O momento em que elas descobriram a verdadeira identidade de Miri

Kannon foi a primeira a notar a anormalidade. E então Haurvatat agiu quase ao mesmo tempo.

Kannon ergueu barreiras na frente de Malina, enquanto Haurvatat abraçava Carol.

No instante seguinte, incontáveis espadas negras choveram sobre Malina, Haurvatat e Carol.

As espadas negras perfuraram a barreira de Kannon. E Haurvatat desviou das espadas com reflexos aguçados enquanto abraçava Carol.

A barreira feita por Kannon se estilhaçou com o som de vidro quebrando ao mesmo tempo que as espadas negras acabaram.

Haurvatat olhou na direção de onde as espadas vieram.

(Haru): “Quem está aí!?”

Ela então percebeu no momento em que gritou.

A pessoa que estava de pé lá…

(Haru): “Miri… sama? Mas por que…”

Haurvatat viu Miri, a irmã mais nova de Ichinojo.

Diferente das expressões faciais de quando ela estava com Ichinojo, Miri tinha uma expressão fria enquanto olhava para Haurvatat e as outras.

(Miri): “Eu pensei que eu seria capaz de matar pelo menos uma. Você é um incômodo Kannon”

Miri encarou Kannon.

Kannon mostrou sua língua e riu em tom de zombaria. Contudo, os olhos dela mostravam que ela estava séria.

(Kannon): “Eheh, Miri-sama. Malina é minha amiga, então eu ficaria feliz se você não matasse ela”

(Miri): “Entendo. E?”

(Kannon): “Er… por favor, me coloque contra outra garota”

(Miri): “… entendido. Kannon, tenha certeza que Norm não interfira”

O colar negro no pescoço de Kannon brilhou depois de dizer isso.

Ao mesmo tempo, Kannon decidiu que não havia mais nenhuma necessidade de se esconder e assim manifestou seu chifre e asas.

(Carol): “Kannon-san… esses são… chifres e asas de Demônio?”

Carol, que estava nos braços de Haurvatat, viu isso e comentou.

(Kannon): “Isso mesmo. Eu disse isso para Malina antes, que eu sou um Demônio… haha, e eu sou a fiel serva de Miri-sama”

Malina não estava surpresa pelo chifre e asas porque ela sabia que Norm era um Demônio.

Contudo, ela estava chocada ao descobrir que ela era serva de Miri.

(Kannon): “Muito bem Norm, vamos nessa”

Disse Kannon.

(Norm): “Eh!? Kannon-san!? Kyaaaaaa!”

Kannon agarrou Norm e voou para longe.

Antes disso…

(Kannon): “Malina, dê o seu melhor”

Ela encorajou Malina.

Elas não podiam entender as circunstâncias.

Nem Haurvatat, nem Carol, nem Malina entendiam o que estava acontecendo.

Miri, que estava de pé diante deles, era a irmã mais nova de Ichinojo e não deveria ser inimiga delas. Esse deveria ser o caso, mas elas não podiam entender o porquê de ela estar as atacando.

Mas apenas ela era diferente.

(Pionia): “Mestras, pensem nisso depois! Ela está hostil contra todas vocês!”

Pionia afirmou isso e transformou seus braços em cordas.

(Pionia): “Nós devemos capturar ela primeiro!”

As cordas criadas dos braços de Pionia se aproximaram de Miri… mas, no momento seguinte, essas cordas foram despedaçadas em um instante.

(Sheena): “Pionia-san, eu não vou deixar você interferir”

(Pionia): “Sheena-san. Você, huh?”

Havia um par de espadas formadas nos braços de Sheena.

(Pionia):Homúnculo e Autômato. Então este é um duelo para ver qual é o mais forte”

(Sheena): “Eu não tenho interesse em vencer nem em perder. Eu só quero conseguir tempo para que a Grã-Mestra me reconheça e me recompense com férias remuneradas”

Queixas escaparam de Sheena por todo o tempo em que ela esteve com Miri.

A luta entre Sheena e Pionia começou e o campo de batalha delas lentamente mudou de local.

(Miri): “Muito bem, vocês três vão me enfrentar. Bem, eu planejei isso desde o início…”

(Carol): “Por-por favor espere! Por que você está fazendo isto?”

(Miri): “Não é óbvio!? Porque você foram mimadas pelo Onii!”

Miri disse isso e entoou sua magia.

(Miri):Marionete Assassina

As linhas negras que se estenderam pelo corpo de Miri se enrolaram no próprio corpo dela.

(Haru):Marionete Assassina!?”

Haurvatat ergueu sua voz.

Malina colocou sua máscara e perguntou enquanto preparava seu [Arco do Vento].

(Marina):Marionete Assassina… que tipo de feitiço é esse?”

(Haru): “Um feitiço que controla outra pessoa com a sua vontade… essa era a especialidade do Lorde Demônio-sama”

(Carol): “Eh? Mas ela não usou isso nela mesma?”

Carol perguntou.

(Haru): “Ao usar isso nela mesma, ela pode utilizar movimentos além das capacidades do seu corpo físico… é claro que isso colocará um considerável fardo no corpo dela, mas…”

(Miri):Espada das Trevas

Miri entoou e desta vez, espadas negras se materializaram em ambas as mãos dela.

Miri não era uma Espadachim, então ela não poderia usar habilidades relacionadas a espadas. No entanto, o poder das Espadas das Trevas que se materializaram usando o ápice da Magia da Escuridão ultrapassava as habilidades de um Espadachim.

(Miri):Corte das Trevas

Quando Miri balançou sua espada, uma onda de choque visível tingida de preto se aproximou de Haurvatat.

Haurvatat desviou para o lado enquanto abraçava Carol, mas como ela tinha que proteger Carol, ela não poderia utilizar sua esquiva especializada em movimentos mínimos. Naturalmente, desviar de um ataque com movimentos maiores deixava espaços a serem explorados.

Miri apareceu na frente de Haurvatat em um piscar de olhos.

A espada dela apareceu vindo de cima em direção a Haurvatat.

Com a espada rapidamente se aproximando dela, Haurvatat se desculpou com Carol.

Ela derrubou Carol no chão e pegou sua [Presa do Dragão das Chamas] e sua espada curta para deter a espada negra.

Então, Haurvatat viu isso.

Marina estava mirando em Miri pelas costas com sua flecha de vento.

O ato de Marina mirar em Miri de seu ponto cego era covarde, mas ela acreditava que isso ao menos deteria os movimentos dela.

No instante seguinte, o enorme corpo de Fenrir se chocou contra Marina. Vendo o [Arco do Vento] voando das mãos dela…

(Haru): “Marina-san!”

Haurvatat gritou.

Entretanto, Marina estava ilesa. De alguma forma, ela se agarrou ao corpo de Fenrir e subiu nas costas dele.

(Marina): “Eu estou bem, foque no inimigo diante de você!”

Disse Marina enquanto ela se segurava em Fenrir que estava se sacudindo como um cavalo descontrolado.

Mas ela seria lançada para longe em pouco tempo se ele continuasse se movendo tão violentamente.

(Haru): “Miri-chan, eu não sei qual o seu objetivo, mas me diga uma coisa… o Mestre está bem?”

(Miri): “Sim, eu nunca machucaria Onii. Onii me mandou para cá com um sorriso quando eu disse que iria ter uma conversa de garotas”

(Haru): “Entendo… estou feliz em ouvir isso”

Os olhos de Haurvatat ficaram vermelhos quando ela disse isso.

Ela ativou uma habilidade.

Sangue da Fera… uma habilidade que aumentaria drasticamente o |Ataque Físico e a |Velocidade durante dez minutos. Contudo, o demérito era que ela não seria capaz de se mover por um minuto depois que esse tempo se passasse.

(Miri): “… eu vou acabar com isto rapidamente…”

Sombras se estenderam dos pés de Miri no momento em que Haurvatat estava a ponto de focar sua força.

[Haru]: (“Isso é ruim!”)

Haurvatat percebeu que o ataque estava apontado para Carol, então ela usou seu grande aumento em |Velocidade para agarra-la e fugir.

(Carol): “Desculpe Haru-san. Eu só sirvo para ser um incômodo”

(Haru): “Não ligue para isso… Mestre e eu somos sempre gratos pelo conhecimento de Carol. A pessoa certa no lugar certo”

Haurvatat disse isso enquanto ela escapava em direção a um cavalo branco… Fuyun.

(Haru): “Fuyun, por favor, tome conta de Carol! Por favor, corra o mais longe possível!”

Fuyun relinchou e galopou para longe depois que Carol montou nele.

E então, depois de desviar de outra sombra que se esticava na direção dela, Haurvatat se aproximou de Miri.

(Miri): “Você ficou mais forte Haruwa”

(Haru): “É tudo graças a Ichinojo-sama”

(Miri): “Se você está tão forte, por que você continua uma Escrava de Onii?”

Miri disse isso enquanto se envolvia em uma armadura negra.

Quando ela viu essa imagem, o coração de Haurvatat bateu mais forte.

O estilo de luta de Miri e a forma como ela a chamava de Haruwa.

Mais importante, essa presença que ela sentia quando as duas estavam juntas.

(Haru): “Sem chances… você é…”

(Miri): “Não importa quão forte seu corpo se torne, seu coração ainda é fraco!”

Miri disse isso e atacou os pés de Haurvatat.

Com sua postura quebrada, a espada de Miri perfurou o ombro de Haurvatat.

(Haru): “… você é, Familis-sama?”

(Miri): “Yeah, eu me lembro muito bem de você. Você molhou a cama quando dormiu comigo e nós fomos nos desculpar com seu pai. Porém, seu pai se prostrou e se desculpou em nosso lugar”

(Haru): “Sem… chances…”

(Miri): “Se você ainda é leal a mim, assuma essa lealdade e morra por mim Haruwa”

Disse Miri enquanto ela girava a espada que perfurava Haurvatat.

O grito de Haurvatat ressoou através do |Meu Mundo|.