Não desvie disso!!

Sarona, Tata, Naminissa, Narellina e Haosui, todas disseram “Eu te amo” e saíram do quarto. Eu deixei meu corpo cair na cama assim que as figuras delas não podiam mais ser vistas.

Eu ainda não consigo acreditar. Elas disseram que me amam… isso foi real? Eu fui enganado, não fui? Ou foi o que eu pensei, mas as expressões delas eram sérias.

Graças a isso, eu vou ser honesto comigo mesmo e vou acreditar nelas. Bom, parece que vamos agir juntos a partir de agora e o tempo vai comprovar tudo no final.

Além disso, estou indo ver Aria afinal. Para ser honesto, é tranquilizador ter elas por perto, porque é assustador pensar em ver ela sozinho. Se o que eu vi daquela vez era real… não, vamos parar com as suposições agora. Tudo vai ser esclarecido assim que eu me encontrar com ela…

Eu observei a porta da cama sem pensar em nada. Já que Meru voltou para cá, eu vou dormir enquanto gentilmente abraço ela…

(???): “Bom dia Wazu-sama!”

Eu lentamente abri meus olhos porque essas palavras chegaram a meus ouvidos. Vestido com roupas de mordomo, eu vi Floyd que curvava sua cabeça levemente.

Aí está!!

Eu pulei da cama enquanto pensava em acertar Floyd, mas ele desviou. Tsk! Mesmo eu tendo ficado um pouco sério, mas ele foi capaz de desviar disso…

(Floyd): “Com licença, mas por que Wazu-sama de repente tentou me acertar?”

(Wazu): “Você não acha que existem muitos motivos para eu fazer isso?”

(Floyd): “Vejamos… eu simplesmente fiz tudo pelo bem de Wazu-sama até agora, não fiz?”

(Wazu): “É assustador que você realmente pense assim…”

(Floyd): “É porque eu sou um mordomo”

(Wazu): “Você acredita que tudo seja resolvido quando você usa esta desculpa?”

Como eu estava perdendo tempo tentando entender ele, eu decidi limpar meu corpo com água quente que já estava preparada. Eu ajeitei minha aparência, coloquei Meru na minha cabeça e saí do quarto. Floyd está me seguindo como se fosse algo normal. Bem, vamos esquecer ele…

Okay. Primeiramente, eu preciso descobrir se Deizu já recuperou sua consciência.

A habilidade de ‖Lorde Demônio‖ já deve ter desaparecido, mas como essa foi a primeira vez que eu fiz uma coisa dessas, o desconforto continua… mesmo se eu perguntasse para Floyd, ele só me diria que não escutou nada sobre isso.

Estou caminhando pelo castelo acompanhado por Floyd, mas… me pergunto o que é isto… a atmosfera é dolorosa para mim. Os Homens-Fera que passam por mim evitam fazer contato visual comigo. Para piorar, eles fogem quando eu tento falar com eles.

Hmm? Eu fiz alguma coisa? Sim, eu fiz. Eu fui o responsável por vários Homens-Fera beijarem o chão… contudo, eu não tenho a sensação de eles estarem com medo de mim. É mais como se fosse curiosidade.

(Wazu): “Hei. Floyd. Por que eles estão agindo dessa forma?”

(Floyd): “Eu não sei… eles não agiram assim quando eu estava sozinho”

Nós dois inclinamos nossas cabeças.

(Marao): “Aí está você!! Eu fui até o quarto, mas não consegui te encontrar em lugar nenhum. Eu estava imaginando para onde você teria ido…”

Eu me virei na direção da voz e vi Marao ali.

(Wazu): “Oh. Marao! Qual o problema? Algo aconteceu?”

(Marao): “Do que você está falando? Todos estão te esperando. Vamos!!”

Eh? Eh? Eu não entendi o motivo, mas Marao me arrastou pelo caminho.

Há uma grande porta no lugar para onde fui levado. Parece que do outro lado da porta é a sala de audiências. Na frente da porta, Sarona, Tata, Naminissa, Narellina, Haosui, Ruruna, Yuyuna e a amiga com orelhas de gato de Tata estavam juntos em uma fila. Eh? O que está acontecendo aqui?

(Naminissa): “Bom dia Wazu-sama”

Todos aqui me cumprimentaram seguindo Naminissa. Eu respondi a seus cumprimentos.

(Wazu): “Falando nisso, o que todos estão fazendo aqui? Vocês precisam de algo de mim?”

(Marao): “É porque meu tio Deizu recuperou sua consciência e quer falar com todos. Além disso, para agradecer pelos serviços de todos durante a batalha no outro dia, uma audiência foi preparada”

(Wazu): “Entendo… qual a condição dele… ele voltou ao normal?”

(Marao): “Não se preocupe. Ele está de volta a sua forma normal de tio gentil. Obrigado por salvar meu tio Deizu… e por não matar os Homens-Fera da facção extremista que participaram da batalha…”

(Wazu): “Não ligue para isso. Os vilões são as pessoas que sequestraram os familiares. As pessoas daqui não estão erradas”

Marao parecia feliz e a ponto de chorar quando eu dei essa resposta a ela. Sério, o que eu devo fazer com essas pessoas estúpidas do país do Sul…

Há alguém se aproximando de mim enquanto eu pensava nisso. É a amiga com orelhas de gato de Tata.

(Nenya): “Eu realmente sinto muito. Eu vou aceitar qualquer punição”

Ela disse isso e abaixou sua cabeça. Eu ainda não estou pronto para enfrentar esta pessoa… meu corpo começou a tremer de novo, mas de alguma forma, palavras saíram de minha boca.

(Wazu): “Não… não fale sobre punição… ambos erramos… vamos esquecer isso… você é alguém importante para Tata… ela já se desculpou… esse é o fim desse assunto…”

Ela tinha lágrimas nos olhos quando eu disse isso com o corpo tremendo. Ela disse “Obrigado!!”, e jogou seus braços ao redor de Tata.

(Tata): “Viu? Eu te disse que ele iria perdoar você”

Tata disse isso enquanto acariciava a cabeça dela gentilmente.

Eu me senti aliviado do fundo de meu coração e meu corpo parou de tremer. Desta vez, Yuyuna e Ruruna se aproximaram de mim.

(Yuyuna): “Yo! Eu não pude dizer nada no outro dia, mas já faz muito tempo desde que nos vimos”

(Ruruna): “Olá-olá! Nós viemos também!”

(Wazu): “Faz muito tempo mesmo. Eu fiquei surpreso ao ver vocês dois”

(Yuyuna): “Yeah. Estávamos preocupados em deixar Sarona partir sozinha”

(Ruruna): “Então pensamos em vir junto com ela, porque Wazu também é nosso amigo”

(Wazu): “Entendi… obrigado, eu também considero vocês meus amigos”

A porta se abriu um pouco enquanto apertávamos as mãos. Um Homem-Fera vestindo uma armadura apareceu de dentro. Ele olhou ao redor e parou ao ver a figura de Marao.

(Soldado): “Princesa, nós terminamos as preparações. Todos estão prontos do seu lado?”

(Marao): “Yeah. Nós já estamos prontos”

(Soldado): “Okay. Por favor, entrem”

A grande porta foi aberta e nós entramos juntos na sala com uma grande fanfarra.