri): “Yeah, desculpe. Eu tenho algo que gostaria de perguntar a Minerva”

Na verdade, eu não sentia que essa era a forma correta de se referir a Deusa, mas elas eram meio que amigas já que elas se conhecem há muito tempo, então isso está no nível de tolerância.

(Minerva): “O que foi? Familis-chan”

(Miri): “Eu não vou mais ficar incomodada se você me chamar de Familis ou Kaguya hoje. Eu quero saber sobre a conspiração por trás do motivo para nós sermos transferidos para este mundo”

Miri perguntou.

No momento que ela perguntou isso, os olhos de Minerva mudaram de sua forma abatida até agora para um olhar sério.

(Minerva): “… então você veio me ver para perguntar sobre isso”

Não, na verdade nós estávamos aqui apenas para colher ervas medicinais. Mas eu não poderia dizer isso.

(Minerva): “Muito bem, eu devo responder você”

Minerva disse isso enquanto ela lançava o Limpar e limpava o prato que tinha o curry e a colher e as devolvia para mim.

(Minerva): “Antes disso, eu gostaria de uma bebida”

(Ichinojo): “Você está bem com chá?”

(Minerva): “Eu prefiro lassi[7]

(Ichinojo): “… Miri, você tem lassi?”

(Miri): “… yeah, se você quiser o simples ou o com kiwi”

Minerva-sama pediu pelo de kiwi.


[1] Pseudônimo é um nome fictício usado por um indivíduo como alternativa ao seu nome legal.

[2] Jornada ao Oeste é um romance mitológico do escritor chinês Wu Chengen, que apareceu anonimamente por volta de 1570, em meados da Dinastia Ming. A lenda de Jornada ao Oeste baseia-se na peregrinação e perseguição do monge Xuanzang para a Índia, em busca de escrituras sagradas do budismo, o Sutra, e conta a história da lenda chinesa de Sun Wukong, o Rei Macaco.

[3] Os reis Demônios Chifre Dourado e Chifre Prateado são vilões da Jornada ao Oeste.

[4] Teru Teru Bozu (em japonês literalmente “brilha, brilha monge”) são bonecos feitos de papel ou pano feitos a mão. Os fazendeiros do Japão começaram a prende-los na janela como amuleto. O amuleto supostamente tem poderes mágicos para trazer bom tempo e prevenir ou parar os dias de chuva. Teru Teru Bozu ficaram populares durante o Período Edo pelas camadas urbanas, em que as crianças faziam um dia antes do dia em que queria bom tempo.

[5] Fukujinzuke é uma conserva de legumes muito usada na culinária japonesa, normalmente usada como acompanhamento para o curry.

[6] A cebolinha chinesa (Rakkyo) na maioria das vezes é preparada em conserva e serve como um acompanhamento do prato principal no Japão e Vietnã. Ela serve para equilibrar o forte sabor de algum dos componentes de uma refeição.

[7] Lassi é uma tradicional bebida à base de iogurte da Índia. O lassi é feito com iogurte, água, temperos e, às vezes, frutas. O lassi doce usa açúcar no lugar dos temperos.