Ficando forte mais rápido com a trapaça do conhecimento [Edição “Eu Vs os Goblins”] (Parte 2)

Como uma forma de cumprimenta-lo, eu me aproximei de um Goblin e os cortei.

Cortei seu estômago como se fosse uma faca cortando manteiga. Seus órgãos internos começaram a cair.

O aumento de poder do ‖Kimonhou‖

Um miasma[1] avermelhado saía de meu corpo.

E eu acelerei.

O mundo parecia se mover em câmera lenta.

O balanço de uma espada.

Os órgãos de um Goblin voando.

Eu acelerei mais… um golpe de espada.

Como se fossem pedaços de pano usados, eu transformei os Goblins em pilhas de ossos.

Cortar.

Desviar do ataque. E então dilacerar a carne do Goblin.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Eu escolhi a mais apropriada entre as inúmeras opções para derrotar eles.

Se eu cometer algum erro, eu serei pressionado por seus números.

E eu vi pelo canto de meus olhos que Cordelia estava sendo cercada.

Rapidamente eu corri até Cordelia.

Pensamentos despreocupados e impaciência levam a erros.

Eu tomei uma flechada em meu ombro. E ao mesmo tempo, há um Goblin atrás de mim apontando uma lança para minha cabeça.

Sem me virar para olhar, eu me esquivei inclinando um pouco minha cabeça.

Uma linha de sangue se formou em minha bochecha… e eu me virei e ataquei.

Tsk. Eu estalei minha língua enquanto puxava a flecha.

Proteger uma pessoa enquanto você luta é realmente difícil. Não… Cordelia também me protegeu daquela vez…

Acelerar. Acelerar. Acelerar ainda mais… força máxima.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Em algum momento eu parei de pensar completamente.

O número total de Goblins não é mais do que 400.

Mesmo que eu tenha a vantagem, não parece fácil enfrentar um número tão grande.

Meus pensamentos não conseguem acompanhar o movimento de meu corpo.

Sim.

Nada de pensar para me mover… mas sim me mover pelos reflexos.

Nesses poucos anos, enquanto eu tinha Bernard-san como meu mestre… nós cruzamos espadas mais que dez mil vezes durante os treinamentos. Isso me permitiu ser capaz de me mover de forma automática.

O jorro de sangue se espalhou por todo o meu corpo. Meus olhos se recusam a abrir…

Eu não posso nem mesmo tentar limpar o sangue.

A espada agora esfarrapada de Cordelia não tem só inúmeras lascas, havia uma mistura de sangue e vísceras nela.

Nesse momento, eu decidi que esta lâmina não poderia mais realizar seu trabalho. Eu consegui uma lança do cadáver de um Goblin que estava por perto.

Acelerar. Acelerar. Ultrapassando o limite… acelerar.

Ambos os pensamentos… e o corpo… acelere todos eles.

O ácido lático[2] em meu corpo estava se acumulando.

Meu pulso estava ficando mais e mais pesado enquanto minhas pernas não me obedeciam.

Meus joelhos começaram a tremer e eu suspirei quando minhas pernas pararam completamente.

Isto não foi causado por um esgotamento de |MP usado pelas técnicas de fortalecimento corporal.

Era somente o fim da minha energia.

Esta é uma batalha real… ela engasgou com a própria respiração. Cordelia não pode sorrir sendo aquela que esgotou seu |MP.

Meu corpo excessivamente usado gritava de dor… ] Budum, Budum, Budum [ … meu coração estava batendo rápido.

A respiração cada vez mais pesada.

… parece que meu corpo ainda pode se mover.

Pernas… mexam-se.

Mesmo assim, se usarmos um veículo como exemplo, o medidor de combustível estaria no vermelho.

… é lógico que eu não vou durar muito.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

E em algum momento, eu não podia nem ver o que estava ao meu redor.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

Cortar. Desviar. Dilacerar.

… e quando eu recuperei a consciência, toda a presença de seres malignos sumiu.

Usando a lança do Goblin como suporte, eu descansei um pouco enquanto olhava para o céu.

Então eu ouvi uma voz atrás de mim.

(Cordelia): “Lute? Você… é mesmo o Lute?”

Com uma voz trêmula, Cordelia me perguntou.

(Lute): “… tem alguém além de mim?”

(Cordelia): “Mas… você é um Aldeão…”

Seus olhos estavam postos na direção do mar sem fim de corpos.

Metade do monte foi feito por Cordelia e a outra metade foi feita por mim.

(Lute): “Foi por isso que eu disse… entre os Aldeões… eu sou o mais poderoso”

Enquanto eu ria amargamente com minhas próprias palavras, Cordelia ficou com uma cara emburrada e usou um tom de que não aceitaria isso.

(Cordelia): “… provavelmente, você caçou a última centena de Goblins, não é?”

Depois de pensar um pouco, eu acenei com a cabeça.

Mesmo que todo o meu corpo esteja coberto de cortes, meu corpo implora por um descanso… mas eu ainda posso me mexer.

Eu não consumi nem 10% da minha |Mana.

(Cordelia): “Um Aldeão mais forte do que um Herói… você… que tipo de truque…”

Um truque… eu encolhi meus ombros.

(Lute): “Foi mesmo um truque. Na verdade, só há truques”

(Cordelia): “???”

Quando Cordelia inclinou sua cabeça para o lado, eu senti uma forte pressão atrás de mim.

O rosto dela ficou azul quando ela notou a presença atrás de mim.

Parece que minha carona chegou.

(Cordelia): “… aa… aa… a… awawaa…”

Sua visão a deixou sem fala.

Eu me virei para trás.

(Lute): “Hehe… você não chegou um pouco tarde? Eu acabei com eles… sozinho?”

Havia um enorme Dragão vermelho.

Seu tamanho era maior do que 15 metros. O tempo parecia parar com a pressão que seu corpo gigante soltava.

(Dragão): “O destino me trouxe aqui… eu recebi uma previsão sobre um perigo sendo enfrentado por um jovem… mas por esse cenário… o que aconteceu aqui?”

O Dragão olhou para mim com uma cara engraçada.

(Lute): “Apenas leia meus pensamentos. Vai ser mais rápido”

O Dragão piscou seus olhos e fez uma expressão de choque.

(Dragão): “Eu fiz uma promessa para um encrenqueiro… com isso eu tenho que leva-lo para a |Morada do Dragão|

Sem pensar eu assobiei.

(Lute): “Sério? Palavra por palavra?”

(Dragão):Dragões… não mentem”

(Lute): “Então você vai me levar até lá?”

O Dragão e eu concordamos com nossas cabeças e eu andei até ele.

Eu escutei a voz de Cordelia nesse momento.

(Cordelia): “… Lute? Onde… você… onde você está tentando ir?”

(Lute): “Estou indo para o Dragão. Eu não vou voltar por alguns anos”

(Cordelia): “… para… o Dragão?”[3]

Eu encolhi meus ombros e disse.

(Lute): “Há alguns segredos sobre o meu poder. Na verdade, há alguns truques… isso é o fruto de meu trabalho… é mais ou menos isso”

(Cordelia): “… por que… com o Dragão?”

(Lute): “Você é uma Heroína. Agora eu posso ser mais forte do que você. Porém, neste ritmo, você me ultrapassará em um ou dois anos… é por isso que estou fazendo isto”

Cordelia fechou seus olhos.

(Cordelia): “… o fato de você se tornar algo fora do comum… pode ser visto pelos corpos dos Goblins… você vai ser egoísta e vai ir para outro lugar… se tornar tão forte quanto um monstro… salvar um Herói mesmo sendo um mero Aldeão… desaparecendo da vila com seu egoísmo por alguns anos?”

(Lute): “Isso é algo necessário. Para ser uma pessoa normal e estar lado a lado… isto é necessário”

(Cordelia): “É claro! Se você quer ficar mais forte do que um Herói sendo um Aldeão, você deverá colocar um esforço tremendo usando maneiras impensáveis para ficar forte! Em um lugar que eu não conheço… egoísta… fazendo coisas irresponsáveis sem falar com ninguém! Eu não gosto disso… eu não quero ficar quieta e ver essas coisas acontecerem!”

(Lute): “Não… mesmo que você diga que não gosta disto…”

(Cordelia): “Em primeiro lugar, para estar lado a lado comigo… nós não precisamos disso, não é? Você é um Aldeão e eu sou uma Heroína… não é o bastante me deixar protege-lo? Você não precisa se esforçar imprudentemente em algo assim, certo?”

(Lute): “Não, mas você…”

Então ela bateu seu pé frustrada.

(Cordelia): “Eu odeio isto… você espera que eu diga isso?”

(Lute): “Odeia? Sobre o que você está falando?”

(Cordelia): “Eu realmente… odeio isso…”

(Lute): “Odeia? É isso que eu estou perguntando. O que isso significa?”

Com olhos marejados, ela gritou.

(Cordelia): “Não ser capaz de ver Lute por alguns anos… eu estou dizendo que odeio isso! Eu não dei meu consentimento! Vai me causar problemas se você decidir tudo sozinho!”

Sério… esta criança é tão difícil… desde antes… difícil demais.

Quero dizer, eu ir com o Dragão deveria ser uma decisão minha, eu não preciso de sua permissão.

Haa… eu suspirei.

(Cordelia): “… eu não vou me despedir”

Eu andei até Cordelia.

(Lute): “Eu vou com certeza voltar”

E assim eu a abracei e beijei sua testa.

(Cordelia): “… hoe?”

Ela abriu sua boca e fez uma expressão engraçada.

E seus músculos do quadril relaxaram e ela caiu no chão.

Yosh. Aproveitando esta oportunidade, eu caminhei até o Dragão e ativei o ‖Fortalecimento Físico‖.

Eu pulei e me agarrei nas costas do Dragão.

(Dragão): “Como uma despedida… isso é suficiente?”

O Dragão disse isso com uma voz meio alegre. Eu respondi com vergonha.

(Lute): “Eu disse que irei definitivamente voltar. Por isso é o suficiente”

(Dragão): “Na verdade, você não voltará por alguns anos”

(Lute): “Eu vou voltar… com certeza. É por isso que está tudo bem desse jeito”

O Dragão rubro esticou suas asas e começou a voar.

Voar.

Ele bateu suas asas e lentamente aumentou sua altitude.

E nessa hora eu escutei a voz de Cordelia abaixo de nós.

(Cordelia): “Idiota! Lute é um idiota! Você não pode decidir tudo sozinho… seu… idiota!!! Quando você voltar, eu não vou mais te escutar!”

Sério, você nunca mudou desde a infância…

Assim, algumas lágrimas fizeram seu caminho por minhas bochechas.

E… o Dragão não perguntou sobre as lágrimas silenciosas caindo de meu rosto.


[1] Miasma é o nome que se dá a exalação pútrida que sai de animais ou vegetais em decomposição.

[2] O ácido lático é produzido pelo corpo durante atividades físicas intensas e causa cansaço e dores musculares.

[3] Em japonês, a forma como Lute se refere a “Morada do Dragão” é parecido com “dentro do Dragão”.