Ficando forte mais rápido no |Labirinto| (7ª Parte)

Nós finalmente chegamos no final da escadaria em espiral.

Ao mesmo tempo, jatos de ar quente envolveram nossos corpos.

Havia uma vasta área subterrânea.

A sala era um espaço aberto com um raio de quase 500 metros e quase 200 metros de altura.

Não havia paredes dividindo o espaço. Tudo nesta área poderia ser visto a partir da escadaria em espiral.

O chão estava cheio, até onde os olhos podiam ver, com tonalidades de vermelho.

(Lilith): “… este lugar é?”

(Lute): “Algo como uma câmara de magma. Caminhe pelo terreno preto e você alcançará o próximo andar”

Lilith concordou com a cabeça.

(Lilith): “Eu posso ver isso”

(Lute): “Bom, é dito que há muitas criaturas perigosas no magma. Eles não têm inteligência… são Dragões, mas ao mesmo tempo são monstros diferentes. Dizem que há muitos Drakes[1] do Fogo aqui”

Lilith concordou e prendeu sua respiração.

(Lilith): “… mesmo que o poder total deles seja próximo do de um Dragão, considerando apenas o poder deles…”

(Lute): “Sim. Apenas um Drake pode lutar de igual para igual contra um Dragão. Bom, se um Dragão encarar um oponente com grandes poderes, ele certamente vai derrota-lo se ele não tiver inteligência ou conhecimento… contudo, se o número de oponentes for maior do que um…”

(Lilith): “É por isso que eles são criaturas perigosas”

Eu concordei com minha cabeça ao ouvir as palavras de Lilith.

(Lute): “Esse é o motivo para que…”

Eu disse isso enquanto olhava para o teto.

E Lilith, guiada por mim, parou onde estava.

(Lilith): “… qual o problema? Por que você parou?”

(Lute): “Você está perguntando o porquê? Os mortos-vivos estão em cima e os Drakes do Fogo estão aqui… eu vou derrotar todos eles de uma vez”

(Lilith): “???”

(Lute): “Sob essa premissa…”

(Lilith): “Premissa?”

(Lute): “Esta escadaria é feita de Orichalcum[2]. Ela é muito, muitoooooooooooo resistente”

(Lilith): “???”

(Lute): “Os mortos-vivos no andar de cima? Ou até os Drakes neste andar? Sim, seria muito complicado enfrentar eles um a um”

(Lilith): “… então, o que você vai fazer?”

Eu balancei minha cabeça ao ouvir essa pergunta.

(Lute): “Botar fogo”

(Lilith): “… botar… fogo?”

Eu apontei para o teto.

Não, para ser mais específico, eu apontei para a parede perto da escadaria que usamos para chegar até aqui.

E eu vou ativar a magia ‖Ignição‖ da ‖Magia Comum‖.

Ela estava direcionada para a parede… sim, para a parede de madeira.

Bombardear, bombardear, continuamente bombardear.

É uma ‖Magia Comum‖, então o poder é muito pequeno. Isso é algo completamente inútil em um combate real.

Entretanto, não é tão difícil fazer madeira pegar fogo… então, eu bombardeei, bombardeei e continuamente bombardeei a parede com minha magia.

(Lute):ORAORAORAORAORAORA!”

Bombardear ainda mais.

Bombardear, bombardear, continuamente bombardear.

O ponto preto na parede gradualmente aumentou de tamanho.

E finalmente, ela pegou fogo.

Eu estive fazendo isso por mais de uma hora.

E assim, a escadaria em espiral que nós usamos há pouco tempo foi coberta por chamas.

(Lute): “Mortos-vivos são fracos contra fogo, não é?”

(Lilith): “… sim”

(Lute): “E… fogo é um problema. Assim que um incêndio se inicia, o fogo vai se espalhar por todos os lugares. É claro que a maior parte do teto irá desmoronar”

(Lilith): “… talvez sim”

(Lute): “Os mortos-vivos vão morrer com o fogo. E, se tivermos sorte, os Drakes dentro do magma também morram… vai ser algo como matar dois pássaros com uma única pedra”

(Lilith): “Então, é um ataque que vai atingir… ambos… o andar de cima e o de baixo?”

(Lute): “Isso mesmo”

Lilith franziu o cenho.

(Lilith): “Mas… este lugar, o |Calabouço Subterrâneo|, é um santuário sagrado para a tribo dos Dragões… o lugar para a provação… a transformação de jovens Dragões em adultos”

Sim, isso também é verdade.

É por isso que pessoas que usariam este método não são normais.

Ao menos no mundo dos Dragões, há um significado para completar este lugar de forma legítima e honesta.

Se fosse um |Calabouço| comum, haveria contramedidas para o fogo, ou até barreiras para evitar ataques entre diferentes andares.

Contudo, este lugar não é um |Calabouço| comum.

É por isso que essas contramedidas não são necessárias.

Exatamente como o Minotauro na primeira sala, a restrição para não deixar ninguém passar faz parte do ritual dos Dragões.

Dragões jovens que desafiam o |Calabouço| sem a força necessária podem escapar assim que eles perceberem que não são adequados para esse lugar.

Bem, não poderíamos deixar ele balançando seu machado enquanto persegue os Dragões.

É por isso que há uma [Runa do Vento] para os desafiantes escaparem da sala em que estiverem.

Assim, neste sentido, para conquistar este |Calabouço|, haviam brechas no sistema.

Contudo, mesmo que eles percebessem isso, os Dragões não iriam se aproveitar delas.

É por isso que eu, um não Dragão, posso fazer o que eu quiser.

(Lilith): “… usando isto… este método… impossível. Não… isso não deveria existir. Além disso, os custos para reparar esses dois andares vão ser… astronômicos…”

(Lute): “Eu não sou um Dragão. Eu não quero saber nada sobre isso”

Não, na verdade isso é realmente algo importante.

Do meu ponto de vista, este |Calabouço| só é uma forma para adquirir pontos de experiência e nada mais.

Pode ser que este seja um lugar sagrado, mas para mim, não é nada demais.

Na realidade, eu não tenho certeza se esta ação irresponsável vai irritar o Rei Dragão, mas eu vou deixar isso para mais tarde.

Sendo assim, o que me resta fazer agora é me arriscar em uma corda bamba.

(Lilith): “… eh?”

(Lute): “Na verdade, um lugar como o castelo do Rei Dragão não é muito mais valioso? Em primeiro lugar, Dragões tem um hábito de coletar tesouros… algo como consertar este lugar não vai ser nada demais para eles”

(Lilith): “… estou indignada”

Como se ela realmente estivesse indignada, Lilith me olhou com olhos frios.

(Lute): “Bom, é claro que você está indignada… eu já imaginava isso”

Assim que eu disse isso, Lilith começou a rir.

(Lilith): “Kukuk… kukkukku… hahaha…”

(Lute): “Qual o problema?”

Lilith esfregou algumas lágrimas de seus olhos.

Provavelmente, pensando que isso foi hilário, ela começou a abraçar a própria barriga.

(Lilith): “Hahah… não, isso é realmente chocante… sim… eu entendi”

E ela se acalmou respirando um pouco e disse…

(Lilith): “… flexibilidade também é… necessária. É impossível me sentir chateada olhando para você”

A partir daí eu continuamente usei a ‖Magia Comum‖ para fornecer oxigênio necessário para queimar o andar de cima.

Além disso, eu continuamente usei ‖Magia do Fogo‖ ao mesmo tempo por 12 horas.

Embaixo da escadaria feita de Orichalcum, nós, protegidos pela parede de ferro, olhamos para o cenário externo.

A maior parte do andar de cima estava desmoronando. O andar inteiro estava se dedicando a cair no andar de baixo. Era como uma ilustração do inferno.

 

Nome:Lute MarklenLevel:99 (54↑)
Raça:HumanoOcupação:⌈Aldeão⌋
Idade:12 anosCondição:Normal
HP:4.321/4.321 (2.171↑)MP:17.850/17.850 (2.120↑)
Ataque:1.020 (550↑)Defesa:985 (520↑)
Magia:3.400 (695↑)Evasão:1.150 (570↑)
Habilidades de Fortalecimento
‖Fortalecimento Físico‖: Lv10 (Máximo)
‖Técnica de Fortalecimento Corporal‖: Lv10 (Máximo)
‖Kimonhou‖[3]: Lv6
Habilidades Defensivas
‖Estômago Indestrutível‖: Lv2
‖Resistência Mental‖: Lv2
‖Invencível‖: Lv10 (Máximo)
Habilidades Cotidianas
‖Cultivo Agrícola‖: Lv15 (Superar Limite: Benção da Deusa)
‖Técnica com Espada‖: Lv4
‖Taijutsu‖: Lv8
Habilidades Mágicas
‖Manipulação de Mana‖: Lv10 (Máximo)
‖Magia Comum‖: Lv10 (Máximo)
‖Ataque Mágico Básico‖: Lv7 (Limite de Crescimento)
‖Magia de Cura Básica‖: Lv7 (Limite de Crescimento)
Títulos
‖A Criança Mais Forte da Terra‖: Lv10 (Máximo)
‖Jovem Sábio‖: Lv10 (Máximo)
‖Mãos que Curam‖: Lv10 (Máximo)
‖Santo‖: Lv3 (Limite de Crescimento)
‖Oniko‖[4]: Lv10 (Máximo)
‖Matador de Goblins‖: Lv10 (Máximo)
‖Mago Herege‖: Lv3
‖Matador de Bovinos‖: Lv2
Bônus de Habilidades
Usando ‖Técnica de Fortalecimento Corporal‖
·         |Ataque |Defesa |Evasão + 150 pontos
Usando ‖Kimonhou‖
·         |Ataque |Defesa |Evasão + 300 pontos
Usando ‖Fortalecimento Físico‖
·         |Ataque |Defesa |Evasão × 2 pontos

[1] Drake é uma palavra inglesa antiga que significava “Dragão”. Em histórias de fantasia, esse termo é muito usado para se referir a uma versão mais fraca de um dragão.

[2] Orichalcum, ou Oricalco, é um tipo de metal que teria sido usado em Atlântida, citado em “Crítias”, obra de Platão. De acordo com Crítias, o oricalco era considerado muito valioso, depois apenas do ouro. Teria sido achado e explorado em muitos lugares de Atlântida em tempos remotos.

[3] Kimonhou seria algo como a “porta do demônio”.

[4] Oniko pode ser traduzido como “criança demoníaca”.