Conversa fiada: Kagane (Parte 1)

Meu nome é Kagane. Mas esse é meu nome neste mundo. Eu tenho outro nome que eu nunca disse para ninguém.

“Jinguuji Kanae”.

Esse era meu nome do tempo em que eu vivia na Terra.

Eu morri na Terra com 17 anos de idade. Era um dia de Sol no verão. Eu estava voltando da escola naquele dia. Tenho certeza que confirmei que a luz verde apareceu antes de atravessar a rua, mas um caminhão que estava em alta velocidade subitamente apareceu e me acertou. Assim, eu morri.

Eu vi um teto desconhecido assim que eu acordei. Eu tentei me levantar, mas meu corpo não escutava o que eu dizia e só o som de choro saía quando eu tentava falar.

O que significa isso? Enquanto eu pensava nisso, um homem e uma mulher entraram no meu campo de visão e falaram comigo. Era óbvio que não era a língua japonesa, mas eu fui capaz de entender por alguma razão. Naquele momento, eu entendi o que aconteceu comigo.

“Reencarnação em um mundo diferente”.

Eu finalmente percebi que eu era um bebê agora. Resumindo, o homem e a mulher na minha frente eram meus pais.

Eu me senti feliz com minha situação atual. Deixe-me ser honesta aqui, eu sou uma Otaku. Eu amo anime, jogos e web novels. E é claro que BL[1] é o meu gênero preferido.

Eu amo animes de comédia romântica e fantasia. Os jogos mobile não combinam comigo, eu jogava principalmente jogos de RPG nos consoles ou no computador. Meus pais e minha irmãzinha da Terra também gostavam de jogos, por isso não tive nenhum problema. Eu gosto de ler histórias sobre pessoas que foram reencarnadas ou transportadas para mundos diferentes em web novels.

Graças a influência deles, eu investiguei vários conhecimentos úteis, como a forma para criar certos itens. Antes de ir para a cama, eu sempre me imaginava indo para um mundo diferente enquanto ria sozinha no meu quarto.

Essa desilusão se tornou realidade. Se este corpo pudesse se mover com os meus comandos, eu iria pular de alegria.

Contudo, há um pequeno arrependimento sobre a minha reencarnação… eu me separei de meus pais, minha irmãzinha e meus amigos Otakus com quem me dava tão bem na Terra.

Esta é uma história comum nas web novels, então o que aconteceu comigo não foi algo muito original, mas eu espero que eles possam viver felizes sem mim. Eu não queria imaginar minha família e meus amigos tristes por minha morte.

Era difícil manter minha consciência dentro deste corpo porque eu estava com muito sono…

Vários meses se passaram desde que eu percebi que eu fui reencarnada. Quando minha visão e minha consciência se tornaram claras, havia um garoto ao lado de meus pais. Eu ainda não podia falar, mas eu podia entender a língua deles e meus pais me disseram que ele era o meu irmão mais velho. Onii-chan huh… eu espero que possamos nos dar bem assim como com a minha irmã mais nova na Terra… ou foi o que eu pensei naquela época.

O tempo passou. Eu me tornei capaz de me levantar e caminhei com meus próprios pés. Palavras surgiam quando eu tentava falar. As palavras que eu pronunciava não eram japonesas. Eu estava certa de que as palavras que eu escutava não eram japonesas, mas eu era capaz de falar fluentemente como se eu sempre estivesse usando a língua japonesa.

Meus pais ficaram impressionados quando eu subitamente falei com eles. Quando eu olhei para os rostos deles, eles estavam completamente satisfeitos, como se acabassem de ter encontrado um tesouro. Eu pensei que eu tinha acabado de fazer algo prematuro demais…

O resultado foi que o amor deles se tornou ainda maior desde então.

Eles acreditavam que eu era um prodígio. Eu aprendi várias coisas neste mundo que eu considerei serem precoces demais para uma criança da minha idade. Mas foi a ‖Magia‖ o que mais despertou meu interesse entre esses conhecimentos que me foram passados.

Quer dizer, isto é ‖Magia‖, sabia? Tenho certeza que todos iriam querer tentar, certo? Minha excitação alcançou o limite rapidamente.

Eu escutei com bastante atenção sobre a ‖Magia‖ e investiguei isso.

A ‖Magia‖ deste mundo não era muito difícil de se usar. |MP existia neste mundo justamente como em um jogo de RPG. A ‖Magia‖ consome o valor numérico do |MP e é ativada.

Há um total de sete atributos existentes na ‖Magia‖: ‖Fogo‖, ‖Água‖, ‖Vento‖, ‖Trovão‖, ‖Luz‖, ‖Escuridão‖. Contudo, estes são só os atributos básicos. Parece que existem algumas magias únicas que apenas certas pessoas poderiam usar.

As pessoas com aptidão para usar três atributos diferentes têm uma grande demanda em todos os lugares do mundo.

Prosseguindo, a ‖Magia‖ é ativada por um encantamento. Quanto maior a quantidade de |MP colocada na encantação, maior será o poder da ‖Magia‖. Você pode causar vários eventos diferentes combinando encantações.

Você será capaz de usar uma ‖Magia‖ mais forte se tiver aptidão. Apesar de ser possível usar ‖Magias‖ fora da sua aptidão, o poder vai cair muito e irá consumir uma grande quantidade de |MP quando comparada a uma ‖Magia‖ que faz parte de sua aptidão. Usar uma ‖Magia‖ que não pertence a sua aptidão não é nada além de uma desvantagem.

Parece que não há uma sentença fixa para a encantação. Você cita os eventos que quer causar em sentenças, assim fica mais fácil de imaginar, o que basicamente é o papel do encantamento.

No entanto, para as pessoas deste mundo, quanto mais complexos e poderosos forem os eventos que eles querem criar, maiores são as sentenças (do encantamento) que eles precisaram usar. Eu pensei que isso não faria diferença para mim.

É aqui que o poder de um otaku do Japão mostra seu valor. Como eu já sou familiar com as culturas otakus, eu entendi que seria possível para eu criar um evento complicado porque já estava treinada com minhas desilusões diárias.

Depois de absorver todo o conhecimento mágico deste mundo como se fosse uma esponja, meus pais ficaram ainda mais deleitados e criaram expectativas maiores do que as anteriores.

Com aproximadamente cinco anos, meus pais me sugeriram fazer o exame de entrada na Academia Nacional do Reino.

Não havia precedentes de alguém entrando nesta escola com cinco anos de idade. Como meus pais estavam implorando demais, os professores não puderam fazer nada e finalmente cederam.

Eu respondi todas as perguntas corretamente e passei no teste de entrada de forma espetacular. Eu também usei uma bola de cristal para checar minha aptidão mágica e o resultado foi “Todos os atributos”. O professor aceitou minha admissão ou, para ser mais precisa, eles me aceitaram de braços abertos.

Nessa época, eu estava muito animada. Dentro deste pequeno corpo estava uma adulta que se matriculou em uma academia nacional em uma idade sem precedentes. Eu tinha aptidão mágica para todos os atributos e meus pais realmente me amavam.

O que estava faltando no meio de tudo isto? Eu também entendi que meu rosto era considerado agradável para as pessoas deste mundo. Eu não podia fazer nada além de rir. ] uhahahaha [.

Depois que um mês se passou desde a minha matrícula na academia, quando eu estava olhando o quão próximo era o relacionamento entre irmãs que estudavam juntas aqui, eu repentinamente me lembrei que tinha um irmão mais velho também.

Era fácil encontrar meus pais dentro da casa, mas eu não via meu irmão mais velho com frequência. Nós praticamente nunca nos falamos, então eu me esqueci completamente de sua existência.

Eu pensei que fosse algo bem complicado naquela época… só havia eu dentro da cabeça de meus pais. Eles sabiam que eu era uma criança excelente quando comparada com meu irmão mais velho. Com medo da inveja de meu irmão, eles me mantinham longe dele. Esse era o tipo de comportamento que eu imaginava de meus pais.

Contudo, ele é meu irmão, ao invés de me manter afastada e descobrir mais tarde que ele me odiava, eu pensei em ir até ele e perguntar diretamente o quanto antes possível.

No meio da noite, enquanto meu pais estavam dormindo, eu fui ver meu irmão Wazu.

(Kagane): “… então, fará sentindo se você começar a me odiar agora!!”

(Wazu): “O quê!? Não, eu nunca pensei em nada desse tipo… Kagane é uma criança com uma imaginação rica, de fato…”

Diferente do que eu imaginava, eu não consegui sentir nenhum sentimento negativo de meu irmão. Ao invés disso, havia uma afeição pura e profunda pelos membros de sua família.

Nossos pais só estavam preocupados comigo e negligenciaram meu irmão e como resultado… eu pensei que não poderia fazer nada se ele guardasse rancor de mim ou até mesmo quisesse me bater porque eu era a culpada por tudo isso…

Nesse momento, meu coração bateu mais forte por esse irmão mais velho.


[1] BL significa “Boys Love” e é um sinônimo de Yaoi, ou seja, histórias envolvendo o relacionamento, amoroso e sexual, entre homens.