Depois do que aconteceu

[Fran]: (“Mestre!”)

(Mestre): “Ah, ele tem bastante |Poder Mágico. Ele deve ter alcançado o Nível de Ameaça D!”

(Fran): “Nn!”

Apesar da minha estimativa, o que quer que estivesse se aproximando tinha um |Poder Mágico peculiar. Não era o mesmo das Feras Demoníacas, humanos, ou… bem, de qualquer coisa. Sério, era mesmo um |Poder Mágico estranho.

E essa enigmática presença estava vindo até nós em uma velocidade assustadora. Talvez ela esteja mirando Fran? Não, o Visconde idiota ainda conta como um Nobre, então talvez ele seja o alvo?

Bom, tanto faz, este não é o momento para ser descuidado.

(Auguste): “Po-por que sua espada ainda está desembainhada!? Vo-você pretende me matar!?”

Por algum motivo, Auguste estava barulhento. Pensando nisso, será um problema se ele se tornar um estorvo durante a luta, então vamos fazê-lo ficar quieto agora. ‖Magia Negra‖ Lv3: ‖Perda de Mente‖. Esse era um feitiço que roubava a consciência do alvo, fazendo ele desmaiar. Meu palpite era que este cara não teria nenhuma resistência.

(Auguste): “Ah?”

] thmp [

Movendo o inconsciente Visconde para o lado, nós continuamos esperando por mais alguns segundos e o que apareceu era uma coisa estranha meio translúcida. Como posso descrever isso? Era como uma esfera de água que continuava girando e mudando sua forma enquanto flutuava no ar.

(???): “Senhorita Fran, você não o matou, certo?”

(Fran): “???”

Subitamente, ela começou a falar. Espere, eu não poderia garantir que ela estava mesmo falando porque não havia nenhuma evidência de ela ter uma boca… sem comentar a falta de um rosto. Mesmo assim, eu acho que ela estava falando. Sua voz parecia familiar.

(Fran): “Mestre da Guilda?”

(???): “Isso mesmo. Ah, esta é sua primeira vez vendo um desses? Este é um dos tipos de Espíritos que eu uso. Por favor, fique tranquila”

(Fran):Espírito… primeira vez vendo um”

Também era a minha primeira vez vendo algo deste tipo. Como eu poderia explicar? Era um pouco diferente do que eu imaginei. Eu pensei que esses Espíritos teriam uma aparência mais humanoide… algo como um Silfo[1] ou uma Ondina[2].

Parecia que Fran estava pensando em algo parecido.

(Fran): “De alguma forma, estranho”

(Mestre da Guilda): “O que é estranho!? Chamar ele de estranho… esta criança é um Espírito de nível intermediário, mesmo que não tenha uma aparência humana. Contudo, ele também é fofo, sabia!?”

(Fran): “Mais fofo: melhor”

(Mestre da Guilda): “Aqueles com aparência humanoide são Espíritos Superiores. De forma alguma alguém iria invoca-los para algo que não seja combate”

Ah, então Espíritos com aparência humanoide são Espíritos Superiores. Além disso, o Mestre da Guilda é capaz de invocar alguns desses. Este aqui é de nível intermediário, mas ele já tem todo esse |Poder Mágico, então quão poderoso seria um superior?

Se ele puder invocar vários Espíritos ao mesmo tempo, então ele será uma grande força a ser reconhecida… o Mestre da Guilda já é extremamente forte sozinho, então com a adição de Espíritos, ele não ficaria poderoso demais? Bem, eu acho que isso é algo a se esperar de um Mestre da Guilda.

(Fran): “O que você quer?”

(Mestre da Guilda): “Oops, é verdade. Eu recebi uma informação dizendo que o Visconde Auguste deixou a cidade para te perseguir”

Isso acabou de acontecer… ele tem mesmo bons ouvidos.

(Mestre da Guilda): “O guarda do portão, Sir Dert, educadamente me notificou. Foi algo do tipo: ‘O Visconde Auguste saiu perseguindo ela, vai ficar tudo bem com Fran?’”

Dert, eu sinto muito por ter pensado em você como um lolicon. Você é só uma boa pessoa.

(Fran): “Nn. Ele apareceu”

(Mestre da Guilda): “Como pensei! Um apelo para a Guilda sobre cuidar do Visconde por trás das cenas surgiu. Você não matou ele, matou? Erm, talvez você tenha matado ele acidentalmente? Isso certamente seria problemático”

(Fran): “Não matei”

(Mestre da Guilda): “Sé-sério? Bom! Então eu gostaria de toma-lo de suas mãos. É claro que você não vai entrega-lo de graça”

(Fran): “Tudo bem”

(Mestre da Guilda): “Sério? Obrigado! Muito bem, eu vou imediatamente ir até onde você está, então você poderia garantir a segurança dele até lá?”

(Fran): “Nn”

(Mestre da Guilda): “Então, com licença!”

Com essas palavras do Mestre da guilda, a figura do Espírito desapareceu. Parece que ele usou isso como um mensageiro.

Dez minutos mais tarde, o Mestre da Guilda apareceu em pessoa. Bem rápido! Parece que ele se esforçou um pouco para vir até nós.

(Mestre da Guilda): “Senhorita Fran, obrigado por esperar”

(Fran): “Nn”

(Mestre da Guilda): “Visconde Auguste está… ah, ali está ele. Hey, por aqui”

Os Aventureiros que o Mestre da Guilda trouxe com ele levantaram o Visconde e o carregaram.

(Fran): “Onde ele vai?”

(Mestre da Guilda): “Ah, para a fonte do pedido: Conde[3] Olmës”

Esse é um nome que eu ainda não tinha escutado. Quem é ele?

(Mestre da Guilda): “Conde Olmës é o estimado pai do Visconde Auguste”

(Fran): “Pai prendendo seu filho?”

(Mestre da Guilda): “Sim. Eu gostaria que isso continuasse apenas entre nós, mas desde o início, o Visconde Auguste tinha uma personalidade complicada. Mesmo assim, por possuir a habilidade ‖Lei das Mentiras‖, o Conde Olmës não punia ele, ao invés disso, ele usava o próprio filho”

(Fran): “Nn”

(Mestre da Guilda): “No entanto… alguns dias atrás, a habilidade subitamente desapareceu. A razão é desconhecida. Essa é uma situação bem inusitada. Bem, é possível que isso tenha acontecido porque ele usou sua habilidade para fazer coisas ruins e um dos Deuses está o punindo”

Hmmmm, ele já está recebendo uma punição. Além disso, foi bom ver ele deste jeito.

(Mestre da Guilda): “De qualquer forma, ele acabando assim depois de perder essa habilidade surpreendeu até mesmo a mim. Ele era do tipo que usava a habilidade para distinguir entre verdades e mentiras com quem quer que fosse, então quando ele a perdeu, parece que ele ficou incapaz de acreditar em qualquer um”

Entendo. Se uma habilidade que você tem desde que nasceu se perde, então o que aconteceria com você? No caso dele, ele se tornou incapaz de acreditar em outros humanos. Bem, não era tão simples assim, é claro. Era mais próximo dizer que ele estava completamente quebrado.

Eu só pensei que eu obtive uma habilidade conveniente, mas… eu devo me controlar e usar ela apenas quando necessário. Eu não quero acabar como esse Visconde imbecil. Pensar que eu ficarei bem contanto que eu tenha essa habilidade… eu não sou tão especial para algo assim se tornar realidade.

(Mestre da Guilda): “Alguns dias antes de descobrirmos isso, ele também causou problemas com a Casa Real, que estavam visitando para uma inspeção. Desrespeitando todos os tipos de etiqueta, ele os agarrou e começou a gritar para que eles não falassem mentiras na frente de uma plateia”

Uwaa… isso é terrível. Não, espere… nós também roubamos a habilidade ‖Etiqueta da Corte‖, não roubamos? Isso também…

(Mestre da Guilda): “E, enquanto ele estava sob prisão domiciliar, ele escapou de seu quarto e se escondeu. Nessa ocasião, parece que ele levou uma grande soma em dinheiro com ele… aparentemente, ele já usou a maior parte disso. Nós rastreamos os gastos deles por todo o caminho até o local onde ele comprou uma armadura cara”

De todas as probabilidades, essa parte foi feita por influência de Gyuran. Assim, depois de capturar Fran, ele pretendia abandonar |Aressa| e escapar… como se este nobre idiota fosse capaz de fazer tudo isso.

(Mestre da Guilda): “No caso do Conde Olmës, ele não quer que esse infortúnio se torne uma grande comoção. Desta forma, antes que o Visconde Auguste cause mais confusão, ele me pediu para cuidar dele em segredo”

(Fran): “Segredo?”

(Mestre da Guilda): “Correto. Esta é só a minha opinião pessoal, mas eu acredito que ele escondeu o fato de que seu filho perdeu sua habilidade e planeja fazer uso disso de alguma forma. Talvez ele planeje manipular seu filho diretamente, ou talvez ele planeje usar algum tipo de tratamento médico para obter a habilidade de volta, porém… por enquanto, ele quer restringir o Visconde. E assim, para prevenir a exposição deste incidente, o Conde quer proceder com o máximo de sigilo possível. Esse seria o resumo da situação”

Hmhmm… então, em outras palavras… suborno foi preparado?

(Fran): “…”

(Mestre da Guilda): “… não fique me encarando tanto. Você tem o privilégio disto ser considerado como um sucesso para a missão e um bônus adequado vai ser adicionado”

(Fran): “Nn. É claro”

(Mestre da Guilda): “Em troca… você já sabe, não é?”

(Fran): “Boca: selada”

Para a súbita confirmação, vendo a confiança de Fran, o Mestre da Guilda dirigiu um olhar estranhamente desconfortável.

(Mestre da Guilda): “Haa. É sério, eu te imploro: mantenha isso em segredo. O envolvido é um poderoso Nobre afinal. Se ele se irritar, vários problemas vão surgir”

Nós também queremos evitar ser arrastados em problemas familiares da Nobreza. Mesmo que ele não nos pedisse, de jeito nenhum nós iríamos espalhar rumores sobre isso.

(Mestre da Guilda): “Bem, quanto aos itens pessoais do Visconde, me disseram que não havia necessidade de recupera-los, então não se preocupe”

Parece que no fim nós ficaremos com o equipamento além de uma enorme quantia de dinheiro. Er, isso é bem diferente, não é?

… parece que nosso débito com o Mestre da Guilda aumentou.

Depois disso, nós tomamos a decisão de manter o nome da Fran em segredo do Conde. Para um nobre tão poderoso, eu duvido que ele tenha interesse no nome de uma plebeia. Seria algo bem irrealista, certo? Mesmo assim, isto é só uma precaução.

A propósito, a valor da comissão junto do dinheiro do suborno chegou a 200.000 Gorudo, então, de forma repentina, nosso dinheiro duplicou.

Como esperado da comissão de um Nobre. O senso de dinheiro dele deve ser mesmo esquisito.


[1] Silfos ou Sílfides são seres mitológicos do ar na tradição ocidental. Silfos ao contrário de fadas são masculinos.

[2] Ondina ou ondim é um espírito da natureza que vive em rios, lagos e mares. São elementais da água. É uma espécie de sereia ou tágide (ninfa do rio), um génio do amor, uma figura da imaginação poética.

[3] Conde é um título nobiliárquico existente em muitas monarquias, sendo imediatamente superior a visconde e inferior a marquês. Inicialmente, na Idade Média, era o senhor conde feudal, dono de um ou mais castelos e de terras denominadas condado, mas posteriormente, a partir do século XIV, o título nobiliárquico foi utilizado apenas como grau de nobreza.