Sobre o futuro e outras coisas

Nota do autor (Tanaka Yu):

Eh? A reação à parte da culinária foi tão grande?

O número de comentários foi o maior de todos os outros capítulos anteriores.


Já faz dez dias desde a subjugação dos Goblins.

Esta manhã, nós voltamos depois do que pareceu ser um longo período para a loja de Gallus. Como sempre, mercadores tinham olhares intensos em seus rostos enquanto eles vadiavam em volta da loja dele.

(Fran): “Tarde”

(Gallus): “Bem, se não é a pequena senhorita e o Mestre! Já faz algum tempo! O que eu posso fazer para ajudar vocês hoje?”

(Mestre): “Uma coisa de cada vez, como está indo a armadura?”

(Gallus): “Gahaha! Está indo bem! Quando você a ver, você definitivamente vai se surpreender!”

(Fran): “Esperando ansiosa”

(Gallus): “Então, você só veio se atualizar?”

(Mestre): “Não. Na verdade, nós queremos um conselho…”

Eu expliquei ao velhote como eu ficava mais forte como [Espada Mágica] ao absorver [Pedras Mágicas]. Como Gallus não espalhou o fato de que eu sou uma [Arma Inteligente], ele parece ser um companheiro confiável.

(Gallus): “Entendo, então você tem esse tipo de habilidade… e, essencialmente, você está se perguntando se está bem para os outros saberem ou não sobre isso?”

(Mestre): “Uh-huh. Então, o que você acha?”

(Gallus): “Hmm… eu acho melhor não”

(Fran): “Como esperado: fora do comum”

(Gallus): “Isso mesmo. Eu escutei sobre [Ferramentas Mágicas] de larga escala que têm traços parecidos, mas para uma espada ter essa habilidade… é a primeira vez que eu escuto sobre isso”

Então minhas habilidades eram algo que até mesmo um famoso Ferreiro não tinha escutado? Nesse caso, isso definitivamente não está no nível do conhecimento de uma pessoa comum…

(Fran): “Como imaginado. Mestre: incrível”

(Gallus): “Um pouco incrível demais. [Armas Inteligentes] não são desconhecidas, mas uma que pode crescer ao absorver [Pedras Mágicas]… e até obter habilidades através delas para melhorar… seria fácil ver algo assim sendo nomeado como uma [Espada Divina]

[Espada Divina]: equipamentos das lendas. As que existem são sem dúvida superarmas. Comparadas a mim, elas estão em um nível totalmente diferente de poder.

(Gallus): “Uma única [Espada Divina] pode facilmente influenciar o balanço militar entre nações, sabia?”

(Mestre): “Elas estão nesse nível?”

(Gallus): “Aye. Mesmo o meu conhecimento só cobre cinco delas, cada uma delas tem lendas inacreditáveis associadas a elas.

Dando origem ao título de [Espada Divina], a primeira delas: [Alpha].

Adquirindo fama na guerra que arruinou países inteiros, a [Espada Divina] que traz instabilidade mental para o seu portador: [Berserk][1].

Servindo a um único Cavaleiro que acabou com um exército de 30.000 homens, a espada [Cavalo de Batalha]: [Chariot][2].

Considerada como a arma que selou o próprio Rei Demônio, a espada [Rei Demônio]: [Diablos].

E então, a espada das chamas que nós já falamos antes: [Ignis] [3].

Além dessas, há muitas outras [Espadas Divinas]. Quase todas elas têm histórias de massacres em massa e acabam em locais de grande destruição”

(Fran):[Espadas Divinas]: incríveis”

(Gallus): “Bom, há sempre exageros no meio de seus contos, mas sem dúvidas elas estão em um nível completamente diferente. É claro que todas as nações mantêm a localização de suas lâminas em segredo e o paradeiro dos Mestres Ferreiros de Classe Divina que forjaram as [Espadas Divinas] é completamente desconhecido. Se eles ainda estão vivos, ou se um novo Ferreiro de Classe Divina surgiu… qualquer coisa relacionada a eles é um segredo”

(Fran): “Por quê?”

(Gallus): “Essa é a pergunta, não? Talvez eles não queriam ser usados por governos e se escondam, ou… talvez eles sejam protegidos pelos Deuses. Há muitos rumores, mas a verdade não é conhecida. É por essa razão que cada nação mantém um punho de ferro nas [Espadas Divinas] que eles têm conhecimento”

(Mestre): “Então, elas são existências dessa magnitude, huh?”

(Gallus): “Correto. Se por acaso a informação de que você é uma [Espada Divina] se espalhar… sem dúvidas, pessoas iriam tentar te roubar para adquirir poder. E não seria um número pequeno. Não importaria mesmo que na verdade não saibamos se você é mesmo uma ou não; aos olhos dessas pessoas, estaria tudo bem te roubar primeiro e conferir depois. Depois disso, eles te testariam para medir suas habilidades”

Não importa se são nações inteiras ou simples indivíduos, [Espadas Divinas] certamente serão cobiçadas por muitos.

(Gallus): “Mesmo que o oponente deles carregue uma [Espada Divina]: ataques surpresas, veneno… há muitas formas de obterem vantagem. Como sua portadora é a pequena senhorita, alguns podem usar formas ‘mais doces’ de persuasão, porém…”

(Mestre): “No fim, é melhor manter minhas habilidades em segredo”

(Gallus): “Você deve fazer isso. Estou feliz que você veio se abrir comigo, mas tenha certeza de não se tornar descuidado e ser descoberto a partir de agora, entendido?”

O risco que vou ganhar ao revelar minhas habilidades é grande demais. Por enquanto, vamos manter isso em segredo.


Depois de nos despedirmos do velhote Gallus, nós seguimos para a Guilda para recebermos nossas comissões como de costume. Nós estamos indo bem dia após dia… seria algo que eu diria com cautela, mas é fato que nós estamos gradualmente completando várias missões. Afinal, não há mais nada a se fazer.

(Fran): “Hoje: também desapontada”

(Mestre): “Não há nada além de insetos afinal”

(Fran): “Sem consistência quando mastigados”

(Mestre): “Por outro lado, eu só ganhei sete pontos no ‖Valor das Pedras Mágicas‖ nesses dez dias…”

Pedidos como “coletar” ou “investigar” são bons, mas nosso desejo por |Pontos de Experiência e ‖Valor das Pedras Mágicas‖ não são atendidos.

(Mestre): “Fran é Lv25 agora, não é?”

(Fran): “Nn”

(Mestre): “Então… a partir de agora será melhor não pensar que você vai aumentar de Level tão fácil como costumava”

(Fran): “Em seguida: |Calabouços|?”

(Mestre):|Refúgios|, provavelmente”

De acordo com os rumores que escutamos, |Refúgios| são lugares com Feras Demoníacas em grande número, da mesma forma que os |Calabouços|. É por essa razão que eles são conhecidos como as Fronteiras dos Demônios.

As |Planícies Maokami|[4] também entravam nessa categoria. Eu acho que acima de 90% das criaturas de lá são Feras Demoníacas.

Dito isso, eu prefiro não ir até lá. Não apenas há o fato de que nós teremos que passar pela |Floresta da Fome|, mas também parece que o Nível de Ameaça nas planícies decolou desde que eu saí de lá.

Quando chegamos na cidade, os Aventureiros fizeram uma investigação nas |Planícies Maokami|, para se manterem atentos com as disputas territoriais entre as Feras Demoníacas de grande escala. Os relatórios da investigação confirmaram as presenças de várias Feras Demoníacas de rank B.

Durante o período que eu estava lá, nem as sombras nem as figuras de tais seres estavam presentes. Contudo, quando falamos sobre Feras Demoníacas, mesmo sem a procriação, elas podem ser produzidas espontaneamente quando o |Poder Mágico se coagula. É provável que essas Feras Demoníacas tenham aparecido ao nascerem dessa forma.

Se esse é o caso, então depois que eu parti, Feras Demoníacas de rank B nasceram…

… foi por pouco!

Se elas tivessem nascido um pouco antes, eu poderia não estar aqui agora. Ou melhor, esse fato é quase certo.

Há até a possibilidade da existência de ranks A existindo lá, então o time de reconhecimento principal ainda está no meio de sua investigação. Como o perigo é alto nas |Planícies|, eles supostamente estão observando de dentro da |Floresta da Fome|. Permanecer nessa floresta por um período prolongado de tempo: obrigado, mas não[5].

De qualquer forma, um rank A, huh… para tal criatura ganhar vida… dizer que as |Planícies| são um |Refúgio| rank A me dá um mal pressentimento, mas eu posso concordar com isso. Ou melhor, eu provavelmente deveria agradecer a minha sorte que as Feras Demoníacas eram mais fracas quando eu estava lá.

(Fran): “Então: explorar |Calabouço|?”

(Mestre): “Isso também é possível”

Entretanto, nossa vitória contra o Demônio no último |Calabouço| foi em grande parte devido a nossa sorte. Se o Demônio fosse mais sério e decidisse atacar a longa distância, então nós teríamos que fugir por não sermos capazes de fazer nada.

(Mestre): “Não vamos desafiar Demônios se encontrarmos algum. Apesar de sermos capazes de lidar com os mais fracos”

Hm… agora, nós deveríamos coletar informações sobre os |Calabouços| e |Refúgios|. De qualquer forma, não podemos deixar a cidade antes de recebermos a armadura de Gallus.

[Fran]: (“Checar as informações do |Calabouço|?”)

(Mestre): “Mh. Vamos passar o resto do dia fazendo isso”

Nós teríamos tempo para gastar, então nós investimos nosso tempo pesquisando na sala de estudos da Guilda.

No segundo andar da Guilda há uma sala dedicada a livros e documentos. Eu não conseguia imaginar muitos Aventureiros lendo documentos como parte de suas preparações, mas havia algumas pessoas aqui e ali. Eles eram Batedores ou Magos. Diferente dos montes de músculos responsáveis pela vanguarda, eles vieram pesquisar informações para suas missões, eu acho.

Você poderia ver o sofrimento dos Aventureiros intelectuais aqui.

(Recepcionista): “Oho. É a sua primeira vez aqui senhorita?”

(Fran): “Nn”

(Recepcionista): “Então, deixe-me dar uma olhada no seu [Cartão de Aventureira]

Na mesa de recepção da sala de estudos estava sentado um homem velho com uma pequena estatura. Ele era careca com uma barba branca que chegava a seu peito e suas sobrancelhas cresceram de tal forma que escondiam seus olhos completamente. Mesmo que ele estivesse vestindo uma túnica chique, eu só podia vê-lo como um eremita.

(Mestre): “Ele passa uma atmosfera bem estranha…”

(Recepcionista): “Hoho, então você é a garota da [Espada Mágica] dos rumores, eh?”

(Fran): “Rumores?”

(Recepcionista): “Isso mesmo! Ultimamente, você se tornou bem popular senhorita. Por causa disso eu imediatamente a reconheci, ya!”

Então, rumores começaram a se espalhar, huh. Bem… não há muito o que fazer já que estamos nos destacando tanto neste momento. Julgando pela resposta desse velhote, os rumores não parecem ser ruins.

(Recepcionista): “Eu sou Shuuren e esta é a sala de estudos gerenciada por mim”

(Fran): “Nn”

(Shuuren): “Levar documentos para fora daqui é proibido, mas você pode copia-los se quiser. Um pergaminho custa 300 Gorudo e você pode emprestar uma caneta pagando 30 Gorudo por hora”

Papel é bem caro… bem, informação é valiosa a longo prazo.

Depois de comprarmos um pergaminho, nós começamos a pesquisar pelos documentos desejados. Como Shuuren nos mostrava onde os documentos estavam sempre que o perguntávamos, encontrar as coisas foi bem fácil.

A primeira coisa que procuramos foi um mapa do continente.

Dando uma olhada nele, nós estamos atualmente no continente |Jylbard|. A forma dele lembra um estrepe[6]. Era provavelmente do tamanho da África, mas isso era apenas um palpite. Em primeiro lugar, era questionável dizer se o mapa era ou não preciso.

A cidade de |Aressa| pertencia a um reino chamado |Kranzell| e estava localizada na parte Oeste do continente em forma de estrepe |Jylbard|. Eu não sabia até o momento, mas se você seguisse para o Oeste por aproximadamente cinco dias, você provavelmente chegaria no mar.

(Mestre): “Então, lugares com |Calabouços| próximos a |Aressa| incluem… |Iluuf| e |Urmut|

|Iluuf| está em um país vizinho no Norte e pertence ao reino |Belios|. Se não pudermos cruzar a fronteira, então não importa o quanto nós nos esforcemos, não há forma de sermos capazes de chegar até lá.

Por outro lado, |Urmut| fica ao Sul de |Aressa| e também pertence ao reino |Kranzell|, então não devemos ter nenhum problema para entrar lá.

[Fran]: (“Ambos têm |Calabouços|”)

(Mestre):|Iluuf| tem um |Calabouço| rank C

[Fran]: (“|Urmut|: dois |Calabouços| rank D”)

Portanto, nós vamos escolher qualidade ou quantidade? Hmm… eu pessoalmente acho que |Urmut| seria a melhor escolha. Não teremos nenhum problema em relação a fronteiras e é provavelmente melhor acumular experiência com |Calabouços| de nível mais baixo primeiro.

(Mestre): “Então, qual delas?”

[Fran]: (“|Urmut|. Aquecer com rank D primeiro”)

(Mestre): “Eu concordo. Então, vamos continuar pesquisando. Desta vez, vamos buscar informações sobre os |Calabouços| de |Urmut|

[Fran]: (“Nn”)

Depois disso, nós devemos encontrar uma rota que vai nos levar até lá e quais paradas devemos fazer ao longo do caminho. Parece que há tanto uma rota por terra e por mar também.

(Mestre): “Por mar ou por terra… qual seria melhor, eu me pergunto?”

[Fran]: (“Rota da terra seria mais fácil”)

(Mestre): “Isso é verdade. A propósito… você já esteve em um navio Fran?”

[Fran]: (“Uma vez, como Escrava. Fomos mantidos amontoados no fundo”)

De alguma forma… eu sinto muito. Ou melhor, essa era a única memória dela em um navio! Isso não é bom! Sem chances de que isso pode continuar assim!

(Mestre): “En-então é isso. Muito bem, que tal desta vez nós aproveitarmos uma viagem pelo mar?”

[Fran]: (“Aproveitar?”)

(Mestre): “Ou. Atravessar o mar em um navio é agradável. Também há deliciosos produtos marinhos”

[Fran]: (“… peixes?”)

(Mestre): “Também há camarão, lagosta, caranguejo e outros moluscos. Há uma enorme variedade”

[Fran]: (“Nn. Sem escolha além da rota por mar então”)

Então, é por causa da comida no fim… bom, com isso nós decidimos escolher a rota pelo mar.


(Fran): “N-n…”

Fran se esticou na mesa. Parece que o corpo dela ficou rígido por ficar sentada durante tanto tempo… provavelmente. Nós ficamos na sala de estudos por duas horas.

(Mestre): “Então, o que devemos pesquisar mais tarde deve ser…”

[Fran]: (“Nn. Iguarias de |Urmut|”)

(Mestre): “Bom, isso também, mas há outras coisas para investigarmos, você sabe…”

Taxas de passageiros, planos para nossa rota exata e assim por diante.

[Fran]: (“Certo. Isso também”)

(Mestre): “… você realmente entendeu?”

[Fran]: (“Não posso continuar sem investigar as iguarias”)

(Mestre): “Ah… oh, bom…”


[1] Berserkir (plural para Berserkr) foram guerreiros nórdicos ferozes, que estão relacionados a um culto específico ao deus Odin. Eles despertavam em uma fúria incontrolável antes de qualquer batalha.

[2] Chariot (“carro de guerra” em inglês) é um tipo de carruagem que se utiliza de tração animal (quase sempre cavalos) para proporcionar rápida potência motora a quem a utiliza. Carros deste tipo eram utilizados tanto durante guerras quanto em eventos pacíficos, como desfiles e triunfos, ou para caça e corridas.

[3] Gallus está se referindo a conversa que eles tiveram no capítulo 023.

[4] As Planícies Maokami são o local em que o Mestre despertou quando foi transferido para esse mundo.

[5] Para quem não se lembra, a Floresta da Fome é a região onde o poder mágico é absorvido e o Mestre passou alguns meses presos lá até Fran o encontrar.

[6] A estrepe é uma arma antipessoal feita de dois ou mais pregos ou espinhos, colocados de tal maneira que um deles aponta sempre para cima.