Ficando forte mais rápido com a trapaça do conhecimento [Edição Mágica] (Parte 1)

Excelente! Eu pensei isso enquanto sorria.

Porque esta é minha segunda vida e ela começou no mesmo lugar e na mesma situação que a última vez.

(???): “Lute-chan!!”

Uma mulher loura com olhos azuis ergueu sua voz dentro da pequena casa de madeira.

Passar pelo evento de ser jovem… de novo.

Bem, não há o que fazer.

De qualquer forma, é um cálculo simples. Já faz 13 anos desde que minha mãe me criou até este momento pela primeira vez. Eu estou encarando ela, moderadamente. Na metade final de seus vinte anos, ela é alegre e bonita e tem peitos enormes.

(Mãe): “Feliz aniversário de dois anos!”

Sim. Hoje é meu aniversário de dois anos.

Há pratos luxuosos alinhados na nossa mesa pequena.

Bom… é apenas sopa de pão preto com bacon.

De qualquer forma, é bem impressionante ter uma celebração nessa situação em que todos precisam se esforçar ao máximo já que somos pobres. Mesmo nossos vizinhos sendo convidados, apenas a família de Cordelia da casa vizinha apareceu.

Olhando para a mulher ruiva que é a mãe de Cordelia, “oh. Minha tia é bem jovem”, uma impressão honesta veio a minha mente. E ela também é incrivelmente bonita.

É natural dizer que minha mãe é linda, mas a mãe de Cordelia tem um rosto que te faz questionar se ela é realmente humana? Bom, está tudo bem. Enquanto minha mãe está me segurando em seu colo, eu tentei alcançar o pão preto na mesa.

(Mãe): “Ora, ora Lute-chan? Esse pão não é duro demais para o Lute-chan?”

Depois disso, minha mãe foi para o canto da sala enquanto me segurava.

Minha família é formada apenas por fazendeiros pobres.

Bom. É claro que esta casa é pequena. Ela só tem um cômodo.

E o lugar onde minha mãe está é divido por uma cortina. É quase como se… estivéssemos transformando um quarto em dois.

Bem, o ponto é que esse “quarto” tem muitos propósitos, mas desta vez esse lado do quarto está sendo usado como sala de amamentação. E minha mãe já tirou seu peito…

(Mãe): “Aqui Lute-chan. Diga aah”

 (Tia): “Ara[1]. Você ainda mama?”

Eu escutei uma voz de surpresa da mãe de Cordelia atrás da cortina.

Sua surpresa é óbvia. Minha mãe está deixando seu filho de dois anos mamar em seu peito.

É claro que isso não é comum. Em casos normais, uma criança é amamentada até um ano de idade. É a primeira vez que ela está me mostrando essa cara de surpresa.

Espera aí. Isso é mesmo um problema?

Eu me acostumei tanto com essa situação onde posso sugar o peito de uma linda mulher… e vamos parar por aqui…

(Mãe): “Eeh. Eu ainda deixo ele mamar, e daí? Isso… é algo engraçado?”

(Tia): “Ermm… não. É estranho dizer, mas ao mesmo tempo é e não é engraçado”

Nesse momento, enquanto minha tia ainda estava murmurando, escutei o choro de um bebê que estava no colo do pai de Cordelia. Esse é o irmão mais novo da Cordelia, um bebê com um mês de vida.

(Tia): “Ara. Meu filho parece faminto”

Então minha tia veio para dentro da cortina e se sentou ao nosso lado.

Assim minha tia expôs seu peito como minha mãe e começou a dar de mamar a seu filho.

Enquanto eu observava minha tia enquanto mamava no peito de minha mãe, minha tia começou a rir e disse.

(Tia): “Hmm? Será que Lute quer mamar no meu peito também?”

Enquanto minha tia ria, minha mãe disse em reposta.

(Mãe): “Eu não quero isso!”

Com uma voz poderosa… uma negação completa.

(Tia): “… eeh?”

Um breve momento de silêncio.

E depois disso eu continuo assistindo minha tia enquanto sugo o leite de minha mãe.

Mais uma vez, minha tia riu e sorriu com gentileza. Ela disse…

(Tia): “Será que Lute ‘não quer’ o meu peito?”

Minha mãe afirmou de novo, “eu não quero isso”, antes de minha tia terminar de falar.

(Tia): “… eeh?”

(Mãe): “Lute está bem apenas com o meu peito”

(Tia): “… eeh?”

(Mãe): “Lute… ESTÁ… bem apenas com o meu peito. Yep. Ele está bem com isto”

(Tia): “… … eeh?”

(Mãe): “Lute ama a mamãe. A mamãe ama Lute. Então você quer tentar?

(Tia): “Tentar?”

(Mãe): “Esta criança não quer ninguém além de mim. Você quer tentar pegá-lo? Porque este garoto irá chorar assim que outra pessoa o segurar. Porque Lute só ama sua mamãe. Então ele irá chorar!”

(Tia): “… … eeh?”

Enquanto minha tia estava ficando mais atraída por essa situação, minha mãe me ofereceu a ela.

E minha tia estendeu seus braços instintivamente e me carregou em seu colo.

(Mãe): “Ele vai começar a chorar logo”

Minha mãe estava muito confiante que eu iria chorar, mas eu não chorei. Quer dizer, eu era mesmo muito tímido e amava mesmo minha mãe depois de ter sido reencarnado…

(Tia): “… ele não está chorando?”

Ao mesmo tempo em que minha tia disse isso, o rosto de minha mãe ficou pálido.

(Mãe): “Por quê? Qual o problema? Lute-chan!! Lute-chan! Mamãe é muito melhor que essa mulher, certo? Lute ama a mamãe, não ama? Lute só quer ser segurado pela mamãe, não é? Por que você não está chorando? Chore e peça ajuda para a mamãe!?”

(Tia): “O que deu nessa mulher!?”

Minha tinha estava com uma expressão vazia e um pouco triste.

Como na outra vez, ela deve ter percebido o problema de minha mãe nesse momento.

Contudo, apesar de tudo, eu acho que a família de Cordelia foi muito boa comigo porque eles sempre estiveram nos tratando bem, como amigos.

Como você deve ter percebido, minha mãe tinha um amor obsessivo em um nível extremamente preocupante.

E então, minha mãe começou a correr para a entrada de casa enquanto me carregava.

(Pai): “Hey. Você! Onde você está indo!?”

Ignorando meu pai que tentou para-la, minha mãe fugiu como um coelho.

(Mãe): “Lute-chan… você precisa ir ao médico!”

Assim, nós corremos em alta velocidade para a casa do único farmacêutico da vila.

Bom… eu me sinto aliviado com a minha mãe como sempre.


E a hora chegou, tarde da noite.

Eu não sei que horas são agora, bem… talvez seja meia-noite.

Eu estou deitado em uma cama para bebês e olho ao redor. Okay. Meu pai e minha mãe estão dormindo. Então, cuidadosamente…

… aconteceu.

O que eu estou fazendo neste instante é… praticar o uso de magia.

É uma magia normalmente chamada de ‖Magia Comum‖. É tão fácil usa-la que até uma criança consegue depois de entender seus conceitos e suas manhas.

Bem, entender os conceitos é difícil para bebês comuns. Sobretudo, nascer com uma habilidade de alto nível que lhe permita controlar o poder mágico… é impossível, a menos que você seja um prodígio.

E… hey. Sou eu. Eu sou um adulto em um corpo de criança. É como se eu fosse aquele detetive gênio que faz sucesso por aí.

Assim, como resultado do meu exercício mágico, um fraco vento surgiu no quarto.

Como o vento foi criado por um bebê, não há poder o bastante para mover a janela. Portanto, enquanto meus pais estiverem dormindo, não há qualquer chance de alguém me descobrir.

No entanto, eu ainda preciso ficar acordado até tão tarde da noite só para poder usar a ‖Magia Comum‖ e gerar esse ventinho no quarto.

Qual o objetivo disso? Não há qualquer justificativa plausível para isso se você for uma pessoa normal.

O motivo para eu escolher o vento é pela facilidade em não ser notado por ninguém. Também estaria tudo bem acender um fogo como se fosse um palito de fósforo ou encher um copo com água…

Meu objetivo é… usando minha magia, meu |MP será consumido.

Mais uma vez eu miro minhas mãos para o chão. Então, um vento suave é criado dentro do quarto de novo.

Uma vez… duas vezes… três vezes… quatro vezes… ah. Minha vista está ficando embaçada.

Parece que meu poder mágico está em seu limite… devo ter esgotado meu |MP.

Então, por que eu repito esse procedimento até meu |MP chegar a zero? Bom. Faz tudo parte do meu plano.

É porque eu quero ficar mais forte.

Bom. Vamos direto ao assunto principal. Como os Aldeões podem se tornar mais fortes… este é o primeiro passo.


[1] Ara significa “oh” ou “ah” em japonês. É uma expressão muito comum usada por mulheres.