Prólogo (Volume 09)

O camelo que ela estava montando espumou pela boca e desabou. Como suspeitava, a flecha que foi disparada há pouco estava coberta de veneno.

Abandonando o camelo que não poderia mais ser usado, ela carregou sua bagagem sobre seu ombro e começou a caminhar.

(???): “Por favor, espere por mim pai. Shumei irá definitivamente viver para cumprir seu papel”

Ela disse com seus dentes cerrados enquanto avançava passo a passo.

Mesmo que a estação tenha acabado de entrar no verão, a temperatura ambiente já tinha chegado a 40ºC. Calor entraria no corpo dela cada vez que ela respirava. Suor entrava em seus olhos, mas ela não o esfregava enquanto avançava em um caminho reto.

Quase não havia mais água em seu saco de água.

Para atravessar dez quilômetros, ela não poderia beber água ali.

Assim que a noite chegasse, os monstros iriam aparecer de suas tocas e correriam desenfreadamente na vastidão do deserto. Esse não era um lugar onde humanos comuns poderiam pisar. Por causa disso, ela não poderia descansar se ela quisesse chegar a uma cidade antes do anoitecer.

A única coisa que ela poderia fazer era apenas continuar caminhando.

Mas ela não tinha sequer permissão para fazer isso.

Uma nuvem de areia se levantou da areia atrás dela.

Isso era prova de que o monstro réptil capaz de correr pela areia, o Corredor do Deserto, estava se aproximando dela. Há mais de cem anos, os Corredores do Deserto devastaram o deserto como monstros selvagens e eram um grupo de monstros temido no deserto nessa época, mas Corredores do Deserto na natureza se tornaram extintos em anos recentes e eram atualmente usados como montarias junto dos camelos no deserto.

Ajuda nesse local… ela não estava otimista o bastante para pensar nisso. Esse local era distante da estrada principal e, além disso, ela escutou que esse era o território do grupo de bandidos Escorpião da Areia. Mais provavelmente…

(??? A): “Hyaha, o que uma garota fofa como você está fazendo sozinha em um lugar destes?”

(??? B): “Chefe, ela parece uma ótima mulher. Quem sabe podemos vendê-la para o mercador de escravos por uma grande quantia?”

(??? A): “Idiota, não se esqueça que eu vou experimentá-la primeiro!”

(??? C): “Como esperado do chefe! Tão desprezível!”

Homens facilmente tomados como bandidos manipulavam os Corredores do Deserto e cercaram a frente dela.

(Garota): “Por-por favor, deixem-me passar. Por favor. Eu vou lhes dar dinheiro se isso é o que vocês querem”

Ela disse isso enquanto pegava uma bolsa contendo suas moedas em sua bagagem.

(Chefe dos Bandidos): “Oo, dinheiro? Dinheiro é bom, eu vou ficar com isso”

O homem chamado de chefe dos bandidos pegou a bolsa de dinheiro enquanto ria sozinho.

Contudo…

(Chefe dos Bandidos): “Eu não quero só o dinheiro, você não tem que sentir dor se você obedientemente colocar toda a sua bagagem no chão também”

Depois de ficar com a bolsa cheia de moedas, o chefe imediatamente agarrou o pulso dela.

(Garota): “Por favor, deixe-me ir! Por favor!”

(Chefe dos Bandidos): “Oo, eu vou te deixar partir! Depois de colocar isto em você”

O homem pegou um colar.

Isso era chamado de [Colar de Escravo] e era uma ferramenta mágica usada para tornar uma pessoa um Escravo. Depois de colocar isso nela e registrar um mestre, ela não seria capaz de ir contra as palavras desse mestre.

(Garota): “N-não. Se eu colocar algo como isso…”

(Chefe dos Bandidos): “Hey, ora, não resista! Isso vai acabar logo, hehehe”

O homem mostrou um olhar desprezível, mas a diferença em suas forças era grande demais mesmo que ela tentasse resistir.

Se isto continuasse…

(???): “Erm, me desculpe por interromper sua captura”

eh?

Ela não era a única pessoa sem palavras enquanto o bandido também afrouxava seu aperto por um momento.

A pessoa que falou era um homem com cabelo preto e quase 20 anos de idade sem segurar uma única arma. Ele também estava montado em um Corredor do Deserto como os bandidos, mas quando exatamente ele apareceu?

(???): “Eu meio que posso dizer… que isto é uma cena onde três bandidos estão tentando forçar uma garota inocente a se tornar uma Escrava”

Parecia que ele não era um bandido.

Ela queria pedir a ajuda dele, mas ela rapidamente reconsiderou. Olhando com mais atenção, o homem não estava segurando nenhuma arma… ele não parecia ser companheiro dos bandidos.

(Chefe dos Bandidos): “E então, o que você está insinuando? Huh, senhor”

(???): “Não, bem, eu estou sendo perseguido por um monstro então eu estava pensando que isso poderia atrapalhar vocês…”

(Chefe dos Bandidos): “Monstro?”

O bandido estava pensando que isso era suspeito quando aconteceu.

A terra foi engolida para dentro e um enorme monstro apareceu.

(Chefe dos Bandidos): “Se-sem… sem chances… Wyrm[1] de Areia!?”

Chamado de mestre do deserto, o Wyrm de Areia engolia a tudo.

Com a aparência de uma minhoca enorme, o monstro que dizia se não deixar uma única folha de grama para trás onde quer que passasse, estava atualmente no local.

(Chefe dos Bandidos): “… corraaaam!”

Os bandidos imediatamente fugiram na direção oposta à do Wyrm de Areia.

(???): “Hey, esperem! Esse lugar é… !!!”

Aconteceu quando o homem gritou.

Um pilar de areia explodiu.

O segundo Wyrm de Areia apareceu e engoliu todos os bandidos em um piscar de olhos.

Embora uma pessoa devesse estar preparada para morrer com apenas um Wyrm de Areia, um segundo Wyrm de Areia tinha aparecido.

(???): “Sheesh, foi por isso que eu disse a eles para não irem por ali… hmm, você mora por aqui?”

(Garota): “Eh? Sim… sim, mas…”

(???): “Há alguma lenda ou algo do tipo dizendo que o Wyrm de Areia é a divindade tutelar[2] desta terra? Ou esse é um monstro benéfico para a terra como o Verme Tubifex[3] de |Ferruit|?”

(Garota): “Não, não existem tais histórias”

(???): “Entendo… então não haverá qualquer problema se eu matá-los”

Logo depois de ele dizer isso.

Ela sentiu que estava sonhando.

Foi porque no instante seguinte, os dois Wyrms de Areia foram enclausurados em gelo.

(Garota): “… eu não sei quem você é, mas… por favor. A carta na minha bagagem… por favor, envie ela para o Marquês[4] Hydor”

A consciência dela ficou nebulosa.

[Garota]: (“Por favor… neste ritmo, o Lorde Demônio… o Lorde Demônio…”)


Ah, não, quem é o Marquês Hydor?

Antes que eu pudesse perguntar, a garota, cujo nome eu nem sabia, desmaiou.

Eu não poderia abandonar ela no meio do deserto, assim, por enquanto, eu a deitei em uma espreguiçadeira[5] e montei um guarda-sol.

[Ichinojo]: (“Como esperado da [Bolsa de Itens] de Miri… você está tratando isto como um resort na praia?”)

Dentro da [Bolsa de Itens] da minha irmã mais nova havia uma montanha de itens “Made in Terra”.

Aliás, para diminuir a temperatura do ambiente…

(Ichinojo):‖Corte‖

Eu cortei o Wyrm de Areia congelado em pedaços com Esgrima.

Em todo caso… eu investiguei o emprego da garota.

Nobre: Lv2

Sheesh, resgatar uma garota nobre no momento em que eu entrei no deserto, eu sou algum protagonista de uma Novel?

Isso parece apenas problema.


[1] Wyrm é o nome dos Dragões europeus. Na idade moderna (1453 a 1789), o Dragão europeu era tipicamente descrito como uma criatura parecida com um lagarto enorme, cuspidor de fogo, escamoso e com chifres. A criatura também tinha asas de couro parecidas com as de morcegos, quatro pernas e uma longa cauda musculosa e preênsil. Algumas descrições mostravam Dragões com asas de penas, cristas, orelhas adornadas, crinas flamejantes, espinhos de marfim ao longo da espinha e várias decorações exóticas. Em outras descrições, o monstro não tinha pernas e era parecido com uma serpente enorme, ou tinha múltiplas cabeças, como a Hidra.

[2] Uma divindade tutelar é um espírito ou divindade que ocupa o cargo ou função de guardião, patrono, padroeiro ou protetor de determinado local, pessoa, linhagem, dinastia, nação, cultura ou ocupação. No politeísmo grego, por exemplo, Atena era a padroeira da cidade de Atenas, sua divindade tutelar.

[3] Tubifex é o nome de um pequeno verme que vive perto de fontes de água fresca e é um alimento comum para peixes de aquário.

[4] Marquês (no feminino marquesa) é um título nobiliárquico da nobreza europeia, que foi depois utilizado também em outras monarquias originárias do mundo ocidental, como o Império do Brasil. Na hierarquia, o termo marquês é imediatamente superior ao conde e inferior ao duque.

[5] Espreguiçadeira é uma cadeira para repouso de encosto geralmente inclinado, que possui o assento longo para esticar as pernas.