Prólogo (Parte 1)

Quando falamos de reencarnações, a primeira coisa que você deve pensar é que os reencarnados são trapaceiros, certo?

Houve um tempo em que eu também pensava isso.

Como você deve imaginar, eu me envolvi em um acidente de trânsito com um caminhão e fui reencarnado com a Aptidão Profissional: Aldeão.

E então, a casa em que eu nasci não era nem a de um aristocrata nem de um ricaço. Era uma fazenda bastante normal.

Em termos de satisfação de vida, mesmo não sendo tão ruim, era difícil conseguir comida.

Assim, sendo de uma família pobre, eu cresci rapidamente e fiz 15 anos com status e habilidades medíocres.

Deixe-me dizer isso novamente.

A reencarnação não deveria transformar uma pessoa em um trapaceiro?

Mesmo você nascendo com um Aldeão, você deveria ganhar alguma habilidade de trapaça… não é sempre assim?

Entretanto, eu era mesmo apenas um Aldeão comum.

Assim, ao invés de ter uma dessas, minha vizinha, nascida apenas três dias depois de mim, era uma verdadeira garota trapaça.

Cordelia Allston.

Aos 15 anos de idade ela era conhecida como Ikkitōsen[1], Aptidão Profissional: Yuusha[2].

Ela era realmente a trapaceira entre os trapaceiros.

Nascida na casa atrás da minha, no mesmo ano, criada do mesmo jeito que eu… o status dela realmente fazia jus ao título de Ikkitōsen.

Ou será que foi apenas um erro.

Para um Aldeão comum como eu, ela era como um monstro de um nível de outro mundo.

Era uma obra de arte ver uma garota de 15 anos usando uma espada sem corte para cortar uma pedra como se estivesse cortando manteiga. Um.

Uma corrida de cem metros em apenas um ou dois segundos. Eu acho que ela já deixou de ser humana há algum tempo.

Quando eu tinha quatro ou cinco anos, eu só venci ela em uma luta porque eu sou um homem, entretanto…

Seu crescimento depois disso foi incrível.

Atualmente, parece que ela está sempre tentando controlar seu poder apenas para não me machucar com um toque.

Uma vez meu ombro foi deslocado quando eu fui atingido de leve como uma brincadeira… ela cuidou de mim por três dia e três noites mesmo eu dizendo que não era necessário.

Ela estava terrivelmente preocupada com o que tinha feito… isso fez eu me sentir mal por ela, mesmo sendo a vítima.

Mudando de assunto, nós estamos atualmente com quinze anos.

No momento eu estou acampando na |Grande Floresta Manakisu|.

Há uma lenda que diz que um Dragão vive aqui….

Agora devem ser umas sete horas da noite? Está frio e o Sol está se pondo mais rápido porque é inverno.

Mesmo com uma fogueira para nos aquecer, nessa floresta densa, o ambiente está em completa escuridão e a luz da lua não alcança o solo.

Os uivos dos lobos podem ser ouvidos a distância.

Então eu perguntei para Cordelia com um pouco de medo.

(Lute): “Oi. Cordelia? Está mesmo tudo bem? Não há monstros por aqui, certo?”

O fogo queimando iluminou levemente seus longos cabelos vermelhos.

Não há nada para reclamar sobre o lindo e solene rosto dela. É até difícil de acreditar que sua beleza pertence a uma pessoa deste mundo.

Ainda assim, ela é conhecida como Ikkitōsen. Ou isso foi um engano.

Quando ela pisa em um campo de batalha com uma espada, a maioria dos Guerreiros irão se curvar depois de apenas um golpe dela.

Você deve se perguntar de onde ela conseguiu tanto poder… uma garota com armadura azul-celeste e braços finos inclinou a cabeça para responder a minha pergunta.

(Cordelia): “Hee? Mesmo tendo uma pessoa com o título de Matadora de Dragão⟧ como eu aqui… e você está me perguntando se eu estou preocupada com o perigo de monstros. Nesta situação, eu acho que você deveria se preocupar mais com a segurança dos monstros. Bem, considerando o quão fraco são os monstros daqui… Ah. Esta é a sua primeira vez em um local onde monstros aparecem, não é?”

(Lute): “Bem, diferente de você minha Aptidão Profissional é Aldeão. Sair um pouco da vila para colocar armadilhar e controlar pestes é o máximo da minha capacidade”

(Cordelia): “Ah é. Teve uma vez… eu vi você voltando de uma expedição com a Ordem dos Cavaleiros. Você estava completamente assustado só por estar alguns metros fora da vila”

(Lute): “Não poderia ser diferente já que eu sou só um Aldeão… De qualquer forma, por que você me trouxe num lugar… Uoo!?”

Havia um Javali selvagem enorme.

O Javali está correndo para cá depois de surgir das sombras das árvores. Seu peso deve ser de uma tonelada. Ele tem olhos roxos indicando que é um ser mágico.

Saliva escorrendo de sua boca.

(Cordelia): “Lute! Não se mexa!”

Depois de dizer isso, Cordelia correu em direção ao Javali como um raio. Preparando um golpe lateral, Cordelia se pôs embaixo do estômago do Javali.

Enquanto deslizava pelo chão, ela atravessou o estômago do monstro com um corte.

O Javali caiu no chão ao mesmo tempo em que Cordelia pulou para trás.

O Javali caiu depois de ter seu estômago destruído.

Ela seguiu para o lado do Javali e cortou seu pescoço com outro golpe.

Com a cabeça do monstro separada do corpo, um esguicho de sangue pintou o rosto de Cordelia de vermelho como uma maquiagem.

(Cordelia): “Agora temos um problema a menos para nos preocupar. Amanhã vamos ter carne de porco assado para o café da manhã”

 Cordelia disse isso com um sorriso inocente no rosto.

Oi, oi. Você realmente… tto. A intensidade do sangue jorrando fez meu rosto contorcer-se.

Eu imediatamente mudei minha expressão para um sorriso forçado depois de perceber meu erro.

(Lute): “Comer carne de manhã não é demais? … em vários sentidos diferentes, você é mesmo… diferente do que aparenta ser”

Parece que Cordelia percebeu a mudança no meu rosto naquele momento.

Ela então sentou em uma pedra e soltou um longo suspiro.

(Cordelia): “Agora pouco você me perguntou o motivo de trazer você para fora da vila… certo?”

Dizendo isso, ela pegou um pedaço de pano e limpou o sangue em seu rosto.

(Lute): “Sim. Eu perguntei. Por quê?”

(Cordelia): “Eu vou dizer a verdade, ok? Eu… queria que Lute conhecesse”

Olhando para o céu, Cordelia falou com um olhar perdido.

(Lute): “Queria que eu conhecesse? Conhecesse o quê?”

(Cordelia): “Meu outro lado que eu não mostro na vila… desde os meus dez anos de idade, eu tenho me envolvido com a Ordem dos Cavaleiros e aventureiros… eu me tornei isso”

(Lute): “…”

O sangue de antes e a resposta dela… me deixou com um gosto terrível na boca. Sem saber se ela leu meus pensamentos ou não, Cordelia continuou.

(Cordelia): “Oficialmente, eu vou me tornar um membro da Ordem dos Cavaleiros depois de um ano de experiência. Quando eu fizer 16… eu irei entrar como uma estudante especial na Academia Real de Magia. Isso tudo é uma preparação para o grande desastre que está por vir… como proferido pelo Oráculo… seguindo o Programa de Fortalecimento preparado”

(Lute): “… eu entendo”

(Cordelia): “É por isso que eu queria que você visse o meu eu de verdade… apenas… você”

(Lute): “N? Moses não vê sempre o seu eu verdadeiro?”

Moses.

Nosso osananajimi[3] e sua Aptidão Profissionalé Sábio, outro cara que também é um trapaceiro.

Por que em uma vila tão pequena, no mesmo ano, foram nascer duas pessoas com Aptidões Profissionais tão incríveis?

Em suma, você deve pensar em um Yuusha quando falamos sobre uma arma de destruição em massa de um país.

Um Sábio também pode se tornar uma arma tática local.

Ambos são pessoas que ultrapassam os padrões comuns quando falamos sobre level e status.

Graças a isso, meus ombros estão ficando cada vez mais e mais pesados.

Deixando isso de lado, Cordelia encolheu os ombros após ouvir minha resposta de antes.

(Cordelia): “Moses só sabe porque ele está no programa, mesmo estando sempre juntos, eu… eu… para você! Eu estou dizendo isso para você porque eu quero muito que você saiba disso!”

Um curto silêncio nos envolveu.

Cercados por árvores serenas, pareceu que a temperatura caiu alguns graus.

(Cordelia): “Não poderemos nos encontrar depois de hoje… certo?”

(Lute): “Se você vai estar na Ordem… com certeza será assim”

(Cordelia): “Por que você não está pensando em nada além disso? Me obrigando a dizer esse tipo de coisa… você não quer me dizer mais nada?”

(Lute): “… desculpe. O que você está tentando me dizer?”

Cordelia respirou fundo para organizar seus pensamentos.

Com toda sua coragem, ela se levantou e caminhou em minha direção. Eu estava sentado no topo de outra pedra.

Seus olhos azuis encararam os meus.

(Cordelia): “Eu sempre… sempre, sempre… de você”

 Naquele momento, a voz distante de Moses atrapalhou nossa conversa.

(Moses): “Lute-san!? Você pode por favor vir até aqui? Limpar nesta água gelada é bem difícil”

Cordelia estalou sua língua com desgosto. Eu balancei minha cabeça sem entender.

(Lute): “Eu vou sair por um momento. Você fica de olho no fogo?”

(Cordelia): “…”

(Lute): “Você está bem? Por que seu rosto está vermelho?”

Envergonhada, ela se virou.

(Cordelia): “Eu não sei do que você está falando! Apenas saia logo daqui seu baka[4]!”

E ela continuou após pensar um pouco.

(Cordelia): “… você é só um Aldeão, então grite bem alto se um monstro aparecer. Maa. Enquanto eu estiver aqui, esses monstros fracos ficarão com medo e sairão correndo”

(Lute): “Eu sei… Bem, ficará tudo bem, Moses está lá”

Assim, eu suspirei enquanto gesticulava para Cordelia que estava atrás de mim.

(Lute): “… ‘porque você é um Aldeão’ não é mesmo? No fim, até mesmo Cordelia… Maa. Eu sou só um mero Aldeão, não tem jeito mesmo”

Cabelo preto até o ombro e um par de óculos.

Este cara magrelo que sempre está lendo um livro quando está sozinho… Esse é meu outro osananajimi, Moses.

Sua atitude e o jeito de falar sempre cortês para um rapaz de 15 anos, mesmo assim, ele lhe dará um sorriso ocasional de você conversar o bastante com ele.

Só para constar, ele sorri da mesma forma que um vendedor de seguro tentando vender seus serviços para senhoras. Para ser honesto, eu não gosto disso.

(Moses): “Sinto muito Lute-san… por obriga-lo a me ajudar com isto”

Como prometi, eu ajudei Moses.

Agora estamos limpando os pratos usados na refeição de antes.

(Lute): “Não. Não precisa se preocupar. Deixando isso de lado, este é um trabalho que um Aldeão deveria fazer. Não é um trabalho para um Sábio

(Moses): “Isso é verdade. Maa. Mas foi a princesa que decidiu que Lute-san faria nosso jantar e eu cuidaria da limpeza”

Ela nos mandou fazer isso e ela mesma não fez nada.

(Lute): “É verdade”

Nós nos olhamos e demos uma risada amarga.

(Lute): “Yosh. Agora está terminado…”

Depois de lavar o último prato eu me levantei.

(Moses): “Eu realmente sinto muito Lute-san…”

(Lute): “Está tudo bem. Nós três somos… amigos, certo?”

Nesse momento, mista vista de repente ficou escura.

Não foi uma vertigem, foi algo muito mais intenso.

Imediatamente cai sobre meus joelhos.

(Moses): “Amigos? Quem e quem? Um Aldeão e um Sábio são amigos? Fufu. Que piada engraçada”

Minha cabeça e minha visão começaram a girar.

Moses falou comigo enquanto eu ainda estava em um estado de pânico.

(Moses): “Parece que a droga finalmente começou a fazer efeito”

(Lute): “Droga… ? O que você… por quê… ?”

Até minha língua estava estranha.

Eu podia sentir calafrios por toda a minha espinha e uma piscina de suor escorrendo por meu corpo.

(Moses): “Por quê? A resposta é simples. Cordelia e eu e VOCÊ… nós nascemos no mesmo ano e fomos criados da mesma maneira. Entretanto, ela sempre esteve favorecendo… alguém como você”

Moses parou para respirar um pouco e continuou.

(Moses): “Minha Aptidão Profissional é Sábio. Uma pessoa com a habilidade de um em dez mil. Não! Um em cem mil… este sou eu”

Eu já sabia disso.

Nós três nascemos na mesma vila e esses dois têm Aptidões Profissionais muito acima do normal.

Mesmo odiando o fato de que eu não sou um deles, eu aceitei isso.

(Moses): “A propósito, eu também sou um reencarnado. Aa. Não é como se você soubesse o que um reencarnado é… maa. Eu também não ligo para isso. O que eu quero te dizer é que um Sábio é uma existência especial”

… eh? O que você está dizendo?

Minha visão está escurecendo, minha consciência está se apagando.

As palavras de Moses não alcançam mais meus ouvidos. Mesmo se eu pudesse ouvi-lo, eu não conseguiria compreender o que ele estava dizendo.

(Moses): “Eu estou realmente surpreso. Eu só consigo pensar em como ela foi abençoada por deus, sendo tão linda quanto um anjo… alguns anos mais tarde com certeza… eu estou excitado só de pensar sobre isso”

Eu queria poder gritar para Cordelia. No entanto, é tarde demais.

Eu não consigo nem ao menos soltar um som com a minha garganta.

Nesta situação, meus membros inúteis parecem gelatina.

O máximo que eu posso fazer é me equilibrar para não cair.

(Moses): “Eu sou o único que tem o direito de estar ao lado dela. Essa é minha resposta para a sua pergunta”

Moses se aproximou e chutou minhas costas com toda sua força.

Com toda essa pressão, eu caí no rio.

O efeito da droga me impediu de ficar em pé.

De alguma forma eu consegui ajeitar meu corpo para poder boiar.

Eu fui arrastado pela correnteza enquanto minha consciência lentamente ia para a escuridão.

No fim, eu pude ouvir as palavras de Moses ecoando na minha cabeça.

(Moses): “Um mero Aldeão… querendo falar de igual para igual com um Yuusha? Coloque-se no seu lugar”


[1] Ikkitōsen significa aquele capaz de enfrentar mil.

[2] Yuusha significa herói.

[3] Osananajimi é um termo usado para se referir a um amigo de infância.

[4] Baka significa idiota em japonês.