Miri aprisionada

Miri acordou em uma cabine. Havia uma pequena janela e ela podia ver que já era noite no lado de fora.

Olhando para baixo, ela podia dizer que estava no ar e nuvens cinzentas iluminadas pelo luar lentamente passavam.

(Miri): “… Escuridão Pequena

Ela entoou, mas o feitiço não foi ativado.

Foi então que Miri notou o estranho objeto em seu pulso.

Havia um bracelete branco ao redor de seu pulso. Isso era algo que Miri… não, Familis Raritei havia criado, um simples item que selava o |Poder Mágico. Ele foi feito há 500 anos para confinar prisioneiros capazes de usar magia, mas o [Colar de Escravo] foi inventado logo depois, dessa forma, o bracelete nunca se espalhou pelo mundo e foi trancado nas profundezas do |Castelo do Lorde Demônio|.

Parecia que Daijiro pegou isso depois que eles derrotaram Familis.

(Miri): “… hey, você está aí, não está? Por que você só não entra logo?”

Miri disse isso na direção da porta trancada.

Quando ela fez isso, a porta foi destrancada e uma mulher com cabelo castanho vestindo algo parecido com o que vestia o Capitão Gancho[1] de Peter Pan entrou.

(Miri): “Você cresceu bastante chibi[2] Daijiro”

(Daijiro): “Foi você que ficou menor Familis Raritei”

Daijiro disse isso com um sorriso antes que ela subitamente risse e perguntasse…

(Daijiro): “Então, como foi? Sua vida no Japão? Hey, é mesmo verdade que uma torre de rádio com o dobro da altura da Torre de Tóquio[3] foi construída!?”

(Miri): “Yeah, feche a matraca. Eu vou costumar seus lábios se você não ficar quieta”

Miri segurou sua cabeça vendo como o entusiasmo dela não mudou mesmo depois de 13 anos.

As batalhas entre Familis e o ⌈Herói Alessio aconteceram repetidas vezes.

No meio disto, Familis descobriu sobre Daijiro, que ajudou Alessio várias vezes em suas aventuras e a sequestrou.

Depois disso, ela descobriu que Familis era uma japonesa e era até mesmo a pessoa que serviu de modelo para a Princesa Kaguya, o que a fez ser amiga dela instantaneamente.

Por acaso, Familis escutou de Daijiro que os pais dela tinham pensado em nomes de meninos e meninas antes de ela nascer. Naquela época, Daijiro, que deveria ser o nome para um filho, foi deixado como o nome sagrado dela. Então, quando ela reencarnou neste mundo, seu nome sagrado Daijiro foi tomado como seu nome oficial neste mundo.

(Miri): “Daijiro… obrigado por esperar”

(Daijiro): “Você se despediu?”

(Miri): “Eu nunca pretendi fazer isso. Onii definitivamente se oporia a isso. Em primeiro lugar, eu vim aqui não pelo bem de Onii, mas pelo meu próprio bem”

(Daijiro): “… você não está sendo honesta com você mesma Familis. Não é melhor apenas ser honesta? Você veio para este mundo para que você pudesse passar sua vida toda com seu Onii-chan favorito. Mas isto é mesmo irônico. O Lorde Demônio morreu para proteger o mundo. Sendo mais esperta que que a Igreja inteira, mantendo um segredo de seu Onii-chan favorito…”

(Miri): “Eu vou te matar se você falar mais alguma coisa”

(Daijiro): “Fufu, mas você pode?”

Faíscas voaram do bracelete de Miri quando Daijiro perguntou isso.

(Miri): “Você acha que um item mágico de segunda mão como este é capaz de selar o meu |Poder Mágico?”

No instante seguinte, fumaça apareceu no bracelete e ele caiu.

Esse bracelete iria superaquecer e quebrar assim que ele recebesse mais |Poder Mágico do que era capaz de suportar… ou esse deveria ser o caso.

(Miri): “… eh?”

O bracelete foi destruído. Contudo, havia outro bracelete abaixo dele e esse bracelete ainda estava envolvendo o pulso de Miri.

(Daijiro): “Você se esqueceu que eu sou uma Engenheira Mágica? Eu resolvi esse defeito há muito tempo”

Daijiro orgulhosamente declarou.

(Miri): “Ótimo trabalho Pinky”

(Daijiro): “Não me chame de Pinky. Meu nome é Daijiro”

(Miri): “Ara? Eu gosto disto. Seu nome, Pinky, escrito como ‘Um’ e ‘Chave’[4]. Apesar de eu achar que ninguém nunca leria assim”

Satou Pinky era o nome original de Daijiro.

Ela realmente odiava esse nome e desejava um nome comum.

Era por isso que ela ficou muito feliz quando seu nome virou Daijiro quando ela chegou neste mundo. Chegou ao ponto de que ela não ligava mesmo esse sendo um nome de menino.

(Miri): “Então, quem sabe que eu estou aqui?”

(Daijiro): “Excluindo o grupo do seu Onii-san e as Deusas, provavelmente Alessio e a turma assim como o Papa. Ah, e também o atual Lorde Demônio e seu grupo”

(Miri): “Atual Lorde Demônio? Ah, verdade, tem esse pessoal por aí. Apesar de eu já ter cuidado de uma mosca chamada Valf”

(Daijiro): “Quem é esse?”

(Miri): “Devia ser algum subordinado. Parecia que ele estava planejando vários esquemas. Ele aparentemente costumava ser meu subordinado, mas eu realmente não me lembro disso”

(Daijiro): “Por favor, cuide de seus subordinados corretamente”

Assim que Daijiro disse isso, uma forte explosão ecoou.

Elas estavam se perguntando sobre o que aconteceu quando…

(Jofre): “Ó meu Deus Elise! A panela explodiu!”

(Elise): “Ó meu Deus Jofre! Foi uma explosão enorme!”

(Jofre): “Esta é uma ótima chance para fazermos pipoca! Elise, você já ouviu falar de pipoca?”

(Elise): “Yup, milho seco que vai explodir quando exposto ao fogo, não é? Agora que eu penso sobre isso, a comida dos porcos no rancho do navio voador também é milho seco!”

(Jofre): “É isso Elise! Vamos pegar depressa uma panela que possa ser aquecida e vamos fazer pipoca!”

Tais vozes idiotas podiam ser ouvidas.

(Miri): “Por favor, cuide de seus subordinados corretamente”

(Daijiro): “… sheesh. Eu não deveria ter trazido essas pessoas mesmo estando com falta de mão-de-obra!”

Daijiro disse isso enquanto ela deixava o quarto. Naturalmente, ela trancou a porta depois que saiu.

Miri olhou para fora da janela e suspirou levemente.

(Miri): “Eu não vou tentar escapar mesmo que você não tranque a porta ou coloque este bracelete em mim”


[1] O Capitão James Gancho (originalmente James “Hook”) é um personagem de ficção originário do livro e peça de teatro Peter Pan, de James Matthew Barrie, sendo um dos mais conhecidos vilões da literatura e cinema.

[2] Chibi é um termo japonês utilizado no contexto de anime ou mangá para descrever um traço de desenho de personagem bastante estilizado, com cabeças no mesmo tamanho dos corpos, geralmente para obter um efeito cômico ou mais sentimental. Também é uma forma para se referir a pessoas pequenas ou crianças.

[3] A Torre de Tóquio é uma torre de comunicação e de observação localizada no distrito Shiba-koen em Minato, Tóquio, Japão. Com 333 metros de altura, é a segunda maior estrutura artificial do Japão. Esta construção foi inspirada na Torre Eiffel com estrutura treliçada, pintada de branco e laranja para fazer cumprir com os regulamentos da segurança aérea. Erguida em 1958, a torre é uma das principais fontes da receita de turismo de Tóquio. Mais de 160 milhões de pessoas já visitaram o local desde a sua inauguração.

[4] A forma como Satou Pinky é escrito em japonês conta com os termos para as palavras “um” e “chave”.