História secundária: O diário de aventuras de Garrison (Parte 4)

O fundo da armadilha era uma rampa pela que eu escorregava.

Eu imaginei espigões[1] sob a armadilha que iriam empalar as vítimas, mas esse não parecia ser o caso. Se a intenção fosse matar, então não haveria necessidade de uma rampa tão longa.

(Garrison): “Droga”

Eu tentei me apoiar, mas havia muito pouca fricção com a rampa. Não era apenas uma rampa. Mesmo quando eu me segurava contra a parede com minhas mãos enluvadas, até as paredes também eram escorregadias. Eu não fazia ideia de quão uniformes as paredes foram feitas, mas, de qualquer forma, eu não tinha escolha além de permitir que meu corpo deslizasse.

Depois de escorrer por uma boa distância, eu vi um buraco que levava para baixo. Eu caí dentro do buraco sem nenhuma maneira de resistir. Ao menos eu tentei aliviar corretamente minha queda e ficar pronto.

Então, eu caí de uma altura de quase dois metros e meio. Eu não poderia dizer que meu pouso foi perfeito, mas ao menos eu não sofri quaisquer ferimentos externos.

Assim, situado ali estava…

(Garrison):Orc!?”

Ou não… era a Estátua da Deusa para Koshmar-sama.

Por que ela está aqui?

Não, não me diga…

[Garrison]: (“Esta é a sala da Estátua da Deusa!?”)

É uma piada? Nós chegamos na sala da Estátua da Deusa sem nem mesmo derrotarmos o Chefão?

[Garrison]: (“Não, eu escutei isso antes… alguns |Labirintos| têm passagens secretas que levam direto para a sala da Estátua da Deusa… então este |Labirinto| é um deles, huh?”)

Muito bem, eu provavelmente vou receber uma remuneração especial se eu informar a Guilda sobre este lugar.

Por enquanto, já que eu cheguei neste lugar, vamos dedicar uma oração para a Estátua da Deusa.

Título: Conquistador do Labirinto obtido

Habilidade de Recompensa: Ferramenta de Transmutação de Labirinto obtida

… !?!?!?

Ferramenta de Transmutação de Labirinto?

Sério!? Parece que eu ganhei na loteria.

Ferramenta de Transmutação de Labirinto era uma habilidade que permitia que uma pessoa transmutasse itens que poderiam ser usados em um |Labirinto|. Era uma habilidade extremamente rara e se eu fosse para a Igreja, eu poderia até receber o mesmo tratamento que um Padre só por ter essa habilidade.

Minha vida estava parecendo se tornar rosada!

Assim que eu olhei para os céus, aqueles dois vieram caindo.

(Jofre): “O que você está fazendo aí Garrison?”

(Elise): “Que cê tá fazendo aí Garrison?”

Jofre e Elise perguntaram, mesmo que fosse óbvio apenas por olhar, enquanto eles estavam sentados nas minhas costas.

(Garrison): “Eu fui esmagado por vocês, só se apressem e saiam daí!”

Jofre e Elise não se levantaram apesar da minha explosão de raiva enquanto eles continuavam com seus pensamentos.

(Jofre): “De qualquer forma, essa foi uma descida incrivelmente escorregadia… a propósito, eu sinto que eu irei passar por isso de novo, mas e quanto a você Elise?”

(Elise): “Eu também sinto algo similar Jofre. Isso deve ser um daqueles Déjà vu[2]

(Garrison): “Hey, hey, Elise. Se isso ainda não aconteceu, então não pode ser Déjà vu. Isso foi um sonho precognitivo[3]

(Elise): “Sonho precognitivo? Então isso foi um sonho Jofre?”

(Jofre): “Entendo, então foi um sonho! Não é estranho que não tenha doído mesmo quando eu caí!”

(Garrison): “Vocês não sentiram nenhuma dor porque eu amorteci vocês! Saiam logo e vão rezar para a Deusa-sama ou algo assim!”

Jofre e Elise finalmente perceberam que havia uma Estátua da Deusa na frente deles e rezaram para ela.

Ao fazerem isso, uma pequena rocha parecida com uma gema caiu na frente de Jofre e uma lança caiu na frente de Elise.

(Garrison): “Woah, vocês também são sortudos. Um [Livro de Habilidade] e uma [Lança Mágica]

O [Livro de Habilidade] era uma pequena pedra que poderia te ensinar uma habilidade.

Que habilidade você aprenderia era desconhecido, a menos que você avaliasse ela. Mas esse era um item que poderia ser trocado por pelo menos uma moeda de ouro.

Uma [Lança Mágica] era, como seu nome indicava, uma lança em que você poderia canalizar magia.

Bem, ambos não podem superar a habilidade que eu adquiri, mas eles estavam na categoria de uma vitória.

(Jofre): “Nós conseguimos Elise. Rápido, faça um teste agora”

(Elise): “Está tudo bem, isso pertence a Jofre, então Jofre deveria usar”

(Garrison): “Vocês dois, deixem isso para mais tarde. Mais importante, vamos nos apressar e voltar”

Eu empurrei a porta atrás de mim… e percebi.

A porta estava trancada.

(Garrison): “Nós estamos presos?”

Agora que eu penso nisso, a porta para o fundo da sala do Chefão não se abrirá a menos que você derrote o Chefão.

Em outras palavras, nós não seríamos capazes de sair até que alguém completasse este |Labirinto|?

Mas ultimamente, o número de pessoas desafiando o |Labirinto| diminuiu. Pessoas fazem extermínios periódicos dos monstros nos andares superiores, mas pode levar semanas até que um Aventureiro percorra todo o caminho até este andar.

(Garrison): “… há outro caminho para sairmos?”

Havia uma abertura parecida com um buraco de fechadura, mas, naturalmente, eu não tinha a chave e nem conhecia técnicas para usar uma gazua[4]. Mesmo que eu pudesse, a porta era especial, então eu provavelmente não seria capaz de abri-la.

Eu finalmente coloquei minhas mãos em uma habilidade rara, então eu preferia não morrer de fome nesse local… hn?

Habilidade rara, huh… me pergunto que tipo de ferramentas eu posso transmutar?

Eu tentei verificar.

Level 1: [Chave do Labirinto] | Materiais necessários: Fio

[Chave do Labirinto]? Oi, oi, isto é um sonho? Sonho profético?

E pensar que era realmente possível criar a chave… sorte.

Mas isso ainda é impossível… se eu pensar sobre isso, não tem fio em lugar nenhum… hn?

Falando nisso, eu me lembrei e peguei aquilo.

A arma que Elise me deu… a agulha de costura.

Isto é feito de metal também, então ela deve ser o fio perfeito, não é?[5]


[1] Espigão é uma haste de ferro ou madeira com ponta afiada.

[2] Déjà vu é uma reação psicológica da transmissão de ideias de que já se esteve naquele lugar antes, já se viu aquelas pessoas, ou outro elemento externo. O termo é uma expressão da língua francesa que significa: “Eu já vi”.

[3] Precognição é uma percepção extra-sensorial na qual o indivíduo percebe uma informação sobre um futuro local ou evento antes dele acontecer. Os paradoxos (e seu tratamento na ficção) são semelhantes aos ocorridos nas viagens no tempo.

[4] Gazua, ou chave mestra, é o termo usado para se referir a uma ferramenta qualquer que tenha por função fazer funcionar fechaduras e cadeados. Por ser instrumento usualmente empregado na prática do crime de furto, sua fabricação, cedência e venda são proibidas no Brasil, com pena de prisão simples de dois meses a um ano, além de multa.

[5] Em japonês, “fio” pode ser traduzido livremente como “agulha de metal”, o que explica a lógica de Garrison.